, A ARTE DE NEWTON AVELINO: 06/15/16

Curta Nossa Página do Facebook!


  • Desenvolvido Por Iago Melanias

    Curta Nossa Página do Facebook!


  • Desenvolvido Por Iago Melanias

    SEGUIDORES

    Confira a arte do artista potiguar Newton Avelino, na sua galeria permanente. Adquira já uma obra!

    15 de jun de 2016

    TRADIÇÃO CATÓLICA

    A FOGUEIRA NO SÃO JOÃO | Fonte da imagem: www.bk2












    A FOGUEIRA NO SÃO JOÃO







          Com a proximidade das festas juninas, em toda região nordeste, ocorre um fenômeno muito comum nessa época do ano, a venda de madeira para fazer fogueiras a fim de comemorar a data em homenagem aos três santos da igreja católica: Santo Antônio, São João e São Pedro e então vemos que os vendedores de fogueiras estão por toda parte das ruas da cidade.






          Uma das tradições mais festejadas nessa época são famílias e mais famílias ficarem ao redor das fogueiras comemorando a data dos Santos, e também se divertindo entre eles, como por exemplo: fazer algumas simpatias com os Santos ou mesmo assar as batatas ou jerimum. Quando se mora no interior ou mais afastado dos grandes centros urbanos é bem mais fácil de se conseguir, ente um graveto e outro, madeiras de árvores secas. Até porque a madeira verde não é boa para ser queimada. 





          Mas tem um porém nisso tudo, é a degradação do meio ambiente através do desmatamento. É bom lembrar que nos dias de hoje, essa prática é coibida pela fiscalização. Alguns fiscais fazem trabalhos de conscientização entres os vendedores que estão ali para ganhar o seu pão de cada dia, e que diga-se de passagem é suado, mas temos que ver, que precisamos também preservar a natureza para que daqui alguns anos seus filhos e netos sejam beneficiados pelo que foi feito através dos seus pais.






            É claro que não existe festa junina sem fogueira mas, de todo modo, os homens podem conciliar a retirada dessa madeira com a necessidade de vender e ganhar algum trocado. Na maioria das vezes, essas pessoas não conhecem os trâmites burocráticos para conseguirem a obtenção de documentos e assegurar que aquela madeira que eles estão tirando, venha de podas de galhos já secos. Nesse comércio, os fogueiristas tem preços diferenciados, variando entre r$ 30,00 e r$ 50,00 reais. 





          Em algumas partes da cidade pode-se encontrar madeira de mangueira ou de cajueiro. A lei de crimes ambientais que é a lei 9.605/98, está passível de multa e pena de detenção para quem for pego praticando crimes ambientais. O acusado pode pegar de um a dois anos, e mais multa se for pego praticando crime ambiental contra a floresta nativa. Portanto sempre é bom avisar, que pode-se fazer uma grande festa dentro da legalidade sem atingir a natureza e nem infringir a lei. É só as pessoas andarem documentadas para poderem vender suas fogueiras.






            As festas juninas sempre é animada e decorada com fogueiras, pois elas fazem parte da tradição, o bom disso é que quando as pessoas estiverem fazendo alguma poda em seus sítios ou mesmo em alguma mangueira do quintal de sua casa, guardarem essa madeira que sobrou da poda, para que eles usem na época de festa junina, assim ele vai está dentro da lei, vai brincar sossegado e vai está usando uma madeira que ele cortou na poda de uma árvore que não está dentro da mata nativa. 





         As fogueiras tem o símbolo do São João e sempre é bom ver elas pegando fogo e clareando o terreiro do arraiá, de preferência, com todos em sua volta soltando rojões e muito foguetões para comemorar os dias dos Santos mais queridos dos nordestinos.





