A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura: cultura do nordeste brasileiro A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura: cultura do nordeste brasileiro

SEGUIDORES

Página Inicial Biografia Produtos Galeria O que dizem Jornalista Links Entrevistas Contato
Confira a arte do artista potiguar Newton Avelino, na sua galeria permanente. Adquira já uma obra!

08 junho, 2019

SÃO JOÃO NO NORDESTE: SEGREDOS FESTAS E AS MELHORES CIDADES DESSA REGIÃO NA ÉPOCA DAS FESTAS JUNINAS QUE FAZEM PARTE DA CULTURA DO NORDESTE

<img alt='cultura-do-nordeste' src=' aarte-de-newton-avelino' title='são-joão'/>







NA CULTURA NORDESTINA A FESTA JUNINA NO BRASIL UNE JESUÍTAS PORTUGUESES E COSTUMES INDÍGENAS




    Como todo mundo sabe, a Região Nordeste do Brasil, é uma região que existe muitas festas durante o ano inteiro.  Se existe uma das festa, mais comemorada no Nordeste brasileiro, essa festa se chama "festas Junina". E o São João, talvez seja a festa mais comemorada pelos nordestino. A cultura popular do Nordeste brasileiro, é muito diversificada e durante o ano todo, muitas festas são feitas dentro da Região Nordestina. Como toda cultura, nordestina e brasileira, tivemos a influência europeia, começando pelos colonizadores portugueses, não só a festa Junina, mas também toda cultura brasileira. No caso das festas juninas, no Brasil, une jesuítas portugueses, costumes indígenas e caipiras, comemorando o dia dos Santos católico como: As festas juninas que homenageiam três santos católicos: Santo Antônio, dia 13, São João dia 24 e São Pedro dia 29 de Junho. 


<img alt='sao-joao' src=' a-arte-de-newton-avelino' title=' festa-junina'/>



      As explicações que existem para As Festas Juninas são: Homenagem para três Santos da igreja Católica. Outra explicação é que, essas festas tem origem em países católicos da Europa e, portanto, seriam em homenagem apenas a São João. No começo dessa festa, ela era chamada de Joanina depois de alguns anos, se tornou, festa junina. Essa tradicional festa, no Brasil, foi introduzida no século XVI. 


     
<img alt='nordeste' src=' a-arte-de-newton-avelino' title=' sao-joao'/>
    


      Ela era tradicional e bastante popular, na Península Ibérica, que fica entre Portugal e Espanha. Foi aí que, ela foi trazida para cá, na época da colonização, e junto com ela, vieram muitas outras tradições. Quando introduzida no Brasil, a festa era conhecida como festa joanina, em referência a São João, mas, ao longo dos anos, teve o nome alterado para festa junina, em referência ao mês no qual ocorre, junho. No início, o tom dessa festa, era bem religioso, e com a continuação dos tempos, ela foi deixando o tom mais religioso para dá lugar a um tom mais popular. A religiosidade de cada região do Nordeste brasileiro, é muito grande então, talvez seja por isso que ela tenha um cunho religioso dentro da cultura dessa região brasileira, o que sabe-se é que, essas festas tradicionais, são inventadas e reinventam dentro dentro do cunho popular, tanto na parte estrutural e cultural, como na linguagem cultural dos festejos. As quadrilhas juninas, foram disseminadas pelos portugueses, mas as marcações das danças, foram influências francesas que tivemos. 


<img alt='quadrilha-de-sao-joao' src=' a-arte-de-newton-avelino' title='festa-de-sao-joao'/>



