, A ARTE DE NEWTON AVELINO A ARTE DE NEWTON AVELINO

SEGUIDORES

Confira a arte do artista potiguar Newton Avelino, na sua galeria permanente. Adquira já uma obra!

28 de mai de 2015

FESTEJOS NO INTERIOR






                                  


                           CULTURA BRASILEIRA     
                                           
    

      




       As festas juninas fazem parte das manifestações populares mais praticadas no Brasil. No mês de junho, às festas juninas tem muita música caipira, quadrilhas, forró, e comidas típicas que homenageiam três santos católicos: Santo Antônio, São João e São Pedro. Como já é do conhecimento de todos, temos influências de vários seguimentos, tais como: Portugueses, indígenas, africanos e ainda chineses. 

   





       A tradição de comemorar o dia de São João veio de Portugal, a onde às festas populares são conhecidas por nome de santos populares. O Nordeste com os seus folclores, as suas danças, músicas e crenças, se destaca pelos sons, pelo colorido pelas suas histórias e pelos seus cultos nesta época do ano e durante todo o restante dele. 

   





        Também neste mês de junho, é uma época a onde se colhe o milho, e as pessoas fazem todos os tipos de comidas à base dele, tanto as comidas salgadas como as comidas doces. Também existem comidas feitas como: arroz doce, bolo de pinhão, bolo de amendoim, cocada, pé de moleque e outras. Fora a todas estas guloseimas, ainda existem os espetáculos das belas quadrilhas juninas, a queimas de fogos, as fogueiras, muito forró, e arrasta-pé a noite toda. 

   





        As cidades que costuma comemorar as festas juninas durante o mês inteiro, são: Caruaru-PE, Campina Grande-PB e o Recife-Pe. Os festejos juninos no Nordeste têm uma preparação toda especial, desde os ensaios das quadrilhas juninas, até a preparação de cardápios diversos. A fabricação de fogos de artifícios triplica, e junto impulsiona a sua venda. 

   





        No Nordeste, ainda é muito comum a formação dos grupos festeiros. Estes grupos, sempre nesta época, eles andam e cantam pelas ruas de algumas cidades.  Eles vão passando pelas casas a onde os moradores sempre deixam nas janelas e portas, uma grande quantidade de comidas e bebidas para serem degustadas pelos praticantes deste folclore

   




      Junho é um mês especial, festivo e de muito colorido. O calor da fogueira é sentido, as bandeirinhas refletem em nossos olhos, o colorido todo especial dos festejos juninos, o céu fica mais estrelado e mais brilhante com a explosão dos foguetórios.


BARCO DE FOGO

                     :                                                                                       Fonte da imagem: jcruzsantos
        


                                                    
                                     COSTUMES E TRADIÇÕES 

                                 
     As festas juninas no Nordeste, realmente elas são tradição dessa região tão linda e maravilhosa do Brasil. Tem algumas cidades dessa região, que essas festas passam 30 dias seguidos de festança.

    Essa tradição, realmente faz parte da cultura nordestina. Do que seria um nordestino sem forró? Ou o que seria de nós se não tivéssemos essas comemorações no mês de junho? Pois bem, cada estado tem as suas comemorações mesmo tendo as quadrilhas juninas estilizadas e diferentes de estado para estado. 

   A cidade de Estância que fica a 68 Km de Aracajú a capital sergipana, tem a sua tradição que é o mais belo espetáculo pirotécnico do Brasil, eles preparam um barco impulsionado por foguetes fabricados à base de pólvora. Ele é acionado por meio de um fio metálico, com uma extensão de pelos menos 50 metros.

    No final, as pessoas travam uma batalha com busca-pés entre elas. Os festejos se tornam muito bonitos porque os fogos fazem uma pirotecnia entre os brincantes, enquanto a festa rola para delírio do público presente. Na preparação de toda essa pólvora produzida para essas festas juninas de Sergipe, falam os mais entendidos, que eles preparam pelo menos uns 5 mil quilos de pólvora para as festas juninas desta região. 

