, A ARTE DE NEWTON AVELINO: Dezembro 2016

Curta Nossa Página do Facebook!


  • Desenvolvido Por Iago Melanias

    Curta Nossa Página do Facebook!


  • Desenvolvido Por Iago Melanias

    SEGUIDORES

    Confira a arte do artista potiguar Newton Avelino, na sua galeria permanente. Adquira já uma obra!

    31 de dez de 2016

    FOLGUEDO DENTRO DA CAATINGA

    SERTÃO FOLCLÓRICO | Fonte da imagem: projetoandarilha











    SERTÃO FOLCLÓRICO 










           Quando falamos de sertão nordestino para alguém que não conhece essa região, logo se percebe que, algumas pessoas pensam que o sertão, o nordeste é só miséria e fome, sede talvez, porque a água para chegar nessa região é, ou do céu, ou dos carros pipas, pois, como essa região vem sofrendo intermitentemente com as estiagens, o sertão fica à mercê das autoridades que governam esse país. Pois bem, o sertão nordestino não é só de seca que ele vive, e nem de sede, mas também de toda cultura que nasce da criatividade desses sertanejos que vivem lá. 





           Segundo os pesquisadores, o reisado é um folguedo que se desenvolve no Brasil inteiro, com uma variedade grande de estilos, e tem uma enorme importância para as diversas artes. Ele é uma das pantomimas folclóricas mais ricas e mais apreciadas, principalmente no Nordeste. Faz parte do repertório das Festas Juninas, e é apresentado de 24 de dezembro a 6 de janeiro, isto é, pelo Natal, ano Novo e Reis. 





            Ele é formado por um grupo de foliões, de pastores e pastoras, que se reúnem numa espécie de rancho, granjas ou roça, com o fim de visitar as casas das pessoas mais hospitaleiras da região. Eles cantam e dançam. Ele apresenta diversas modalidades e compõe-se de várias partes, tais como: abrição da porta, entrada, louvação ao Divino, chamadas do rei, peças de sala, danças, a guerra, as sortes, encerramento da função. Seus principais personagens é o mestre, o contramestre, Mateus, Catarina, figuras e moleques. 






           O reisado de caretas é realizado por trabalhadores rurais no sertão ou em qualquer outra parte da região Nordeste do Brasil. O Reisado de Careta é uma festa para salvar os três reis desde a noite do dia 25 de dezembro, data do nascimento de Jesus Cristo, até o dia 06 de janeiro, quando os Reis chegam a Belém. A criação cultural de uma comunidade, é baseado em suas tradições. 





          Os personagens tipificados no Reisado são tipos sociológicos construídos na verdade histórica de seus participantes. A influência em diversos níveis da vida, é o que integram o folguedo ativamente, como daqueles que o acompanham e o recebem em suas casas. Já se tinha notícia dos brincantes do Reisado de Caretas, dedes 1930, já falavam os pesquisadores. Desde o Cariri Cearense até uma parte da caatinga Maranhense, notamos que esse folguedo é ativo dentro da cultura popular do Nordeste brasileiro. 





           Análise do folguedo Reisado Careta, com música, dança canto e poesia, ele é realizado por pessoas simples que trabalham na roça no dia a dia da labuta pesada do sertão nordestino, mas que mostra para todos que, mesmo dentro do sertão as pessoas são cultas e tem uma história para ser contada. Esse folguedo é muito forte e está sendo preservado no município Caririense de Potengi no estado do Ceará. 





         O Reisado de Potengi que fica na região do Cariri cearense, próximo da Cidade do Crato, é um grupo único e possui uma linguagem própria de performance do folguedo, que não vemos em outro Reisado, isso dá mais valor de identidade cultural para ele. Costumo falar que, o sertão é cheio de artistas e de histórias culturais, que só enriquece a todos nós e ao Nordeste. O bumba meu boi deve ter sido introduzido lá pelo século XVl, no período do ciclo econômico do gado. 






           Segundo os pesquisadores, apesar de não possuir uma origem africana, o bumba meu boi é um espetáculo de negros, onde eles se apresentam conformados com a sua inferioridade social e transformam a sua dor em comicidade. Dentre tantos folguedos, esse parece ser um dos que, é muito importante, e um dos que, é mais praticado dentro da nossa cultura, isso faz com que ele seja preservado dentro dessa cultura.










