, A ARTE DE NEWTON AVELINO: 09/17/16

Curta Nossa Página do Facebook!


  • Desenvolvido Por Iago Melanias

    Curta Nossa Página do Facebook!


  • Desenvolvido Por Iago Melanias

    SEGUIDORES

    Confira a arte do artista potiguar Newton Avelino, na sua galeria permanente. Adquira já uma obra!

    17 de set de 2016

    FESTIVAL GOURMET

    SABORES DOCES DO BRASIL | Fonte da imagem: catequesedeconquista











    SABORES DOCES DO BRASIL










          A época junina, é uma época dedicada a três santos da igreja católica, nessa época, tudo gira em torno das comemorações de uma história milenar, e que foi introduzida, pelos portugueses, na época do Brasil império. Sabemos também, que muitas coisas, foram modificadas dentro de alguns aspectos, dentre todos os aspectos, o mais importante foi que, conseguimos adaptarmos todos os nossos gostos e costumes a uma influência europeia que foi o início de tudo. Porém hoje, podemos dizer que a nossa cultura ficou realmente genuinamente brasileira, mas que dentre tudo isso, essa influência, só veio enriquecer o nosso folclore e deixar um pouco disso tudo dentro dessa cultura tão linda que é a nossa. 






           Bom, sabemos que dentre tantas vertentes culturais, teve uma dessas que foi fundamental para as nossas vidas, que foi a nossa culinária. Pegamos algumas receitas europeias, indígenas e africanas, e soubemos adaptar os nossos próprios temperos, as nossas próprias ideias e também as nossas matérias primas, para deixar o nosso mundo gourmet, mais aromático e mais picante. Diante de tudo isso, soubemos integrar todos esses pratos a cada festa comemorativa do ano. Então uma dessas festas mais esperada pelos brasileiros especialmente o nordestino, é a festa junina. 






          Quando chega os festejos juninos, a alegria é estampada no rosto de cada um dos que aqui moram, e também pela diversidades de cores, sabores, sons, e danças. Vemos que, se as festas juninas, com suas quadrilhas e os seus arrais, não for a primeira festa mais comemorada do Brasil, eu acho que ela fica entre as três festas mais comemoradas do nosso Brasil. Nessa época, as comidas juninas são fartura e colírios para os olhos. São centenas e mais centenas de comidas típicas, cada uma com pratos mais saborosos do que outros. 






          Geralmente as comidas são vendidas em barraquinha devidamente estilizada, com muito colorido e com toda decorada com bandeirinhas. Podemos encontrar nessas festas juninas, pratos como: canjica, pé de moleque, broa de fubá, cocada, doce de abóbora, cajuzinho, doce de batata doce, maria mole, pastel junino, cuscuz, munguzá, quebra queixo, suspiro, pé de moleque, quindim e tantas outras guloseimas. As comidas doces feitas no nordeste brasileiro, são praticamente unanimidade quando chega a época junina. 






           O interessante dentro do ciclo junino é que praticamente as comidas são quase todas à base de milho. É justamente na época da colheita do milho que começa as festas juninas. Não é mole não, o cardápio dessa região tem comidas simplesmente que chamamos de manjar, pois elas tem aromas e temperos que leva o nosso paladar a loucura. O bolo de macaxeira, o curau, bolo de milho e ovos e tantas outras iguarias feitas pelas mãos divinas das cozinheiras nordestinas só nos deixar a dizer um muito obrigado por essa arte tão divina que é a arte de fazer pratos maravilhosos. 






          Essa festa realmente no nordeste brasileiro, ela é diferenciada de outros cantos ou outras regiões do nordeste brasileiro. Então o período junino para todos nós, é um momento de confraternização e muita festança no que se refere essa comemoração. Também podemos ver que, o forró é tocado quase à noite toda, isso para animar os mais afoitos, pois é no chiado da chinela e comendo muita pamonha e canjica, que o forró é dançado quase que até pela manhã. Então posso dizer, que o nordeste representa essa festa com muita competência, pois falar em festa junina e não falar de Nordeste, é mesmo um quase que um pecado.



    CASA DE TAIPA

    UM LUGAR PERDIDO NO SERTÃO | Fonte da imagem: lagoagrandenoticia











    UM LUGAR PERDIDO NO SERTÃO







          O sertão nordestino, realmente é daquelas áreas que é avassaladora no que se refere aos castigos impostos pela mãe natureza. Além de ter tudo isso, que lhe desfavorece, ainda tem o problema de ser explorado nas épocas de eleições, por algumas pessoas que só aparecem de 4 em 4 anos prometendo quase tudo e mais um pouco, e que, se torna um vício quase cultural, pois a onde não existe educação segurança e saúde, ainda existe pessoas que se deixam levar pelas conversas mirabolantes de certas pessoas que estão pleiteando algum cargo de agente público. 