   Enquanto eles preparam isto, o ritual é a base de cantos e danças folclóricas que animam o ritual desta preparação da pólvora, e que tem vários tipos de licores e comidas regionais. Como se ver, o Nordeste é muito forte nas suas tradições culturais dos estados nordestinos. Varia muito de estado para estado as comemorações juninas. As festas juninas no interior do Nordeste, é para todos dessa região, o auge de uma celebração expressiva.



18 de mai de 2015

AS BRUXINHAS

                         
                                              Fonte da imagem: viladoartesao

                                            ARTESANATO DO NORDESTE

   Falar do artesanato do Nordeste é fácil, difícil é você não se encantar com toda essa cultura colorida. A arte é uma coisa interessante, ela tem muitas variações e vários suportes onde alguns artistas se identificam mais, e outros nem tanto. 

   Ela é uma das manifestações mais antigas do ser humano, disso ninguém tem dúvidas, ela é tão antiga que a sua origem na era paleolítica (12.000 a.c), o homem primitivo já demonstrava em seus traços com tinta, todas manifestações que eles participavam dentro daquela sociedade a onde ele viva com seus contemporâneos.
   
   Sendo assim, a gente vê que a cada dia que passa a espécie humana evolui dentro da arte e com a arte. O colorido e as várias diversidades de materiais que o artista mistura na arte que ele faz, a gente vê o quanto o artesanato e os diversos tipos de suportes dentro desta arte, se diversificaram e se modernizaram.


   As bonecas de pano que fazem parte do artesanato pernambucano, por exemplo, elas se destacam e ficam famosas a cada dia que passa dentro do artesanato nordestino. Se bem que o artesanato nordestino é igual em todos os setores da cultura dessa mesma região, mudando alguma coisa para mais ou para menos nas técnicas usadas pelos artesões. “As chamadas bruxinhas, bonecas de pano, brinquedos de crianças pobres, indústria doméstica precária e tradicional no Brasil são documentos da arte popular”, disse o mestre Câmara Cascudo. Estas bonecas nas décadas de 1940 e 1950, no 


   Brasil fizeram a alegria das crianças mais pobres do Brasil. Uma das bonecas de pano mais famosas do Brasil, foi Emília, personagem criado por Monteiro Lobato e que fez parte do Sítio do Pica pau Amarelo. Hoje, essas bruxinhas ainda fazem sucesso no artesanato nordestino, e é uma febre de confecção no artesanato pernambucano.


17 de mai de 2015

FOGÃO A LENHA

                                      Fonte da imagem: article

                                               CULTURA NORDESTINA
   
   O fogão a lenha, para o sertão nordestino é muito mais que um símbolo da cultura sertaneja, ele simplesmente é o meio mais simples e de custo baixo para que o sertanejo cozinhe a sua própria alimentação, nos mais longínquos torrões deste sertão de meu Deus. Essa atividade sempre foi comum no seio de qualquer família sertaneja.

    Geralmente longe dos grandes centros urbanos, os sertanejos procuram se virar como podem, e essa é uma das formas mais simples que eles encontram para fazerem tudo na cozinha da sua casa. Como esses fogões são movidos a lenha, eles saem a procura de madeira seca para produzirem lenha para seus fogões.

   Como nessas casas do sertão nordestino não existem exaustores, é claro que a fuligem e a fumaça se espalham por toda a residência, e tudo isso acontece na hora que o fogão está queimando a lenha para cozinhar os alimentos. Se isso prejudica ou não, eu só sei que isso fez e ainda faz parte da cultura nordestina.

   Se é para dar condições e dignidades a essas pessoas, dando-lhes fogões a gás, que assim aconteça, mas que em quanto essas pessoas esperam que isto aconteça, eles vão cozinhando em seus fogões de lenhas. Acontece que a história cultural do sertão do Nordeste, como é uma região muito castigada pelas secas e também é muito pobre, o sertanejo não tem nenhuma condição de ter esse privilégio de possuir fogões a gás.

   Então a gente ver a cultura sendo perpetuada através desses fogões à lenha. Os sertanejos para não morrerem de fome dentro da caatinga nordestina fazem dos seus fogões uma forma mesmo rustica de obterem seus alimentos cozidos. O resto é só balela. Falar que isso ou aquilo prejudica é fácil, quero ver é darem condições as pessoas como essas, que vivem em condições adversas, e que só tem esse meio de sobrevivência.

