, A ARTE DE NEWTON AVELINO: Maio 2014

Curta Nossa Página do Facebook!


  • Desenvolvido Por Iago Melanias

    Curta Nossa Página do Facebook!


  • Desenvolvido Por Iago Melanias

    SEGUIDORES

    Confira a arte do artista potiguar Newton Avelino, na sua galeria permanente. Adquira já uma obra!

    31 de mai de 2014

    O MAIOR SÃO JOÃO DO MUNDO

                                    
                                              

                    
                          


                                
                                      FESTA CULTURAL DO NORDESTE
         



        O São João está chegando e junto com ele a alegria dos Nordestinos que tem por essa festa uma alegria e um carinho todo especial. A cidade de Caruaru em Pernambuco e Campina Grande na Paraíba é as duas que tem as maiores festas que existe nessa época do ano no Nordeste.
        Claro que o São João no Nordeste não se resumi só a elas, em todo o Nordeste a festa Junina é comemorado e muito pelos Nordestinos, ao ponto de serem trinta dias de festejos na Região. Essa festa tão nordestina é sem sombra de dúvidas um dos momentos mais aguardados do povo sertanejo e nordestino.
        Não é à toa que o Nordeste é considerado a região a onde existe o melhor e o maior São João do Mundo. Com as fogueiras queimando as madeiras a todo vapor, a indumentária nos brincantes e participantes dessa festa ganha destaques como o chapéu de palha e muito forró, sem falar nas roupas apropriadas para a festa.
         A origem dos festejos juninos está relacionada ao período colonial, costume trazido pelos portugueses quando aqui desembarcaram. Quando essas festas chegaram ao Brasil elas ganharam força, incorporaram-se a cultura popular principalmente pelos Nordestinos.
         Os santos São José, Santo Antônio, São João, São Pedro, são homenageados nesse mês junino. Os trinta dias de festejos são acompanhados por uma culinária riquíssima a base de milho e de leite. Esse ciclo junino é de natureza pagã misturado com a tradição religiosa dos nordestinos. As festas juninas impulsionam a economia, e fazem reviver a cultura.
         O turismo também é beneficiado com essa festa porque consequentemente vêm mais pessoas para prestigiar o evento. Caruaru e Campina Grande disputam quem é o melhor São João do mundo, isso é bom porque incentiva a cada vez mais as duas cidades a fazerem uma festa a cada ano melhor.
        São duas lindas cidades com potencial tanto econômico como cultural, que só dignifica o Nordeste. Cada uma tem o seu título. Caruaru dizem que é a capital do Forró, e Campina Grande falam que é a onde tem o melhor São João do mundo.
         Por aí vocês tiram de como essa festa é o cartão de visita dos Nordestinos. Se você está a fim de conhecer e de brincar o São João como você nunca brincou, vem para o Nordeste, à região no mês de Junho é a cara do Forró, é a cara do São João.

    30 de mai de 2014

    NORDESTE CULTURA BRASILEIRA

                                                 Fonte da imagem: museudantu


                                   HISTÓRIA DO POVO NORDESTINO

        Os caminhões mistos foram muito importantes para o setor de transporte no semiárido do sertão do Nordeste do Brasil. Depois da ll grande guerra, os caminhões começaram a chegar no Nordeste brasileiro eles transportavam cargas, mas também eram modificados para servir como transporte coletivo local e interestadual.
     
        Às vezes alguns transformavam o caminhão em pau de arara e também caminhões mistos, que são caminhões com boleias de madeira estendidas. Esses caminhões mistos fizeram a história do sertão do Nordeste nos anos de 1930.
     
        A economia e o progresso do sertão eram movimentados através deles. Esses caminhões eram tão importantes que além de levar pessoas, ainda carregavam cargas para qualquer região do Nordeste e do Brasil. O caminhão "Misto" tinha três cabines e levava mais ou menos umas 16 pessoas sentadas e mais alguns em cima da sua pequena carroceria.
     
