SEGUIDORES

Confira a arte do artista potiguar Newton Avelino, na sua galeria permanente. Adquira já uma obra!

28 de ago de 2016

CENAS SERTANEJAS

HISTÓRIA DE UM POVO | Fonte da imagem: nossaterrafp










HISTÓRIA DE UM POVO








      As paisagens cinzas do bioma nordestino, na época das secas, modificam drasticamente a região do sertão nordestino. O cinza da vegetação dessa região árida e seca do sertão, realmente leva o nome de floresta branca, justamente porque a vegetação fica com essa cor, em consequência da falta de chuvas por períodos longos nessa região. A região do nordeste do Brasil, basicamente é uma das regiões que o maior número de estados da federação, ela ainda é uma região que ainda é muito discriminada por parte de alguns. 





      Infelizmente algumas pessoas desinformadas e que não conhece a história atual dessa região, ainda tem o nordeste como uma região arcaica, e isso não é verdade, de 12 anos para cá ela cresceu mais de que o resto do Brasil.  Essa região basicamente, ela é dividida em algumas sub-regiões, dentro desses núcleos, são encontradas muitas comunidades que não tem infraestrutura nenhuma e se torna quase sub humano na época de secas, pois alguns sertanejos ficam sem água e comidas, justamente porque as chuvas não vieram durante o ano, e com isso, eles não puderam trabalhar no que eles mas gostam de fazer que é plantar, colher, consumir e até vender nas feiras livres e nos pequenos comércio da região. 





         
       Bem, os reservatórios que são chamados de açudes ou barreiros, eles são o fator primordial para o abastecimento de água durante os períodos de secas nessa região, quando eles começam a secar, é sinal que as famílias que moram nessa região, vão passar por maus bocados e os animais vão ser sacrificados durante grandes secas intermitentes. Nessa região, como bem diz o poeta cancioneiro, “boi com cede, bebe lama”. 






         Então, a falta de chuvas afeta muito a plantação, os animais e o preço de produtos como o feijão e, consequentemente, da cesta básica de alimentos, isso tudo afeta a mesa das pessoas das cidades, porque somos dependente do homem do campo. É bom os políticos se conscientizarem, para medidas que venham a investir maciçamente em infraestrutura nessas regiões do sertão nordestino, a onde as pessoas passam por privações e até fome e sede. 






         As pessoas que moram nas sub-regiões nordestinas, a onde não existem escolas, hospitais e muito menos segurança, elas vivem naqueles lugares distantes dos grandes centros urbanos, e sem boas estradas para o escoamento das produções desses agricultores, sendo assim, eles vivem de certa forma, um pouco como se fossem de forma arcaica. Essa gente só depende delas mesmo para fazerem alguma coisa nessa vida. 






        O nordeste realmente cresceu nesses 12 últimos anos, e cresceu bastante, foram investidos nessa região, muito dinheiro e muitos programas sociais, que beneficiaram a população, mas também, o próprio governo sabe, que faltou e muito para investir maciçamente nessas comunidades. 






      Hoje não sabemos se os programas sociais vão realmente continuar, pois sabemos que o Brasil passa por um momento político difícil, o mundo está de olho para os destinos políticos do Brasil, é claro que quem está mais apreensivo é a população mais pobre das regiões mais pobres do Brasil, pois essa classe humilde e pobre do sertão nordestino, era uma das classes que eram mais beneficiadas com os programas do governo federal. 






        As secas prolongadas que massacram as pessoas que moram no sertão nordestino, elas se valiam desses programas sociais do governo do Lula e da Dilma, durante os períodos mais críticos sem chuvas, a onde as pessoas ficavam sem perspectivas de um futuro melhor, já que veem as secas batendo a porta deles durante anos, isso deixa o agricultor mais angustiado. 






     Bem, os agricultores do sertão nordestino, foram beneficiados pelo governo de Lula e Dilma com ações emergenciais, como a distribuição de cestas básicas de alimentos e frentes de trabalho, criadas para dá serviço aos desempregados durante o período de secas, dirigidas para a construção de estradas, pontes e açudes, isso aliviava mais o sofrimento dessas pessoas que moram dentro da caatinga. 






       Os problemas das secas somente serão superados por profundas transformações socioeconômicas de âmbito nacional. Várias têm sido as ações formuladas tais com: transformar a atual estrutura agrária, concentradora de terra e renda, por meio de uma Reforma Agrária que faça justiça social ao trabalhador rural. Também se estabelecer uma política de irrigação que adote tecnologias de mais fácil acesso aos trabalhadores rurais à realidade nordestina.








Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...