   Eu concordo que a fumaça é prejudicial e que a destruição do bioma também é muito prejudicial para o meio ambiente, mas em alguns casos, pessoas que usam os fogões a lenha, eles já usam porque não existem nenhuma condição de terem fogões a gás, imaginem comprarem o botijão. Bem, mais isso é uma solução que tem que ser resolvida pelos gestores e órgãos competentes. Enquanto isso não é resolvido com uma população carente do sertão nordestino, o fogão a lenha vai fazendo parte da cultura sertaneja.




PALMEIRAS DO SERTÃO

                                           Fonte da imagem: danbrazil

                                       



                                       CARNAUBAIS
   
  




      Na maior parte das vezes quando as pessoas passeiam pela região do sertão nordestino, conseguem observar e admirar mais de perto, as carnaúbas que se espalham pelo interior e sertão do Nordeste brasileiro





     Quando estas pessoas conseguem ver a quantidade destas plantas como em um carnaubal por exemplo, a tendência são estas pessoas se deslumbrarem com tanta beleza e exuberância que essa planta mostra. Essa é uma linda palmeira nordestina, que é da família Acerácea

   



     Ela existe em quase todo o território nordestino, tanto em terrenos arenosos como em terrenos de vazante. Isso mostra o quanto ela é resistente e muito exuberante. Esta planta também é chamada de palmeira do Nordeste. Ela chega a alcançar até 15 metros de altura. Tem caule reto e cilíndrico com um diâmetro que varia de 10 a uns 20 centímetros. 

   



      Na verdade, essa palmeira faz parte da vida de todo sertanejo, ela está em forma de símbolo em algumas bandeiras de alguns estados do Nordeste Brasileiro. A carnaúba tem frutos que são escuros e são vistos a partir de novembro a março. Seus frutos são aproveitados para alimentar animais de criação. Das folhas são extraídas a cera que também servem para fazer artesanato, tais como cestos chapéus etc. 

   



     Os sertanejos costumam usar muito as suas folhas em telhados de suas casas e casas de amigos. Na verdade, o cenário que essa linda planta nos proporciona é um cenário divino, porque além da beleza que ela exibe, ela também é responsável por proporcionar meios de trabalhos para que famílias de sertanejos sejam beneficiadas tanto na geração de emprego direto e indireto, como também na geração de renda que ela proporciona a partir da extração dos seus derivados. 

   



       Sou testemunha dos cenários que já presenciei com tantas plantas a minha frente, tanto em terrenos alagados como em terrenos áridos, elas mostram um misto de beleza e de um cenário típico do semiárido nordestino. O Nordeste com a suas carnaúbas e os seus carnaubais precisam ser mais bem preservado, porque elas fazem parte da história e da cultura de um povo sertanejo que jamais fogem da luta. Carnaúbas no sertão nordestino, é um dos cenários mais lindo que existe no interior desta região. 

   



      Esta palmeira linda e maravilhosa, se proliferam dentro da caatinga e também em espaços de cerrado. Ela sempre serviu e servirá o homem do Nordeste em todos os aspectos. A sua madeira sempre serviu para emadeirar casas, fazer estábulos, e outras coisas que precisar. Sendo assim, a carnaúba é uma palmeira que tem suas qualidades e suas virtudes. Ela é um símbolo do nordeste brasileiro.



16 de mai de 2015

FENÔMENO CLIMÁTICO

                                          Fonte da imagem: cmfcps

                                                          
                                                




                         PAISAGEM SERTANEJA DO NORDESTE
                                                          
   




     O nordeste brasileiro sofre desde muito tempo de um fenômeno climático extremo, que afeta vários sertanejos, e ocasiona impactos significantes no desenvolvimento das culturas, afetando drasticamente sua produtividade. 




     Este fenômeno destrói uma boa parte da economia rural desta região, trazendo muitos prejuízos para as principais fontes de renda destes trabalhadores rurais como: as lavouras de feijão, milho, mandioca, e também para à pecuária. 

   



      E chega a atingir a indústria canavieira, isso no litoral. A produção leiteira chega a cair 20% da média anual. Por outro lado, os sertanejos vivem outra situação, uma nova paisagem no sertão traz consigo a nova esperança de ter água em suas propriedades, a implantação de cisternas para armazenar a água da chuva. 

