, A ARTE DE NEWTON AVELINO: Setembro 2015

Curta Nossa Página do Facebook!


  • Desenvolvido Por Iago Melanias

    Curta Nossa Página do Facebook!


  • Desenvolvido Por Iago Melanias

    SEGUIDORES

    Confira a arte do artista potiguar Newton Avelino, na sua galeria permanente. Adquira já uma obra!

    26 de set de 2015

    PÁSSARO DA CAATINGA

        
    Fonte da imagem: enciclopets
                                  
                                     




                                            ESPETÁCULOS NO BIOMA BRASILEIRO
       






        A caatinga existe diversas espécies de pássaros silvestres, mas uma espécie em especial me chama atenção, é o Pacu (Forpus xanthopterygius) Blue-winged Parrotlet . Essa especie antigamente existia em abundância na cidade a onde eu morei no Piauí e que fica próximo ao estado do Ceará, cerca de uns cento e cinquenta quilômetros para a divisa entre um estado e outro, essa espécie de pássaro é muito comum nesses dois estados e em quase todo bioma da caatinga, e a onde eu morei, como nas suas imediações ou seja em alguns outros distritos, você via eles dando voos rasantes dentro daquelas cidades mais próximas da caatinga.

       




        Só gostavam de voar em bandos e fazendo uma zoada estridente. A natureza por si só, já fazia o espetáculo todas as manhãs e nos finais das tardes. Esses pássaros  são da família dos perequitos e papaguaios. Com as penas na mesma cor, eles fazem a beleza da caatinga com todo o seu frenezi.

      




          Com o passar dos anos eles foram diminuindo muito e saindo fora de cena dentro de algumas cidades, já que o progresso vai chegando e as contruções vão sendo feita em seu habitat natural, isso afugenta as aves, mais com tudo isso, ainda existe sim, eles estão voando por dentro da caatinga e mostrando a sua beleza.

       




         Essa ave tambem é muito conhecida popularmente como tuim, pacu  perequito, papacum isso quando muda de região pra região, o certo é que na caatinga nordestina existe uma variedade de lindos pássaros como o galo de campina, o golinha, o bigode, o tico tico e outros e outras espécies.

       




         Mas como estamos falando do Pacu,  Papacum ou tuim, ele pesa em média 25 gramas, tem bico pequeno e cinza claro e é um dos menores perequito que tem no bioma brasileiro. Se alimentam de flores e frutos e só voam em bandos fazendo muito barulho.

      




         Lá alguma vez, você ver alguns em pequenos bandos no céu do sertão. Apesar de serem pequenos, eles fazem a beleza desse bioma chamado de Caatinga, voando a grandes distância, eles alertam do perigo uns aos outros do bando através de sinais com o seu barulho estridente. Para mim, pássaro foi feito para voar e não viver preso. A beleza que eles fazem voando, não fazem preso dentro de alguma gaiola.



    25 de set de 2015

    PARQUE ESTADUAL PEDRA DA BOCA

                                                
                                                                    Fonte da imagem: dronestagr
                                 BELÍSSIMO PATRIMÔNIO GEOLÓGICO 
       O turismo de aventura cresce no nordeste em passos largos, as pessoas que gostam de fazer esse tipo de turismo, gostam mesmo de se aventurar no desconhecido. Esses expedicionários aproveitam para fotografarem alguns monumentos, gostam de registrar tanto em fotografias como em filmagens as formações rochosas, animais, cavernas e grutas desses locais a onde eles estão participando do ecoturismo.
     
       Vamos falar hoje da Pedra da Boca que fica no Parque Estadual, localizada no município de Araruna, região do Curimataú da Paraíba. Esse monumento natural está sendo fonte de geração de emprego e renda da localidade, uma vez que atrai milhares de turistas para a prática de asa delta, saltos de paraquedas e alpinismo. Também é muito comum ver praticantes de caminhadas se aventurarem pelas trilhas.
     
       A segurança do local faz com que você acampe ali mesmo com barracas apropriadas para tais eventos. Os guias do local são constante mostrando para os turistas o quando esse lugar é seguro para que as pessoas se aventure na prática desse tipo de turismo. No Parque Estadual Pedra da Boca, vemos o contraste da vegetação que numa parte do terreno é típico do semiárido e mais adiante o verde se destaca graças a um riacho que existe nesse local.
     
