. ARTE E CULTURA POPULARA ARTE DE NEWTON AVELINO

Curta Nossa Página do Facebook!


  • Desenvolvido Por Iago Melanias

    Curta Nossa Página do Facebook!


  • Desenvolvido Por Iago Melanias

    SEGUIDORES

    Confira a arte do artista potiguar Newton Avelino, na sua galeria permanente. Adquira já uma obra!

    26 de jul de 2016

    TRANSFORMAÇÃO DE VIDA

    UM MISTO DE MISTÉRIO E BELEZA | Fonte da imagem: geografiabemfacil











    UM MISTO DE MISTÉRIO E BELEZA







          O nordeste do Brasil é uma das regiões que tem uma faixa territorial que chamamos de sertão e que vai até o meio norte. Essa faixa territorial ela é muito importante para a agricultura e pecuária dessa região. Ela nos surpreende pela capacidade de sempre renascer das cinzas, igual a fênix. Pois no sertão, existe sempre as secas prolongadas, que afetam, não só o homem do campo, como principalmente a rica bacia leiteira, o gado de corte e toda agricultura e a pecuária desse região. 





          Com eu já disse em outras postagens, e praticamente todos já sabem, esse fenômeno das secas prolongadas é que o nordeste tem o relevo interplanáltico (isso é, localizadas entre planaltos) isso desfavorece a circulação de massas de ar úmidas, o que ocasiona a falta de chuvas.  Bom, tem muitos outros fatores que contribuem para que as secas se prolonguem no sertão nordestino, mas isso é outra história. 





          Quando alguns fenômenos não acontecem, dentre eles, tais como a elevação da temperatura das águas do Oceano Pacífico, (esse aquecimento é denominado de El Niño), pois a hipótese é que o efeito enfraquece a brisa do Atlântico sul, fazendo com que menos umidade chegue ao sertão nordestino. Quando esse fenômeno não aparece, a tendência é que o inverno apareça dentro do bioma nordestino e em todo o nordeste do Brasil. 





          O bom disso tudo, é que, quando as terras do sertão são alagadas pelas chuvas do inverno, ou não, elas se modificam e se transforma. É claro e notório, que essas terras são terras áridas, e que em alguns lugares, vemos um pouco de desertificação, isto na época das secas, mas como eu já falei, o pasto começam a germinar e toda a florada, depois que recebem água. Isso faz com que a fauna do sertão nordestino seja igual a Fênix, renasce das cinzas, ou seja, de uma terra muito seca para uma terra muito fértil. A florada aparece, os pássaros começam a chegar, e toda a fauna e flora do sertão ressurge como num passo de mágica. 





          As pastagens criam brotos e começam a cresce e a saciar a fome do gado, dos pássaros e de todos os animais que vivem naquela região. Sempre é bom olhar o sertão, tanto na época de seca como na época do inverno. É muito lindo ver o vaqueiro tangendo o seu gado e levando para pastar, depois ir busca-lo para o curral para que ele possa tirar o leite desse gado, para consumo e para vender e sustentar a sua família com o fruto do seu trabalho. Ver a alegria no semblante das pessoas que moram dentro desse bioma é muito gratificante. 





          Esse bioma chamado de caatinga é o único no mundo. Essas terras que ficam dentro da região nordeste do Brasil, são terras abençoadas uma terra abençoadas por Deus, e linda por natureza, como já dizia o poeta. O sertão nordestino realmente recebe poucas chuvas, e quando isso acontece, sempre é sinônimo de sofrimento para o agricultor que depende e muito das chuvas do inverno, pois são pessoas humildes e pobres, que não tem condições nenhuma de fazer alguma infraestrutura dentro das suas terras. O mês de Abril e Maio, são os meses que recebem menos águas. 





          O índice médio fica entre 500 e 800 milímetros por ano calcula-se que a cada 100 anos, há entre 18 e 20 anos de falta de chuvas. O século XX foi um dos mais áridos nessa região, simplesmente foram 27 anos de estiagem. Então podemos ver que, a região semiárida nordestina, não é mole morar nela, mas por outro lado, tendo água, as paisagens mudam, o pasto cresce, as colheitas aumentam a prosperidade aflora e o emprego e renda, cresce. O mais importante disso tudo, é que, em uma região semiárida como o sertão nordestino, a infraestrutura apareça para que as pessoas possam desenvolver a região com trabalho, e tenha possibilidade de gerar renda. 