   



      Mesmo nós sabendo que a falta de água no sertão é quase crônica, devido a modificação de algumas frentes climáticas, sabemos que esta ideia e esforço por parte dos governantes em colocar cisternas para o agricultor armazenar água na época chuvosa, é uma das boas formas para se combater a seca na época de estiagem. Porém tem algumas outras formas de se beneficiar este mesmo agricultor para que ele tenha água em seu habitat, como por exemplo a perfuração de poços ou construções de barragens. 

   




      É claro que os pequenos e médios açudes que já existem nesta região, são as principais fontes de água para abastecimento de consumo e que quando passam pelo período de estiagem e secam, as pessoas que dele dependem, ficam em situação muito difícil, chegando a percorrer quilômetros e quilômetros de distâncias para conseguir água. Este meio de colar cisternas na casa dos sertanejos, é muito válido, primeiro porque a água da chuva além ser acumulada para ser consumida durante o ano, ela não pode ser evaporada, pois a cisterna mantém a temperatura ambiente. 

   




        Quanto mais cisterna, mais combate à miséria e mais oportunidade de trabalho para as famílias que são beneficiadas por ela. Outra ideia que seria uma boa solução, é de se fazer pequenos e médios açudes em efeito dominó, um açude atrás do outro com quilômetros separando um açude do outro, ou seja, quando um açude sangrasse na época chuvosa, jogava esta água do sangradouro, para o outro que já estaria a alguns quilômetros de distância. 

   




      Este Nordeste tem toda capacidade do mundo de ser alto suficiente em água. Aqui tudo que se planta dá. Estas cisternas que hoje fazem parte da paisagem sertaneja do Nordeste, elas são essências para que estas pessoas sobrevivam dignamente. Por isso é que é de suma importância que os gestores trabalhem em prol deste projeto, tão essencial para estas pessoas.






13 de mai de 2015

IGUARIA NORDESTINA

                                             Fonte da imagem: asmarias
                                                
                                           




                             BOLO CHAPÉU DE COURO

 





        No cardápio nordestino existem mil e uma variedades de gostos, sabores e de criatividade. Não resta dúvidas que o nordestino é de uma imaginação além das fronteiras, e se tratando de comida aí é que ele se destaca. Estas pessoas não deixam de ser artistas, mesmo porque a culinária além de ser um seguimento gourmet, também está dentro de cada um de nós. 

   



     Nós Nordestinos, não podemos ver uma sobrinha de comida que já estamos imaginando em fazermos algum prato e batizá-lo com um nome sugestivo. Isso na ótica de todos nós, é maravilhoso, mesmo porque não se estrói comida e ainda por cima mais um prato é batizado. Bem, hoje vamos falar de um bolinho bem sugestivo já que estamos no sertão ou no litoral do Nordeste

   




      Engraçado é que ele leva o mesmo nome de uma indumentária de um personagem da cultura nordestina. Quem realizou esta façanha de batizar este bolinho com o nome de “chapéu de couro” foi muito feliz na ideia e ficou bem sugestivo, já que se trata de um bolo tipicamente nordestino. 

   




      Vamos lá: Para preparar este delicioso bolo, precisa-se de três xícaras de farinha de trigo com fermento, três ovos, três de açúcar, um copo e meio de leite, duas xícaras de farinha de milho (no caso aí pode ser farinha que faz cuscuz mesmo). Agora vamos ao preparo: Você pega os ovos bate com o açúcar, acrescenta a farinha de trigo a farinha de milho e o leite, vai colocando aos poucos até obter uma massa homogênea. Agora já está pronto. 

   




      É só colocar uma pequena quantidade de óleo na frigideira e deixar o bolinho assar. Está aí uma iguaria tipicamente nordestina para se tomar com um cafezinho bem quentinho. Como eu falei é muito fértil a imaginação do sertanejo, ele sempre está ousando em alguma coisa nova, sempre vai haver um novo prato na sua culinária, e isto é maravilhoso. O nordestino é antes de tudo um forte. Por isso eu tenho muito orgulho de fazer parte deste povo chamado nordeste.