         Esses caminhões geralmente andavam todo tempo em estradas muito esburacadas e de terra batida. O seu motor era ligado, à manivela. Esses caminhões subiam as serras que existem no sertão, com o seu motor gemendo e devagar até chegar ao topo.
     
          A história desses "queixo duro" no comércio do sertão do nordestino e nos cantos mais longinquos do Brasil, é uma história de uma economia muito forte por parte do comércio varejista e do comércio atacadista. Já que era através deles que as pequenas e médias cargas eram transportadas por eles.
     
          O sertanejo para a onde ele quisesse ir ou viajar, ele tinha que ir de Caminhão misto, porque era uma das formas mais simples de se chegar a algum lugar desse sertão Brasileiro. Era muito comum você encontrar nas áreas mais urbanas do Brasil esses carros exóticos, mas para a época ele era o top de linha nas estradas do Brasil e do sertão brasileiro. O caminhão misto nos anos de 1930 foi para o sertão nordestino e para o Brasil, um símbolo de modernidade para a economia do País.

     

    ÁGUAS CRISTALINAS

                                                                                            Fonte da imagem: myhouseinparadise

                                                 
                                       PRAIAS DO NORDESTE DO BRASIL

        
         O Rio Grande do Norte é um estado muito rico se tratando de turismo. Esse estado da região Nordeste do Brasil tem um potencial muito grande, tanto no que se refere às belezas naturais de suas praias como também na sua infraestrutura.

        A praia de Perobas é um desses cartões postais que o nosso Nordeste tem. Com muitos coqueiros e uma vista exuberante, a praia de Perobas fica no litoral norte do estado do Rio Grande do Norte, a 78 km da capital do estado, NATAL- RN.

         Essa linda praia pertence ao município de Touros. Foi recém-descoberta pelos turistas. Ela é uma pequena vila de pescadores artesanais que em suas pequenas embarcações entram de mar adentro desafiando as dificuldades do alto mar, em busca de camarões, lagostas e peixes de todos os tamanhos.

          Essa praia é isolada durante uma parte do ano, ela só fica mais movimentada na alta estação. O local tem águas transparentes e pontos de mergulhos. Bom para pescar com zarpão. Os corais ficam distantes a 5 Km da costa. Com uma beleza rara os parrachos de Rio do Fogo, como são conhecidos, essa área ainda é pouco explorada.

          O turista pode agendar os passeios de lanchas para esses parrachos. As pessoas podem encontrar pousadas e restaurantes no local, que tem no seu cardápio galinha caipira, carne de porco, frutos do mar etc. Para o turista que está procurando tranquilidade e uma vista bela, esse é o local certo.

          O nome Perobas vem do tupi Ipê ropa (Casca Amarga). Essa praia tem o Projeto Tamar, que foi criado para a preservação de tartarugas marinhas. Vindo a cidade do Natal - RN não deixe de conhecer a praia de perobas no RN. Procure por um guia turístico credenciado ou até mesmo um nativo da região, para que o seu passeio não seja desagradável.




    29 de mai de 2014

    SERTÃO CULTURAL

                                    
                                                                                           Fonte da imagem: crato
                                                             


                                                                                  
                                                     CULTURA DO SERTÃO
        



        As Bodegas que existiram e ainda existem no sertão do Nordeste brasileiro, fazem parte da história dessa região. Elas eram a opção e a melhor forma que os sertanejos tinham de comprar os seus alimentos e algumas bugigangas que eles precisavam em casa.

        
        No sertão, essas mercearias sempre foi ponto de paradas, tanto para quem mora nos vilarejos ou para quem mora nos sítios e fazendas da região. Essas bodegas eram rústicas de tal forma que o pão ainda era enrolado com papel grosso de embrulho, ou você ainda comprava tudo pela metade como, por exemplo: Meio quilo de feijão, de arroz, farinha etc.