          O nordeste é uma das regiões brasileira a onde tem um lençol freático muito grande, só precisa ter tecnologia para não desperdiçar essa água e que ela possa saciar a sede das pessoas que lá moram.  Sempre é bom fazer um controle de abastecimento de água para agricultura, como por exemplo, a irrigação de gotejamento. Assim se economiza água e as pessoas podem ter tecnologia barata a base de pequenas ideias para que a sua plantação tenha esse tipo de irrigação quando não houver chuvas. As pastagens do sertão nordestino, quando as chuvas aparecem, elas mudam e faz da caatinga, um oásis de fartura e de prosperidade, pois nessa região, plantando, de tudo dá um pouco. Essa é a vida do agricultor nordestino, é plantar, tanger o gado, tirar o leite das vacas e trabalhar na roça.







    21 de jul de 2016

    PERÍODO DE ALEGRIA

    ESTAÇÃO DE FARTURA | Fonte da imagem: acopiaranews











    ESTAÇÃO DE FARTURA 







          Se existe uma época boa para quem mora no sertão nordestino, essa época é a época das chuvas. O inverno quando bate à porta do sertanejos, ele tem um misto de alegria e certeza de que vai plantar colher e vender. Isso acontece naturalmente, porque com as secas prolongadas e a dificuldade de sobreviver dentro dessas terra, fica muito mais difícil, e claro que eles também não tem o prazer de plantar e colher o pão de cada dia para ele e os seus. 





          É claro que quando vem um bom inverno, todos ficam alegres e nasce em seus semblante, mais um fio de esperança. Não é tão fácil as pessoas viverem nesse bioma chamado caatinga, pois o sol causticante e com um terreno muito arenoso e mais a falta de chuvas prolongadas, isso faz com que essas pessoas procurem outros meios para suprir essa agricultura familiar que é do que eles vivem e nem sempre supri as suas necessidades. 





          É claro que esse tipo de coisa, influencia na vida de animais e vegetais. A diversidade de espécies é menor, quando comparado a outros biomas brasileiros como a Mata Atlântica e a Amazônia. Entretanto, estudos revelam um alto número de espécies endêmicas, isto é, espécies que só ocorrem naquela região. A vegetação se caracteriza por arbustos tortuosos, com aspecto seco e esbranquiçado por quase todo o ano. Esse bioma é dominado por tipos de vegetação com características xerofíticas que são formações vegetais secas, que compõem uma paisagem cálida e espinhosa com estratos compostos por gramíneas, arbustos e árvores de porte baixo e médio. 





          Na maior parte do tempo quando os períodos são de estiagem prolongadas, essa vegetação fica com um tom cinza, o mais interessante, é que, quando começa o inverno ou mesmo quando cai uns dias de chuvas, ela volta a cor verde. Os milagres do sertão nordestino, são realmente feitos por Deus, pois a natureza é magistral nessa região. O levantamento sobre a fauna do domínio da caatinga, revelam a existência de pelo menos 40 espécies de lagartos, 7 espécies de anfibenídeos, que são espécies de lagartos sem pés, 45 espécies de serpentes, 4 de quelônios, 1 de crocodylia, 44 anfíbios anuros e 1 de Gymnophiona. 






          Enquanto isso, as médias mensais de temperatura nessa região, variam pouco na região, sendo mais afetadas pela altitude que por variações em insolação, as variações diárias de temperatura e umidade são bastante pronunciadas, tanto nas áreas de planície como nas regiões mais altas do planalto. 






          Esse bioma que chamamos de caatinga, significa mata branca, e está associado ao ressecamento das árvores. Além disto, é formado por uma vegetação rasteira e árvores que perdem folhas e ficam com tonalidade branca. Então como vemos, não é mole morar dentro desse bioma com tantas dificuldades imposta pela natureza. 






           O sertanejo mora, porque é adaptado a esse tipo de dificuldades e porque já nasce em um ambiente hostil feito pela própria natureza, então ele começa a sua adaptação desde de criança. Essa região nos períodos chuvosos, ela também não é dócil não, ela também tem as suas dificuldades, mas no que se refere a plantação, melhora e muito, pois o sertanejo tem como plantar, colher e vender. Eu falo é sobre essa vegetação dificultosa mesmo.  A fauna dessa região, é muito dificultosa de se andar por dentro dela, ela sempre está mudando, e o terreno é traiçoeiro.