    26 de dez de 2016

    ENSEIADA DO TURISMO

    BELEZA DO ATLÂNTICO |











    BELEZA DO ATLÂNTICO








          No litoral do Nordeste brasileiro, existem belezas naturais que nos deixam estarrecidos e maravilhados em vermos tantas belezas naturais juntas. Não é à toa que essa região do Brasil, é considerada ou chamada de “caribe” brasileiro, pois durante os 365 dias do ano, nessa região, o sol está presente e o calor humano e a receptividade dos Nordestinos, deixa o litoral, com muita alegria e com mais beleza. Hoje vamos falar da praia de Gaibu. 






          Essa praia fica no litoral sul pernambucano. Gaibu, em tupi, é vale do olho d’água. Ela é uma das praias mais badaladas do litoral de Pernambuco, e também é um ponto muito frequentado pelos praticantes de esportes aquáticos, é mesmo o reduto de sufistas. O alucinante visual dessa praia, faz com que ela mostre sua beleza para os visitantes e para os próprios nativos da região. Gaibu é uma praia que tem águas cristalinas e muito verde, e que faz parte da mata atlântica. No passado a praia foi porto de navios negreiros. 






           Ela tem uma linda enseada que contrasta com uma linda imagem dos coqueirais do local, e isso faz com que esse lugar, se pareça com um cenário de filmes. A praia é separada das outras, por dois morros de pedras, suas ondas fortes e uma constante brisa, isso tira suspiro dos visitantes, pois ela faz parte de uma quantidade de praias que são o tope das melhores do litoral sul pernambucano. Ela é uma das que, os adeptos do surf, fizeram dela um point de surfistas e a galera mais jovem. 






           O morro das pedras é uma das principais atrações desse local, para que as pessoas possam apreciar a beleza do Atlântico sul.  As ruínas do forte de São Francisco Xavier de Gaibu, que foi construído em meados do século XVll, também podem ser visitadas. Essa praia tem uma boa infraestrutura, como: pousadas, hotéis, bares e restaurantes e muito mais. Ela é um dos recantos mais movimentado da cidade, aonde recebe um grande número de turistas na alta estação. 






           Essa praia, também é visitada fora da alta estação por pessoas que visitam ela durante os finais de semanas e durante os feriados. Gaibu tem o mar esverdeado e fica a 47 Km do Recife, isso ajuda muito os pernambucanos que gostam de frequentar um mar com águas cristalinas e mornas. Quem vai a essa praia, costuma a frequentar o lugar para relaxar e tomar um banho refrescante de mar, e poder está em uma região litorânea tranquila. 







           Com 3 Km de extensão, e águas mornas e cristalinas, a praia tem uma faixa larga de areias finas, ela desafia os surfistas em Pernambuco como as demais praias que fazem parte do cabo de Santo Agostinho, que abrange 24 Km de orla, ela encanta pela beleza da natureza, com um vasto coqueiral e de fácil acesso, é uma das principais praias do litoral sul de Pernambuco mais frequentada. Regularmente saem ônibus do Recife a cada 30 minutos, e que vão até a sede de Cabo de Santo Agostinho. 






           Para quem gosta de frequentar as belas praias do litoral do Nordeste brasileiro, vai se encantar com a receptividade do povo local e vai ficar impressionado com as belezas do local, além disso vai se encantar pela culinária local, pois é a base de pescados, tudo isso, o turista não esquecerá. Então venha conhecer o litoral de Pernambuco. Para chegar até Gaibu, o acesso é pela PE- 060, seguindo para a PE- 028. A estrada é toda sinalizada









    CENÁRIO DA SECA

    O FOGO QUE MATA É O QUE ALIMENTA | beira rio notícias












    O FOGO QUE MATA É O QUE ALIMENTA







           No sertão brasileiro, quando a chuva não vem, tudo fica mais difícil, as aves levantam voos para outras regiões, os açudes secam, juriti se muda, e a escassez de comida fica muito baixa. Os agricultores já não sabem o que fazer, a não ser, usarem o mandacaru como uma fonte alternativa de alimento para o gado. O mandacaru é uma fruta de espinho que pode ser degustada. Seu nome vem do tupi guarani, e tem outros nomes tais como: cacto candelabro, pytaia arbórea, jamacaru. 