       Pedra da Boca fica na cidade de Araruna na Paraíba, na divisa com o Rio Grande do Norte. Esse Parque tem 156 hectares, possui um belíssimo patrimônio geológico, com muitas cavernas, rochas com agarras naturais e as mais diferentes formações rochosas. Ainda se destacam a Mata do Gemedouro, Pedra da Caveira, o açude do calabouço e toda vegetação da região.
     
       É comum encontrarmos muitos turistas vindo da cidade do Natal RN e de outras capitais Nordestinas. Para entrar no Parque não é preciso chegar até a cidade de Passa e Fica. Você antes pode pegar a estrada RN 093, existe uma estrada à esquerda para a Pedra da Boca, que fica aproximadamente 6 quilômetros deste ponto.



    22 de set de 2015

    LUGARES ESQUECIDOS

                                              Fonte da imagem: lugaresesquecidos

                                   UM PATRIMÔNIO HISTÓRICO
        Muitas cidades que ficam nos mais longínquos torrões do sertão do nordeste brasileira são como essa aqui. Ou por algum tipo de projeto do governo federal para construção de barragens que não é tão habitual assim, quanto por falta de infraestrutura.
     
       Isso não é normal mas acontece principalmente quando as secas prolongadas assolam essas áreas. A história dessa cidade cearense é diferente. Ela fica na micro região do sertão dos Inhamuns que fica na fronteira oeste do estado, na faixa sub-equatorial, é um reduto da caatinga.
     
       A cidade de Cococi fica aproximadamente 450 quilômetros da capital do estado do ceara, Fortaleza. As cidades mais próximas são Aiuaba, Tauá, Parambu, Arneiroz, Catarina e saboeiro. Essa região é geologicamente denominada de “Depressão Sertaneja”.
     
       Desde o século XVlll a história conta que este lugar foi habitado por centenas de famílias, sendo um dos fundadores o Major Feitosa. Esse lugarzinho no meio do nada depois passou a Município entre os anos de 1954 e 1968.
     
       Na verdade se olharmos a história, vemos que o município existiu por poucos anos, pois a história conta que as verbas que vinham para essa cidade elas eram usadas pra outros fins. Então ela foi rebaixada para distrito, foi assim que ela foi eleita para receber a exemplar punição. 
     
       Então o povo revoltado decidiram sair da cidade a onde moravam. Vemos hoje um conjunto lindo no que se refere ao conjunto arquitetônico de casas daquela época, que formava a cidade.
     
       Isso guarda uma história de um povo que lutava bravamente para sobreviver as secas intermináveis em uma região Inóspita sem infraestrutura nenhuma mas que eles teimavam em morar.
     
       Esse lugar deveria ser tombado e servir como um ponto turístico dentro da caatinga cearense para o povo poder conhecer mais de perto a história dessa gente. Isso aqui é um patrimônio histórico.

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    21 de set de 2015

    BODEGAS

                                          Fonte da imagem: melquilima
                        
                               


                               COMÉRCIO RETRÔ DO SERTÃO
      
       




           Uma das mais bonitas histórias dentre tantas que fazem parte da cultura popular do nordeste brasileiro, é a história das antigas bodegas ou mercearias.  Elas no século passado, movimentavam o comércio de todo o nordeste brasileiro, do sertão ao litoral. Elas começavam na verdade pelo litoral entravam na zona da mata passando pelo agreste e chegando ao sertão.

       


          Tinham como função principal a de abastecer as pequenas vilas, distritos, pequenas cidades e até as maiores. Tudo nelas era bem simples e as pessoas ainda costumavam a confiarem umas nas outras. Na verdade você tinha um crédito que era debitado na sua cadernetinha ou mesmo no caderno.

       


           Final do mês o freguês pagava. É isso, tudo funcionava mais ou menos assim, é o que conta a história recente sobre essas belas mercearias. Hoje a gente ver que a história sobre as bodegas ou mercearias ainda continua. Alguns pequenos, médios e grandes estabelecimentos no ramo gourmet em todo o Nordeste brasileiro, usam como cenário nas suas instalações internas e as vezes até externa, algumas coisas que caracteriza esses estabelecimentos como antigas mercearias ou bodegas.

       


           Na verdade tudo isso nos remete a um clima “RETRÔ”, e mantém a história da cultura, viva. Hoje já não vemos tantas “Bodegas” assim, pois o progresso veio para as pequena, médias e grandes cidades, e com isso a tendência foi, esse tipo de comércio aos poucos. Mas a cultura continua, porque ainda tem empreendedores que resgatam à história e por terem ideias inovadoras eles empregam em seus atuais comércios, resgatando assim um clima “RETRÔ”.

