A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura: cultura do nordeste brasileiro A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura: cultura do nordeste brasileiro

SEGUIDORES

Página Inicial Biografia Produtos Galeria O que dizem Jornalista Links Entrevistas Contato
Confira a arte do artista potiguar Newton Avelino, na sua galeria permanente. Adquira já uma obra!

09 dezembro, 2015

PADROEIRO NORDESTINO

                                                                                     





SANTO CATÓLICO


        

     O sertanejo nordestino é uma pessoa muito devota de santos católicos, e que fazem parte da cultura sertaneja. Essa influência vem desde a época do descobrimento e da época do Brasil colônia.


      
    Como os portugueses são pessoas muitos devotas e católicas, essa prática também foi passada para nós brasileiros. Os Santos católicos de mais devoção são: São João, Santo Antônio e São Pedro. 


     
      Eles tem tantos devotos que existem até algumas cidades com os nomes deles, por aí você o quanto tem de devotos no sertão nordestino e em todo o Nordeste


         
     Mas aqui hoje, vamos falar de um Santo católico que também tem muitos devotos e que existem algumas cidades do interior nordestino com o seu nome. Vamos falar de São Francisco. Ele Nasceu em 1182 na Itália e morreu aos 44 anos. 


      
     A igreja católica mantém a data dos festejos, que começa no dia 24 de setembro com o levantamento da bandeira, e se encerra no dia 04 de outubro com a procissão da imagem. Esse santo católico que tem tantos devotos, é muito querido pelos nordestinos. 


      
    Uma das cidades que celebra muito os festejos em homenagem a ele, é a cidade de Canindé no estado do Ceará. Quem não conhece o interior nordestino, não há como perceber a mística que está dentro de cada uma dessas pessoas. 


     
   Desde Antônio Conselheiro defensor dos pobres e oprimidos em Canudos no sertão Baiano o sertanejo, não é mais aqueles pobre e coitados da época, hoje a realidade é outra, os milagres existem e é essencial para se vencer o sofrimento. 


        
       Para se ter uma ideia, vem gente de todas as partes do nordeste e até de outras regiões para pagarem promessas e participarem dos festejos de São Francisco. Certo ou errado, os tempos não tem tirado o fervor dos romeiros e religiosos da região. 


        
     A cada milagre que aparece aumenta a devoção de pessoas indo ao encontro de São Francisco da cidade do Canindé. O comércio da cidade de Canindé, sempre aquece na época dos festejos, ao ponto de ser um dos festejos que deixa mais dividendos para a cidade, além de gerar emprego e renda para pequenas famílias. 


        
      A ordem franciscana já tem 800 anos no mundo inteiro, a comunidade franciscana no Brasil já tem 352 anos, e a paróquia de Canindé já comemora 192 anos. Por aí você ver o quanto esse santo católico é querido pelos devotos. 


          
       Também conhecido como o protetor dos animais, ele foi um homem simples e humilde que pregou o evangelho que Deus nos ensinou através do seu filho Jesus Cristo.




                                                                                     





SANTO CATÓLICO


        

     O sertanejo nordestino é uma pessoa muito devota de santos católicos, e que fazem parte da cultura sertaneja. Essa influência vem desde a época do descobrimento e da época do Brasil colônia.


      
    Como os portugueses são pessoas muitos devotas e católicas, essa prática também foi passada para nós brasileiros. Os Santos católicos de mais devoção são: São João, Santo Antônio e São Pedro. 


     
      Eles tem tantos devotos que existem até algumas cidades com os nomes deles, por aí você o quanto tem de devotos no sertão nordestino e em todo o Nordeste


         
     Mas aqui hoje, vamos falar de um Santo católico que também tem muitos devotos e que existem algumas cidades do interior nordestino com o seu nome. Vamos falar de São Francisco. Ele Nasceu em 1182 na Itália e morreu aos 44 anos. 


      
     A igreja católica mantém a data dos festejos, que começa no dia 24 de setembro com o levantamento da bandeira, e se encerra no dia 04 de outubro com a procissão da imagem. Esse santo católico que tem tantos devotos, é muito querido pelos nordestinos. 


      
    Uma das cidades que celebra muito os festejos em homenagem a ele, é a cidade de Canindé no estado do Ceará. Quem não conhece o interior nordestino, não há como perceber a mística que está dentro de cada uma dessas pessoas. 


     
   Desde Antônio Conselheiro defensor dos pobres e oprimidos em Canudos no sertão Baiano o sertanejo, não é mais aqueles pobre e coitados da época, hoje a realidade é outra, os milagres existem e é essencial para se vencer o sofrimento. 


        
       Para se ter uma ideia, vem gente de todas as partes do nordeste e até de outras regiões para pagarem promessas e participarem dos festejos de São Francisco. Certo ou errado, os tempos não tem tirado o fervor dos romeiros e religiosos da região. 