           O seu fruto é bem doce, e faz parte da família pitaya, essa é uma fruta que não faz parte de fins comerciais. Ela é uma planta nativa do bioma nordestino, a caatinga. Por ser nativo de várias tipologias de formações vegetais, e de diferentes solos arenoso ele é de clima semiárido. Pode ser encontrado em algumas regiões do Brasil: Estados do Sudeste, Estados do Norte, Centro Oeste e o Nordeste, é claro.  Em meio à uma vegetação sem cor e com um bioma parecendo uma floresta branca, o que contrapõe esse senário, são as cactáceas, espécies adaptadas ao clima quente e seco, quase desértico dessa região. 







            Mandacarus suportam 3 anos sem água, essas plantas espinhosas passam ser uma fonte altamente valiosa para o alimento dos animais. O sertanejo tem uma consciência exata do que é preservação, então para cada mandacaru cortado eles plantam um, assim a natureza agradece e vai permanecendo para outras gerações. Essas plantas típicas do bioma nordestino, pode atingir 5 a 7 metros de altura. Adaptada a viver em um ambiente inóspito de temperaturas muito elevadas, e com a quantidade de água reduzidas, as folhas dessa planta se transformam em espinhos que são elementos de defesa frente aos animais herbívoros. 







            Por isso é que, os sertanejos para alimentar o gado com ela, eles queimam primeiro para tirar os espinhos e aí corta e dá para o gado como um alimento nutritivo, na época de secas prolongadas. Essa é uma pastagem nativa que precisa de uma ajudinha do homem para que o gado possa come-la. A seca no sertão e em todo Nordeste brasileiro, não é brincadeira não, ela traz com ela, a fome o desespero e a miséria, só sabe o que é isso, quem mora lá ou quem conhece a história dessa linda região. 







           Ela causa danos econômicos graves para as famílias da zona rural, pois afeta as lavouras dos agricultores e dizima a criação de animais desses agricultores através de fome e sede. Imagine o agricultor ter alimento e não ter água, ou vice e versa, isso é um grande dilema para eles, isso sem falar na falta de infraestrutura por parte dos governos, municipais, estaduais e federal, aí é que ele fica se sentido desamparado, porque os projetos sociais, na maioria das vezes, não chegam a todos os lugares dessa região tão esquecida por parte de alguns. 






           O mandacaru é a única fonte de alimentação para o seu rebanho, porém eles correm risco de extinção por atividades predatória do homem. Pois como ele é uma fonte de alimento animal nas épocas de estiagem, é fácil os agricultores cortá-lo para dá ração ao gado, e depois não replantar essa planta, isso pode gerar escassez dentro do bioma. Muitos agricultores fazem a replanta, porém alguns outros, não. O mais certo é que, o homem faça uma nova muda desses mandacarus que ele tirou para alimentar o seu gado. 






           É preocupante o uso de lança chamas nos pés desses mandacarus dentro do bioma, pois a planta morre de imediato e não refloresce mais, isso é proibido pelo ibama, órgão do governo federal. O modo certo de se tirar os espinhos dessas plantas, é só cortando ela, para depois queimar os pedaços tirados, assim, os sertanejos preservam o pé daquele mandacaru que ele tirou para alimentar o seu rebanho. Parece que hoje o IBAMA anda proibindo a utilização dos mandacarus como alimento de gado. O agricultor também tem outra opção que é: alimentar o seu gado com a palma, mas isso é outra história.


                                    


    TURISMO NO SERTÃO

    CÂNION NA CAATINGA | Matraqueando












    CÂNION NA CAATINGA







           A região nordestina é simplesmente diversificada de belezas naturais abençoadas por Deus, sendo menos favorecida pelos fenômenos climáticos como por exemplo, invernos regulares. Para isso, alguns estudiosos tem uma explicação: a ocorrência do El Niño, fenômeno de aquecimento das águas do oceano Pacífico que transforma todo o clima global. 





          Por aqui ele enfraquece a brisa do atlântico sul fazendo, assim, que pouca umidade chegue ao sertão Nordestino. Com isso, essa região é toda afetada, tanto economicamente como socialmente, quase sem infraestrutura em algumas sub-regiões, alguns setores procuram suprir a falta de chuvas com iniciativas dentro do próprio bioma do Nordeste.






          Então, dentro da caatinga, alguns setores públicos ou privados, procuram implantar centros turísticos para gerar emprego e renda dentro dessas regiões, e uma dessas iniciativa é que alguns pontos do rio São Francisco são usados como turísticos e um deles fica dentro do Estado de Sergipe, que é o passeio de catamarã. 