           Para se andar dentro das matas e localidade da caatinga, tem que ser com alguém que conheça o local, pois não adianta se meter a conhecedor desse tipo de terreno, se a pessoa não conhece, pois pode ser um erro fatal que ele esteja cometendo. Sempre é bom entrar nessas matas do sertão, acompanhado com alguém da região. Essa região foi colonizada por portugueses e holandeses. Esse pedaço de Nordeste, sempre foi palco de lutas por independência, seja do ponto de vista escravista ou nacionalista. Tornou-se uma região que abrigou muitos fugitivos opositores ao Reinado Português e ao Império Brasileiro, mais isso é outra história. 






          Hoje existem pelo menos uns 20 milhões de brasileiros vivendo dentro da caatinga. Apesar de todas as dificuldades na agricultura familiar, quanto na industrial, posso dizer sem medo de errar, o sertão brasileiro é uma potência agrícola jamais vista, as suas terras recebendo adubação e água, isso aqui vira uma verdadeira Califórnia. Não tenho dúvidas disso. Um dos grandes projetos que o sertão nordestino recebeu nos últimos 12 anos, foi a transposição do Rio São Francisco, que na verdade ainda não foi concluído. Espero sinceramente que esse projeto venha a beneficiar famílias de baixa renda, que trabalham com agricultura familiar.  







           A caatinga foi sempre palco de lutas por independência, seja do ponto de vista escravista ou nacionalista. Tornou-se uma região que abrigou muitos fugitivos opositores ao Reinado Português e ao Império Brasileiro. Por ser uma ecorregião de clima seco, abrigou grandes fortalezas construídas pelos famosos cangaceiros. Com isso os processos de povoamento instaurados nas décadas de 40 e 50 centrou-se nas áreas litorâneas. 





          Há cerca 20 milhões de brasileiros vivendo dentro da Caatinga. Então sabemos que o sertanejo, ele sempre está pedindo chuvas para que a sua terra seja uma terra próspera e produtiva, para que ele consiga produzir e vender o seu produto. 





          Sendo assim, quando os céus do sertão está nublado essa é a paisagem mais esperada pelos homens da roça. Mesmo com todas as dificuldades e todos os obstáculos, o sertanejo como um bom homem de fé, sempre está pedindo a Deus e aos Santos católicos que as chuvas venham. Assim é a vida do homem do sertão do nordeste brasileiro.


    20 de jul de 2016

    CAMINHOS DO SOFRIMENTO

    VIDAS SECAS | Fonte da imagem: blogdocasusa










    VIDAS SECAS






          O isolamento, a falta de infraestrutura e a estiagem prolongada são as principais causas que levam as pessoas que moram no bioma nordestino a ficarem em um grande estado de calamidade pública. Os aspectos apresentados pelo Nordeste são de que essa região é crítica e que não produz absolutamente nada. Por uma parte, ela faz com que todos pensem assim realmente, mas por outro lado, bem que os poderes públicos poderiam investir mais na extração da água do subsolo em regime de gotejamento quando fosse para irrigação, é claro. 





          Nessa região, vemos que o sertão tem menores incidências de chuvas, isso comparado ao âmbito nacional. As suas sub-regiões são as que mais sofrem com as secas prolongadas. As pessoas que moram bem no centro do sertão central, elas praticamente depende da água para sobreviverem e trabalharem no regime de cultura familiar, e quando as chuvas não vem, isso se torna uma tortura para essas pessoas.






          O nordestino da roça, depende da plantação que eles fazem, incluindo a mandioca, o feijão macassá, a batata, a macaxeira e outras. Se a água não vem do céu, aí fica quase impossível esses trabalhadores tirarem a sua sobrevivência. Sempre aparecem alguém nesses locais de difícil acesso para ajudar essas pessoas, mas só de 4 em 4 anos, e assim a cultura do sertanejo dependente de esmolas vai se perpetuando. 





          De alguns anos para cá isso mudou um pouco com o programa bolsa família, mas que a gente sabe que não é a solução, é apenas um auxilio que o governo fez, para que as pessoas não morram de fome. O que é mais impressionante é que ainda tem gente que critica e que faz piada com esse tipo de programa. A gente sabe que, a fome quando bate à sua porta, ela é cruel, e quando a pessoa está desempregada e sem perspectiva de vida, essa pessoa se torna um bicho, e ainda por cima, pode se transformar para achar o seu alimento.