        
     A cada milagre que aparece aumenta a devoção de pessoas indo ao encontro de São Francisco da cidade do Canindé. O comércio da cidade de Canindé, sempre aquece na época dos festejos, ao ponto de ser um dos festejos que deixa mais dividendos para a cidade, além de gerar emprego e renda para pequenas famílias. 


        
      A ordem franciscana já tem 800 anos no mundo inteiro, a comunidade franciscana no Brasil já tem 352 anos, e a paróquia de Canindé já comemora 192 anos. Por aí você ver o quanto esse santo católico é querido pelos devotos. 


          
       Também conhecido como o protetor dos animais, ele foi um homem simples e humilde que pregou o evangelho que Deus nos ensinou através do seu filho Jesus Cristo.




07 dezembro, 2015

LAGOA DO CARCARÁ

Fonte da imagem: pbase

                                                         
                                                           
                                    



                                  LOCAL DE LAZER

      
      



     O Rio Grande do Norte é um estado que tem um milhão de lugares para visitarmos com belezas naturais ímpar, e entre tantas outras belezas que estamos cansados de dizer aqui, vemos falar que somos privilegiados por DEUS, pois esse estado é um estado que por onde andamos vemos belezas por todos os lados. 





      Entre praias, lagoas, campos e serras, vemos que para onde andarmos, nos deparamos com as belezas naturais desse estado. Isso é bom tanto para o turismo, como para os nativos que aqui reside. Vamos falar de uma dessas maravilhas feitas por Deus. 


      


       Ela está situada no município de Nísia Floresta e ainda é pouco conhecida por turistas. Estamos falando da Lagoa do Carcará, e que fica próximo à praia de Tabatinga que pertence ao mesmo município. Esse lugar é um dos considerado mais paradisíaco do RN. 


    


      O acesso até à lagoa não é um dos melhores, com estrada carroçável e que não é bem conservada, mas que ainda compensa enfrenta-la para podermos desfrutar da beleza da lagoa. 


     



      Ela fica a 40 km de Natal. No percurso até a lagoa, você pode conhecer o Engenho Papary que oferece aos turistas a oportunidade de conhecer várias cachaças artesanais. Na lagoa, você também pode praticar windsurfe, e ainda andar de caiaque e pedalinhos. 


      



       A lagoa tem uma água límpida e com uma temperatura agradável. Ela tem uma faixa de água rasas com areias branquinhas, e que proporciona aos turistas e aos nativos belos banhos com águas mornas. 


      



        A infraestrutura é muito simples tem alguns bares com mesas e comidas simples, alguns quiosque para lanches como: pasteis e água de coco, tapioca e bolos, e só. Para chegar ao local é só pegar a BR 101 e em Nísia Floresta a RN 063. 


      



       Entre tantos roteiros magníficos do RN, esse é um dos que podemos prestigiar porque é uma vista de cinema. Pouco conhecida dos turistas, mas que vale a pena conhece-la. Procure sempre, um guia autorizado.




Fonte da imagem: pbase

                                                         
                                                           
                                    



                                  LOCAL DE LAZER

      
      



     O Rio Grande do Norte é um estado que tem um milhão de lugares para visitarmos com belezas naturais ímpar, e entre tantas outras belezas que estamos cansados de dizer aqui, vemos falar que somos privilegiados por DEUS, pois esse estado é um estado que por onde andamos vemos belezas por todos os lados. 





      Entre praias, lagoas, campos e serras, vemos que para onde andarmos, nos deparamos com as belezas naturais desse estado. Isso é bom tanto para o turismo, como para os nativos que aqui reside. Vamos falar de uma dessas maravilhas feitas por Deus. 


      


       Ela está situada no município de Nísia Floresta e ainda é pouco conhecida por turistas. Estamos falando da Lagoa do Carcará, e que fica próximo à praia de Tabatinga que pertence ao mesmo município. Esse lugar é um dos considerado mais paradisíaco do RN. 


    


      O acesso até à lagoa não é um dos melhores, com estrada carroçável e que não é bem conservada, mas que ainda compensa enfrenta-la para podermos desfrutar da beleza da lagoa. 


     



      Ela fica a 40 km de Natal. No percurso até a lagoa, você pode conhecer o Engenho Papary que oferece aos turistas a oportunidade de conhecer várias cachaças artesanais. Na lagoa, você também pode praticar windsurfe, e ainda andar de caiaque e pedalinhos. 


      



       A lagoa tem uma água límpida e com uma temperatura agradável. Ela tem uma faixa de água rasas com areias branquinhas, e que proporciona aos turistas e aos nativos belos banhos com águas mornas. 


