, A ARTE DE NEWTON AVELINO: 12/18/15 12/18/15 - A ARTE DE NEWTON AVELINO

SEGUIDORES

Confira a arte do artista potiguar Newton Avelino, na sua galeria permanente. Adquira já uma obra!

18 de dez de 2015

LATÃO DE LEITE

Fonte da imagem: preciolandia





TRADIÇÃO DO SERTÃO


   

     Era uma tradição no sertão e em todo o nordeste do Brasil. Esse artefato feito de alumínio e que era produzido pelas indústrias para transportar o leite in natura das propriedades rurais para as cidades para ser vendido a população, e também ser entregue na indústria de beneficiamento de laticínio. 


   

    Esses latões eram fabricados de todos os tamanhos, pequenos, médios e grandes. Eles sempre foram a marca registrada dos agropecuaristas em suas fazendas, também os médios e pequenos criadores de gados, usavam muito. Quem é que não conhece a cena urbana de leiteiro nas portas com seus latões, vendendo o leite in natura. 


     

     Esses artefatos eram feitos de aço revestidos por uma camada dupla de estanho (aço estanhado). As suas espessuras geralmente são 36cm diâmetro x 64cm altura. Os latões depois que eram usados, tinham que ser higienizados para serem usados de novo. 


    

    Os latões com a continuação do tempo e de uso tinham um desgaste natural. Com o avanço de tecnologias, eles foram sendo substituídos pelos de plásticos. Eles hoje fazem parte de peças de artesanato. 

    

     O leite carregado através dos latões pelos leiteiros, tinha um aspecto mais correto, se tratando da preservação à natureza. Era só verve o leite e consumi-lo, isso acontecia nos anos de 1970. De lá para cá a indústria de laticínios começava a vender o leite ensacado, não muito igual ao in natural. 


     

     Pior para o meio ambiente que recebe nos lixões milhões de saquinhos. Realmente a modernidade na maioria das vezes, ela facilita a comodidade da sociedade, porém ela também é avassaladora para o meio ambiente a onde vivemos. Enfim, o latão de alumínio feito para o transporte de leite, ele foi substituído pelo de plástico e realmente está nas nossas memórias e na nossa história.


BOLACHA DO SERTÃO






IGUARIA DO SERTÃO


      

     Uma iguaria muito conhecida no sertão nordestino foi o Brote. Essa iguaria é uma espécie de bolacha feita com farinha de trigo enriquecida, leite, açúcar, margarina vegetal e melhorador. 


      

      Essa bolacha é vendida em pacote com nove unidades e é bem conhecida no sertão. Essa palavra brote é uma das poucas palavras deixadas pelo holandeses em nossa linguagem popular. 


    

     Essa palavra brote vem da palavra broot que significa pão, como se escrevia no século XVll. Teve uma época no século passado, que essa iguaria era muito consumida, principalmente pelas famílias de baixa renda. 


    

     O brote era encontrado em qualquer mercearia ou em feiras livres. Com a continuação dos tempos, ele foi diminuindo nos comércios das cidades e foi sendo substituído por outros produtos sertanejos com sabores mais gostosos e com uma qualidade em maciez que fez com que as pessoas comprassem mais esses novos produtos. 


   

    Hoje raramente você vai encontrar esse produto do sertão, nas prateleiras de algum comércio varejista dentro das cidades. Talvez no sertão, você pode encontra-lo em abundância. 


   

     É mais um produto que tem toda uma influência dos europeus em nosso história. Hoje você pode substituir o brote pela bolacha de leite que também tem um aspecto igual ao do brote, só que a bolacha de leite é mais macia e mais saborosa. Algumas bolachas que são vendidas no sertão brasileiro, elas são conhecidas como mata fome. São produtos que eram muito consumidos na época de setenta. 


      

       Pois de lá pra cá as coisas mudaram, os costumes foram adaptados para novos sabores na culinária nordestina principalmente para os produtos feitos de massas, e nasceram novas ideias, novos produtos e novos consumidores que foram aparecendo e crescendo junto com novos produtos. 


      

      Esses realmente não vão consumir o brote, e é nessas horas que vemos que preservar a cultura é uma questão de cultura. O brote realmente ainda existe, porém você vai ter trabalho em encontra-lo, pois são poucos os estabelecimentos que ainda vendem. Ele pode ser encontrado em algumas feiras livres ou em alguns poucos mercadinhos.
















Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...