      Com o decorrer dos tempos, os passos e as marcações foram adaptados e ganharam novas coreografias e mais alegrias, se tornando assim, uma cultura genuinamente brasileira. Como em toda nossa cultura, nós tivemos a influência europeia, mas com o passar dos anos, soubemos adaptar essa influência a nossa cultura mas com os nossos costumes. Com tudo, isso não quer dizer que, não exista um tom religioso, tem sim, mas um tom religioso, mas para moderado. Pois o homem sertanejo e em todo o Nordeste do Brasil, tem a sua religiosidade presente no seu da a dia, e talvez seja por isso que, essa festa dentro do Nordeste, tenha uma conotação maior dentro do Brasil, pois a cultura e a arte se misturam com a fé do povo do Nordeste brasileiro. As maiores festas junina do Brasil, acontecem nas Cidades de Campina Grande, no estado da Paraíba, Caruaru, no estado de Pernambuco e em Mossoró no estado do Rio Grande do Norte. Mas de 3 milhões de pessoas estima-se nesses eventos durante o mês de junho. Durante as festas juninas no Brasil, as danças típicas são realizadas, tais como: quadrilhas juninas, muito forró, danças tradicionais, muitos fogos de artifícios, muita comida tradicional e bastante animação. E assim, que as festas juninas acontecem dentro da cultura do Nordeste brasileiro.






<img alt='cultura-do-nordeste' src=' aarte-de-newton-avelino' title='são-joão'/>







NA CULTURA NORDESTINA A FESTA JUNINA NO BRASIL UNE JESUÍTAS PORTUGUESES E COSTUMES INDÍGENAS




    Como todo mundo sabe, a Região Nordeste do Brasil, é uma região que existe muitas festas durante o ano inteiro.  Se existe uma das festa, mais comemorada no Nordeste brasileiro, essa festa se chama "festas Junina". E o São João, talvez seja a festa mais comemorada pelos nordestino. A cultura popular do Nordeste brasileiro, é muito diversificada e durante o ano todo, muitas festas são feitas dentro da Região Nordestina. Como toda cultura, nordestina e brasileira, tivemos a influência europeia, começando pelos colonizadores portugueses, não só a festa Junina, mas também toda cultura brasileira. No caso das festas juninas, no Brasil, une jesuítas portugueses, costumes indígenas e caipiras, comemorando o dia dos Santos católico como: As festas juninas que homenageiam três santos católicos: Santo Antônio, dia 13, São João dia 24 e São Pedro dia 29 de Junho. 


<img alt='sao-joao' src=' a-arte-de-newton-avelino' title=' festa-junina'/>



      As explicações que existem para As Festas Juninas são: Homenagem para três Santos da igreja Católica. Outra explicação é que, essas festas tem origem em países católicos da Europa e, portanto, seriam em homenagem apenas a São João. No começo dessa festa, ela era chamada de Joanina depois de alguns anos, se tornou, festa junina. Essa tradicional festa, no Brasil, foi introduzida no século XVI. 


     
<img alt='nordeste' src=' a-arte-de-newton-avelino' title=' sao-joao'/>
    


      Ela era tradicional e bastante popular, na Península Ibérica, que fica entre Portugal e Espanha. Foi aí que, ela foi trazida para cá, na época da colonização, e junto com ela, vieram muitas outras tradições. Quando introduzida no Brasil, a festa era conhecida como festa joanina, em referência a São João, mas, ao longo dos anos, teve o nome alterado para festa junina, em referência ao mês no qual ocorre, junho. No início, o tom dessa festa, era bem religioso, e com a continuação dos tempos, ela foi deixando o tom mais religioso para dá lugar a um tom mais popular. A religiosidade de cada região do Nordeste brasileiro, é muito grande então, talvez seja por isso que ela tenha um cunho religioso dentro da cultura dessa região brasileira, o que sabe-se é que, essas festas tradicionais, são inventadas e reinventam dentro dentro do cunho popular, tanto na parte estrutural e cultural, como na linguagem cultural dos festejos. As quadrilhas juninas, foram disseminadas pelos portugueses, mas as marcações das danças, foram influências francesas que tivemos. 


<img alt='quadrilha-de-sao-joao' src=' a-arte-de-newton-avelino' title='festa-de-sao-joao'/>



