, A ARTE DE NEWTON AVELINO: Setembro 2016

Curta Nossa Página do Facebook!


  • Desenvolvido Por Iago Melanias

    Curta Nossa Página do Facebook!


  • Desenvolvido Por Iago Melanias

    SEGUIDORES

    Confira a arte do artista potiguar Newton Avelino, na sua galeria permanente. Adquira já uma obra!

    26 de set de 2016

    AZUL TURQUESA

    MARAVILHA POTIGUAR | Fonte da imagem: bahia.ws











    MARAVILHA POTIGUAR








          Sabemos que as praias do Nordeste são parte um polo turístico que alavanca o aquecimento da economia dessa região. No nessa região, tanto na área do seu litoral quanto na parte que se refere ao sertão são duas sub-regiões que oferece aos turistas, comodidade, atração, cardápios nacionais, regionais e internais e uma logística ótima. São duas sub-regiões lindíssimas, com suas características peculiares de como vemos as coisas, mas que sempre é bom quando pode se conhecer essa região tanto do lado lindo das paisagens praieiras quanto das paisagens lindas da caatinga. 






          Quando se fala de Nordeste brasileiro, sempre associamos ao turismo, a sua culinária, e a sua cultura. Hoje vemos que o Nordeste, é para os brasileiros e para turistas estrangeiros, uma espécie de caribe, pois temos lindas praias, temos paisagens paradisíacas, temos um povo alegre e temos um pais tropical. Então tudo isso, faz com que essa região do Brasil, seja uma das mais procuradas para turismo pois ela tem um calendário de festas predefinidas que é feito para essas festividades durante todo o ano. É por isso que o Nordeste brasileiro, se diferencia de outras regiões brasileiras. 






           Dentre muitas praias dessa região, eu vou destacar uma dessas, que podemos chama-la de cartão postal ou mesmo de cenário paradisíaco de cinema. O nome dela é Barra de Cunhaú. Esse lugar é um lugar bem especial e mágico, só quem conhece é que tem a dimensão de quanto ele é realmente lindo. Fica distante da cidade do Natal, a capital do Rio Grande do Norte, cerca de 76 Km. Para chegar a praia de Barra de Cunhaú, é pela BR-101 no sentido litoral sul, indo de Natal para Barra, é feito pela BR 101 no sentido João Pessoa, em seguida pela RN-269. 






          Também pode se chegar pela beira mar, percorrendo cerca de 60 Km de litoral, em buggy ou em veículos 4x4, quando a maré estiver baixa. Essa praia fica no município de Canguaretama, e é uma das praias mais famosas desse município, com uma enseada paradisíaca de águas tranquilas e uma paisagem deslumbrante, cinematográfica, tendo como cenário as águas do Rio Curumataú, o município de Canguaretama está repleto de lindas praias, dunas, lagoas, rio e manguezais e muito mais. 






          Essa região além de ser um polo produtor de camarão, ainda é muito procurada para a prática de esportes náuticos tais como: windsurfe, kitesurf e outros. Esse lugar tem uma boa infraestrutura gastronomia e de hospedagem, e ainda tem um aspecto de pequena cidade de interior, com muita beleza e calmaria. É isso que deixa os turistas e os nativos relaxados com tanta beleza e paz que esse lugar transmite. A história dessa região registra o trágico acontecimento chamado Martírio de Cunhaú, acontecido no Engenho Cunhaú, no dia 16 de julho de 1645. 






          O delegado do Conde Maurício de Nassau, Jacob Rabi, chegou a Cunhaú acompanhado pelos índios Janduís. Durante a missa dominical, que estava sendo, celebrada pelo Padre André de Soveral, o delegado Jacob mandou os índios invadirem a capela e matarem o padre e todos que estavam naquela missa. Esse ataque foi tão violento que, atingiu até as pessoas que estava na casa grande do engenho. Só escaparam três pessoas. 






          Então como vemos essa região além de ser linda, e ter um cenário de cinema, ainda tem uma rica história para ser contada para os que ali chegam para visitar e se deliciar das belezas naturais e da gastronomia do lugar, que é praticamente a base de frutos do mar. Procurem um guia autorizado para que ele mostre as belezas do lugar, só assim a sua viagem não se torna uma dor de cabeça. Procurem saber aonde fica os lugares que se possa tomar banho tanto de rio quanto nas lagoas ou mesmo nas praias, que não traga perigo para os banhista.