         

         Nessas Bodegas de tudo um pouco existia lá. De fumo a pavio de candeeiro, de prego a alpargatas de rabichos, ou até mesmo chocalho para animais. Essas bodegas eram realmente um shopping de antigamente, de tudo tinha um pouco.

          

          As suas prateleiras eram cheias de cachaças de todos os tipos e gostos, a escolha dos clientes. De cocadas a rapadura, de brote a bolacha de leite do sertão, tudo isso você podia achar nessas maravilhosas vendas. O sertanejo sempre foi criativo e para o lado de comércio, aí é que ele dá um show. Ele só precisa de capital para investir um pouco.

          

          Era muito comum ver esse tipo de comércio nos confins do Sertão do Nordeste do Brasil. Nessas mercearias era comum se comprar fiado realmente. As cadernetas eram o cartão de créditos que os sertanejos usavam nesse caso aqui. O bodegueiro vendia realmente fiado porque os sertanejos que compravam, honravam realmente os seus compromissos com aquele comércio.

          

          O balcão dessas bodegas eram o máximo, além de ser de madeira maciça ele tinha uma tremenda balança com vários pesos ao lado que eram usados para pesar cada produto adquirido por quem ia comprar. Dentro daquelas bodegas a gente podia ver o querosene da marca jacaré, os sacos de farinha, feijão e arroz.

          

          Também os bodegueiros vendiam em suas bodegas chumbo e pólvora para espingardas de soca que eram muito comuns na época para caça no sertão. O proprietário tinha a mania de colocar a caneta entre a orelha e ainda tinha a mania de ficar batendo papo, jogando conversa fora com os clientes.

          

         Essas maravilhosas mercearias a gente podia encontrar a famosa mortadela, queijo coalho junto com algumas tranças de alho branco e roxo e uma variedade de muitas bugigangas. As bodegas fazem parte da história do sertão do Nordeste.

    NORDESTE BRASILEIRO


                                                                    Fonte da imagem:umbuzada
                                       






                                             HISTÓRIA DO NORDESTE BRASILEIRO









          Canudos é um município brasileiro que fica situado no sertão da Bahia, localizado no Nordeste do Brasil. A cidade atual de Canudos, já é a terceira Canudos da região. A primeira foi feita no século XVlll às margens do rio Vaza-Barris, ela foi feita como uma pequena aldeia na fazenda Canudo

        



        O Nordeste no final do século XlX, tinha uma seca terrível, fome, violência e um abandono político que afetava os nordestinos. Realmente a região era muito precária e pobre. Essa situação afetava principalmente a população mais carente da região. A grave situação foi desencadeada um grave problema social.

         



          O conflito começou no ano de 1896, no sertão baiano. O governo da Bahia pediu apoio Federal para conter essa situação formada por fanáticos, jagunços e muitos sertanejos famintos e sem empregos. Antônio Vicente Mendes Maciel, conhecido como Antônio Conselheiro, era um beato.

          



         Ele nasceu em Quixeramobim no Ceará, e foi um líder religioso e social brasileiro. O Beato Conselheiro era considerado um fora da lei pelas autoridades nordestina. Os jagunço e fanáticos e outros foras da lei, começaram a seguir o beato Antônio Conselheiro, depois de um certo tempo eles usavam de violência nas comunidades saqueando e fazendo tudo que não presta em nome de uma ideologia que não tinha muito haver.

          



         O Beato passou mesmo a ser conhecido só depois da Proclamação da República, ele liderava aqueles movimentos no sertão baiano. Ele acreditava que eram um enviado de Deus para acabar com as ideias e as diferenças sociais, e também os pecados republicanos, entre alguns, estavam o casamento civil e cobranças de impostos.