          Esse passeio sai da cidade de Canindé que fica a 200 quilômetros de Aracaju. Depois de meia hora de navegação, os turistas chegam ao imponente cânion do Xingó, com direito a mergulho nas águas verdes e cristalinas do rio São Francisco, o maior rio do Nordeste brasileiro. 





          Uma das opções é você pernoitar na cidade de Canindé e, no dia seguinte, conhecer o município de Piranhas. Essa cidade ficou famosa por ser ela uma das que o cangaceiro Lampião e o seu bando gostavam de acampar depois de suas aventuras dentro da caatinga do nordeste brasileiro.  






           O passeio é feito com escuna ou catamarã e envolve contato com a natureza que é a vegetação típica do semiárido, belas formações rochosas de arenito, grutas, cavernas e pinturas rupestres. Tem uma caminhada que envolve grandes dificuldades e momentos de aventuras, claro que existe acompanhamento de profissionais qualificados. 





         A emoção é imensa só em você pensar que está em trilhas que foram os índios que andaram por elas, já que foram os primeiros habitantes do lugar. Esse lugar só foi possível depois das águas represadas do Rio São Francisco para a construção da Usina Hidrelétrica do Xingó, inaugurada em 1994, na divisa entre os Estados de Alagoas e Sergipe.







           A infraestrutura do lugar é boa e os barcos são bem equipados. Tem banheiro e lanchonete, servem espetinhos de carne frango, bebidas e sorvetes. Depois de 30 minutos de navegação pelo Rio São Francisco, começa a aparecer os primeiros cânions como a Pedra do Galvão, o Morro dos Macacos e a Pedra do Japonês. 





          Destino ainda pouco conhecido dos brasileiros, o Cânion do Xingó é uma das maiores maravilhas naturais dentro da caatinga e é considerado o quinto maior do mundo e o maior navegável, ele possui paredões rochosos esculpidos pelo tempo e clima, e tem mais 60 mil anos. Quando vier ao Nordeste do Brasil, procure conhecer esse lugar, pois é uma maravilha dentro do bioma nordestino que você não encontrará em nenhum canto e, lembre-se, procure sempre um guia credenciado.







    15 de dez de 2016

    FÁBRICA DE SONHOS

    UM DOCE MANJAR | Fonte da imagem: Blog NordestinosPaulistano













    UM DOCE MANJAR 








           Uma das tradições centenárias que o Nordeste brasileiro tem dentro da sua cultura, essa é a indústria canavieira, que alavancou milhares de empregos diretos e indiretos dentro da região Nordeste do Brasil, na época da colonização, a fabricação de produtos feitos dos derivados do açúcar, fez com que essa região na época, se tornasse uma das mais promissoras dentro do Brasil. Vamos falar um pouco dos engenhos de canas de açúcar que fabricavam o mel de engenho, a rapadura a pinga e outros produtos. 






           Antes de tudo devemos saber que a cana de açúcar foi introduzida no Brasil, na época da colonização, mais ou menos, entre o século XVl e o século XVlll. Ele foi a primeira grande riqueza agrícola e industrial do Brasil nessa época e por muito tempo foi a base do econômica no período colonial. A introdução começou pelas capitanias de Pernambuco, Bahia e São Vicente, aonde a capitania de Pernambuco já existia 30 engenhos, a Bahia 18 e São Vicente só dois, isso no ano de 1549. 






           A fabricação desse produto teve início no século XVl, nas Ilhas Canárias, ilhas espanholas do Oceano Atlântico. O produto teve a sua exportação no século XVll em toda a América Espanhola, isso aconteceu na época de toda grande expansão açucareira. Ela originou-se da raspagem das camadas ou crostas de açúcar que ficavam presas ás paredes dos tachos utilizados na fabricação de açúcar. Então vamos falar aqui, de alguns engenhos que até hoje funcionam e que fazem partes da história cultural nordestina. Claro que não são os primeiros engenhos que foram construídos pela colonização, mas são engenhos que com certeza são centenários. 






           Vamos falar do Engenho Amolar. Ele fica na zona rural de Panelas, município do estado de Pernambuco, e fica no Agreste pernambucano, na microrregião do Brejo pernambucano. Fundado no final do século XIX e pertence à família Vilar. No ano de 1950 o senhor José Avilar conhecido por “Dedé Vilar” assumiu o engenho até a década do 1990. Depois de alguns anos o engenho passou a ser administrado pelos filhos e neto. O engenho produz a rapadura imperial. 