    PRATO SABOROSO

    SABOR REGIONAL | Fonte da imagem:












    SABOR REGIONAL








          O cardápio do sertão nordestino, é muito diversificado e infinito em termos de sabores, temperos e aromas. Grandes pratos regionais são feitos na cozinha nordestina, são os que levam variavelmente, milho e leite e que é quase uma unanimidade nessa sociedade rural e urbana. Não existe cozinha nordestina sem os derivados do milho nem muito menos do leite. Isso tende a ter um aumento de consumo desses dois produtos, na época junina. Pois bem, hoje nós vamos destacar o cuscuz e a coalhada. 






          Esses dois produtos, são indispensáveis na mesa do sertanejo, pois são eles que fazem com que, tanto a energia quanto os sabores dos dois, façam a cabeça, a mente e ainda ajude ao corpo desses nordestinos, aguentarem o tranco da roça, no dia a dia da labuta do homem do campo. O pão feito nas padarias, está presente na mesa dessas pessoas, mas nunca é como um cuscuz e uma coalhada. 






          Hoje com a industrialização de alguns alimentos, vemos que a cultura de uma boa alimentação saudável, deve ter sumido do nosso convívio, e eu até entendo, pois com a correria do dia a dia, e a falta de tempo para que essas pessoas façam suas refeições em casa, isso faz com que as pessoas aprendam a fazerem as suas refeições em restaurantes ou cantinas, das avenidas das cidade grandes, mas por outro lado eu vejo que, sempre podemos nos policiar e tentarmos achar um tempinho para comermos uma comida mais saudável. 






           Com tudo isso, é claro que algumas das nossas tradições vão se perdendo pelo caminho, mas que ainda existe um bom hábito de algumas pessoas terem o privilégio no sertão nordestino, de degustarem uma deliciosa coalhada com cuscuz. Eu sei que o modismo sempre está na linha de frente de qualquer coisa que o ser humano se proponha fazer, porém precisamos conserva o tradicional, pois ainda acho que o moderno e o tradicional, podem muito bem andar juntos. 






          Coalhada sempre achei que fosse coalhada, mas já fizerem coalhada cremosa, coalhada seca, coalhada temperada e por aí vai. Isso não é ruim, é até salutar, mas acho que coalhada é coalhada, a tradicional. Ela não é tão difícil de ser feita não, pelo contrário, é até simples demais, talvez seja por isso que ela tem a cara do sertão nordestino, já que o Brasil foi descoberto por aqui, e a coalhada deve ter sida introduzida através dos árabes, no Brasil, mas como foi em todos os seguimentos da nossa cultura, esse foi mais um que aperfeiçoamos e talvez tenha ficado com a cara de Brasil e de Nordeste. 






          A coalhada é o nome que se dá à parte sólida, que resulta da coagulação do leite. Ela pode ser muito benéfica para a flora intestinal. Geralmente, os sertanejos fazem as suas coalhadas a moda antiga, tais como pegar um litro ou mais de leite fresco, e colocam em um recipiente tal como uma tigela de vidro ou de plástico, e depois deixa ele por dois ou três dias nessa tigela para que o leite possa coagular e se transforma em coalhada, alguns coloca umas gotinhas de limão dentro do leite, para o leite venha a talhar, outros sertanejos se já tiverem o soro de outras coalhada, ele já coloca esse soro nesse novo leite que vai fazer nova coalhada, e então cobrem com um pano limpo durante 2 dias ou 3 dias. 






          Depois é só tirar aquela parte amarela que ficou por cima desse leite talhado, por causa da nata, e aí é só servir com açúcar. Mas o melhor de tudo isso, é que ela é servida em muitas fazendas do sertão nordestino, com um belo acompanhamento de um belo cuscuz feito de massa de milho que foi pisada no pilão. Então depois é só colocar essa massa para ferver pelo menos uns 15 minutos na cuscuzeira, deixar esfriar e servir com a coalhada. Esse prato típico da região do sertão do nordeste brasileiro, é mesmo um manjar. Como são dois pratos fortes da culinária nordestina, chega a dá um suador nas pessoas quando comem esses alimentos, pois são duas comidas bem fortes, mas que produz muita energia para quem está degustando.