          



        O governo federal, com auxílio de tropas locais, organizou uma ofensiva militar contra o arraial liderado por Conselheiro. O conflito armado, conhecido como "Guerra de Canudos, ocorreu entre 1896 e 1997". Só no quarto confronto foi que essa guerra se deu por finalizada. O cerco foi tão grande que quem morava no arraial, não tinha nenhuma chance de ir à busca de qualquer tipo de alimentos e muitos morreram de fome, ou eram baleados tentando fugir do cerco que havia no arraial.

          



         O massacre foi de tamanha proporção que nem mulheres, crianças e idosos escaparam dele. Só na quarta tentativa de invasão das tropas federais e estaduais e de algumas regiões do Brasil, foi que a guerra de Canudos chegou ao fim. O beato Antônio Conselheiro foi morto durante a batalha em 22 de setembro de 1897, com ferimentos causados por granada. Hoje a cidade de Canudos já a terceira Canudos. A sua história fica para novas gerações de Nordestinos.

      




        

    28 de mai de 2014

    TURISMO NO NORDESTE DO BRASIL

                              
                                          Fonte da imagem: brazilecovip
                                                 
                                                    CARTÃO POSTAL DO BRASIL
         Uma das mais belas ilhas brasileiras fica no Nordeste no estado de Pernambuco. Ela hoje é um distrito estadual conduzido por um administrador nomeado pelo governador de Pernambuco. Desde a sua descoberta, aos dias atuais, o arquipélago teve vários domínios e o seu patrimônio natural foi devastado pela ação das pessoas que tomavam conta dessa ilha na época do seu descobrimento.
        A data oficial do seu descobrimento é 10 de agosto de 1503, foi a partir dos registros documentais existentes do navegador e escritor Florentino Américo Vespúcio. Ele era quem comandava uma embarcação da frota de seis navios da expedição.
        Essa ilha já foi invadida por holandeses e franceses e por fim os portugueses expulsaram todos eles desse arquipélago. É bom frisar que ela só foi ocupada por franceses e holandeses, porque o fidalgo português Fernão Loronha nunca ocupou as terras.
        Então elas ficavam sempre sujeita a invasões. Noronha foi a primeira Capitania Hereditária do Brasil. O fidalgo português recebeu a ilha de presente por ter financiado a expedição, e a ilha também recebeu esse nome em homenagem ao seu ele.
        Tudo isso em 1504. Mas ele nunca quis ficar por lá. Isso é outra história. Fernando de Noronha já foi uma base militar, isso foi há décadas a trás. Nos dias atuais os resquícios do passado ainda existem e servem como parte turística da ilha.
         Essa ilha também serviu como presídio para o governo Brasileiro. Por vários anos a população de Fernando de Noronha era formada por presos comuns. No século XX isso mudou. Logo no início do Estado Novo em 1937 a 1945, o presidente Getúlio Vargas determinou que os presos políticos fossem para Noronha. Somente após a Constituição de 88, o arquipélago foi reintegrado como Distrito Estadual a Pernambuco.
         Depois disso Fernando de Noronha passou a ser considerada Área de Proteção Ambiental. Essa ilha Nordestina e Brasileira tem como pontos turísticos o Mirante do Boldró, Buraco da Raquel, Forte Nossa Senhora dos Remédios, Museu do Tubarão, Projeto Tamar, e Vila dos Remédios.
         As pessoas que não conhece esse arquipélago pensam que os pontos turísticos da ilha é só praias. Doce engano. Você também tem que conhecer a Praia do Leão, Morro Dois irmão, Baía do Sancho, Baía dos Porcos, Baía dos Golfinhos,  e várias paisagens.
         A gastronomia da ilha é basicamente peixes e frutos do mar. Interessante é que Noronha fica a 380 km da cidade de NATAL - RN em linha reta. Do Recife para Fernando de Noronha são 545 km. Essa ilha que pertence os Brasil e a Pernambuco é um cartão postal e um misto de beleza e paz. Um paraíso no Brasil, para as pessoas que gostam de apreciar a Natureza, e de contemplar a beleza que Deus deixou para nós. Noronha cartão postal do Nordeste.