    FESTA POPULAR DO BRASIL

    SÃO JOÃO | FONTE DA IMAGEM: REVISTADETURISMOPB
    Fonte da imagem: revistadeturismopb











    SÃO JOÃO







          O mês de junho no nordeste brasileiro, é muito especial para os nordestinos, pois se trata de uma época muito festiva entre todos dessa região brasileira. Na verdade, o nordeste é uma das regiões do Brasil que tem um calendário festivo, cheio de festas comemorativas, isso tanto faz ser festas cristãs como as festas pagãs. O calendário durante o ano todo, ele sempre é festivo, a começar a partir de janeiro indo até dezembro. Mas vamos falar aqui das festas juninas, que se não é a primeira, é a mais esperada e comemorada pelos nordestino durante o ano todo. 






           Ela é comemorada bem na época da colheita do milho. Pois a festa junina, ela tem toda uma cultura, toda uma comemoração regional. Quando se fala em festas juninas, já associamos ao nordeste do Brasil. Como toda a nossa cultura, essa festa também tem origem europeia, pois foram os portugueses que introduziram todos os seus costumes e valores em nossa cultura. As fogueiras juninas fazem parte da antiga tradição pagã de celebrar o solstício de verão. As explicações para a origem do termo “festa junina”, são as seguintes: A primeira é que surgiu em função das festividades, principalmente religiosas, que sempre ocorreram no mês de junho. Outra versão diz que o nome desta festa tem origem em países católicos da Europa e portanto, seriam em homenagem apenas a São João. No início essa festa no Brasil era chamada de Joanina. 






           Esse costume foi trazido pelos portugueses na época da colonização, pelos portugueses, uma época que o Brasil era colonizado e governado por Portugal. Nas festas juninas, os fogos é uma das principais atrações, sem falar nas fogueiras, nas comidas regionais e também nas danças, e as quadrilhas juninas. Sabemos que dentro do nordeste brasileiro na época junina, milhares e milhares de pequenas, médias e grandes cidades nordestinas comemoram o Santo Antônio, São João e São Pedro com muita animação, muito colorido, muito forró e muita comida típica, isso sem falar nas delícias feitas a base de milho. Mas também sabemos que tem duas grandes cidades do Nordeste que na época junina elas se destacam por serem as mais famosas em evento junino, são elas: Caruaru no estado de Pernambuco, e Campina Grande na Paraíba. 







           As duas disputam, quem faz o melhor e o maior São João do Mundo. A cidade de Caruaru é considerada a “capital do forró”, e a cidade de Campina Grande na Paraíba, tem o título de “Maior São João do Mundo”. Também podemos falar da cidade de Mossoró no Rio Grande do Norte, e que faz um grande São João e que é muito forte nesse tipo de evento junino, essa cidade têm como atração, o “Mossoró cidade Junina”. Então vemos que, essa festa é muito tradicional dentro da região nordeste do Brasil. Embora seja comemorada dentro de todo o território do Brasil, nessa região a as comemorações são mais festivas e mais culturais. O mês de junho é o momento de se fazer homenagem aos três santos católicos: Santo Antônio, São João e São Pedro. 








            Essa região é um região que tem problemas graves de secas intermitentes, o nordestino aproveita para agradecer a Deus e aos Santos pelas chuvas raras que cai na região, e que serve para manter a agricultura familiar. Nós que tivemos tantas influencias de portugueses, espanhóis, franceses chineses e tudo mais, soubemos adaptar os nossos costumes tanto dentro da nossa sociedade, quanto em toda cultura nossa, e terminamos fazendo depois de tudo isso, uma cultura própria, a nossa própria cultura, com os nossos gostos e nossos costumes. Sendo assim, vemos que, a nossa festa junina é realmente bem peculiar e bem regional, coisa de gente do sertão, gente que preserva o que nós temos de melhor e de mais rico dentro das nossas vida, que é a nossa cultura. Fora desse parâmetro de raciocínio, tudo que se falar, é uma falácia.








    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

    GOSTARIA DE ASSINAR O NOSSO FEED?

    100% gratuito

    RECEBA AS ATUALIZÇÕES DO NOSSO BLOG DIRETAMENTE NO SEU E-MAIL

    FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADES DO BLOG