    20 de set de 2016

    AS ÁGUAS DO SERTÃO

    ÁGUAS DO NORDESTE | Fonte da imagem: blogdoflaviofernandes












    ÁGUAS DO NORDESTE







          Antes de falar das barragens e açudes do nordeste do Brasil, temos que falar nas secas prolongadas que vivem assolando essa região, e espalhando nas pessoas, um grande desespero, pois o terror da falta de água no sertão nordestino, deixa muitas famílias sem emprego, sem comida e sem perspectiva nenhuma. Ao contrário do que muitas pessoas pensam e falam, a seca não atinge todo o Nordeste, mas fica concentrada em uma área chamada de polígono das secas, basicamente em todo o semiárido nordestino. 





          Esta área abrange quase todos os estados do Nordeste (Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Sergipe, Piauí) e mais uma parte do norte de Minas Gerais. No sertão nordestino, as incidências de chuvas, são baixas, isso comparando com o restante da região Nordeste, pois o solo, o clima e o fenômeno El Niño  contribuem para que, essa região tenha secas prolongadas, pois esses fatores são os mais  prováveis para a falta de chuvas regulares no sertão nordestino. 





           No entanto, quando o período é realmente chuvoso nessas áreas do sertão, aí você nota o sorriso de felicidade e satisfação no rosto dos sertanejos, pois eles sabem que vai ser um período de fartura e trabalho para o agricultor. Isto é uma cadeia de prosperidade e geração de emprego e renda para todos. As chuvas sempre serão motivo de vida em regiões como essa. Existe uma quantidade muito grande de pequenos, médios e grandes açudes no nordeste brasileiro, isso sem falar de algumas barragens. Isso leva a crer, que, tendo chuvas, toda essa cadeia de açudes, vão sangrar e vão mostrar a beleza e a vida no sertão nordestino. 





          Nos açudes nordestinos, sempre tem uma infinidade de algumas espécies de peixes que procriam e matam a fome do homem do campo tais com: o piau, o corró, a piaba, a curimatã, a traíra, o cará e outros. Hoje eles já estão introduzem algumas outras espécies como: a tilápia, carpas e outros. Sendo assim, vemos que esses maravilhosos açudes do Nordeste, além de nos mostrar rara beleza quando estão cheios, ainda nos abastece com água e muitos peixes. Isso quando o período é chuvoso na região do polígono das secas, é claro. 





          As técnicas contemporâneas de açudagem surgiram na Índia, também na Inglaterra e Europa no século XlX. Também na América do Norte, nas terras áridas e semiáridas que existem por lá, também no século XlX, precisamente nas terras áridas de estados americanos, como: Montana, Colorado, Nebraska e Arizona. Então essas técnicas foram introduzidas no Brasil, acho que através desses países. Hoje as técnicas empregadas nas construções de grandes represas e açudes no sertão e em todo o Nordeste do Brasil, é claro que são técnicas brasileiras e que hoje é uma das mais avançadas do mundo. 





          Esses grandes açudes nordestinos, se destinam a beneficiar a agricultura dessa região, serve também para a pecuária e abastecimento para uso humano nas cidades que ficam situadas próximo a eles ou não. Fora a isso, eles servem também como área de lazer, criação de piscicultura e plantação de hortifrutigranjeiro. Eles são construídos para diminuir o problema crônico da escassez de recursos hídricos no Nordeste. O poder público na maioria das vezes é quem é responsável para fazer os grandes açudes. 





          No Nordeste do Brasil existem mais ou menos 70 mil açudes de superfície superior a 1.000 m². Fica em segundo lugar no mundo em quantidade de reservatórios, a Índia fica em primeiro. Grande açudes feitos no Nordeste brasileiro, são: Castanhão no Ceará, a Barragem Armando Ribeiro Gonçalves no Rio Grande do Norte, O Orós no estado do Ceará, e tanto outros açudes que fazem parte da paisagem e da vida do homem nordestino.




    19 de set de 2016

    ESPETÁCULO DAS ÁGUAS

    BELEZAS DA BAHIA | Fonte da imagem: fotostrada












    BELEZAS DA BAHIA








          No nordeste brasileiro os rios têm dois aspectos muito importantes para a região. O primeiro aspecto é que alguns são permanentes, e outros, temporários. Os grandes rios do Nordeste brasileiro, são: o rio São Francisco, o Parnaíba, rio Jaguaribe, o rio Piranhas-Açu, o Rio Capibaribe e o Rio Una. Eles são classificados pelo seu volume d’água. Esses rios podem ser perenes, intermitentes ou temporários.