    PRODUTOS TEXTEIS

                                      Fonte da imagem: Fotolog

                                                       


                                           OURO BRANCO

      



        O Nordeste do Brasil já foi uma região a onde se podia dizer e constatar que ali era uma região que produzia mais Algodão no Brasil. Essa cultura fica entre as principais culturas agrícolas mais cultivadas mundialmente. O algodoeiro é uma planta cultivada em pequenas e grandes propriedades rurais.

        


         No Nordeste os pequenos agricultores são os que mais plantam o algodão, sendo que no centro oeste se concentram os maiores. Na época áurea o algodão era chamado de "Ouro Branco". Os estados nordestinos que eram os maiores produtores desse cultivo era Paraíba, Pernambuco e o Ceará.

        


         Depois que o "inseto bicudo" entrou nas plantações da região, a produção entrou em declínio. A cultura do Algodão já estava abalada financeiramente por causa das importações de algodão do exterior, e por causa da expansão desse cultivo no cerrado do Brasil. Hoje o algodão do Nordeste é cultivado em pequenas propriedades rurais tanto na agricultura familiar como também em pequenos empreendimentos agrícolas.

        


        Acho que se o agricultor tivesse uma política mais voltada para combater a praga do inseto que prejudica essa planta, e se tivesse mais incentivos, o Nordeste sem dúvida nenhuma seria mais um dos grandes a exportar algodão. O problema também são os preços muito baixo que o Brasil tem que enfrentar lá fora.

         


         Fica quase inviável fazer política de mercado desse jeito. Por outro lado, a realidade é que se o agricultor não tiver incentivo nenhum naquela plantação a onde ele está cultivando, ele prefere ir para outro manjo. Essa planta é conhecida há mais de 4.500 anos. Várias civilizações já utilizavam o algodão.

         


         Em continentes como a Ásia já utilizavam ele como produto de primeira necessidade. Somente a partir do segundo século da Era Cristã, o algodão ficou mais conhecido na Europa, sendo trazido pelos árabes. Os próprios árabes foram os primeiros a fabricarem tecidos e papeis com essa fibra.

         


         Nos Estados Unidos, ele se tornou comercial nos estados da Carolina do Sul e da Geórgia. No Brasil pouco se sabe, No início do século XVl, Jean de Levy já dizia que os índios utilizavam para fiar e tecer o algodão.

         


          Em 1576, Gandayo já falava que as camas dos índios eram redes de fios de algodão. Só sabemos que o Nordeste já foi o celeiro do mundo, no que se refere à plantação do algodão. A história por si só já conta que pequenos e grandes agricultores nordestinos mesmo os pecuaristas ou não, eles utilizavam uma parte das suas terras para esse cultivo. O Nordeste poderá a vir a ser um celeiro de arte, cultura e de alimentos para o Brasil, mas também temos que mudarmos as velhas manias.






    25 de mai de 2014

    O SERTÃO E AS SUAS BELEZAS

                                       Fonte da imagem: danbrazil


                                                    




                       A BELEZA DO SERTÃO NORDESTINO 

           






         Uma das coisas que mais me impressionou quando eu cheguei ao estado do Piauí, foi à plantação de carnaúbas que eu encontrei nesse estado. Na época, tinha muitas Carnaúbas em quase todo estado. Elas eram espalhadas por diferentes locais.       



          



         Essa árvore que é rica em beleza e potencialidade está presente em todo o território da região Nordeste do Brasil. Da sua raiz até as folhas, praticamente se aproveita tudo. Os índios sempre souberam aproveitar e muito os produtos que essa árvore dar.        



           



        Do tronco eles extraiam os artefatos; do palmito, a farinha; dos frutos, o alimento; das raízes e amêndoas, remédios capazes de curar as piores dores. Já os sertanejos acrescentaram mais algumas aplicações à árvore. A sua palha hoje serve para adubação.      



