, A ARTE DE NEWTON AVELINO

Curta Nossa Página do Facebook!


  • Desenvolvido Por Iago Melanias

    Curta Nossa Página do Facebook!


  • Desenvolvido Por Iago Melanias

    SEGUIDORES

    Confira a arte do artista potiguar Newton Avelino, na sua galeria permanente. Adquira já uma obra!

    31 de ago de 2014

    A CULTURA E AS TRADIÇÕES NORDESTINAS

                    
                                                         Fonte da imagem: guardados e achados
                                                              



                               BOLACHÕES
      






       As comidas típicas fazem parte das muitas tradições nordestinas. Nós sabemos que é uma marca tradicional dessa região tão linda e maravilhosa. Eu vou falar um pouco de uma iguaria muito frequente na vida dos sertanejos, que são os bolachões feitos de água e sal.
       



       Uma bolacha que fez e ainda faz parte dessa região, mesmo sendo menos frequente nas prateleiras das mercearias, tradicionais dos mais longínquos lugares do nosso sertão. Sempre encontrávamos elas nas feiras livres do sertão nordestino e até mesmo em algumas mercearias tradicionais  dessa região.
       



         Hoje esse produto tipicamente sertanejo e na maioria das vezes artesanais, já não é tão facilmente encontrado, é uma pena, porque elas são bem nutritivas e saborosas. A massa desses bolachões era seca e com isso fazia com que essas bolachas se quebrasse facilmente. Com certeza a massa dessas bolachas só era o trigo misturado com água e sal.
       



        Na verdade elas eram encontradas em pacotes, ou melhor, em sacos plásticos transparentes e fechados, e que, costumava matar a fome daquelas famílias do interior do sertão do nordeste brasileiro. Nas feiras livres, elas eram as vedetes, porque  eram quem saciava a fome dos sertanejos, e já faziam parte do cenário da própria feira.
       




        Tanto no período das secas como no inverno elas eram o meio mais fácil de enganar a fome das pessoas. Uma bolacha muito barata e nutritiva, pois não trazia muitos produtos ofensivo a saúde humana, tais como ingredientes gordurosos agregados a elas, e que por sua vez o homem matava a sua fome e ainda não conseguia engordar.
       




         Acho que essas bolachas fazem parte da história da nossa cultura, mesmo que já não existam mais como antigamente, raramente você encontra no comércio. Não tinha sentido, as pessoas do sertão irem a uma feira livre ou a uma mercearia, se não comprassem os bolachões, elas eram mais frequentes do que o próprio pão nas mesas dessas pessoas, pois elas podiam ficar muito mais tempo armazenadas em armários ou em qualquer outro local da casa, pois isso é o que diferenciava o bolachão ou a bolacha do pão nosso de cada dia, pois o pão tem um prazo mais curto de armazenagem.

    19 de ago de 2014

    ARTEFATO DO SERTÃO

                            
                                    Fonte da imagem: saopaulominhacidade
     
                                                           NO BREU DO SERTÃO
     
       No sertão nordestino as famílias que moram em lugares muito afastado da civilização e que não tem acesso a energia elétrica, muito dessas famílias usam o candeeiro ou a lamparina como o meio alternativo para iluminar as casas e não ficarem num breu completo.
     
       O candeeiro é um artefato simples de se fazer, é por isso que o sertanejo não tinha nenhuma dificuldade em fazê-lo. Ele pode ser feito com qualquer material encontrado no cotidiano como: Latas de alumínio, garrafas de vidro, ou qualquer outro objeto que não seja inflamável, já que o produto que se usa é o querosene o "gás" como as pessoas do sertão chamam.
     
       As lamparinas ou o candeeiro precisam tem como suporte em cima das latas um pequeno zinco para ser colocado um chamusco de algodão. Dentro da lata, se coloca o querosene e é através do chamusco de algodão que chamamos de pavio, é a onde ele é embebecido com o querosene e é a onde que ele é aceso.
     
       Ele fica aceso à noite toda se for o caso, e pode crer, além de ser econômico, ele ainda deixava os cômodos das casas com claridade baixa, mais que dava para as pessoas se locomoverem para a onde fosse carregando essa peça. Esse artefato além de fazer parte da história sertaneja no nordeste brasileiro, ele foi uma peça relativamente fácil para ser feita e que também clareou por muitos anos as casas nos mais longínquos torrões desse lindo sertão.
     