          Bem, mas voltando a essa região tão seca e castigada sucessivamente pelos fenômenos climáticos, vemos que entra governo e sai governo e as mesmas dificuldades continuam. Vemos que de 12 anos para cá, essa paisagem de famílias que estão na linha de extrema pobreza, diminui um pouco, ou muito, pois os governos de Lula e Dilma colocaram em prática alguns projetos sociais, que aliviaram bastante o desespero da fome, por parte de algumas famílias, mas esse próprio governo reconhece que precisou fazer muito mais, pois alguns desses programas não chegaram a muitas famílias dentro do sertão nordestino. 





          A linha de famílias de extrema pobreza, fica evidente em muitos lugares da sub-região do meio norte, e em outras sub-regiões. O Meio Norte possui 30% do território Nordestino, a onde fica os dois estados que são: o Maranhão e o Piauí. Essa área podemos dizer que fica entre o Sertão e Amazônia. A vegetação predominante dessa região é Mata de Cocais, Manchas de Florestas Equatorial a onde são encontradas na extremidade ocidental. Também encontramos fragmentos de Caatinga já na sua parte oriental e de Cerrado na porção Sul. 






          O clima dessa região é tropical típico, por causa da transição entre o equatorial (oeste) e o semiárido (leste). O principal rio dessa região é o Parnaíba. Esse local, também tem um relevo planáltico, com a presença de algumas planícies nos vales dos principais rios e litoral. Sabemos que o Brasil é um país extremamente capitalista, e que, por isso, alguns governos preferem premiar o capital financeiro do que ter uma política de investimentos sociais, que dê sustentabilidades a população mais carente. O capital financeiro fala mais alto. 






           Então por essas e outras, vemos que as políticas de infraestrutura ficam em segundo plano. Isso é extremamente grave para um país que quer atingir a meta de ser um país alto suficiente no que se refere a sua política social. A gente vendo desse ângulo, vemos que a tendência, é que, o pobre fica cada vez mais pobre e o rico cada vez mais rico. O Nordeste é uma região que se tivesse inverno sistematicamente em períodos certo, posso até dizer que, os agricultores, as famílias que estão na linha de extrema pobreza, não iriam depender de certas promessas, para sobreviverem. 






           Pois o homem sertanejo que está morando seja a onde for dentro do bioma nordestino, que é a caatinga, ou mesmo sub-região do meio norte, tenho certeza que iria ter muito trabalho e gerar renda através do seu próprio suor, cultivando a sua lavoura. Outra coisa que podemos ver, é que, o pequeno agricultor, que é responsável pela agricultura familiar, ele é responsável por produzir junto com outros agricultores, uma enorme quantidade de produtos agrícolas. A forma de cooperativa é uma das mais inteligentes formas de o agricultor ou agricultora, conseguir vender o seu produto a preços realmente corretos. 






          O que eu quero dizer aqui, é que, essas pessoas não querem esmolas, elas querem uma oportunidade de trabalho, para produzirem com a força do seu trabalho e poder ter um pouco de dignidade, já que essa região do sertão do nordeste brasileiro, não encontramos infraestruturas de coisa nenhuma, e isso eu também cito as prefeituras que podem ter a sua parcela de ajuda, não só o governo federal, e também o estadual, mas os municípios que estão sobe a responsabilidade das prefeituras, tem que cobrar dos órgãos competentes. O povo já não aguenta mais, principalmente essa gente abandonada que está na linha da miséria total. 






           Eles estão abaixo da linha de pobreza, pois são pessoas que não tiveram oportunidade de estudar e nem de fazer algum curso profissionalizante. O nordestino que mora dentro dessa faixa de terra árida e quente, com um clima acima da média do restante do Brasil, e que não tem acesso a grandes centros urbanos, essa gente são pessoas que estão ao Deus dará, pois são brasileiros ainda esquecidos pelo poder público. O acesso a essas pessoas, são quase nenhum. Portanto elas estão sozinhas. Isso é meio cultural, pois sempre estudei isso e até os dias de hoje, vemos que não mudou muito, melhorou de uns 12 anos para cá, mas ainda falta muito para que algumas pessoas saiam da linha de pobreza. 






          A história conta que o sertão sempre ficou em segundo plano, as pessoas sempre frequentaram mais o litoral, do que o sertão, principalmente os turistas internacionais, e os próprios brasileiros, sempre gostaram mais de ficar pelo litoral, imitando esses próprios turistas estrangeiros. Pois essa região do sertão do nordeste brasileiro, é muito difícil de ser domada. O terreno arenoso e de difícil acesso, não dá moleza para ninguém, principalmente para os que são de fora dessa região.




    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

    GOSTARIA DE ASSINAR O NOSSO FEED?

    100% gratuito

    RECEBA AS ATUALIZÇÕES DO NOSSO BLOG DIRETAMENTE NO SEU E-MAIL

    FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADES DO BLOG