      Com o decorrer dos tempos, os passos e as marcações foram adaptados e ganharam novas coreografias e mais alegrias, se tornando assim, uma cultura genuinamente brasileira. Como em toda nossa cultura, nós tivemos a influência europeia, mas com o passar dos anos, soubemos adaptar essa influência a nossa cultura mas com os nossos costumes. Com tudo, isso não quer dizer que, não exista um tom religioso, tem sim, mas um tom religioso, mas para moderado. Pois o homem sertanejo e em todo o Nordeste do Brasil, tem a sua religiosidade presente no seu da a dia, e talvez seja por isso que, essa festa dentro do Nordeste, tenha uma conotação maior dentro do Brasil, pois a cultura e a arte se misturam com a fé do povo do Nordeste brasileiro. As maiores festas junina do Brasil, acontecem nas Cidades de Campina Grande, no estado da Paraíba, Caruaru, no estado de Pernambuco e em Mossoró no estado do Rio Grande do Norte. Mas de 3 milhões de pessoas estima-se nesses eventos durante o mês de junho. Durante as festas juninas no Brasil, as danças típicas são realizadas, tais como: quadrilhas juninas, muito forró, danças tradicionais, muitos fogos de artifícios, muita comida tradicional e bastante animação. E assim, que as festas juninas acontecem dentro da cultura do Nordeste brasileiro.






30 maio, 2019

DISTRITO TURÍSTICO DE PORTO SEGURO ATRAI MILHARES DE TURISTAS

<img alt='Trancoso-Bahia' src='www.aartedenewtonavelino.com ' title='nordeste-do-brasil'/>





TRANCOSO É UM DESTINO CERTO PARA OS TURISTAS INTERNACIONAIS NO VERÃO BRASILEIRO




A Bahia, é um estado da Região do Nordeste do Brasil, e em extensão territorial, ele é o maior estado dessa região; ele tem 564 km² e fica ao sul do Nordeste brasileiro. A subdivisão, faz divisa com 8 estados, possui a mais extensa faixa litorânea do Brasil, apresenta uma importante indústria petroquímica e ostenta o status de sexto estado brasileiro em riqueza. Por aí, você já imagina o quanto essa região nordestina é importante para o Brasil. Sua vegetação é caracterizada por floresta tropical, mangues litorâneos, caatinga e cerrado. Seu relevo é constituído por planície no litoral, depressão a norte e a oeste, e planície no centro. 



<img alt='casas-em-trancoso ' src='www.aartedenewtonavelino.com ' title='nordeste-do-brasil'/>



      O ponto mais elevado é a serra do Babado com 2.033,30 metros de altitude. O clima da Bahia é tropical. A capital desse estado é Salvador, primeira capital do Brasil. Sua arquitetura é marcada por construções do período colonial. São palácios, igrejas e casarinhos do Pelourinho, transformados em patrimônio cultural da humanidade, pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a ciência e a Cultura (UNESCO). Como essa terra é abençoada por Deus, temos vários lugares nela que, encantam os olhos de quem tem o privilégio de conhece-la. Mas hoje, vamos falar de um dessas pérolas que está encravada na Bahia. Vamos falar de Trancoso. 


<img alt='praias-de-trancoso ' src='www.aartedenewtonavelino.com ' title='litoral-baiano '/>



      Ele é um povoado que fica no sul da Bahia, e que originou-se de uma aldeia Jesuíta denominada São João Batista dos Índios, fundada em 1586. Foi descoberto no fim dos anos de 1970 por um grupo de hippies. A população nativa desse lugar ainda é descendente da população que primeiro habitou e fundou a aldeia Jesuíta, que teve fundação em 1586. O Quadrado, hoje chamado de Praça João, é atualmente o Centro Histórico de Trancoso, onde podem ser visitadas casas da época da colonização, com prédios administrativos já desativados, mas em sua maioria ainda bem conservados. O clima bucólico de Trancoso, no entanto, ainda mantém a vila, com a beleza de antes, bem preservada, com a tranquilidade necessária para quem quer apenas quer relaxar, mantendo uma frequência jovem, antenada com as necessidades de preservação ambiental. 


<img alt='trancoso-porto-seguro-bahia ' src='www.aartedenewtonavelino.com ' title='nordeste-brasileiro '/>



      Mesmo sendo o destino turístico de pessoas das mais diversas origens, a vila continua rústica e isolada do mundo, tendo ainda a calma no ar, embora já exista um jeito de pequena cidadezinha de interior. Ela se tornou um dos destinos mais badalados do mundo, para o Réveillon; mas fora de temporada, aquela magia de vilarejo perdido em algum lugar isolado do mundo ainda continua. Para chegar a esse lugar no extremo sul da Bahia, que fica em Porto Seguro, onde você pega uma balsa até Arraial d'Ajuda, a travessia dura dez minutos. Depois, segue a viagem pela estrada BA 987. O percusso é de uns 47 Km. Não é atoa que dizem que a Bahia, é um lugar mágico, pois se encontra de tudo o que se possa  imaginar, como por exemplo: O trio elétrico, o acarajé, pessoas lindas, cultura afro, poetas, cantores, pintores e até uma cidade como Trancoso que nos faz viajar no tempo. Tendo um tempinho, vem pra Bahia, vem conhecer as maravilhas dessa região Nordestina, vem conhecer a Bahia.