       Até os anos sessenta, as pessoas utilizaram esse utensílio doméstico tanto em uma parte do agreste nordestino quanto no sertão, já que a energia era um produto de luxo para as famílias mais pobre dessa nação. Hoje ainda existem algumas pessoas no sertão que usam esse objeto, são elas que moram bem distantes da civilização e distante de tudo, dentro das terras do semiárido a onde ainda não chegou infraestrutura, e talvez ainda demore muitos anos para chegar.
     
       Infelizmente acontece isso no sertão nordestino, uma terra que de tudo dar, é só ter infraestrutura. Hoje em uma parte do sertão do nordeste os candeeiros já foram substituído pelas lâmpadas, mas o candeeiro está na história dessa região linda e rica que tem um povo hospitaleiro e bonito.
     
     
     

    CARIBE BRASILEIRO

                        
                                     Fonte da imagem: marrtur
                                                           PAISAGENS NORDESTINAS
     
       Podemos considerar o litoral do nordeste brasileiro, um pouco de caribe. Pressupondo-se que temos um clima tropical e praias lindas, com águas mornas e calmas. Sem sair do Brasil você pode desfrutar de tudo isso aqui no nordeste brasileiro. 
     
       Se você sair da Bahia e for até o estado do Maranhão, você vai comprovar o que eu digo, e o que todos dizem. Que às praias do nordeste são muito lindas, e que são um colosso. São quilômetros e mais quilômetros de lindas vistas e coqueirais a perder de vista. Hoje vamos falar de uma dessas maravilhas nordestina, a cidade de Maragogi que é o segundo pólo turístico do estado de Alagoas, e que fica entre a cidade de Maceió e Recife.
     
       O que aproxima das duas cidades são esses 125 Km para cada uma. Maragogi fica bem no meio da cidade de Recife e de Maceió. Essa cidade é um convite para quem quer descansar do corre e corre do dia a dia. Maragogi tem nas suas praias areias finas com águas mornas, calmas e grandes extensões de areia e lindos coqueirais. São elas: Xeréu, Ponta de Mangue, Barra grande, Peroba e Burgalhau.
     
       A praia é uma das mais frequentadas por lá, que é Xeréu, e possui ótima infraestrutura de bares, restaurantes, pousadas e hotéis. Essa cidade é muito conhecida pelas suas impressionantes piscinas naturais chamadas de Galés. Elas ficam a cerca de 6 Km da praia, e a maioria das pousadas e hotéis oferece esse passeio por cerca de R$ 50,00 por pessoas com a duração de pelo menos duas horas.
     
       Esse tipo de passeio para ser melhor desfrutado, é recomendado quando a maré está baixa, porque quando a maré está baixa, a profundidade, fica melhor para os banhistas desfrutarem o banho nelas. Às piscinas ficam um  metro de água pelo menos.
     
       Essa cidade foi abençoada por DEUS com muitas belezas, e com um clima perfeito o ano inteiro, sendo uma temperatura média anual da cidade com 27 graus.  O melhor período de desfrutar de tanta beleza é o período de lua cheia e nova, são os que registram as marés mais baixas. Indo a Maragogi, procure um guia turístico ou um nativo dessa região, para que você tenha um passeio sem maiores problemas.

     

    16 de ago de 2014

    PINTURA PICTÓRICA

                                  
      
                                                          






                                O PRAZER DE FAZER ARTE
       





           O artista potiguar Newton Avelino está produzindo novas obras para sua nova exposição, e também para apresentar ao seu público uma nova temática. Ele espera que as pessoas gostem e possam falar sobre esse seu novo trabalho que ainda vai ser exposto.





          Ele quer mostrar nessa nova exposição um trabalho que vai além das fronteiras regionais. o artista ainda não quer falar sobre essa sua nova exposição, mas vai falar dela quando estiver mais próximo da data dessa expor.

       



          Na realidade esse artista é um artista que sempre gostou de mostrar entre traços e cores vivas, uma linguagem bem regional, e que destaca entre outras coisas, o dia a dia do povo nordestino, como por exemplo as suas danças, músicas e o seu rico folclore.

       



          Newton Avelino está preferindo fazer as suas exposições de dois em dois anos, porque ele acha que é um período bom para que o artista faça toda uma pesquisa sobre o trabalho que ele quer mostrar para o seu público, e que também pode se mostrar um trabalho de qualidade.

       




          Ele fala que o nordeste é a sua inspiração, e que as tintas e os pincéis são o seu complemento, e que ele termina assinando as obras de Deus. Como Newton Avelino é um artista popular e autodidata, para que ele trace essas obras como elas são, a única explicação para o artista, se não, as inspirações que Deus lhe dar para que ele venha pintá-las.

