A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura: cultura do nordeste brasileiro A ARTE DO NORDESTE | Blog de Arte e Cultura: cultura do nordeste brasileiro ARTE E CULTURA | Blog de Arte e Cultura Nordestina A ARTE DO NORDESTE | Blog de Arte e Cultura: cultura do nordeste brasileiro ARTE E CULTURA | Blog de Arte e Cultura Nordestina

SEGUIDORES

Página Inicial Biografia Produtos Galeria O que dizem Jornalista Links Entrevistas Contato

NEWTON AVELINO

Confira a arte do artista potiguar Newton Avelino, na sua galeria permanente. Adquira já uma obra!

30 março, 2020

BURITI GRANDE DO PIAUÍ ARTE E CULTURA NA TERRA DAS ÁGUAS MINERAIS E DOS BURITIZEIROS DO SERTÃO NORDESTINO

<img alt='culinária nordestina' src='prato regional do piauií ' title='arte e cultura nordestina na cozinha piauiense'/>







TERRA NORDESTINA ONDE CULTURA E ARTE SE MISTURAM COM A CULINÁRIA DA REGIÃO DENTRO DA TERRA DOS BURITIZEIROS




      Como todos nós sabemos, o nordeste brasileiro é uma região de arte e cultura nordestina permanente, é uma daquelas regiões encantadoras, isso, tanto faz se estivermos no litoral como se estivermos dentro de uma das suas quatro sub-regiões tais como: meio norte, sertão, agreste ou na zona da mata. Dentro dessas sub-regiões, existem uma variedade de belezas naturais e junto com elas, vem também a arte e a cultura nordestina. As pequenas cidades e os pequenos povoados dessas regiões ou sub-regiões, são lugares de encher os olhos de quem as visitas ou mesmo, mora por lá. A região Nordeste, é formada por nove estados, são eles: Bahia, Ceará, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Piauí, Maranhão, Alagoas e Sergipe. Com distintas características físicas, sociais e econômicas entre seu território de mais de 1,5 milhão de km², o Nordeste se divide em quatro sub-regiões: zona da Mata, Agreste, Sertão e Meio-Norte. O mais impressionante nisso tudo é que, entre uma região e outra, você ver mudança de sotaque, mudança na culinária, mudança no seu linguajar popular, mudança de comportamento e por aí vai. Mas você pode ter certeza, as pessoas dentre esses nove estados da região nordestina, são bem hospitaleiras, educadas e inteligentes. Esses pequenos povoados que nós costumamos ver à beira de estradas e rodagens vicinais, são povoados que tem um potencial enorme na arte e na cultura nordestina; eles têm um charme de cidadezinha de interior, que traz paz e tranquilidade para o corpo e pra mente, a não ser, quando a arte e cultura dessas regiões, estão sendo produzidas a todo vapor, aí, os festejos são grandes e bem movimentados. Hoje vamos falar de um desses municípios que está localizado na região do Piauí, e fica precisamente há uns 28 km de Picos no sertão piauiense. Vamos falar do município de Buriti Grande Pi. O povoado Buriti Grande é um daqueles povoados que faz o tempo passar e agente nem se dar conta que ele passou, porque a tranquilidade está presente no dia a dia dos nativos que moram lá e a tranquilidade do lugar impera. Nessa região, existem várias coisas que estão presente na vida das pessoas: é a água mineral, o buriti, cultivo do caju e a agricultura de subsistência. Esse povoado pertence ao município de Dom Expedito Lopes. A distância que separa a Cidade de Dom Expedito Lopes para o Buriti Grande é mais ou menos uns 2 km de distância. Essa é uma região que eu conheço muito bem, pois, tenho alguns amigos que moram no Buriti Grande, e tive sempre a satisfação de sempre que a minha família podia ir por lá, para visitar amigos, nos de semana, eu estava presente. Posso afirmar com todas as letras, que esse lugar é mágico. 


<img alt='culinária nordestina' src='prato regional do piauií ' title='arte e cultura nordestina na cozinha piauiense'/>



      É um povoado que, sempre quem frequenta esse lugar, são pessoas próximas às pessoas que ali moram, porque não é tão agitado e tem um comércio de média proporção que só abastece o próprio lugar. Então, esse lugar, é bom para o descanso nos finais de semanas, para quem gosta de apreciar a natureza e para descanso do movimento da vida agitada do dia a dia. O movimento do comércio local, fica entre as próprias pessoas desse local ou de locais adjacentes. A padroeira deste povoado, é Nossa Senhora de Fátima; a festa local é comemorada do dia 04 a 13 de maio. São realizadas novenas, batizados (confissões) e os católicos participam em massa. 


<img alt='culinária nordestina' src='prato regional do piauií ' title='arte e cultura nordestina na cozinha piauiense'/>



      Depois da missa, tem show com os artistas locais. A culinária local, faz parte da arte e da cultura nordestina do lugar, é uma das melhores. Ela se torna rica, porque são pratos saborosos e que leva temperos e ervas da região, dando um sabor e um aroma todo especial a culinária regional. Essa culinária do nordeste é riquíssima. Esses temperos, aromas e sabores, são colocados em pratos tais como: o macarrão que é feito no alho, óleo e pimenta-do-reino, a galinha caipira que é a base de temperos e ervas aromáticas da própria região, do arroz com pequi, do bode assado na brasa com macaxeira frita e tantos outros pratos deliciosos que a gente degusta nesse lugar. Tem bolos maravilhosos, como o "bolo de rosca", tem o bolo frito, o escorredor e tantos outros. Essa culinária piauiense é de dá água na boca, maravilhosa. 