       


           As “bodegas” no sertão nordestino, elas ainda tem uma parcela pequena de movimento nas pequenas cidade dos mais longínquos lugares. Dependendo do tamanho das cidades e da quantidade de habitantes a gente ver que isso ainda faz parte da cultura daquelas pessoas que moram no sertão. Então por mais que o progresso chegue até nós, ainda vai existir algo dentro da gente que procura de alguma forma ou de outra, resgatar a história que faz parte da nossa sociedade.

    MONUMENTO DOS REIS

                    
                                      Fonte da imagem: paraibacvb
                                         








                                              FARRA DE BODEGA
      









    Não a nada mais justo do que esta homenagem que foi feita desde 2003 para dois dos maiores ícones da música popular brasileira, um é considera o “Rei do Baião” e o outro podemos dizer que é o “rei do ritmo”.

       Os dois artistas fizeram muito pelo Nordeste brasileiro com seus talentos, eles cantaram em verso e prosa essa terra maravilhosa. Foram na verdade duas personalidades que puderam mostrar ao mundo as vertentes do forró e de alguns outros ritmos que enriqueceram a nossa música, a nossa cultura.

       Um é pernambucano o outro é paraibano, mas que na realidade as suas canções eram feitas em formas de versos, mostrando as coisas do nosso nordeste. O monumento de Luiz Gonzaga e de Jackson do Pandeiro estar as margens do açude velho em Campina Grande e se tornou um dos cartões postais mais visitados da cidade paraibana.

       As esculturas em bronze, foram feitas pelo artista Joás Pereira Passos, e estão lá desde 2003. Digamos que este monumento representa uma cena cotidiana de dois artistas em uma bodega num momento de descontração. Essas esculturas tem recebido muitas visitas, mas durante as festas juninas em Campina Grande, essa visitação dobra em termos de quantidade de turistas.

       As esculturas foram feitas em bronze e em tamanho real. Esse conjunto de escultura é batizado como “farra de bodega”. Na verdade, essa foi uma das grandes ideias que os responsáveis pelo local tiveram, ela beneficia as pessoas que lá visitam, pois vão encontrar um local que mostra toda cultura nordestina. Para o artista que divulga a sua obra e é pago por ela. E para o município que ganha mais um espaço cultural e que vira cartão postal da cidade. Resumindo, foi bom para todos.




    15 de set de 2015

    CIDADES PEQUENAS DO SERTÃO

                                          Fonte da imagem: folhadosertão

                                                           GENTE HUMILDE

       Pequenas cidades no interior do sertão do nordeste brasileiro dão um ar de nostalgia naqueles que passam de viagem por elas. De dia, um frenesi de pessoas circulando em seu comércio que não é nem tão grande assim, mas como para qualquer pessoa de cidades pequenas abaixo de 6 mil habitantes isso é a atração como por exemplo andar pelo comércio, visitar o mercado ou mesmo as praças da cidade, isso faz parte de qualquer nordestino, isso é da cultura do sertanejo. 

       Os que ficam nos sítios ou fazendas eles não são tão chegados a cidade, a não ser para resolverem alguma coisa por lá, como fazer as compras do mês ou outra coisa qualquer. Já na parte da noite tem os que gostam de frequentar os bares, as praças, as lanchonetes ou até mesmo ficar de bate papo em suas cadeiras nas calçadas dos vizinhos, isso também é assim por falta de opção e que torna a cidade pacata, com jeito de tempo parado. Essa é a movimentação da típica cidade do sertão do nordeste brasileiro. 

       O bom disso tudo é que todo mundo conhece todo mundo, quando tem alguém estranho nesses lugares ai já começa o falatório de pergunta entre eles sobre aquele passageiro novo que está frequentando a cidade de passagem ou não. Essas cidades tem uma iluminação típica de interior, luzes ainda de mercúrio ou seja, que não iluminam tanto assim, mas que fazem parte da cultura delas, isso é cidades do interior do nordeste. 

       O bom disso tudo, é porque as típicas cidades que estão encravadas nos mais longínquos lugares desse pedaço de chão de meu Deus, elas conseguem ficar com movimento à noite inteira, seja por ambulantes vendendo cachorro quente ou outro tipo de atividade, seja o taxista no terminal rodoviário ou mesmo o chamado vigilante trabalhando pela parte da noite, e ainda tem aquelas pessoas que ficam circulando a noite toda nos bate papos da vida, ou tomando uma cervejinha. 