9 de mai de 2015

QUE DEUS ILUMINE A TODAS AS MÃES







MÃE PALAVRA DOCE




   

         Mãe é um ser iluminado que faz parte de todos nós, e que nos ensina a caminhar pela a estrada da vida, nos dando carinho e amor e nos mostrando a essência da palavra caráter. 

   



      Mãe é aquele anjo que nos abre as asas nos momentos bons e ruins, para nos dar conselho e nos proteger, e que nos faz ver que com simplicidade e humildade a gente pode crescer como um ser humano exemplar. 

   



      O significado da palavra mãe, é abrir mão da vaidade para dar a vida a outro ser maravilhoso na estrada da vida. Ser mãe é abrir mão de certas coisas para poder beneficiar a sua prole. Como diz o poeta, Mãe palavra que Deus inventou, um anjo que a terra chegou, voando nas asas do amor, mãe palavra mais doce que o mel, talvez um pedaço do céu que Deus transformou em mulher. 

   




     A você mãe do Nordeste e de todas as regiões do nosso Brasil, agradeço por fazerem parte de nossas vidas e desejo-lhes todas as realizações, bem mais além do que merecem e sempre vão merecer. Que o nosso bom Deus sempre ilumine a todas as mães para que elas sigam nos dando exemplos pela vida a fora.


PAISAGEM COLOSSAL

                               
                                      
                                                                                       Fonte da imagem: bahiaws
                         
                                                    




                           UM POUQUINHO DE BRASIL

 





      O Nordeste brasileiro tem como características, um clima tropical e maravilhoso, um povo alegre que por sua vez transmite satisfação e felicidade, tanto para quem mora nesta região, como também para quem chega a esta região para visitá-la, e por fim, esta região tem lugares paradisíacos que enche e transborda a felicidade de quem conhece. 

   




     Vamos falar de mais uma linda praia do nordeste brasileiro que fica no estado da Bahia, precisamente na chamada linha verde que é como é chamada esta estrada litorânea que liga o estado da Bahia ao estado de Sergipe. Esta praia fica apenas a 14 Km da praia do forte. Este lugar é rústico e muito agradável, tem belos coqueirais e dunas gigantes, com rios propícios para um delicioso banho e uma bela relaxada. 

   




       Os nativos e os turistas se deliciam com tanta beleza e tranquilidade do local. Esta região também tem pousadas simples, bares e restaurantes, tudo bem rústicos. Ao longo de alguns quilômetros de orla, vários riachos são formados, e sem movimento de veículos. Para fazer a travessia quando a maré está cheia, da vila para a praia tem que se usar pequenas embarcações. Os primeiros habitantes deram o nome a este lugar de Imbassaí, que em tupi, significa caminho do rio. 

   




     Este município fica a 85 Km da capital do estado da Bahia, Salvador. Para quem busca turismo ecológico e de aventura, este é o local ideal para a prática de rafting e sandboard. O lugar está se adequando as novas infraestruturas. Imbassaí pertence ao município de Mata de São João –BA. Para chegar a Praia de Ibassaí, saindo de Salvador seguindo pela Av. Luís Viana Filho e depois seguir pela estrada do coco, BA-099 até chegar a Imbassaí. Chegando ao local procure um nativo credenciado para que a sua viagem não se torne um transtorno. Vindo ao Nordeste do Brasil, prestigie este lindo local.






SABORES INCONFUNDÍVEIS

                                     Fonte da imagem: receitasmfp

                                           



                               SABORES DO NORDESTE

   





      Vamos falar de uma frutinha tipicamente brasileira, que antes mesmo do descobrimento do Brasil ela já existia no nosso território, e que dela se aproveita tudo. Esta fruta é produzida e beneficiada nos três maiores países produtores mundiais que são: China, Índia e o Brasil. Esta fruta é produzida em grande escala na região do nordeste do Brasil, que por sua vez é o maior produtor dentro do território nacional. 

   



      A região cearense é uma das que mais produz esta fruta. Do caju, é aproveitado tudo, como por exemplo, a castanha que é beneficiada e tem muitas vitaminas e proteínas, a polpa que se extrai o suco e por último a fibra da polpa que serve para se fazer pães, farinhas, doces, bolos, cajuína e mais mil e uma utilidades. 

   



      Da castanha fazemos suflê, biscoitos, bolos e por aí vai. Então dentre tantas utilidades que o caju apresenta, vamos falar de uma delícia tipicamente sertaneja que é o pão de caju. Para preparar esta delícia precisa-se de duas xícaras de água morna, dois ovos, duas colheres (sopa) de sopa de açúcar, cinquenta gramas de fermento fresco para pão, duas colheres de sal, três colheres (sopa) de óleo, umas 300 gramas de carne básica de caju e farinha de trigo. 

   



       Como preparar: Dissolva o fermento com o açúcar, duas colheres (sopa) de farinha de trigo e uma xícara (chá) de água morna. Cubra a vasilha e deixe descansar por uns vinte minutos. Depois do descanso, junte os ovos, o restante da água, o sal, o óleo e a carne básica de caju. Acrescente a farinha de trigo ao poucos. 

  



      Deixe crescer até dobrar o volume, Abaixe a massa com o auxílio de um rolo até forma uma massa homogênea. Enrole como rocambole e devida em três partes. Coloque-os em formas de bolo inglês, untadas e polvilhadas com farinha de trigo, deixando crescer por mais quinze minutos. Leve para assar em forno quente, pré-aquecido, por cerca de trinta minutos aproximadamente. 

7 de mai de 2015

RIQUEZA NORDESTINA

                                                                                      Fonte da imagem: carloscosta
                                         
                                             




                                                         
                                                         

                                                            DIVERSÃO E ALEGRIA
   
   




       O sertão do nordeste brasileiro é uma região muito rica quando chove e muito pobre quando não chove. Ou seja, na invernada tudo que se planta dá e na seca o sofrimento do sertanejo vem junto. Pois, essa região tem o que a gente chama de clima seco e quente, terreno muito árido, sem falar que fica distante de centros mais desenvolvidos. 


   



      Ela tem uma vegetação chamada de caatinga que abrange todo o sertão. Pois bem, na maior parte dos anos quando não tem um inverno regular, a tendência é que predomine muita dificuldade e miséria, já que não existe estrutura adequada. 

   



     Uma das soluções imediatas são as cisternas domésticas, cisterna calçadão, barragens subterrâneas, barreiro trincheira, manejo florestal da caatinga e com certeza a energia solar, já que o sol predomina na maior parte dos trezentos e sessenta e cinco dias do ano.



   


     Eu ainda acho que se a seca fosse tratada por zona territorial, ficando sob a responsabilidade de prefeituras em parceria com Estados e o governo federal, esse problema não seria tão avassalador. Com as ideias renováveis e o comprometimento com a seca, com certeza os sertanejos sentiriam menos os efeitos deste problema grave. 


  



     Outra ideia é que os açudes no sertão fossem feitos no efeito dominó, não perdíamos tanta água. Pois, quando um açude estivesse sangrando a água consequentemente entraria dentro do outro mais adiante.





     Bem, mas nem tudo é dificuldade, quando tem chuva no sertão você ver que o sertanejo comemora, o seu semblante fica mais feliz porque ele sabe que vai plantar, vai criar o seu animal e todos vão ter emprego e renda. Sem falar da dignidade, já que passam a ter certeza de que vão ter água o ano todo. A alegria é ter a mais linda e poder ver os açudes cheios e sangrando.

1 de mai de 2015

OBRAS DIVINAS







BELEZA INCONFUNDÍVEL

   



       O artista Newton Avelino está participando de uma exposição coletiva que está acontecendo na Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Norte. Esta Exposição está aberta ao público até o dia 12 de Maio.

   


      A exposição reúne alguns artistas do Rio Grande Norte, que procuram mostrar nesta exposição, seus trabalhos com seus temas e técnicas diversas, para que o público veja a criatividade de cada um.

   

    

       Na verdade, eu costumo dizer que este é um dos bons espaços físicos e públicos do estado, que dar oportunidade para que o artista mostre o seu trabalho e o seu talento para a sociedade potiguar. Esta exposição tem a curadoria de Dona Socorro Sarmento. 


 
  
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...