A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura: cultura do nordeste brasileiro A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro: Setembro 2019Blog de Arte e Cultura A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro: Setembro 2019Blog de Arte e Cultura A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro: Setembro 2019Blog de Arte e Cultura

SEGUIDORES

Página Inicial Biografia Produtos Galeria O que dizem Jornalista Links Entrevistas Contato

24 setembro, 2019

CASTANHA DE CAJU ASSADA DENTRO DA CULINÁRIA NORDESTINA E DENTRO DA CULTURA NORDESTINA FAZ DA ARTE NORDESTINA UMA INTRODUÇÃO DE CRIAÇÃO EM CADA PRATO

<img alt='Castanha assada ' src='castanha-assada ' title='castanha assada'/>






MODO ARTESANAL DE ASSAR CASTANHA DE CAJU PARA A CULINÁRIA REGIONAL DO NORDESTE BRASILEIRO E PARA  O CONSUMO NATURAL DENTRO DA CULTURA NORDESTINA



      No Nordeste brasileiro, existem grandes plantios de cajueiros (Anacardium occidentale, o seu nome científico; é uma árvore nativa do Nordeste do Brasil, é medicinal e alimentícia, e dela tudo se tira, com: o caju, a castanha a casca e a madeira. Existe dois tipos de cajueiro, o gigante e o comum. Algumas, chegam atingir a altura de 20 metros, ele também pode atingir uma grande superfície. 


<img alt='Castanha assada ' src='castanha-assada ' title='castanha assada'/>



      Na região Nordeste do Brasil, existem dois dos maiores cajueiros do mundo, um fica no Rio Grande do Norte o outro no estado do Piauí, os dois tem mais de oito mil metros quadrados de área. Pois bem, essa árvore, é uma das mais plantadas dentro dessa região, por isso também é explorada comercialmente. A castanha, é o fruto do cajueiro, apesar de comermos a poupa do caju, também nos deliciamos, com castanha, pois, ela possui 9% da recomendação diária de magnésio para os adultos, esse mineral é essencial para o bom funcionamento do corpo, além de ser nutritiva é muito deliciosa. O modo mais tradicional de se assar castanha, é ter, quatro pedras do mesmo tamanho, e colocadas no sentido quadrangular, pois, são elas que vão dá, sustentação para a colocação de um tacho de alumínio, onde é colocada as castanhas. Depois, é preciso colocar galhos secos como combustível para produzir o fogo, e com isso assar as castanhas. Essa lenha, é bom ser de angico, uma madeira que queima por mais tempo, e não faz muita fumaça, mas também, pode ser qualquer outra madeira, contanto que, queime por mais tempo e tenha um fogo  por mais tempo, é através desse fogo que as castanhas vão ser assadas. 


<img alt='Castanha assada ' src='castanha-assada ' title='castanha assada'/>


     Durante a queima da castanha a pessoa tem que mexer elas dentro do tacho, através de pedaço de madeira de pelo menos um metro e meio, e o importante é mexe-las  até ficarem assadas, elas irão pegar fogo, mais é muito comum isso, as suas cascas, existe um tipo de óleo, e isso, em contacto com o fogo, faz combustão, a pessoa que estiver assando as castanhas, tem que ter cuidado para elas não queimarem, pois elas estarão boas quando as suas cascar estiverem douradas, aí elas estarão prontas para saírem do flande ou outro tacho que você estiver usando. Quando elas tiverem prontas para serem tiradas do tacho a madeira que você estiver mexendo você vai e vira o tacho com essa madeira na areia ou não. Depois disso vem o processo para quebrar elas, então você tem que ter duas ou mais pedras para quebra-las, vai depender de quantas pessoas estão por perto e que, irão quebra-las. Depois é só bater na casca delas e irão parti-las, é só ir colocando dentro das vasilhas. 



<img alt='Castanha assada ' src='castanha-assada ' title='castanha assada'/>




      Essa é a forma tradicional e artesanal de se assar castanha nos mais distantes lugares do Nordeste brasileiro. A cultura Nordestina, tem dessas coisas, e dentro dessa tradição, a culinária nordestina  é beneficiada o sabor tanto do caju como da castanha do caju. Depois de todo esse processo, vem o melhor, que é saboreá-la. O Nordeste brasileiro além de ser um grande produtor de castanha de caju, ele também é um grande consumidor, além de exportar para todo o mundo.
#Texto

11 setembro, 2019

COSTUMES TRADICIONAIS DA REGIÃO NORDESTE DO BRASIL FAZ DA CASA DE FARINHA UMA TRADIÇÃO E ARTE ENTRE OS NORDESTINOS E A SUA CULTURA.