           Eles também fabricam o doce Nordestino semanalmente, e também existe nesse engenho, o passeio ecológico na mata da região. Eles também fabricam rapadura em tabletes miniatura e o mel de engenho, um dos mais saborosos da região. À produção dos seus produtos vão para quase toda a região nordestina e para São Paulo. Esse engenho faz parte da história turística de Panelas, pois é mais um espaço para o visitante conhecer no interior pernambucano. 






           O equipamento utilizado nesse engenho para a fabricação da rapadura ainda é o mesmo usado no início da construção do mesmo. Muitos outros engenhos dentro da região Nordeste, são engenhos que são de famílias tradicionais na fabricação de produtos derivados do açúcar e que funcionam a moda antiga, meio artesanal, então na cultura canavieira Nordestina, ainda existe e ainda está muito conservada essa cultura centenária. Vindo ao Nordeste brasileiro, procure conhecer essa cultura e procure experimentar os genuínos produtos feitos dos derivados da cana. O alfenim é um dos mais deliciosos produtos fabricados dentro desses engenhos artesanais, a rapadura conhecida como “batida” e o mel de engenho com farinha. Então venha conhecer a cultura Nordestina.







    TRADIÇÃO DO SERTÃO

    INFLUÊNCIA EUROPEIA | Fonte da imagem: youtube












    INFLUÊNCIA EUROPEIA








           A criação de animais e aves domésticas no Nordeste brasileiro é muito comum, desde os séculos passados, ou seja, desde o Brasil colônia. É muito comum, no sertão nordestino, ou mesmo em qualquer outra sub-região do Nordeste brasileiro, sempre vamos encontrar criações de galinha caipira, nos sítios e fazendas dessa região. A galinha caipira é criada de acordo com as possibilidades de cada um desses agricultores, mas tem uma tradição nessa região, que no mínimo é intrigante. Vamos falar aqui, do capão, é como se chama um frango caipira que eles criam por lá. 






          O capão nada mais é do que um frango castrado quando é pequeno, e que tem pelo menos uns 3 meses de vida, sendo alimentado à base de milho e comida caseira, para depois ser consumido entre 6 a 8 meses. Nesse meio tempo, com esse frango sendo sevado a base de milho e comida caseira, é claro que ele aumenta de peso, e seu nível de gordura aumenta sensivelmente. Essas aves passam a comer mais do que o habitual, e a sua carne termina sendo mais saborosa do que a carne de um frango comum. Geralmente esses frangos são sevados para serem consumidos na época do Natal. 






           As regiões da Itália e de Portugal, eles ainda mantem essa tradição, a Espanha também mantém essa tradição. Depois que o capão é abatido, limpa-se a ave com água corrente e depois coloca-se ele dentro de uma panela média que dê para o frango ficar tomando o tempero. Primeiro tempere o mesmo, com sumo de laranja, vinho, alho sal e pimenta. Para que o tempero penetre é preciso picar a carne da ave, com um garfo ou com a ponta de uma faca serra.  






           Todo esse tempero, tem que ser feito na véspera de Natal, ou seja, um dia antes da ceia de Natal, só assim, o capão pega mais tempero e fica com um sabor bem especial. Ingredientes, para rechear o frango é preciso de miúdos, 200 ml de pinga, 1 dente de alho amassado, cebola picadinha, pimenta do reino a gosto. Para rechear o mesmo é preciso de miúdos, 250 gramas de manteiga ou margarina, 1 dente de alho picado, toucinho, 1 pimentão picado, 2 tomates picados, 100 gramas de castanha de caju, cebola picada, uvas passas sem cimentes, 150 g de farinha de milho. 






           Depois que fizer essa farofa com todos esses ingredientes coloque dentro do frango e costure.  Depois que tudo isso estiver feito, então pincele o capão com a manteiga ou margarina, colocando o mesmo em uma bandeja, depois leve ao fogo que esteja já pré-aquecido a 200 C. Então deixe assar por cerca de uma hora. De vez enquanto tem que regar o mesmo com o molho que se forma na forma. Esse procedimento é necessário para que o capão não fique ressecado. 