          Os rios perenes são aqueles que possuem um fluxo d’água durante o ano todo, esses nunca secam, mesmo com vários períodos prolongados de secas. Eles têm uma importância muito grande para essa região do nordeste brasileiro, pois na grande área do semiárido, a água é usada na agricultura e para consumo humano e animal. Hoje vamos falar do rio de ondas que fica localizado próximo ao centro da cidade de Barreiras no estado da Bahia. 






          A força das águas desse rio e a quantidade de pedras que existe no local é um dos fatores que faz com que produza ondas. Para as pessoas compreenderem tudo isso é só olhar as fotos desse rio, talvez, seja por isso, que o nome de Barreiras tenha saído desse cenário lindo e maravilhoso que Deus colocou aqui na terra. Durante o curso desse rio, vemos que tem muitas barreiras de pedras à flor d’água, dentro do rio grande, e que fica parecendo com o rio de ondas, e até mesmo com o som das mesmas.







          Outro fator importante é que a navegação só é permitida para pequenas embarcações, tais como: canoas muito pequenas e estreitas. A cidade de Barreiras abriga um verdadeiro paraíso ecológico, com rios, corredeiras, cachoeiras, serras e vale. Nessa região, é muito comum a prática de jet-ski, canoagem, isso no rio grande, já no rio de ondas, é fazer trilhas ou andar de bóia-cross, e também tirar um tempinho para apreciar as cachoeiras do Acaba vida e Redondo. 






          O bóia-cross é uma forma de se descer o rio de ondas através de uma câmera de ar, ou com botes e caiaques. Para os aventureiros que gostam da prática de esportes radicais, essa é uma ótima pedida. Esse rio, o de ondas, está para a cidade de barreiras, na Bahia, assim como as praias do litoral está para os praieiros. O rio de ondas desce da serra e percorre mais de 20 km em suas corredeiras. Esse rio, ganha das demais atrações que existem nesse local, pois ele acompanha a rodovia federal por alguns quilômetros e tem um acesso muito fácil de ser percorrido. 






          Tem uma infraestrutura muito boa, pois alguns bares estão instalados a suas margens, isso é uma forma de dá conforto e comodidade para quem frequenta o local. Hoje é preocupante o baixo índice do volume d’água do rio de ondas, os próprios nativos da região nunca viram um volume de água tão baixo e alguns fatores que podem estar prejudicando a vasão d’água desse rio e de alguns outros rios, todos nós já sabemos, não precisa ser expert no assunto, ou seja, isso é a falta de chuvas, talvez a utilização d’água do rio para consumo animal, humano e para outros fins, acima da média, talvez desmatamento, e outros fatores.







          Esse é um cartão postal da cidade de Barreiras na Bahia, e por tanto tem que ser preservado, pois não vemos, em qualquer canto, um rio igual a esse. Para isso, ele precisa muito da cooperação da população no que diz respeito a conservá-lo como uma maravilha de Deus. Conservando o rio, o homem está conservando a natureza e contribuindo para que seus filhos e netos conheçam mais na frente, esse rio lindo. Para chegar à Barreiras, segue pela Br 242, estando na cidade é só procurar um guia turístico.







           Bem pessoal, vou acrescentar aqui só uma coisa, pelo amor de Deus, tenham cuidado quando forem entrar em rio, açudes, represas ou mar, água não tem cabelo para as pessoas se segurarem. Primeiro, rios seja ele qual for, se tiver volume grande de água, eles vão ter sempre “caldeirões” que chamamos de redemoinhos dentro d’água, isso é fatal, não tem nadador que consiga sair de dentro deles, pois a força da água é imensa. 






           Sabemos que esses locais no sertão nordestino, são maravilhosos, são locais encantadores, que Deus deixou para nós apreciarmos aqui na terra, mas por favor, perguntem aquelas pessoas que moram nesses locais, que chamamos de “nativos”, se são locais perigosos, se vocês podem entrar de desses rios, açudes ou represas, pois nem sempre é do jeito que imaginamos, são locais extremamente traiçoeiros. 