            



         O pó que é extraído das suas folhas é um insumo que entra na composição de vários produtos industrializados, como: Os revestimentos de vários produtos eletrônicos, cápsulas para remédios, verniz de produto de limpeza, cosméticos, limpeza e até mesmo quem ainda faz vinil para a indústria fonográfica artesanal.      



           



        Já na década de 1950 começava a decadência econômica, pois essa palmeira que crescia naturalmente no semiárido, sem nenhum manejo, não existia mais em número suficiente para atender a demanda da indústria nacional e internacional. Ela foi substituída pelos derivados do Petróleo que eram mais baratos.     



            



         Exemplo: Isolante elétrico nos chips de computadores. Eu ainda acho que pela tradição e pelo que essa árvore dava e ainda dar para alguns Nordestinos, eu acho que não teve uma política forte para a preservação da mesma em território Nordestino, para que ela fosse mais uma fonte de emprego e renda para o homem do campo.       



      

            Os Nordestinos então com o tempo, adaptaram a matéria prima a suas vidas, e aprenderam usa-la como artesanatos exemplo: Chapéus, tapetes e outros. Essa árvore símbolo do sertão nordestino deveria ser mais bem cuidada, porque ela é dar para o sertanejo, tudo que ele precisa. A resistência e exuberância dela me fez ver a beleza que essa árvore deixa no semiárido do sertão Nordestino. Os carnaubais do Nordeste traduzem a beleza e a força do homem do sertão nordestino.         

    .





    PIRANHAS

                                                             Fonte da imagem: viagens brasil


                                                         




                        PATRIMÔNIO HISTÓRICO NACIONAL

         





         O Nordeste do Brasil é um imenso celeiro turístico, tanto no seu litoral como no alto sertão, ou até mesmo no agreste. Esses belos roteiros turísticos que algumas pessoas ainda não descobriram, e que isso poderia fazer muito a diferença para as cidades que tem esses atrativos.

         




         Essa diferença ia ajudar e muito economicamente as cidades, gerando  empregos diretos e indiretos. Se isso fosse mais divulgado nacionalmente, com certeza essas cidades gerariam mais empregos e rendas para os nativos.

         




         Falando no que se refere aos turistas, eles conheceriam coisa muito importante culturalmente que hoje alguns não conhecem o que o nosso país tem. Bom, vou falar de uma cidadezinha belíssima e que fica no sertão nordestino, ela tem belos atrativos para mostrar ao turismo do Brasil e do mundo. Essa cidade se chama Piranhas.

          




         Ela está encravada no estado de Alagoas - AL. A cidade foi fundada no Século XVlll. Ela é banhada pelo o Rio São Francisco, o maior rio da Região Nordeste, se bem, que existem outros grandes Rios dessa Região maravilhosa como os Rios: Parnaíba e o Rio Poti no estado do Piauí, o Jaguaribe no Estado do Ceará, o Pindaré/Mirim no Estado do Maranhão e mais alguns grandes afluentes. Mas isso é outra história.

          




        Voltando ao assunto dessa Linda cidadezinha de alagoas: ela é banhada pelo Rio São Francisco que apresenta uma exuberante beleza natural. As suas estreitas ruas são caminhos para se visitar os casarões coloniais da época. Lá as pessoas podem aproveitar o passeios de Barcos pelo Rio São Francisco, tem o Museu Sertão, o Centro de exposição e Cultural  de Artesanato. Você também pode provar os sabores do Sertão, A cidade oferece oferece lazer e turismo para você poder aproveitar bastante a sua viagem.

          




         Ela tem uma boa infraestrutura com bons restaurantes hotéis e pousadas. Podemos encontrar uma belíssima culinária e tudo que agrada aos visitantes. Essa cidade histórica de Alagoas é tombada pelo Patrimônio Histórico Nacional.