<img alt='culinária nordestina' src='prato regional do piauií ' title='arte e cultura nordestina na cozinha piauiense'/>



      Esse povoado talvez tenha tido esse nome, porque nessa região, existe um plantio muito grande de "buritizeiro". Os fundadores desse povoado foram, portugueses que aportaram nessa região e eram em quatro irmãos: Joaquim Lopes, Cecílio, Marcos Brum e Manoel Lopes. Creio eu que, a produção de produtos produzidos nesse lugar, sejam vendidos na grande feira livre da grande região de Picos-pi uma cidade onde eu morei e vi de perto o poder de crescimento do comércio dessa cidade. Como eu morei por lá por uns 18 anos, e sai nos anos 80 de lá, pude observar que há cada dia, o progresso dessa imensa região, nessa década era muito grande, pois, além de ter o segundo entroncamento rodoviário do nordeste brasileiro, ela é a entrada para a transamazônica, o meio norte, e isso faz desse lugar, um lugar de grande potencial no comércio varejista dessa região. Lugar lindo e agradável, até o clima esquenta e aguça nossos pensamentos. Piauí, lindo e maravilhoso, 45° de pura beleza, charme e de pessoas agradáveis, educadas e cultas.




23 março, 2020

LAVADEIRAS AS MULHERES DOS RIOS QUE VALORIZAM A ARTE E A CULTURA DENTRO DO CONTEXTO DAS ARTES REGIONAL DO NORDESTE BRASILEIRO

<img alt=as lavadeiras' src='tradição nordestina' title='lavadeiras dos rios'/>






  AS MULHERES QUE LAVAM ROUPAS NOS RIOS E NOS CÓRREGOS, NOS AÇUDES E RIACHOS, NOS BARREIROS E CACIMBAS DO NORDESTE BRASILEIRO




      Era bem fácil, identificar as lavadeiras do sertão nordestino, pois, algumas, na maioria das vezes na totalidade, pegavam suas trouxas de roupas colocavam na cabeça e desciam para o rio, açude ou mesmo para algum barreiro que tivesse mais próximo das suas casas que ficam na caatinga (tipo de vegetação do semi árido nordestino.) Na paisagem sertaneja, era comum, ver essas mulheres, em seu ofício do dia a dia.  


                                     <img alt=as lavadeiras' src='tradição nordestina' title='lavadeiras dos rios'/>

      Acompanhadas dos filhos pequenos, elas tinham um propósito, uma determinação que no final das contas, virava arte e cultura que terminava fazendo parte da cultura regional do nordeste brasileiro. Direta ou indiretamente essas personagens do dia a dia da história do cotidiano local, se tornavam a peça principal desse teatro a céu aberto que é as nossas vidas. Mesmo algumas sem saberem ler ou mesmo que soubessem, elas eram e sempre foram o foco principal de determinado contexto dentro da cultura regional do nordeste brasileiro. Isso com o passar dos anos como em quase todo seguimento, infelizmente foi ficando obsoleto porque a tecnologia vem avançando dentro dos costumes rudes e tradicional dentro da nossa cultura. Pois, bem! 


<img alt=as lavadeiras' src='tradição nordestina' title='lavadeiras dos rios'/>



      Essas lavadeiras que além de uma história bonita e rica culturalmente, levavam seus filhos para as beiras dos rios, riachos, açudes ou barreiros, onde elas iam trabalhar, e essas crianças ficavam brincando entre elas, mas também, no final das contas elas também ajudavam a mãe, carregando feixe de galhos secos na volta para a casa. Antigamente, também existia a lavadeira urbana, que trabalhavam na cidade em casas de patroas, e que cobravam por peça de roupa, já lavada e engomada a base de ferro a carvão. Tudo isso, fazia parte da cultura popular do nordeste. Hoje, ainda temos esse tipo, trabalhadoras, mas não tão forte, como antes. As cenas das lavadeiras do sertão, em seu habitat natural, lavando as suas trouxas de roupa em pedras ao longo de algum rio ou riacho, ou até mesmo barreiros quando eles ainda têm um pouco de água, tudo isso acompanhado de uma cantoria e quando terminavam, deixavam as roupas estendidas nas pedras do leito do rio ou onde estivesse lavando. A cena fazia parte do cotidiano sertanejo. Enquanto as lavadeiras lavavam as roupas, seus filhos brincavam dentro do rio. Hoje com a modernidade isso vem diminuindo, mas com certeza, essa imagem ficará pra sempre no instinto cultural do nordeste brasileiro. O ofício de lavar roupa à beira do rio, dos açudes, dos barreiros, das cacimbas e dos pequenos açudes, ainda é resguardado por centenas de mulheres sertanejas na região do nordeste brasileiro. 


<img alt=as lavadeiras' src='tradição nordestina' title='lavadeiras dos rios'/>



      Elas acordam cedo, com o raiar do “sol dessa região”, pega o sabão negociado com a patroa e parte com as trouxas de roupa na cabeça para lavarem essas roupas, onde puder ter água, por mais que seja a escassez de água. Juntos com elas mantêm a tradição de “bater a roupa” na pedra e deixá-la “quarar”. O colorido das roupas na pedra quarando ao sol é um cenário que encher aos olhos a beira das águas de rios, açudes, pequenos barreiros e cacimbas, essa é uma tradição secular que passa de mãe para filha nos rincões do Nordeste brasileiro. Essa paisagem vem acompanhada de crianças brincando com outras crianças a beira dessas poucas ou muitas águas que ainda existem nas sub-regiões nordestinas, tais como: meio norte, sertão, agreste e zona da mata. Como o ano foi bem chovido, e que Deus fez chover nesta região, é claro que essas mulheres de fibra por onde estiverem dentro do sertão nordestino, elas estarão fazendo o seu trabalho com fibra, dedicação e amor, porque elas são parte essencial dentro de um contexto rico da cultura nordestina.