           Bem, aqui, eu venho alertando já algum tempo, em minhas postagens, que na região nordeste do Brasil, tem locais muito belos, lindos mesmo, mas que, é extremamente perigoso e desafiador para qualquer homem, mesmo sendo os nativos da caatinga, e quando se trata de turistas, fica extremamente perigoso e desafiador a entrada dessas pessoas no bioma do Nordeste. Por favor procure nativos dessa região, para poder explorá-la com segurança. Eu aconselho a todos conhecerem o nordeste do Brasil, principalmente as belezas do sertão, com sua caatinga, seus rios, açudes e barragens, seus parques e suas trilhas desafiadoras, mas com pessoas que tenham nascido nessa região e que a conheça.





    18 de set de 2016

    FRUTA SAGRADA

    ÁRVORE QUE DÁ DE BEBER | Fonte da imagem: imbuzeiro.blogspot













    ÁRVORE QUE DÁ DE BEBER










          A caatinga, bioma do nordeste brasileiro, tem uma variedade de frutas comestíveis e que nos surpreende muito pelos seus aromas e poder vitamínico que eles têm. São frutos que ainda não são muito conhecidos, nem pelos nativos nem tão pouco pelos turistas. Para se aventurarem dentro do bioma e sair comendo todo fruto que vir pela frente, não é aconselhável, pois tem frutos que não são comestíveis. Para que as pessoas possam fazer isso, tem que ser com um guia da região qualificado em botânica. 






           O mais incrível de tudo isso, é que, esses frutos são frutos altamente ricos em vitaminas, por aí vai. Mais ao contrário que eu falei logo aí acima, no poste, hoje vamos falar do umbuzeiro que é muito conhecido em todo nordeste brasileiro e que é uma fruta encontrada em todo o Nordeste. Ele pode ser encontrado nas regiões do agreste, na região do Cariri cearense e no cariri paraibano, dentro da caatinga, no Pernambuco e na Bahia, no Rio Grande do Norte e em todo o Nordeste. Também é encontrado no norte do estado de Minas Gerais. 






          O período de floração e frutificação dessa planta, muda de estado para estado na região nordeste. Durante quase todo o ano, encontramos essa fruta nas feiras livre do nordeste brasileiro, justamente porque ela não tem uma flora exata com outra flora de outro estado nordestino, elas não são distintas, não flora na mesma época. O fruto é pequeno e arredondado, tem a casca lisa ou com pequenos pelos, que lhe conferem uma textura levemente aveludada. Ele tem um cheiro doce e um sabor meio azedado. Sua cor é verde e amarela. Tem uma propriedade nutricional muito grande, e é rico em vitamina C. O nome científico é: (Spondias tuberosa). 






          O nome Imbu ou umbu, é tupy guarani, que significa “árvore que dá de beber”. A planta pode alcançar até 7 metros, tem um tronco curto e uma copa em forma de sombrinha, ou de guarda chuvas, como queiram. Tem flores brancas e juntas, e também exala um perfume de brejeira. 






          O umbuzeiro é conhecido como a árvore sagrada do sertão. Esse fruto é apreciado in natura, também é muito usado na fabricação de polpa, sorvete, doce, geleia e suco. Também pode ser feito umbuzada e vinagre. Talvez essa árvore tenha o nome de árvore sagrada do sertão, porque ela pode armazenar até mil litros de água, e também dá uma batata, que, na época de grandes secas, pode ser utilizada como alimento. 






         Tem uma vida útil de cem anos. Seja no sertão ou no agreste, você sempre vai ver um pé de umbuzeiro no quintal dos nordestinos. Como planta resistente do sertão, assim como outras plantas da caatinga, ele perde as folhas nas secas, e volta a florar nos períodos chuvosos. 






         O processamento de frutos de umbuzeiro é uma atividade em crescimento nas áreas rurais da região do Nordeste. É muito rentável a forma de exploração e de mobilização dos pequenos agricultores nessas áreas. As comunidades rurais têm um ganho rentável maior na forma oriunda da coleta extrativista desse fruto. 