<img alt='A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura: cultura do nordeste brasileiro ' src='casa de farinha ' title='beju e tapioca'/>








OS ARTESÃOS QUE FAZEM PARTE DA ARTE DE FAZER OS PRODUTOS DAS CASAS DE FARINHA NA REGIÃO DO NORDESTE BRASILEIRO ELES SÃO MESTRES NA CRIAÇÃO DE ARTE E CULTURA DENTRO DAS CASAS DE FARINHA DA REGIÃO NORDESTINA 



<img alt='casa de farinha' src='A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura: cultura do nordeste brasileiro ' title='beju e tapioca'/>




A cultura do Nordeste brasileiro é mesmo infinita, mesmo nas pequenas coisas a cultura brasileira está entre nós. Hoje vamos falar da casa de farinha onde é produzido ainda, artesanalmente, em vários lugares do “sertão” nordestino. Esse é um ciclo que vai desde o plantio da mandioca, a coleta da mandioca, depois ela é levada para a casa de farinha para ser raspadas pelas mulheres que são responsáveis por esse serviço, depois essa mandioca vai para a serragem, que é o terceiro passo para a produção da farinha, depois essa pasta vai para a prensa, depois essa mandioca vai para peneiragem, depois vai para o forno até a farinha ficar pronta depois de duas horas, e só então é que essa farinha vai ser ensacada para poder ser comercializada nas feiras livres do sertão nordestino e do Brasil. Podemos encontrar muitas casas de farinha artesanal, da época do começo do século passado, e com os seus tachos, prensas, peneiras e todos os utensílios que é preciso dentro de uma casa de farinha. Sabemos também que, as casas de farinhas elas datam da época do Brasil império, isso no século XVll.


<img alt='casa de farinha' src='A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura: cultura do nordeste brasileiro ' title='beju e tapioca'/>



Ela é um componente essencial da dieta da população brasileira, geralmente as regiões Nordeste e Norte do Brasil. Tudo isso faz parte dos costumes tradicionais, do folclore, da cultura e da arte dos antepassados do povo nordestino.  Sabemos também que, os índios, foram os primeiros a cultivarem essa espécie. O método dos índios da época, já extraiam a goma ou fécula; o tucupi; e a farinha de tapioca. Os primeiros vestígios de pilões para moagem da mandioca, datam de dois mil anos. Você ainda pode ter o privilégio de encontrar dentro do sertão nordestino, algumas casas de farinha dos anos 40 funcionando perfeitamente. Geralmente, as famílias se unem nesse trabalho artesanal para continuar mantendo a tradicional secular que tanto nos faz ver o quanto é importante preservar o tradicional, mesmo construindo novos conceitos e novas técnicas para que a cultura sempre mantenha o tradicional, mas que o novo ande lado a lado com esse tradicional. Alguns dos utensílios usados na farinhada, ou fabricação da farinha são: caçuá ou cofo: são cestos que são feitos de cipó para transportar a produção da farinha. A cangalha e o cambito são para colocar no dorso dos animais para levar os caçuás. Caititu ou bola é uma peça que rala a mandioca, mais hoje já pode ser a peneira. O cocho é feito de madeira na forma de uma canoa, para guardar a rapa da mandioca. Peneiro é um cesto feito de vime ou de palha de carnaúba para guardar a massa da mandioca.


<img alt='casa de farinha' src='A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura: cultura do nordeste brasileiro ' title='beju e tapioca'/>



O pilão é uma peça de madeira feito para colocar a mandioca para ser socada até completar o processo de relação; Prensa, é utilizada para separar o líquido da massa, são geralmente de madeira e acionadas por alavanca ou parafuso. Raspador ou facas, são instrumentos usados para descascar e raspar a mandioca. O tacho é onde é torrada a farinha. Então vemos que isso é uma tradição secular e que continuar com todo o vapor no Nordeste brasileiro, mesmo com toda a modernidade, mesmo com todas as exigências que os órgãos fiscalizadores possam trazer, a tradição da farinhada e da fabricação da farinha em pequena e média escala e por muitos sertanejos que são pequenos agricultores; que plantão (agricultura) de subsistência, essas famílias continuam levando a tradição da farinhada em frente, e deixando um legado para futuras gerações. O pequeno agricultor nordestino que fabrica farinha nas suas casas de farinha, eles fazem para o seu consumo e para poderem vende-la nas feiras livres dessa região. As casas de farinha sempre será uma tradição no Nordeste brasileiro.
#Texto


06 setembro, 2019

A CIDADE DE NOVA IORQUE É UMA CIDADE NORDESTINA QUE MOSTRA A ARTE E A CULTURA DENTRO DO CONTEXTO REGIONAL DO NORDESTE BRASILEIRO

<img alt='new york' src='A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura: cultura do nordeste brasileiro ' title='cidade-do-maranhão'/>







OS SEGREDO DESSA CIDADE DO MARANHÃO QUE LEVA O NOME DE UMA CIDADE AMERICANA E QUE FAZ PARTE DA CULTURA DO NORDESTE BRASILEIRO 





O Brasil, tem algumas coisas pitorescas e culturais que, podem acontecer muitas vezes, dentro das suas regiões e isso é bem presente. A nossa influência já há bastante tempo é uma influência americanizada da América do Norte, e isso acontece desde há época da Segunda Guerra Mundial e veio com o passar dos anos, acontecendo com mais frequência e com mais intensidade. Isso dentro da culinária, dentro do comércio, em geral, isso dentro do modo de se vestir de muitos brasileiros e dentro da própria cultura globalizada. Já que o mundo se globalizou, isso se torna praticamente cultural. Hoje, no Brasil, você ver muitos estabelecimentos comerciais, com a fachada com nomes em inglês, você ver muitas pessoas  querendo viajar para a Disney, você ver muitas pessoas a usarem produtos americanos e por aí vai. 





<img alt='nova iorque brasileira' src='A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura: cultura do nordeste brasileiro ' title='cidade do maranhão'/>







      Nada contra, pelo contrário, eu tenho muita admiração pela à América, pela sua cultura e pelos americanos. O que eu quero dizer aqui, é que, a nossa cultura, é muito próxima a cultura americana, justamente pela influência americana desde a Segunda Guerra Mundial. Com o passar dos anos essa influência foi crescendo devido à globalização e a facilidade de intercâmbios e de viagens turísticas entre os dois países. Como o mundo se globalizou, e o país capitalista atrai mais as pessoas pela facilidade de poder de compra, de consumo, turismo de alta qualidade, então isso atrai as pessoas que gostam de conhecer novas culturas a se deslumbrarem pela facilidade de um mundo moderno e cheio de novidades que essas pessoas não tinham visto ainda. 





<img alt='turismo em nova iorque' src='A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura: cultura do nordeste brasileiro ' title='cidade do maranhão'/>


      Acho que o brasileiro é apaixonado por coca-cola, música americana e calças jeans e isso vem desde a época dos hippies e do woodstock onde os brasileiros assistiam pela tv, toda essa metamorfose cultural americanizada do (paz) e amor, naquela fase elementar do Led Zeppelin - Rock And Roll. Eu sou admirador de toda a cultura e de todos os países, não concordo com políticas intervencionistas, sou a favor do bom diálogo entre os homens e entre as nações. Acho também que, só a arte e a cultura para aproximar os homens e as nações e evitar os conflitos. Mas o que eu quero dizer aqui, é que, dentro do nosso nordeste brasileiro, também temos uma cidade brasileira com o nome de uma grande cidade americana. Essa cidade americana é o coração comercial, cultural e social do mundo. Com as suas tribos, as suas culturas diversificadas e com as suas diversões, ela torna-se cosmopolita e de alta intensidade cultural, social e económica para a América. Essa cidade americana se chama NEW YORK. Mas para não ficar para trás, o Nordeste brasileiro, resolveu ter a sua própria Nova Iorque. Vamos falar dessa Nova Iorque nordestina que está situada no Estado do Maranhão. Essa cidade, fica a 554 km da capital maranhense, São Luis do Maranhão, e os seus habitantes se chamam nova-iorquinos. Esse município, se estende por 976,9 km² e tem 5.087 habitantes no último censo. A sua densidade demográfica é de 4,7 habitantes por km² no território do município. Vizinho dos municípios de São Vicente Ferrer, São João Batista e Olinda Nova do Maranhão, Nova Iorque se situa a 7 km a sul-Oeste de São Vicente Ferrer a maior cidade nos arredores. Situado a 8 metros de altitude, de Nova Iorque tem as seguintes coordenadas geográficas: Latitude: 2° 55' 44'' sul, Longitude: 44° 56' 9'' oeste. Ela foi fundada no ano de 1886. Está numa altitude de 178m em relação ao nível do mar. Essa cidade é uma das poucas cidades planejadas do estado maranhense. O rio Parnaiba e a represa Boa Esperança proporcionam aos turistas, praias lindas e procuradas por muitos turistas. Os indícios e os relatos mostram a origem do nome dessa cidade. De acordo com o depoimento de nativos da região, levam ao nome do engenheiro norte-americano Edward Burnet. Ele chegou na região lá pelo século XlX; havia sido nomeado pelo governo imperial brasileiro, chefe da missão, responsável por fazer a limpeza do Rio Parnaíba, para que houvesse navegação segura. Com o fim da missão ele decidiu por fixar residência, e ali, começou a existir uma vila, e denominou a Vila Nova. 


<img alt='nova iorque no maranhão' src='A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura: cultura do nordeste brasileiro ' title='cidade de nova iorque'/>


      Por volta de 1890, é desmembrada do município de Pastos Bons. Foi aí que o engenheiro norte Americano colaborou no planejamento do espaço arquitetónico e sugeriu o nome da cidade de New York nos USA. Daí nasceu essa cidade com o nome de uma cidade norte-americana. Pois, ali era ponto estratégico para o comércio local. Pois, o porto da cidade ancorava grandes, pequenas e médias embarcações. Vindo ao estado do Maranhão, procure conhecer a cidade de Nova Iorque no estado do Maranhão.






.