       Nessas cidades a gente percebe que o tempo não passa tão rápido como em outros lugares, talvez seja porque nelas o progresso ainda não é tão ativo, ele ainda está a passos curtos, então eles vivem tocando as suas vidas com algumas dificuldades mais sem a preocupação de ter que ver o tempo passar mais rápido. Nessas cidades à noite, a relva faz com que o cheiro da caatinga exale entre os seus habitantes, para mostrar que no sertão ainda existe a pura beleza e uma essência que a natureza que Deus nos deu seja compartilhada por nós.


    .

    10 de set de 2015

    CARTÃO POSTAL DE PICOS

                                                                                   Fonte da imagem: dp.15

                                                   
                                   ESTILO NEOGÓTICA

       Que no sertão nordestina tem igrejas belíssimas disso eu não tenho nenhuma dúvida, mesmo porque o povo sertanejo é muito católico e tais construções sempre eram erguidas nos séculos passados, uma dessas igrejas está situada na cidade de Picos no Piauí. Hoje como catedral Nossa Senhora dos Remédios. 

       Ela tem um estilo neogótica e que tem como destaque as suas duas belas torres campanário situadas uma a cada lado de sua fachada principal com seus 40 metros de altura. Com uma estrutura quadrada em forma de pirâmide pontiaguda ela se destaca por sua oponente beleza e que se torna um dos principais cartões postais dessa cidade. 

       Essa igreja é considerada uma das igrejas mais bonitas do Nordeste Brasileiro. Foi eleita uma das sete maravilha do estado piauiense. A sua construção aconteceu no século XlX, pelo Pe. Dr. José Antônio Maria Pereira Ibiapina, sendo feita em apenas noventa dias. Naquele mesmo ano a onde foi iniciado a construção da igreja, foram doados os sinos para as suas torres, e quem fez isso foi o Sr. Justiniano Antônio de Macêdo. 

       A construção da atual Igreja Catedral de Nossa Senhora dos Remédios foi iniciada pelo Padre José Ignácio de Jesus Madeira no dia 1º de outubro de 1948 e no dia 1º de janeiro de 1969 foi feito à benção solene. Ela é o principal ponto turístico da cidade e palco de muitos festejos da Padroeira Nossa Senhora dos Remédios. Chegou a ser dedicada Igreja Catedral de Nossa Senhora dos Remédios em 15 de agosto de 1976 pelo então Núncio Apostólico do Brasil, Dom Carmine Rocco.      
       
       Seus festejos vão de 05 de agosto a 15 de agosto. Resumindo o que essa igreja representa para essa cidade, a gente pode falar que ela é o centro da forte evangelização do povo de Deus, reunindo as famílias e os devotos católicos, e orientando todos para construir um mundo melhor sem hipocrisia, e dando um voto para todos que ali frequenta renovarem um voto em cristo. Essa catedral já comemora uma programação muito extensa, já são 165ª Festa de Nossa Senhora dos Remédios, a padroeira da cidade e da Diocese de Picos.

    SUIÇA CEARENSE

                                          Fonte da imagem: skyscrapercity

                                                      CIDADE DAS FLORES

       Que no estado do Ceará existem belezas naturais ninguém dúvida, isso é uma realidade que existe nesta região tão linda chamada de Nordeste. O Nordeste em si é uma região privilegiada por Deus, e por onde se anda a gente ver essa realidade. São pontos turísticos e mais pontos turísticos que fazem a paisagem dessa linda região. 

       Hoje vamos falar de um lugar lindo desses, que faz parte das belezas do estado do Ceará, este lugar é um pequeno Município da região serrana desse estado. Ele fica situado a 110 quilômetros da capital cearense, Fortaleza, fica na microrregião do Maciço de Baturité. Tem uma altitude de 865m acima do nível do mar. 

       Nessa região serrana, o clima é gostoso e que tem uma temperatura média entre 14°   e 25°. Estamos falando do Município de Guaramiranga, cidade cearense que fica nas serras cearense. A palavra é originária do tupi, que significa “pássaro vermelho”. Esse município fica totalmente inserido na área de proteção ambiental do Maciço de Baturité. 

       A linda paisagem proporciona uma clima úmido e vegetação típica de mata atlântica intensificada cores da floresta nativa dessa região. Guaramiranga tem uma população de quatro mil e setenta habitantes, e se destaca pela realização de diversos eventos de cunho cultural e turístico. Essa cidade é conhecida como a suíça cearense por essas condições climáticas. 