          O saco de 60 kg desse fruto, pode chegar até R$ 20,00 ou mais. Então como a gente ver, esse fruto é muito comum nessa região, e também podemos encontra-lo dentro da caatinga nordestina, o seu fruto e a planta umbuzeiro, são quase uma instituição da cultura nordestina. As folhas do umbuzeiro, também como um alto valor nutricional, elas servem para o alimento animal, tais como: caprinos e ovinos. Suas folhas servem para alimento animal, tanto verdes como secas, pois tem muitas proteínas e que ajuda muito na alimentação desses animais criados pelos pequenos agricultores do nordeste.










    -  


     -



















































    17 de set de 2016

    FESTIVAL GOURMET

    SABORES DOCES DO BRASIL | Fonte da imagem: catequesedeconquista











    SABORES DOCES DO BRASIL










          A época junina, é uma época dedicada a três santos da igreja católica, nessa época, tudo gira em torno das comemorações de uma história milenar, e que foi introduzida, pelos portugueses, na época do Brasil império. Sabemos também, que muitas coisas, foram modificadas dentro de alguns aspectos, dentre todos os aspectos, o mais importante foi que, conseguimos adaptarmos todos os nossos gostos e costumes a uma influência europeia que foi o início de tudo. Porém hoje, podemos dizer que a nossa cultura ficou realmente genuinamente brasileira, mas que dentre tudo isso, essa influência, só veio enriquecer o nosso folclore e deixar um pouco disso tudo dentro dessa cultura tão linda que é a nossa. 






           Bom, sabemos que dentre tantas vertentes culturais, teve uma dessas que foi fundamental para as nossas vidas, que foi a nossa culinária. Pegamos algumas receitas europeias, indígenas e africanas, e soubemos adaptar os nossos próprios temperos, as nossas próprias ideias e também as nossas matérias primas, para deixar o nosso mundo gourmet, mais aromático e mais picante. Diante de tudo isso, soubemos integrar todos esses pratos a cada festa comemorativa do ano. Então uma dessas festas mais esperada pelos brasileiros especialmente o nordestino, é a festa junina. 






          Quando chega os festejos juninos, a alegria é estampada no rosto de cada um dos que aqui moram, e também pela diversidades de cores, sabores, sons, e danças. Vemos que, se as festas juninas, com suas quadrilhas e os seus arrais, não for a primeira festa mais comemorada do Brasil, eu acho que ela fica entre as três festas mais comemoradas do nosso Brasil. Nessa época, as comidas juninas são fartura e colírios para os olhos. São centenas e mais centenas de comidas típicas, cada uma com pratos mais saborosos do que outros. 






          Geralmente as comidas são vendidas em barraquinha devidamente estilizada, com muito colorido e com toda decorada com bandeirinhas. Podemos encontrar nessas festas juninas, pratos como: canjica, pé de moleque, broa de fubá, cocada, doce de abóbora, cajuzinho, doce de batata doce, maria mole, pastel junino, cuscuz, munguzá, quebra queixo, suspiro, pé de moleque, quindim e tantas outras guloseimas. As comidas doces feitas no nordeste brasileiro, são praticamente unanimidade quando chega a época junina. 






           O interessante dentro do ciclo junino é que praticamente as comidas são quase todas à base de milho. É justamente na época da colheita do milho que começa as festas juninas. Não é mole não, o cardápio dessa região tem comidas simplesmente que chamamos de manjar, pois elas tem aromas e temperos que leva o nosso paladar a loucura. O bolo de macaxeira, o curau, bolo de milho e ovos e tantas outras iguarias feitas pelas mãos divinas das cozinheiras nordestinas só nos deixar a dizer um muito obrigado por essa arte tão divina que é a arte de fazer pratos maravilhosos. 






          Essa festa realmente no nordeste brasileiro, ela é diferenciada de outros cantos ou outras regiões do nordeste brasileiro. Então o período junino para todos nós, é um momento de confraternização e muita festança no que se refere essa comemoração. Também podemos ver que, o forró é tocado quase à noite toda, isso para animar os mais afoitos, pois é no chiado da chinela e comendo muita pamonha e canjica, que o forró é dançado quase que até pela manhã. Então posso dizer, que o nordeste representa essa festa com muita competência, pois falar em festa junina e não falar de Nordeste, é mesmo um quase que um pecado.



    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

    GOSTARIA DE ASSINAR O NOSSO FEED?

    100% gratuito

    RECEBA AS ATUALIZÇÕES DO NOSSO BLOG DIRETAMENTE NO SEU E-MAIL

    FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADES DO BLOG