A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura: cultura do nordeste brasileiro A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura: cultura do nordeste brasileiro

SEGUIDORES

Página Inicial Biografia Produtos Galeria O que dizem Jornalista Links Entrevistas Contato
Confira a arte do artista potiguar Newton Avelino, na sua galeria permanente. Adquira já uma obra!

22 junho, 2013

EXPLOSÃO DE CORES


                                                
                                              



                                   UM ARTISTA DE OFÍCIO
                          
              


      Uma obra do artista Newton Avelino feita para o cenário do programa virtual que tem como  apresentadora Luciana Oliveira, Este programa é aos sábados na Simtv. O artista se preocupou em fazer uma obra que fosse de vanguarda e que desse ao programa uma roupagem bem cultural de acordo com o programa.

          


      Newton Avelino, é um artista que sempre gosta de trabalhar com o cultural e com as diversidades do dia a dia, e com o social de seu povo. Nesse painel foram pintados alguns dos personagens da sociedade nordestina e do sertão dessa região.

           


      O nordeste tem como alguns dos símbolos culturais o sanfoneiro, o vaqueiro, o violeiro a rendeira o pescador e outros personagens que faz parte do nordeste brasileiro, tanto do sertão, quanto do litoral. Então o artista teve a sensibilidade de pintar nessa obra a cultura popular do seu povo.
         
           


       Na verdade essa é uma obra muito especial que o artista teve o prazer de fazer, porque ela vai sendo mostrada através da tv para as pessoas que não tem condições de irem a galerias ou a museus. 



        O seu trabalho sendo mostrado dessa maneira para as pessoas quebra todos os paradigmas de que  obras de artes tem que está só em galerias. Ele entende que elas  precisam está mais próxima da sociedade menos favorecida.




            

                                                
                                              



                                   UM ARTISTA DE OFÍCIO
                          
              


      Uma obra do artista Newton Avelino feita para o cenário do programa virtual que tem como  apresentadora Luciana Oliveira, Este programa é aos sábados na Simtv. O artista se preocupou em fazer uma obra que fosse de vanguarda e que desse ao programa uma roupagem bem cultural de acordo com o programa.

          


      Newton Avelino, é um artista que sempre gosta de trabalhar com o cultural e com as diversidades do dia a dia, e com o social de seu povo. Nesse painel foram pintados alguns dos personagens da sociedade nordestina e do sertão dessa região.

           


      O nordeste tem como alguns dos símbolos culturais o sanfoneiro, o vaqueiro, o violeiro a rendeira o pescador e outros personagens que faz parte do nordeste brasileiro, tanto do sertão, quanto do litoral. Então o artista teve a sensibilidade de pintar nessa obra a cultura popular do seu povo.
         
           


       Na verdade essa é uma obra muito especial que o artista teve o prazer de fazer, porque ela vai sendo mostrada através da tv para as pessoas que não tem condições de irem a galerias ou a museus. 



        O seu trabalho sendo mostrado dessa maneira para as pessoas quebra todos os paradigmas de que  obras de artes tem que está só em galerias. Ele entende que elas  precisam está mais próxima da sociedade menos favorecida.




            

BERIMBAU



                
                                                    fonte da inagen :Timbocapoeira
         
                    


                            MAIS QUE UM INSTRUMENTO





                O surgimento do berimbau foi há quase vinte mil anos dizem os mais estudiosos. O instrumento é milenar, ele nada mais é do que um arco parecidíssimo com um arco para usasr para atirar flexas e que deu origem ao arco musical. De qualquer forma, o instrumento deve ter chegado ao Brasil na época da colonização, já junto com os primeiro escravos.

         
          

         No Brasil o berimbau passou a fazer parte como elemento típico de capoeira. Ele só entrou nas rodas de capoeiras no século XX. No nordeste ele é feito de um arbusto chamado briba que é fácil de de envergar. Na sua base usa-se a cabaça para servir como uma caixa de resonância que extrai o som, o percursionista usa uma baqueta e uma moeda pequena para extrair os sons do instrumento nas rodas de capoeiras.

            
          

         A palavra capoeira vem do tupi. Hoje o berimbau é tocado em todo o mundo. A origem do berimbau é angolano, quando ele entrou no Brasil na época da colonização ele foi popularizado nas rodas de capoeiras no nordeste. No Brasil o berimbau também é conhecido por vários nomes, urucungo, rucungo, gunga etc. A afinação depende muito da aprovação do mestre da roda de capoeira, por isso as regras quase não existe.