          Claro que as pessoas querem um emprego para poder ter dignidade, mas o agricultor que está lá no pé da serra, longe de tudo e de todos, sem chuva para plantar em sua terra, sem água nos rios e açudes e sem infraestrutura nenhuma, é claro que esse pobre agricultor tem que ser socorrido por algum projeto que lhe beneficie. As pessoas do sertão nordestino e do próprio nordeste como um todo são trabalhadoras, honradas, pois procuram ter dignidades através do seu emprego, mas para isso, eles tem que ter o mínimo de oportunidade para conseguirem trabalho. Mas também sabemos que todos esses projetos tem que ter controle e tem que ser fiscalizado para que o mais necessitado não seja o mais prejudicado.






          Enfim, o bom mesmo é quando o nordestino está trabalhando em sua roça e vendendo toda a sua produção nas feiras livres do sertão e, sendo assim, eu só posso dizer que antes de tudo o nordestino é um forte, ele é pau para toda obra saiu até dessa região para ajudar a construir a maior metrópole da américa lática que é São Paulo, por aí você o quando essa gente é destemida. Mas o que ele gosta mesmo é de estar no seu torrão, mas como a seca sempre está afugentando essas pessoas do seu solo sagrado fazendo com que ajam igual a avoante, vai, mas sempre volta para a sua terra querida que tanto ama.







    15 de jul de 2016

    PORONGOS

    ELES ESTÃO EM QUALQUER SUPORTE | Fonte da imagem: inclusaoprodutiva











    ELES ESTÃO EM QUALQUER SUPORTE







          A riqueza da fauna brasileira e a criatividade popular, encontra nesse fruto, com suas formas tão originais proporcionada pela natureza, uma de suas expressões mais fascinantes. seja no artesanato, na música, na cozinha, na religião ou nos brinquedos. Eles são mais conhecidos como cabaça, porongo, cuité e outros nomes mais exóticos, isso na região do nordeste brasileiro. 





          Também são muito usados em rituais, e são muito uteis em casa, no trabalho do dia a dia da agricultura familiar, são muito usados na fabricação de instrumentos de percussão, e também nos afazeres domésticos do homem do campo, como por exemplo, tirar água de açudes ou mesmo para tomar banho, ou para tirar feijão ou arroz das sacas a onde eles estão armazenados e por aí vai. 





           Com suas mil e uma utilidades esse fruto mostra para todos os sertanejos o quanto a nossa flora e fauna são ricas. Como em toda nossa cultura, nós temos influência de europeus, índios, asiáticos, africanos e outras culturas mais. Nesse caso aqui, é claro, temos uma influência enorme dos índios. Eles tem uma influência enorme no uso da cabaça, isso tanto faz ser como recipiente para água, ou para guardar alimentos preparados. 





          Eles também usam a cuia para fazer algum tipo de instrumentos sonoros tais como: a buzina, no qual completa o gomo de taquara, a cabacinha com quatro furos e outros instrumentos de percussão que eles fazem artesanalmente. Seja como instrumento de trabalho ou como recipientes para líquidos e alimentos, seja na música, rituais, nas brincadeiras ou festas. No artesanato tradicional e nas recriações de artesãos urbanos. 





          Essa fruta também dá nomes a rios, cidades, praias, serras, lagos e por si só, vemos que ela está presente na tradição oral no Brasil. A “cuia” nada mais é do que um porongo seco, ou seja, o fruto do prorongueiro (lagenaria vulgaris, família das cucurbitáceas) amadurecido e limpo de sementes. Ela é uma planta trepadeira anual de caule herbáceo. Suas flores são, em geral, brancas e amarelas. Seus frutos são de várias cores e feitios, atingem em média 40 centímetros de diâmetros. É uma baga bem desenvolvida com parede externa precocemente endurecida e parte interna carnosa, preenchida pela placenta. 





            A cabaça, cuias e cuités são utilizadas de norte a sul do país, sendo elementos de identificação e diferenciação das diversas culturas. A origem dessa planta, pode ter início na África passando pela Ásia depois Europa e por fim chegando as Américas. Isso deve-se a imigração humana ou mesmo as suas sementes flutuando através dos oceanos e rios. Ela faz parte daquele alimento saudável para o estômago. Evita dores de estômago e indigestão.  





          São facilmente digestíveis, pois são ricas em água e fibras alimentares. Podem ser consumidas em formas de sucos ou fervura. São pobres em calorias e fornecem apenas 15 calorias por 100 gramas de consumo. São diuréticas e podem ajudar a eliminar as toxinas do corpo. Como vemos, na caatinga ou em qualquer outra sub região do nordeste brasileiro, podemos encontra-las facilmente. É por isso que essa planta tem uma enorme identificação tanto no cultural como no social da região chamada sertão do nordeste brasileiro.
















    REGIÃO IMPLACÁVEL

    OS FILHOS DESSA TERRA | Fonte da imagem: lcfaco










    OS FILHOS DESSA TERRA







          O sertão nordestino tem as suas magias e os seus encantos, infelizmente algumas pessoas desinformadas ainda tem como conceito, um nordeste de fome e de miséria, esse tipo de conceito é além de tudo, é uma falta de informação e uma inverdade por parte de quem tem essa imagem do nordeste brasileiro. Eu também não posso dizer que no Nordeste não existe fome e pobreza, mas de uns doze anos para cá, é claro que, essa região mudou e mudou para melhor, muita gente saiu da linha de pobreza e alcançou a linha da dignidade.  





          Muita gente ainda é daquela filosofia de que tem que se dá ou não, a vara para o cara pescar, eu concordo com gênero, número e grau, mas para quem está com fome, tem que ser socorrido é na hora que a pessoa está com fome e não ainda tentar ensinar a pessoa pescar. O que os órgãos competentes tem que fazer, é dá para essas pessoas, emprego, infraestrutura saúde, educação e segurança. Mas falando de sertão e de bioma nordestino, que por sinal é o único no mundo, e para nós é um orgulho imenso ter a caatinga como um bioma, e um bioma exclusivo. 






           Essa região sempre foi motivo de preocupação e muito respeito por parte dos desbravadores que nela adentraram. Eu poderia até dizer e concordar com Euclides da Cunha, que quando começou a estudar esse território sagrado dos nordestinos, ele chegou a dizer que a brasilidade do povo nordestino   estava no interior do nordeste, pois os costumes, e o modo de falar das pessoas do sertão, fazia daquela cultura uma cultura mais autêntica do povo brasileiro, pois o litoral parecia que estava dando as costa para o sertão. 






           Então isso no modo dele ver, ele percebia que, a região do litoral nordestino, estava mais para as pessoas e os costumes de terras internacionais e que isso não fazia o Brasil tão abrasileirado. E através disso, podemos concordar que sim, o sertão caboclo e brejeiro tem a mais pura sabedoria e ingenuidade de uma cultura jamais vista do ponto de vista cultural. 






           Outro ponto muito importante que aconteceu por essas terras e que não é tão atual assim, é que Euclides da Cunha sendo tudo aquilo que ele foi e sendo linha dura como militar, ele também tentou desbravar essas terras áridas e causticantes, com linha dura e muita firmeza, e também tentou ensinar o povo a pescar, e aí foi que ele notou, que não adiantava esse tipo de atitude, primeiro porque a fome não espera, e depois o terreno do sertão nordestino, que é muito traiçoeiro, e os locais mudam rapidamente, tanto na coloração da vegetação, quanto nos setores do próprio terreno dessa região. 






           Dizia ele certa vez, que essa região uma hora estava de um jeito outra hora mudava bruscamente e que o terreno e sua flora deixavam os homens indecisos e curiosos. Foi mais o menos isso que ele se referiu quando falou do sertão nordestino, precisamente da caatinga, esse bioma extraordinário tanto no que se refere a natureza como também no aspecto da beleza em si. O perfume que exala de seus arbustos, é um perfume único expelido por sua vegetação densa e rasteira, provocada pelo orvalho da madrugada. Então como a gente ver, essa região não é pra todo cabra não. Isso aqui só quem dominava bem era Lampião e mais alguns que nasceram por essas bandas. 






          A história do sertão, é uma história muito rica, pois quem nasce aqui domina essa área, e faz disso aqui, o seu mundo e o seu espaço para sobreviver e para ir tocando a vida do jeito que Deus quer. O mais revoltante nisso tudo, é que só aparece algumas pessoas de 4 em 4 anos para explorar essa gente humilde e trabalhadora. Essa cultura, de exploração da fé alheia, eu posso dizer sem muito medo de errar, que é uma cultura centenária, pois vemos que essas pessoas que estão sendo exploradas não tem acesso a escolas e muito menos a outros tipos de infraestrutura. 