           Esse é um prato muito tradicional no sertão do Nordeste brasileiro, mesmo não tendo a mesma tradição que tinha nos anos 1970, ainda é muito presente na cultura sertaneja, principalmente na época de natal. O consumo de peru na ceia do nordestino na época de natal, também é outro prato que os sertanejos gostam de fazer, mas aí é outra história.















    8 de dez de 2016

    PARAÍSO PERNAMBUCANO

    PORTO RICO | Fonte da imagem: viajantesaprendizes












    PORTO RICO 







           O litoral do Nordeste brasileiro, é um dos, mais atraentes dentro do território nacional. Com isso não queremos dizer aqui, que, só nessa região brasileira é que tem praias belas, isso não, mas realmente é um lugar maravilhoso e reconhecido por todos, como o caribe brasileiro. O Nordeste é tudo isso e um pouco mais. Essa é uma das regiões mais apreciadas pelos turistas, tantos os nacionais quanto os internacionais.






            Primeiro ponto é que, nessa região, além de ter uma logística ótima, também tem outro ponto que fica a seu favor, que é a temperatura dessa região. O Nordeste brasileiro tem temperaturas que ficam, entre 25º C e 35º C durante o ano todo. O litoral da região do Nordeste brasileiro, é daquele que tem atrativos tanto naturais, como os de natureza humana. Falar de Turismo dentro do Brasil, é falar de Nordeste. 






           Essa região tem lugares maravilhosos. As praias nordestinas, são praias de águas mornas ou frias, depende muito de uma praia para outra. O visual deslumbra qualquer turista, pois os coqueirais desses cartões postais que existem aqui, são de encher os olhos de qualquer visitante. Alguma dessas praias ainda são virgens, ou quase virgens. As praias urbanas e outras mais afastadas dos centros urbanos são belíssimas também, e tem uma infraestrutura melhor, mas existem praias mais afastadas dos centros, que também são belíssimas e que tem uma infraestrutura razoável. 






         Algumas dessas praias, são próprias para esportes náuticos e que tem cenários paradisíacos, o cardápio e a infraestrutura de alguns desses locais, são a base de mariscos, e que tem bons hotéis, pousadas e albergues dependendo da praia em que você deseja escolher. 






           Então vemos que as praias nordestinas têm todos os atrativos que o turista quer e pode ver. Hoje vamos falar de uma linda praia nordestina, que fica no estado de Pernambuco. Vamos falar de Porte de Galinhas. Ela fica localizada no município de Ipojuca. 






            A região possui muitas piscinas naturais de águas claras e mornas formadas entre corais, além de estuários, mangues, areia branca e coqueirais. Porto de Galinhas antigamente tinha o nome de Porto Rico por causa da extração de Pau Brasil. Escravos chegavam ao local, escondidos, já que vinham contrabandeados para serem vendidos. Eles vinham embaixo de engradados de galinhas de Angola. Quando eles chegavam perto da areia, anunciavam: “tem galinha nova no Porto”. Foi dessa maneira que surgiu o nome atual da localidade. 






           Embora a praia de Porto de Galinhas seja a mais famosa do município de Ipojuca, à região têm muitas opções que agradam aos turistas, seja ele que venha em busca de sossego e contemplação, ou os apreciadores de esportes náuticos e da natureza selvagem que existe nesse local maravilhoso feito por Deus. São 18 KM de praia, de Camboa ao Pontal de Maracaípe, com areias brancas, coqueirais e mar de água cristalinas e mornas, com uma temperatura que beira aos 28º C. 






        Isso encanta o turista que procura praias lindas e calmas que tenham uma boa infraestrutura. Esse lugar antigamente era habitado pelos índios Caetés. Essa praia está localizada a 60 KM do Recife. Para chegar a Porto de Galinhas, saindo do Recife a capital do estado de Pernambuco, você pega a BR – 101 depois pega a PE - 60 depois a PE - 38 e depois a PE - 09, pronto, você estará em Porto de Galinhas, litoral sul de Pernambuco. Indo a Recife, procure conhecer essa linda praia, e procure um guia de turismo autorizado, ele poderá te ajudar nas escolhas de suas férias.


    .

    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

    GOSTARIA DE ASSINAR O NOSSO FEED?

    100% gratuito

    RECEBA AS ATUALIZÇÕES DO NOSSO BLOG DIRETAMENTE NO SEU E-MAIL

    FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADES DO BLOG