         









 



                      




                
                                                    fonte da inagen :Timbocapoeira
         
                    


                            MAIS QUE UM INSTRUMENTO





                O surgimento do berimbau foi há quase vinte mil anos dizem os mais estudiosos. O instrumento é milenar, ele nada mais é do que um arco parecidíssimo com um arco para usasr para atirar flexas e que deu origem ao arco musical. De qualquer forma, o instrumento deve ter chegado ao Brasil na época da colonização, já junto com os primeiro escravos.

         
          

         No Brasil o berimbau passou a fazer parte como elemento típico de capoeira. Ele só entrou nas rodas de capoeiras no século XX. No nordeste ele é feito de um arbusto chamado briba que é fácil de de envergar. Na sua base usa-se a cabaça para servir como uma caixa de resonância que extrai o som, o percursionista usa uma baqueta e uma moeda pequena para extrair os sons do instrumento nas rodas de capoeiras.

            
          

         A palavra capoeira vem do tupi. Hoje o berimbau é tocado em todo o mundo. A origem do berimbau é angolano, quando ele entrou no Brasil na época da colonização ele foi popularizado nas rodas de capoeiras no nordeste. No Brasil o berimbau também é conhecido por vários nomes, urucungo, rucungo, gunga etc. A afinação depende muito da aprovação do mestre da roda de capoeira, por isso as regras quase não existe.


         









 



                      


A LITERATURA DE CORDEL


                                                                          fonte da imagem: senado.gov.
                                     
                                                     
                                   

                                  FORMAS E RIMAS


           

      O cordel é um tipo de poesia popular, ele é impresso em folhetos rústicos colocados à venda pendurados em cordas, daí veio a origem do nome. Na literatura de cordel, geralmente as histórias vem narrando o cotidiano do nordeste. Eles são feitos em formas de rimas e os poemas são ilustrados em xilogravuras. As estrofes mais comuns são as de dez.

            


        Os cordelistas recitam versos acompanhados de violas. A literatura de cordel, está ligada a outras culturas europeias que desembarcaram no Brasil a partir do império, desde a idade média, e começou com o romanceiro luso espanhol e do renascimento. No Brasil, o cordel se popularizou mesmo foi no sertão nordestino e são geralmente vendidos em feiras, mercados e em sebos, pelos próprios artistas ou outros. Em outros estados brasileiros são comercializados em lojas que tem produtos tipicamente nordestinos.

            


        Esses artistas populares, que são os cordelistas, criam versos improvisados de qualquer acontecimento ou alguém que eles queiram falar. São formas variadas de todos os tipos. O cordel existe também em prosa em uma parte da europa, como: Itália, portugal e espanha. Na américa central tem o méxico que também tem toda a história de cordéis de prosa. No Brasil o nordestino soube dá uma roupagem toda especial a essa forma de cultura e de arte, mostrando que o cordel realmente se tornou uma parte de sua cultura.










                                                                          fonte da imagem: senado.gov.
                                     
                                                     
                                   

                                  FORMAS E RIMAS


           

      O cordel é um tipo de poesia popular, ele é impresso em folhetos rústicos colocados à venda pendurados em cordas, daí veio a origem do nome. Na literatura de cordel, geralmente as histórias vem narrando o cotidiano do nordeste. Eles são feitos em formas de rimas e os poemas são ilustrados em xilogravuras. As estrofes mais comuns são as de dez.

            


        Os cordelistas recitam versos acompanhados de violas. A literatura de cordel, está ligada a outras culturas europeias que desembarcaram no Brasil a partir do império, desde a idade média, e começou com o romanceiro luso espanhol e do renascimento. No Brasil, o cordel se popularizou mesmo foi no sertão nordestino e são geralmente vendidos em feiras, mercados e em sebos, pelos próprios artistas ou outros. Em outros estados brasileiros são comercializados em lojas que tem produtos tipicamente nordestinos.

            


        Esses artistas populares, que são os cordelistas, criam versos improvisados de qualquer acontecimento ou alguém que eles queiram falar. São formas variadas de todos os tipos. O cordel existe também em prosa em uma parte da europa, como: Itália, portugal e espanha. Na américa central tem o méxico que também tem toda a história de cordéis de prosa. No Brasil o nordestino soube dá uma roupagem toda especial a essa forma de cultura e de arte, mostrando que o cordel realmente se tornou uma parte de sua cultura.