       




           O artista também mostra que quem faz arte, faz pelo prazer de mostrar. As pessoas que gostam de arte  ou não, vão se aproximar da arte e do artista, desde que esse faça um bom trabalho e se aproxime do seu público. O reconhecimento e a grana que entra com a venda das obras, acontece naturalmente com o dia a dia do artista com a sociedade moderna a onde todos vivem.

       



          As suas pinturas na sua linguagem mostram um misto de protesto sobre as dificuldades no sertão, mas também mostram a alegria das cores vivas e dos traços arrojados que esse artista se propõe a mostrar em seu estilo de pintar.

       




         Newton Avelino nessa sua nova exposição, quer levar ao seu público umas 20 ou 25 obras para poder mostrar em toda a sua plenitude o que ele está se propondo a mostrar nessa nova amostra. Ele ainda está viabilizando o local  dessa nova exposição, que pode ser na cidade de João Pessoa PB que é a capital da linda Paraíba ou então na sua cidade natal, a capital potiguar, NATAL-RN. Esse é  um artista do Nordeste.

    12 de ago de 2014

    FOGOS NO SERTÃO BRASILEIRO

                         
                                                      Fonte da imagem: desmanipulador
                                                                   








                              PIROTECNIA NO SERTÃO
       





    Os fogos de artifícios na época junina são eles que dão o embelezamento nessa época, e junto com  com as músicas e outros símbolos juninos, vem abrilhantar e a fazer parte de um costume cultural da região nordeste.

       Nas noites juninas, os fotos de artíficios são um dos pontos altos da comemoraçãoda festa de São João, Santo Antônio e São Pedro. Seja de buscapé a chuvinhas, eles sempre enchem os olhos dos nordestinos, formando brilhos das mais diversas cores formatos e estouros.

       O fogos de artíficios é uma influência chinesa que nós herdamos. A origem dos fogos de artifício não tem uma data precisa. As especulações é de que os foguetes pirotécnicos tenham tido início na Ásia; porém a póvora que e um dos componentes dos fogos de artíficios, bomba e outros, foi inventada realmente na China, a 2000 anos.

       Eles percorreram pela Europa, passou pelo Oriente e pela Grecia. As festas juninas são abrilhantadas por eles, isso não resta nenhuma dúvida. Nessa época, adulto volta a ser criança e participa da festa diretamente, tanto acendendo rojões quanto comendo as comidas típicas e dançando forró.

       O Brasil é o segundo maior produtor mundial de fogos de artifício, ele fica atrás apenas da China. O maior pólo produtor de fogos de artifício é o município de Santo Antônio do Monte que fica na região Centro Oeste de Minas Gerais.

       Esse polos produtor é responsável por aproximadamente 98% da produção brasileira. Resumindo, os fogos foram introduzidos na cultura nordestina, bem adaptados a ela e hoje não existe festa junina sem eles.

       Entre rojões, traques, chuvinhas, arranhacéus e foguetões entre outros, a beleza da festa junina sempre é abrilhanta por eles. Nordeste junino, nordeste dos rojões, essa é a cultura da região nordeste.




    8 de ago de 2014

    POESIA NORDESTINA

                            
                                                        Fonte da imagem: nossoliterariobloguinho
                                           A HISTÓRIA DE UM POVO
        Eu fiz questão de mostrar a letra dessa música, porque eu li a mesma, e terminei vendo, que ela também é uma linda melodia. Digamos que seja uma poesia muito difícil de ser achada nos tempos de hoje. Por vários aspectos. O primeiro é a história contada nesse contexto específico do autor estar mostrando dentro dele a história de um povo e de uma região, e que fala realmente da cultura de um povo.
     
        Chego a pensar que essa letra que fala dessa gente linda, poderia ser mesmo um hino nordestino.  Mas como os tempos passam e as coisas mudam um pouco, ou muito, ela já não deve fazer tanto sentido nos dias de hoje. Porém a história fica e a cultura mesmo conservando as lembranças dessa história, ela fica gravada e fica fazendo parte dessa cultura.
     
        Mesmo que nos dias de hoje seja menos praticada, mas ainda existem coisas nessa canção do cancioneiro, que fazem muito sentido, porque ainda existe e sempre vai existe um sertanejo manejando a sua enxada no sertão, e levando a sua cabaça de água e a sua rapadura ou qualquer outra mistura para matar a sua fome nas horas de descanso da labuta. Posso até dizer que os homens passam, mas a história fica e a sua cultura perpetua. 
     
        Essa música foi gravada também em 1960 pela Marines a rainha do forró nordestino. Eu mesmo não sei porque ainda nenhum artista regravou essa música. Uma letra de música como essa a gente não ver todo o dia. Que me perdoe os cantores, os intérpretes da música brasileira, eu acho que vocês estão perdendo a chance de regravar uma bela melodia, e que representa realmente uma região que é muito linda, e que tem um povo alegre e muito hospitaleiro. Essa linda melodia, só vem mostrar a cultura de um povo.
     
        LETRA DA MÚSCIA  "Saudade do Nordeste". " Nordeste, Nordeste de homem trabalhador, que mora no rancho caindo dormindo no chão sem cobertor. Nordeste, Nordeste que me dá recordação, do tempo que eu era menino eita nordeste do meu coração. Prefiro voltar pro nordeste, a minha vontade é viver no sertão. Fazer meu mucambo, vestir meu mulambo, pegar na enxada e plantar meu feijão, a vida é boa quando a chuva cai no chão, sou de opinião, não me canso de dizer, nasceu no nordeste, viveu no nordeste, quem é do nordeste lá tem que morrer."
    Composição: Antônio Barros e  Aleixo Ourique

    ARTE NORDESTINA

                               
                                               Fonte da imagem: igaruana
                                       
                                UTENSÍLIO NORDESTINO  
          
       Na década de 1970 a cultura do couro no estado piauiense era muito movimentada, entre alguns setores da pecuária do nordeste, a gente via que nesse setor o couro era muito valorizado como até os dias de hoje.
        Por vários motivos óbvios, a gente via uma pecuária crescendo tanto no estado quando na região do nordeste. As transações no comércio agropecuário era frequente entre os criadores. Os pastos eram abundantes e também determinantes para a multiplicação do rebanho no sertão.
       As feiras livres tinham bastantes animais tanto para a troca quanto para a venda. Era tudo muito simples e tudo era feito na hora entre eles. Bom, com esse tipo de negócio é claro que gerava outro tipo de comércio, que era o comércio do couro. Dele o sertanejo fabricava todas as coisas, pois ele é a matéria prima fácil e duradoura.
        Um dos utensílio que mais me chamou atenção foram as cadeiras de couro e os tamboretes. Os sertanejos sempre gostaram de comercializar esse tipo de utensílio tanto nas feiras livres como em alguns armazéns. As residências eram mobiliadas com tamboretes e cadeiras de couro, tanto na cozinha como na sala.
        Até ainda nos dias de hoje, o comércio de couro é bem forte nos armazéns. Bom, esses utensílios. O bom é que o comércio do couro abrange não só o couro bovino mas também o couro caprino. No sertão, vem uma crescente de criadores de caprino, primeiro porque o rebanho caprino é muito mais econômico e todos os termos.
       O caprino dar duas crias para o produtor e é bem mais econômico para o criador. No sertão do nordeste quando você passa pelo semi-árido você nota nitidamente que existe uma proporção muito grande de caprinos.
        O couro desse animal é tão valorizado quanto a sua carne e o seu leite, por isso é muito aceitável a matéria prima por ele produzida. Hoje já não se usa tanto esse artefato domiciliar mas ainda existe nas casas mais humildes dos rincões mais distantes do sertão nordestino nas famílias mais humildes que lá residem.

    4 de ago de 2014

    ANCORETAS

                                     
                                                                               Fonte da imagem: josecarloslima  
                                  


                            
                             TRANSPORTE DE ÁGUA NO SERTÃO
       




        O nordeste como todo mundo sabe é uma região linda e bem acolhedora, o seu litoral pode ser chamado de caribe brasileiro, mas eu vou falar mesmo é do nosso sertão tão sofrido e assolado durante anos e anos pelas secas cada vez mais prolongadas no semiárido nordestino.

       

         O nordestino antes de mais nada é mesmo um bravo lutador, ele sempre teve as adversidades como companheira e por isso mesmo ele sempre está pronto para vencê-las e conseguir tudo aqui que ele se propõe e tem como meta. A água no sertão nordestino sempre foi escassa e tem um motivo único, as prolongadas estiagens no semiárido.

       


         As vezes os sertanejos tem que buscarem água em lugares muito distantes das suas residências e para isso ele usam as suas ideias e os seus utensílios domésticos adequado de acordo com as suas necessidades e a região a onde ele vive. Pois bem, hoje eu vou falar de um artefato em que eles usam já há bastante tempo para carregar a água para as suas residências ou as casas de fazendas.