<img alt='Trancoso-Bahia' src='www.aartedenewtonavelino.com ' title='nordeste-do-brasil'/>





TRANCOSO É UM DESTINO CERTO PARA OS TURISTAS INTERNACIONAIS NO VERÃO BRASILEIRO




A Bahia, é um estado da Região do Nordeste do Brasil, e em extensão territorial, ele é o maior estado dessa região; ele tem 564 km² e fica ao sul do Nordeste brasileiro. A subdivisão, faz divisa com 8 estados, possui a mais extensa faixa litorânea do Brasil, apresenta uma importante indústria petroquímica e ostenta o status de sexto estado brasileiro em riqueza. Por aí, você já imagina o quanto essa região nordestina é importante para o Brasil. Sua vegetação é caracterizada por floresta tropical, mangues litorâneos, caatinga e cerrado. Seu relevo é constituído por planície no litoral, depressão a norte e a oeste, e planície no centro. 



<img alt='casas-em-trancoso ' src='www.aartedenewtonavelino.com ' title='nordeste-do-brasil'/>



      O ponto mais elevado é a serra do Babado com 2.033,30 metros de altitude. O clima da Bahia é tropical. A capital desse estado é Salvador, primeira capital do Brasil. Sua arquitetura é marcada por construções do período colonial. São palácios, igrejas e casarinhos do Pelourinho, transformados em patrimônio cultural da humanidade, pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a ciência e a Cultura (UNESCO). Como essa terra é abençoada por Deus, temos vários lugares nela que, encantam os olhos de quem tem o privilégio de conhece-la. Mas hoje, vamos falar de um dessas pérolas que está encravada na Bahia. Vamos falar de Trancoso. 


<img alt='praias-de-trancoso ' src='www.aartedenewtonavelino.com ' title='litoral-baiano '/>



      Ele é um povoado que fica no sul da Bahia, e que originou-se de uma aldeia Jesuíta denominada São João Batista dos Índios, fundada em 1586. Foi descoberto no fim dos anos de 1970 por um grupo de hippies. A população nativa desse lugar ainda é descendente da população que primeiro habitou e fundou a aldeia Jesuíta, que teve fundação em 1586. O Quadrado, hoje chamado de Praça João, é atualmente o Centro Histórico de Trancoso, onde podem ser visitadas casas da época da colonização, com prédios administrativos já desativados, mas em sua maioria ainda bem conservados. O clima bucólico de Trancoso, no entanto, ainda mantém a vila, com a beleza de antes, bem preservada, com a tranquilidade necessária para quem quer apenas quer relaxar, mantendo uma frequência jovem, antenada com as necessidades de preservação ambiental. 


<img alt='trancoso-porto-seguro-bahia ' src='www.aartedenewtonavelino.com ' title='nordeste-brasileiro '/>



      Mesmo sendo o destino turístico de pessoas das mais diversas origens, a vila continua rústica e isolada do mundo, tendo ainda a calma no ar, embora já exista um jeito de pequena cidadezinha de interior. Ela se tornou um dos destinos mais badalados do mundo, para o Réveillon; mas fora de temporada, aquela magia de vilarejo perdido em algum lugar isolado do mundo ainda continua. Para chegar a esse lugar no extremo sul da Bahia, que fica em Porto Seguro, onde você pega uma balsa até Arraial d'Ajuda, a travessia dura dez minutos. Depois, segue a viagem pela estrada BA 987. O percusso é de uns 47 Km. Não é atoa que dizem que a Bahia, é um lugar mágico, pois se encontra de tudo o que se possa  imaginar, como por exemplo: O trio elétrico, o acarajé, pessoas lindas, cultura afro, poetas, cantores, pintores e até uma cidade como Trancoso que nos faz viajar no tempo. Tendo um tempinho, vem pra Bahia, vem conhecer as maravilhas dessa região Nordestina, vem conhecer a Bahia.









29 maio, 2019

FESTA FOLCLÓRICA DA REGIÃO NORDESTE DO BRASIL E SEUS SEGREDOS

<img alt='a arte e a cultura popular do nordeste brasileiro ' src='www.aartedenewtonavelino.com ' title='bumba-meu-boi '/>



O BUMBA MEU BOI É UMA TRADIÇÃO DA CULTURA DO NORDESTE BRASILEIRO DESDE O SÉCULO XVlll





      Se é uma coisa que o Nordeste tem, é um povo alegre, uma comida ótima e um folclore extremamente rico. Esse estado se destaca por sua culinária, seu povo e sua cultura diversificada. O folclore do estado do Piauí, é rico em causos, folguedos, costumes e tradições. Seu folclore e suas festas são marcos que foram introduzidos na sua história. O bumba meu boi é um dos folclores piauienses que mais se destaca no cenário nacional; dança originária do ciclo do gado que satiriza a relação desigual entre escravos e fazendeiros desde o século XVlll. 


<img alt='cultura-do-nordeste-do-brasil ' src='www.aartedenewtonavelino.com ' title='bumba-meu-boi '/>



     Essa dança tem no ritual uma coreografia própria feita pelos escravos, com a introdução do figurino de tecido brilhoso e chapéu coberto de espelhos enfeitados com franjas. A melodia tem ritmo próprio e diferenciado, acompanhado de instrumentos como o bombo, apito, maracá e outros. A festa do Bumba Meu Boi constitui uma espécie de ópera popular. O boi é a principal figura da representação. Ele é feito de uma estrutura de madeira em forma de touro, coberta por um tecido bordado ou pintado. Nessa estrutura, prende-se uma saia colorida, para esconder a pessoa que fica dentro, que é chamada de “miolo do boi”. 


<img alt='cultura-nordestina ' src='www.aartedenewtonavelino.com ' title='bumba-meu-boi '/>



      As veze, há também as burrinhas, feitas de madeiras semelhante ao boi, porém em tamanhos reduzidos e que ficam penduradas por tiras, como suspensórios, nos ombros dos brincantes. Seja bumba meu boi, seja reisado ou mesmo quadrilhas juninas, as manifestações culturais, agradam o público em qualquer época. Os grupos teatrais do Piauí e de outros estados Nordestino mesclam dança, música e teatro em uma mesma apresentação. Geralmente as brincadeiras de Bumba meu Boi acontece de fronte à casa de quem convidou o grupo, e que patrocinará a festa. As variações de uma região para outra, geralmente seguem uma ordem. Primeiro, canta-se uma toada inicial, que serve para juntar e organizar o grupo, antes de ir para a casa. 


<img alt='cultura-brasileira ' src='www.aartedenewtonavelino.com ' title='cultura-do-nordeste '/>



      Em seguida entoa-se o lá vai, uma canção para avisar ao dono da casa e a todos que ali estão, que o boi deu a partida. Depois dessa introdução, vem a licença, em que o boi e o grupo se apresentam, entoando louvores a santos, a personalidades e a vários temas. Apesar do seu primeiro registro ter sido no estado de Pernambuco, o bumba meu boi é mais valorizado no Piauí e Maranhão. As controvérsias de toda a história que envolve o bumba meu boi, remete a história de três estados do Nordeste brasileiro, essa história é muito rica culturalmente, mas vemos que independentemente seja aonde ele tenha nascido, ele sempre é bem representado em todos os estados do Nordeste. O Piauí diz que a origem da lenda nasceu lá no século Xlll. No Maranhão os grupos se organizaram e hoje tradicionalizaram o Bumba meu Boi. As mulheres não participam diretamente da festa do Bumba meu Boi, porém, elas assistem, e algumas vezes ajudam na organização. Em agosto de 2012, o bumba meu boi foi reconhecido como manifestação cultural do Brasil pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), recebendo a certificação do título de Patrimônio Cultural do Brasil. Sendo assim, o Nordeste há cada dia mostra que é uma região de várias tendências culturais e místicas que mostrar o valor e a riqueza que a arte e a cultura tem dentro do folclore Nordestino e Brasileiro. 











<img alt='a arte e a cultura popular do nordeste brasileiro ' src='www.aartedenewtonavelino.com ' title='bumba-meu-boi '/>



O BUMBA MEU BOI É UMA TRADIÇÃO DA CULTURA DO NORDESTE BRASILEIRO DESDE O SÉCULO XVlll





      Se é uma coisa que o Nordeste tem, é um povo alegre, uma comida ótima e um folclore extremamente rico. Esse estado se destaca por sua culinária, seu povo e sua cultura diversificada. O folclore do estado do Piauí, é rico em causos, folguedos, costumes e tradições. Seu folclore e suas festas são marcos que foram introduzidos na sua história. O bumba meu boi é um dos folclores piauienses que mais se destaca no cenário nacional; dança originária do ciclo do gado que satiriza a relação desigual entre escravos e fazendeiros desde o século XVlll. 


<img alt='cultura-do-nordeste-do-brasil ' src='www.aartedenewtonavelino.com ' title='bumba-meu-boi '/>



     Essa dança tem no ritual uma coreografia própria feita pelos escravos, com a introdução do figurino de tecido brilhoso e chapéu coberto de espelhos enfeitados com franjas. A melodia tem ritmo próprio e diferenciado, acompanhado de instrumentos como o bombo, apito, maracá e outros. A festa do Bumba Meu Boi constitui uma espécie de ópera popular. O boi é a principal figura da representação. Ele é feito de uma estrutura de madeira em forma de touro, coberta por um tecido bordado ou pintado. Nessa estrutura, prende-se uma saia colorida, para esconder a pessoa que fica dentro, que é chamada de “miolo do boi”. 


<img alt='cultura-nordestina ' src='www.aartedenewtonavelino.com ' title='bumba-meu-boi '/>



      As veze, há também as burrinhas, feitas de madeiras semelhante ao boi, porém em tamanhos reduzidos e que ficam penduradas por tiras, como suspensórios, nos ombros dos brincantes. Seja bumba meu boi, seja reisado ou mesmo quadrilhas juninas, as manifestações culturais, agradam o público em qualquer época. Os grupos teatrais do Piauí e de outros estados Nordestino mesclam dança, música e teatro em uma mesma apresentação. Geralmente as brincadeiras de Bumba meu Boi acontece de fronte à casa de quem convidou o grupo, e que patrocinará a festa. As variações de uma região para outra, geralmente seguem uma ordem. Primeiro, canta-se uma toada inicial, que serve para juntar e organizar o grupo, antes de ir para a casa. 


<img alt='cultura-brasileira ' src='www.aartedenewtonavelino.com ' title='cultura-do-nordeste '/>



      Em seguida entoa-se o lá vai, uma canção para avisar ao dono da casa e a todos que ali estão, que o boi deu a partida. Depois dessa introdução, vem a licença, em que o boi e o grupo se apresentam, entoando louvores a santos, a personalidades e a vários temas. Apesar do seu primeiro registro ter sido no estado de Pernambuco, o bumba meu boi é mais valorizado no Piauí e Maranhão. As controvérsias de toda a história que envolve o bumba meu boi, remete a história de três estados do Nordeste brasileiro, essa história é muito rica culturalmente, mas vemos que independentemente seja aonde ele tenha nascido, ele sempre é bem representado em todos os estados do Nordeste. O Piauí diz que a origem da lenda nasceu lá no século Xlll. No Maranhão os grupos se organizaram e hoje tradicionalizaram o Bumba meu Boi. As mulheres não participam diretamente da festa do Bumba meu Boi, porém, elas assistem, e algumas vezes ajudam na organização. Em agosto de 2012, o bumba meu boi foi reconhecido como manifestação cultural do Brasil pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), recebendo a certificação do título de Patrimônio Cultural do Brasil. Sendo assim, o Nordeste há cada dia mostra que é uma região de várias tendências culturais e místicas que mostrar o valor e a riqueza que a arte e a cultura tem dentro do folclore Nordestino e Brasileiro.