           




         Piranhas fica a 315 Km de Maceió a capital alagoana, ela fica situada na microrregião do sertão do São Francisco e faz limites com municípios Olho D' Água do Casado, Pão de Açúcar, São José da Tapera, Inhapi e o Rio São Francisco.

           




         A cidade tem 19.652 habitantes a sua economia é sustentada basicamente na pecuária extensiva, na agricultura e na pesca. Para chegar a Piranhas indo de carro, pegue a BR 101 sentido Maceió.

          




        Vá na direção do município de Areia Branca que fica na BR 235 seguindo sentido de Itabaiana passando por fora da cidade, entrando em Ribeirópolis seguindo pela estadual SE 106. Você vai passar pelos municípios de Nossa Senhora Aparecida e Nossa Senhora da Glória, Você seguindo pela rodovia SE 206 passa por Poço Redondo, Canindé e finalmente chegando à cidade de Piranhas. Chegando à cidade procure sempre um guia turístico ou um nativo da região que lhe dê as informações corretas.


    24 de mai de 2014

    ARTISTA POTIGUAR


                                                 


                                
                                  IMAGINÁRIO DO ARTISTA




    O artista plástico Brasileiro Newton Avelino nasceu em Natal-RN e se mudou para o estado do Piauí muito cedo. Esse artista passou a sua adolescência e uma parte da sua vida adulta, nesse estado. Lá, esse artista deu o seu primeiro passo para uma caminhada árdua e muito cheia de armadilhas.  


         Newton Avelino conta que nas trilhas e nos caminhos da arte a onde a vaidade toma conta, nunca pode ser cultivada flores muito menos sucesso. Esse artista autodidata sem formação acadêmica prova mais uma vez que talento não se compra muito menos se empresta.

         Quando se tem talento deve-se agradecer a Deus pelo talento concedido. Como diz o artista, a pessoa pode até se esforçar para entender, mas o talento não precisa de "maquiagem" muito menos subterfúgio.

         O artista talentoso é aquele que além do seu talento, ele procura fazer o seu trabalho sem querer saber qual é a trilha ou o caminho que ele vai "trilhar". Ele apenas faz o seu trabalho esperando que os amantes da arte e os leigos ou não leigos, gostem do que ele está se propondo a fazer. Bem, esse artista é um artista que "Não caiu de paraquedas".

          A sua história é muito árdua, e de perseverança e muito trabalho no mundo das artes. Newton Avelino, já trabalhou como DESENHIISTA na Fábrica da Coca-Cola tanto como pintor como Desenhista. Como se ver, esse artista ralou realmente no mundo das artes. Seu primeiro trabalho foi na Fábrica da coca- cola como pintor.

          O teste que ele fez foi um letreiro de 50 metros de comprimento por 2,5 de altura com o nome FÁBRICA.com duas logomarcas da  Coca-Cola é isso aí, nas duas extremidades. O artista também era o responsável para pintar os outdoors da empresa dentro da cidade de Picos-PI e na microrregião.

          Como podemos ver, esse artista começou cedo. Depois que ele saiu da COCA-COLA, foi trabalhar na BRAHMA, pintando também as fachadas e outdoor da empresa. Logo após ter saído dessas duas empresas depois de algum tempo o artista ficou se dedicando as artes plásticas já que tinha começado a sua carreira de artista plástico em 1978.

         Com o seu tempo agora dedicado só às artes plásticas esse artista criou o seu estilo próprio e começou a fazer um estudo de pesquisa começando a se entrosar com nativos de várias localidades da microrregião tanto do Piauí com também uma parte do Ceará.

          Ele começou observar as pessoas seus costumes da época, tanto nas feiras livres como no interior e até mesmo as pessoas da cidade. O que elas gostavam, as suas manifestações culturais, o seu folclore suas danças. Foi por onde ele começou a pesquisa dele para poder começar o seu trabalho.