          Acho que já está passando da hora das pessoas aprenderem também a dizer não. Mas infelizmente isso é cultural. Pois bem, esse pedaço de chão, só mora por aqui quem nasce nele e acostuma a sobreviver sem ter quase nada de infraestrutura. Falar de nordestino e do nordeste é fácil, difícil é ser nordeste e ser nordestino. Acredito que o sertão do nordeste brasileiro é o seleiro do brasil e que isso aqui realmente são novas fronteiras do novo sertão veredas. 






         O nordeste brasileiro não é só litoral não, pelo contrário, dentro do bioma nordestino, você pode ser surpreendido com muito mais do que você possa imaginar. O nordeste e os nordestinos só precisam de mais respeito pelos que estão no poder. Precisam de mais incentivos e de uma política cada vez mais séria que lhe traga investimentos e capacitação para as pessoas que moram nela. Nordeste do Brasil, uma fronteira de investimentos. Celeiro do Brasil.


    6 de jul de 2016

    O VALE DA DEGOLA

    TEATRO A CÉU ABERTO | Fonte da imagem: uneb











    TEATRO A CÉU ABERTO






         O nordeste brasileiro é um região excepcional para quase todo tipo de turismo. Dentre tantos vou destacar aqui um dos que sempre é recomendado para que novos praticantes venham conhecer essa região, pois ela tem um excepcional terreno propício para a prática dessa modalidade de turismo, o de aventura. Cidades pequenas encravadas dentro do bioma nordestino, a caatinga, tem como alternativa de renda para a população, o turismo de aventura. 



         Essa região ainda sofre e muito por faltas de chuvas e essa é mais uma forma criativa de gerar renda, como também através da produção de artesanato, música, gastronomia, danças e demais atrativos para que esses turistas que vem a procura de turismo de aventura ou não posam adquirir a produção feita pelos nativos daquela região.



         Com a boa vontade por parte de algumas instituições e de algumas cooperativas, eles conseguem mostrar os seus trabalhos, pois se for depender de alguns políticos, isso pode não acontecer, pois esse terra desde o descobrimento do Brasil, alguns só procuram explorar, só aparecem de 4 em 4 anos e assim o sertanejo vai ficando calejado de tantas promessas que não são cumpridas. Mas na verdade essa região é um celeiro de pessoas que sabem fazer alguma coisa boa para que, a pequena produção familiar seja vendida e eles consigam um pouco de renda para sobreviverem. Então é através desse tipo de mão de obra barata que essas pessoas do sertão nordestino, conseguem escoar seus trabalhos.



          Vamos falar aqui do projeto caminhos do sertão, pois foi lançado na Bahia e que tem um roteiro muito bom, um desses roteiros é o que passa pela Fazenda Serra Branca, que fica no município de Jeremoabo, e que é feito para observação de pássaros dessa região tais como a arara azul e o urubu rei e também é explorado o potencial do açude Cocorobó. Isso é um ciclo que envolve todos pois ganha o município, ganha os artesões, moradores de canudos, ganham os proprietários dos restaurantes, pousadas e hotéis de Canudos.

     


            Esse roteiro foi elaborado pelo Sebrae da Bahia. Tudo isso possibilita a melhoria de renda e criação de emprego para essa região tão castigada pelas secas intermitentes. O estudo trouxe um diagnóstico feito pelo Sebrae. Esse diagnóstico foi feito em 13 municípios do sertão baiano para detectar o potencial turístico e empreendedor dessa região. Então como eu falei se tiver algum órgão público ou privado que incentive e dê apoio tanto cultural e profissional para essas pessoas.



            Quando uma iniciativa dessas sai do papel e se torna realidade podemos ver o quanto essas pessoas podem produzir pelo país, e também tirando essas pessoas da ociosidade, lhes dando emprego e um pouco de dignidade. O nordeste é o celeiro da cultura desse país, só precisa de oportunidade de trabalho, seja ele em que área for, ou cultural, na gastronomia, ou no próprio turismo. A força do nordeste no turismo do Brasil, é incalculável.








          

    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

    GOSTARIA DE ASSINAR O NOSSO FEED?

    100% gratuito

    RECEBA AS ATUALIZÇÕES DO NOSSO BLOG DIRETAMENTE NO SEU E-MAIL

    FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADES DO BLOG