       Como essa cidade tem um intenso cultivo de rosas do maciço de Baturité, ela leva então o título de cidade das flores. Guaramiranga tem como atrativos “Parque das Cachoeiras”, “Igreja de Nossa Senhora de Lourdes”, “Praça do Teatro Rachel de Queiroz”, “Pico Alto”. Esse município como tantos outros do interior do Nordeste Brasileiro se destaca pela sua cultura. As expressões culturais do município são destaque na área teatral nas artes e flores, teatro e música como festival de Blues e Jazz e por aí vai. Como chegar a essa cidade: 

       Você indo de carro é só pegar a CE 060 saindo de Fortaleza passando pelas cidades de Pacatuba, Guaiuba, Acarape, Redenção, Aracoiaba e Baturité chegando assim em Guaramiranga. Por essa CE você roda 110 quilômetros. Se você pegar a CE 065 você vai passar pelas cidades de Maranguape, Palmácia, Pacoti até chegar em Guaramiranga, por aqui são 92 quilômetros. Indo ao Ceará, procure conhecer as belezas da serra de Guaramiranga. 

    2 de set de 2015

    RIO DE CONTAS

                                           Fonte da imagem: skyscrapercity 

                    CIDADE QUE PRESERVA O SEU PATRIMÔNIO HISTÓRICO

       No final do século XVll, o povoado baiano denominado Crioulos, a onde eles viviam em comunidade alguns negros alforriados e que também justificava a sua denominação. Depois os bandeirantes e jesuítas vieram. A partir da descoberta das jazidas de ouro fez com que o lugarejo crescesse, e assim transformando-se em Vila, que levava o nome de Nossa Senhora do Livramento das Minas de Rio de Contas. Esta vila foi elevada à cidade em 1885. 

       Este município na segunda metade do século XVlll viveu uma grande prosperidade econômica. As famílias tradicionais importavam peças de uso pessoal do e decoração. Sempre que havia uma celebração em abundância, pó de ouro era lançado nos imperadores e Rainhas, durante as procissões da festa do Divino Espírito Santo. Os seus Casarões são 287 em estilo colonial, que hoje são tombados pelo patrimônio histórico nacional e muito bem conservados. 

       Esta cidade é considerada um dos três mais importantes conjuntos arquitetônicos colônias da Bahia, a cidade está situada a 1.200 metros de altitude e oferece o autêntico turismo ecológico num clima agradável de montanha. O município oferece muitos atrativos para quem lá visita, como o pico das almas, a cachoeira do fraga, a estrada real, a ponte do coronel, e o povoado de Mato Grosso, com flores e hortaliças. 


       Rio de Contas é a primeira cidade planejada do Brasil, além de muita beleza natural, também existe uma beleza arquitetônica que não existe igual. Algumas destas belezas que fazem parte desta arquitetura são: o teatro São Carlos, um dos três mais antigos do Brasil, Igreja Santana e outros. As ruas de Rio de Contas são largas e floridas, ladeadas por casas centenárias de belas fachadas que formam um belo conjunto arquitetônico colonial. 

       Situada ao sul da Chapada Diamantina na vertente oriental da Serra das Almas, à margem esquerda do rio Brumado, a cidade está localizada em suave declive. Rio de Contas é uma das poucas cidades novas coloniais, criada por Portugal, por meio de Provisão Real, de 1745, que recomendava a escolha do sítio próximo a algum arraial, estabelecido, simplesmente um local saudável. A cidade surgiu como centro de mineração de ouro. 

       Hoje ela é uma das principais cidades históricas da Bahia. A cidade de Rio de Contas está localizada ao sul da região da Chapada Diamantina, distante da capital baiana Salvador, 736 quilômetros. Como chegar a Rio das Contas: Saindo da capital pegue a BR 324 até a cidade de Feira de Santana. De lá siga pela BR 116 passando pela cidade de Milagres, Nova Itarana, Planaltino, Maracás, Contendas do Sincorá, Sussuarana, Brumado, Livramento de Nossa Senhora assim chegando à cidade de Rio de Contas. Indo a Bahia, procure conhecer a cidade histórica de Rio de Contas.













    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

    GOSTARIA DE ASSINAR O NOSSO FEED?

    100% gratuito

    RECEBA AS ATUALIZÇÕES DO NOSSO BLOG DIRETAMENTE NO SEU E-MAIL

    FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADES DO BLOG