FESTA POPULAR DO NORDESTE – A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro: FESTA POPULAR DO NORDESTEBlog de Arte e Cultura A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro: FESTA POPULAR DO NORDESTE A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro: FESTA POPULAR DO NORDESTEBlog de Arte e Cultura A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro: FESTA POPULAR DO NORDESTEBlog de Arte e Cultura

SEGUIDORES

Página Inicial Biografia Produtos Galeria O que dizem Jornalista Links Entrevistas Contato

13 maio, 2014

FESTA POPULAR DO NORDESTE










OS CABOCLINHOS OU CABOCOLINHO



      




       O Nordeste é um celeiro de cultura popular riquíssima, eu considero a cidade do Recife a capital dessa cultura. Temos a consciência que essa região em todos os seus nove estados à cultura popular predomina entre eles. Pernambuco é um desses estados que é muito rico culturalmente, e quando falamos de CARNAVAL parece que as tradições se juntam nessa FESTA POPULAR. O FREVO é o carro chefe, fazendo todo mundo dançar pelas ruas do RECIFE e pelas LADEIRAS DE OLINDA.


    



     



      O Maracatu com os CABOCLOS DE LANÇA que fazem a alegrias dos foliões e dos turistas. Quem fica no RECIFE, também vai ter o privilégio de assistir as belas apresentações dos Caboclinhos. Essa dança folclórica só é mais vista realmente na época do CARNAVAL.

   



       


      Os Caboclinhos têm personagens como: Cacique, porta-estandarte, grupo de crianças ou curumins (Que no tupi é meninos).Tem tocadores de percussão, e cordões (as filas indianas) de caboclos e caboclas etc. Essa dança dramática tem a sua origem indígena e é chamada de CABOCLINHOS ou CABOCOLINHOS. Historicamente os CABOCLINHOS tem relação com o culto da jurema, a árvore que produz o chá sagrado para os caboclos.


     



     



        As mulheres usam como adereços tangas e sutiãs bordados, cocares ou leques, munhecas para os pulsos e atacas para os tornozelos. Já os homens, tanga, peitoral, munhecas, atacas, cocar ou leque. As danças são fortes e rápidas, com uma bela coreografia que os participantes desenvolvem.

     



      





       As evoluções variam de um grupo para o outro. Podem trazer alas com coreografias, que representam situações criadas pelos mestres e brincantes. Alguns grupos também apresentam o Toré ou Macumba. No período do CARNAVAL temos o privilégio de assistirmos essa  representação cultural que tem a finalidade de mostrar as danças e os costumes indígenas, transformados em festa e cultura popular.



Nenhum comentário: