. 06/09/17Blog de Arte e Cultura | Assuntos do Nordeste

SEGUIDORES

Página Inicial Biografia Produtos Galeria O que dizem Jornalista Links Entrevistas Contato
Confira a arte do artista potiguar Newton Avelino, na sua galeria permanente. Adquira já uma obra!

9 de jun de 2017

BRINCADEIRA JUNINA

MÊS DE FESTA E DIVERSÃO | Fonte da imagem: flickriver










MÊS DE FESTA E DIVERSÃO









         Em se tratando de região Nordeste do Brasil e de sua gente, notamos que um dos meses do ano em que eles mais comemoram, é o mês junino. Na verdade, esse pedaço do Brasil é muito festeiro, isso o ano todo. Não é à toa que essa região também é conhecida como “caribe brasileiro”, pois seu litoral é muito lindo, com paisagens belíssimas e muita gente bonita e festeira. 






      Mas, nessa região, as festas são prioridade e necessidade. Devido ao Nordeste do Brasil ser muito explorado economicamente e politicamente, é porque essa região, ainda tem suas sub-regiões atrasadas e sem quase infraestrutura, pois muitos políticos só aparecem de 4 em 4 anos para fazerem suas campanhas eleitorais e depois somem. 






        E na verdade, essas pessoas que moram nesses lugares longínquos do sertão, na maioria das vezes são pessoas pobres e muitas delas são analfabetas, não porque querem, mas também por falta de oportunidades. A geração de emprego e renda dentro do bioma nordestino quase não existe. É aí, onde entra a igreja católica, as pequenas prefeituras, e as pessoas que ali moram e começam a planejarem um calendário anual de festas comemorativas, tais como o aniversário daquele município ou de outro município, a festa do padroeiro de cada um desses município, as vaquejadas e tantas outras festas. Para que eles possam gerar emprego e renda, para aquelas pequenas cidades do interior nordestino. Então é por isso que vemos, que eles são obrigados a fazerem esses tipos de eventos, para poderem movimentar a economia dessas cidadezinhas. 






       Como o nordestino é festeiro desde que nasce, então isso é quase que uma obrigação para ele. Então como eu disse no começo da postagem, eles ficam esperando o mês de junho, para comemorarem o aniversário dos santos padroeiros da igreja católica. A devoção e a fé do homem nordestino é muito grande que isso a gente ver em cada gesto que eles praticam durante a sua jornada de trabalho, isso no campo, na cidade, ou aonde ele estiverem. Hoje vamos falar aqui, das brincadeiras de festas juninas para arrecadar dinheiro. São elas: rabo do burro, bingo, corrida com ovo, pau de sebo, dança da laranja, corrida de saco e tantas outras. 






     Qualquer brincadeira de festa junina pode arrecadar dinheiro, se esse for o objetivo. O rabo do burro é um tipo de brincadeira que você tem que acertar o rabo do burro na imagem do burro, isso, o jogador com os olhos vendados. A corrida do ovo, é quando os brincantes correm com um ovo equilibrado em uma colher na boca dos brincantes. 






      A Dança da laranja é feita com os pares dançando um forró e equilibrando bolinha ou laranja entre suas testas. O pau de sebo já está dizendo, eles colocam um mastro com sebo, de pelo menos uns doze metros de altura e que, na maioria das vezes, tem uma cédula com um valor monetário bem alto, onde os participantes são desafiados a tirarem essa cédula. 






      Essas brincadeiras, fazem desse mês junino, uma atração toda especial para quem vem em busca de ver diversão a moda antiga. Sabemos que o moderno pode muito bem andar de braços dados com o tradicional. Isso é o que é bonito na cultura, a gente preservar o passado para construir um futuro com uma identidade. 






      O impressionante nisso tudo é que, essa região brasileira, fica mais linda ainda mais, nesse mês junino, pois as fogueiras acesas nas noites juninas, os foguetões clareando os céus nordestino, as comidas típicas do sertão dando o ar de sua graça, e as quadrilhas juninas com suas coreografias, encantam a todos aqueles que participam dessa festa. 






      Tanto os brincantes quanto os visitantes ficam maravilhados com tanta cultura e tanta diversão. Essa magia dessa festa no mês de junho, não tem igual dentro do Brasil. É por essas e outras que esse mês a época é perfeita para nossas tradições com comidas típicas, decoração alegre, danças e muitas brincadeiras.







MERGULHO NO MUNDO SERTANEJO

LUGAR DE CONHECIMENTO | Fonte da imagem: Miguel Arcanjo Prado










LUGAR DE CONHECIMENTO





     

    A região Nordeste do Brasil é uma região muito rica culturalmente, e por ser assim, vemos que sua história está dentro de muitos museus de arte popular que estão dentro dessa região, e também fora dos museus, a arte popular está espalhada em vários espaços alternativos dentro dessa região, tais como: praças, restaurantes, feiras livres e outros. Não é de hoje, que os nordestinos têm uma história muito rica culturalmente falando, história de muitas batalhas, guerras e motins, sangue e vitórias. E dentro desse contexto, vemos que isso só fez enriquecer a cultura dessa região. 






      Quando se fala de Nordeste, sempre é bom, as pessoas terem certeza do que vão falar sobre os nordestinos e sobre essa região. Temos vários museus a céu aberto e outros em espaços fechados, e com isso, a cultura vem ganhando mais força na divulgação dos costumes dessa gente tão sofrida e trabalhadora. Hoje vamos falar de um museu que sempre chama atenção, tanto para quem os conhecem e que não moram na região, mas também dos que vivem nessa região e conhecem. Ele foi inaugurado em abril de 2014, e é um dos mais modernos do Brasil. Está instalado no antigo Armazém 10 do Porto do Recife, é um local de diversão, conveniência e conhecimento. 






      Estamos falando do Museu Cais do Sertão. O mergulho no mundo sertanejo começa com enorme juazeiro seco, com mais de dez toneladas, e que fica na entrada do museu. E por isso que esse local é chamada de “Praça do Juazeiro. Essa é uma árvore típica da caatinga, vegetação encontrada no sertão nordestino. Esse museu é conhecido como polo gerador de novas ideias e experiências. Nele existem obras dos mais renomados artistas populares do Nordeste brasileiro. Esse espaço cultural é dividido em Sete espaços e cada espaço desses, vem destacando um ato da vida do nordestino. 






      Os lemas de uma vida de história do homem do Nordeste brasileiro são: viver, trabalhar, criar, crer, cantar, ocupar, migrar. Então nós vemos que, esses são os contextos que contam a história do homem dessa região, e como esse homem vive dentro e fora dela. O tema “viver”, mostra uma casa típica de família pobre nordestina, feita de barro batido que chamamos de “casa de taipa” e que também destaca tudo que existe lá dentro. Na parte “trabalhar” destaca os materiais de trabalho do homem nordestino, como várias ferramentas usadas pelos trabalhadores sertanejos. Na parte de “criar”, existem várias obras de muitos artistas populares dessa região. 






      Na parte “crer”, esse espaço é reservado para as crenças do homem dessa região, especialmente aqueles que vivem lá dentro do sertão do Nordeste. Na parte de “cantar”, ela é quase toda reservada para o “rei do baião”. Na parte “ocupar”, ele destaca a geografia e a história do Nordeste. Por último, temos a parte “migrar”, esse é um espaço que fica no primeiro andar do prédio, e que, destaca o depoimento de migrantes nordestinos famosos e anônimos. O nome “Cais do Sertão” se deu porque ele está localizado na beira da água, junto ao marco zero, onde nasceu a cidade do Recife, e por abrigar toda a riqueza do sertão nordestino. 






      Com 7 mil² de área construída, e com seis metros de altura, ele tem um grande vão para passagem dos pedestres, além de detalhes de cores, e uma decoração surpreendente, esse local surpreende tanto pela riqueza cultural dos objetos quanto pela arquitetura do espaço físico. Hoje devido a essa crise política, econômica e também social, por falta de recursos financeiros, o museu, infelizmente passa por dificuldades, e por isso teve que reduzir os horários de funcionamento, infelizmente esse é o nosso Brasil. Um país que não preserva a sua cultura e a sua história, é um país sem identidade. Mas vindo a Recife, tente conhecer esse museu, pois ele é um espaço reservado para contar a história do povo nordestino e da cultural regional.

  


















Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...