          Newton Avelino também passou muito pelo sul de PERNAMBUCO, e foi até um pouco do Maranhão. Esse artista já tem uma carreira consolidada e de grandes trabalhos. A família desse artista é uma família autêntica sertaneja, da cidade de CAICÓ-Rn, o artista nasceu em NATAL-Rn mas a sua família é do Seridó.

          Nasceu em uma família de poetas, pintores, cantores, poetisa a onde corre a arte nas veias. O seu avô era poeta "SEU CHICO AVELINO", contemporâneo e amigo de "Câmara Cascudo". O seu tio "DIDI AVELINO" é artista gráfico, artista plástico, cantor e o representante do artista no RIO DE JANEIRO.

          Newton Avelino conta que uma das maiores influência que teve no mundo das artes, foi com o seu tio. Ele quando criança, sempre gostava de ver o seu tio "DIDI AVELINO" desenhando seus rabiscos de colégio. A sua mãe faz divinas poesias e canta. Ele teve um Tio que cantou muito na época da Rádio Poti.

          O artista ainda tem um tio que trabalha em uma grande empresa e que também se deixar faz arte também. Por essas e outras, esse artista é um artista que nasceu em berço não de ouro, mas em berço de arte, berço de artistas.

          O que eu admiro muito nesse artista é que a sua técnica, seus traços arrojados e as suas cores fortes, me sensibiliza e me faz crer que ele além de ser um artista regional ele mostra uma técnica muito apurada a onde as pessoas se PAIXONAM pela sua obra. Newton Avelino um ARTISTA DO NORDESTE.



    23 de mai de 2014

    SABORES DO NORDESTE

                                   
                                                                  Fonte da imagem: toca da cotia
                                                                
                                                   





                                                                    SABORES DO NORDESTE
          






          A culinária do nordeste é muito forte e saborosa. O seu cardápio é generoso e muito apetitoso, mostrando que a culinária nordestina é uma das mais ricas do Brasil. Digamos que essa mesa farta por diversos sabores misturados, se divide em duas partes.
          




         O litoral com as suas belas praias dar pra nós: O caranguejo, a lagosta, o peixe, o camarão, os mariscos em geral. Já a parte do sertão com a sua bela paisagem da caatinga seca e com tons de cinza, quando chove no sertão a sua vegetação maravilhosa fica verde e muito linda. É a onde o Sertão vira mar. Com os seus açudes cheios, a gente ver que no sertão tendo água e se plantando, de tudo dar.
          




          Pois bem, o sertão contribui para a culinária nordestina com: a carne de bode, a carne de gado, a galinha caipira, o peixe do açude, a coalhada, o leite, o queijo de manteiga e de coalho e muito mais. Juntando o litoral e o sertão do nordeste, mostra que a culinária nordestina tem na sua essência, e o seu sabor picante, mostrando o cheiro dos temperos suaves dessa região.
          




          Essa culinária chega a mostrar tremenda diversidade de pratos da região misturando o talento e a arte de quem se propõe e se atreve a maneja-la. Com tudo isso, podemos degustar um sarapatel feito de miúdos do bode, junto com feijão de corda. Podemos ter um prato com mariscos junto com uma boa farofa d'água e arroz.
          




          Ainda podemos pedir um purê de queijo coalho junto com feijão verde e uma boa farofa de cuscuz. Ainda podemos degustar uma galinha caipira com um feijão de corda misturado com arroz de leite ou mesmo junto com um pirão de peixe.
          




         Do sertão ao litoral a região nordeste tem pratos maravilhosos inventados pelos próprios nordestinos, sempre com a influência europeia. Mas sem sombra de dúvida com um toque nordestino. E para isso o tempero da região é o segredo do sabor dessa culinária maravilhosa.
    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

    GOSTARIA DE ASSINAR O NOSSO FEED?

    100% gratuito

    RECEBA AS ATUALIZÇÕES DO NOSSO BLOG DIRETAMENTE NO SEU E-MAIL

    FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADES DO BLOG