       


          Eu estou falando das maravilhosas "ancoretas", elas juntamente com os barris, foram os primeiros utensílios a serem usados no transportes de água no semiárido do nordeste para as casas dos sertanejos que possuía sítios ou fazendas, ou roça como queiram.

       


          A diferença entre esses dois artefatos quase não existe, basicamente é a mesma coisa, se não fosse pelo fato de um ser de borracha de pneu e a outra de madeira. As "ancoretas" eram feitas de borrachas de pneu e madeira, já os barris eram feitos de madeira e de uma espécie arco de aço no meio do barril e nas suas extremidades.

       


          Os agricultores usavam elas em lombo de jumentos ou burro ou cavalo como queiram. No século passado, na década de 1920, esse meio de transporte para distribuição de água no sertão do nordeste era muito comum.

        


           Hoje os meios já são outros, como por exemplo os caminhões pipas, as cisternas que recebem as águas da chuva e armazenam para que os agricultores usem para o consumo humano, e as caixas d'água por esse sertão de meu Deus. Porém ainda existem pequenos agricultores do alto sertão nordestino, que ainda usam esse tipo de utensílio domestico para trazerem água para as suas propriedades.



    ISSO É CUMBUCO

                                 
                                                Fonte da imagem: feriasbrasil
                                        




                                         
                          CENÁRIO TROPICAL BRASILEIRO
       





        Cumbuco, uma praia que fica a 35 km da capital do estado do Ceará, Fortaleza, é uma linda praia a onde o céu e o sol dão um tons de aquarela a esse lindo cenário dessa linda praia do Nordeste do Brasil. Nesse belo cenário, tanto os turistas quanto os visitantes de Fortaleza e até mesmo os nativos da região são agraciados pela mão divina com esse belo cartão postal do estado do Ceará.

       



         Os praticantes de esportes náuticos, adoram estar nessa bela praia, fazendo o que eles mais gostam, que é praticar os seus esportes. Ela é considera uma das capitais brasileira do Kitesurfe. Para quem gosta de esportes radicais, essa é a praia.

       



          O turista pode andar de buggy por dunas com passeio moderado ou radical, o mar é lindo e possui águas cristalinas e calmas, o turista pode apreciar um belo pôr do sol. Também tem a brincadeira do sky bunda, a onde o turista usa uma prancha de madeira que desliza em uma duna, terminando com um belo banho refrescante em uma lagoa.

       



          Sem dúvida nenhuma esse lugar é um dos melhores do Brasil tanto para a prática do Kitesurf como para o turista conhecer-la. Para a prática desse esporte ela é propícia, porque tem ventos constantes e as suas águas são deslizantes. Para quem quer mais tranquilidade existe boas opções próximo a praia de Cumbuco, como por exemplo a lagoa do Banana, que fica a cerca de 5 Km da praia de Cumbuco.

       



          Os turistas podem aproveitar se deliciando nas águas calmas e cristalina dessa lagoa, relaxando nas suas redes montadas nas áreas dos restaurantes. Como em todo lugar no litoral nordestino, o movimento durante à semana fica mais tranquilo, mais aos finais de semana a tendência do movimento de visitantes é crescer.

       



          Próximo a praia de Cumbuco também o turista pode se deliciar com a praia de Icaraí, é uma praia que tem alguns trechos bastantes desertos. Como nessa praia particularmente o avanço do mar está indo para o continente, então os banhistas e barraqueiros de praia se afastaram. É bom deixar claro para o turista que essa praia do Icaraí é PERIGOSÍSSIMA, deve se evitar tomar banho nela, já que o mar é bastante agitado.

       



          Como a praia de Cumbuco fica próximo a Fortaleza, eu aconselho ao turista ir conhecer e se deliciar com as belezas naturais desse lugar, mas que ele pernoite na capital alencarina, Fortaleza. Tudo isso sempre é bom pedir o auxílio de um guia turístico ou de um nativo do lugar, para que a sua viagem ou o seu passeio não se torne desagradável. Bem para chegar a Cumbuco você segue pela BR 222 ou vai pela praia de iracema passando pela Ponte do Rio Ceará.



    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

    GOSTARIA DE ASSINAR O NOSSO FEED?

    100% gratuito

    RECEBA AS ATUALIZÇÕES DO NOSSO BLOG DIRETAMENTE NO SEU E-MAIL

    FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADES DO BLOG