      



        A infraestrutura é muito simples tem alguns bares com mesas e comidas simples, alguns quiosque para lanches como: pasteis e água de coco, tapioca e bolos, e só. Para chegar ao local é só pegar a BR 101 e em Nísia Floresta a RN 063. 


      



       Entre tantos roteiros magníficos do RN, esse é um dos que podemos prestigiar porque é uma vista de cinema. Pouco conhecida dos turistas, mas que vale a pena conhece-la. Procure sempre, um guia autorizado.




06 dezembro, 2015

COTIDIANO SERTANEJO

                                                                                   
Fonte da imagem: rainhamaria





PEÇA DE MUSEU

   
   
    O sertão nordestino tem várias cenas rurais que encantam e que fazem parte da história dessa região. Apesar dessa região do sertão ter uma parte mais seca, e menos habitável, também mostra para o mundo que pode ter flores em um passe de mágica. 


   Depende muito dos períodos chuvosos. Bem, já falamos aqui de algumas cenas do cotidiano sertanejo, mas aqui nesse caso, é bem simples, vamos falar aqui de um artefato usado com bastante frequência por quase todos do sertão nordestino. Vamos falar dessa quase peça de museu que é o “Galão”. 


   Um artefato feito com uma madeira resistente que é pendurado ou corda ou arames grossos para enganchar duas latas, uma em cada extremidades da madeira, e que servia para o homem sertanejo carregar o líquido precioso do sertão que é a água. 


     Logo no começo do século, ele era muito usado, e foi até um pouco mais da metade do século passado, isso até em propriedades que ficavam na faixa da zona da mata e agreste. Geralmente eles eram mais usados pelos os homens, já que as mulheres carregavam as latas em cima de uma rúdia que colocava na sua cabeça, assim era como elas transportavam a água para casa. 


     Os galões feitos pelos agricultores, eram uma espécie de moda daquela época, pois eles serviam muito para transportar água principalmente de cacimbões ou de pequenos barreiros. 


   Com o passar dos tempos os “galões” foram ficam obsoletos, então os agricultores começaram a carregar água em barris ou ancoretas, em cima de lombo de jumentos. Até os dias de hoje eles ainda usam esse método, mas também tem as carroças e por fim, os caminhões pipas, pois a água ficou mais escassa e mais longe desses lugarejos que estão encravados nas sub-regiões do sertão do nordeste. 


     O que importa, é que o “Galão” é um artefato que ficou na história da cultura popular do nordeste, tendo ele como toda nossa cultura tido influência europeia principalmente dos portugueses. Eles devem ter tido o seu auge no Brasil colônia, e de lá para cá, fez parte da mão de obra do homem do campo e que ajudou no dia a dia do trabalho braçal do sertanejo.
  
                                                                                   
Fonte da imagem: rainhamaria





PEÇA DE MUSEU

   
   
    O sertão nordestino tem várias cenas rurais que encantam e que fazem parte da história dessa região. Apesar dessa região do sertão ter uma parte mais seca, e menos habitável, também mostra para o mundo que pode ter flores em um passe de mágica. 


   Depende muito dos períodos chuvosos. Bem, já falamos aqui de algumas cenas do cotidiano sertanejo, mas aqui nesse caso, é bem simples, vamos falar aqui de um artefato usado com bastante frequência por quase todos do sertão nordestino. Vamos falar dessa quase peça de museu que é o “Galão”. 


   Um artefato feito com uma madeira resistente que é pendurado ou corda ou arames grossos para enganchar duas latas, uma em cada extremidades da madeira, e que servia para o homem sertanejo carregar o líquido precioso do sertão que é a água. 


     Logo no começo do século, ele era muito usado, e foi até um pouco mais da metade do século passado, isso até em propriedades que ficavam na faixa da zona da mata e agreste. Geralmente eles eram mais usados pelos os homens, já que as mulheres carregavam as latas em cima de uma rúdia que colocava na sua cabeça, assim era como elas transportavam a água para casa. 


     Os galões feitos pelos agricultores, eram uma espécie de moda daquela época, pois eles serviam muito para transportar água principalmente de cacimbões ou de pequenos barreiros. 


   Com o passar dos tempos os “galões” foram ficam obsoletos, então os agricultores começaram a carregar água em barris ou ancoretas, em cima de lombo de jumentos. Até os dias de hoje eles ainda usam esse método, mas também tem as carroças e por fim, os caminhões pipas, pois a água ficou mais escassa e mais longe desses lugarejos que estão encravados nas sub-regiões do sertão do nordeste. 


     O que importa, é que o “Galão” é um artefato que ficou na história da cultura popular do nordeste, tendo ele como toda nossa cultura tido influência europeia principalmente dos portugueses. Eles devem ter tido o seu auge no Brasil colônia, e de lá para cá, fez parte da mão de obra do homem do campo e que ajudou no dia a dia do trabalho braçal do sertanejo.