Blog de Arte e Cultura | ARTE NORDESTINA: arte e cultura popular 02/23/19A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura: cultura do nordeste brasileiro

SEGUIDORES

Página Inicial Biografia Produtos Galeria O que dizem Jornalista Links Entrevistas Contato
Confira a arte do artista potiguar Newton Avelino, na sua galeria permanente. Adquira já uma obra!

23 fevereiro, 2019

PATATIVA DO ASSARÉ AVE POESIA








         PATATIVA DO ASSARÉ UMA LENDA NORDESTINA




       

     Falar do poeta popular, é uma satisfação enorme, porque ele é a prova viva de que Deus é quem dá para eles, a inteligência, o improviso e a sensibilidade para que ele mostre sua arte para o mundo. O artista popular na maioria das vezes, não tem formação acadêmica, simplesmente ele é um artista autodidata. 





    O improviso, a sua capacidade de raciocínio e seu talento, são usados para mostrar para o mundo, tudo aquilo que ele pensa, e que ele acha da vida, dos amores, trovadores, do seu dia a dia e da sociedade onde ele vive, ou não. Digamos que a região do Brasil, o Nordeste brasileiro, seja um grande celeiro de talentos para outras regiões do Brasil e para o mundo. Falar de Patativa é falar simplesmente de um mestre da poesia, de causos, prosas e músicas. 





     Ele era referência para todos e todas, pois seu talento não demarcava fronteiras, ele era muito grande para ficar só no Nordeste brasileiro. Luiz Gonzaga gravou música de Patativa, Raimundo Fagner gravou música de Patativa, tantos outros artistas brasileiros. Os artista mais modernos gravaram também Patativa do Assaré, como Mastruz com Leite e Alcimar Monteiro. Com uma linguagem simples, poética e bem popular, ele retratava suas poesias o árido universo da caatinga nordestina e de seu povo sofrido e valente do Sertão nordestino.      





     Ele tinha uma vida simples de agricultor, mas se tornou conhecido em todo o Brasil a partir da gravação da música "A Triste Partida" em 1964, interpreta por Luis Gonzaga, o rei do Baião. Depois de alguns versos ele decidiu musicá-los e, sua gravação no ano de 1965, ficou ainda mais reconhecido nacionalmente. Patativa Lançou 4 livros de poesias. Inspiração Nordestina, 1957, Patativa do Assaré em 1970, Conto da Patativa em 1976 e Cante lá que eu canto cá, em 1978. Suas poesias passou a ser estudada nos anos de 1970 pela cadeira de Literatura Popular Universal, da Universidade da Sorbonne na França.  





      Sua discografia: 1979 Poemas e Canções, 1981 A terra é naturá, 1985 Patativa do Assaré (Projeto Cultural do BEC), 1989 Canto Nordestino-80 ano de luz, 1994 85 anos de poesia, 1995 Patativa do Assaré 88 anos de poesia. Entre títulos, prêmios e homenagens, ele  tem pelo menos uns 26. Livros sobre o poeta, são pelo menos uns 11. Patativa do Assaré (Antônio Gonçalves da Silva) (1909-2002) nasceu no município de Assaré, interior do Ceará, a 623 km da capital Fortaleza. 





      Filho dos agricultores Pedro Gonçalves da Silva e Maria Pereira da Silva, ainda pequeno ficou cego do olho direito. Órfão de pai aos oito anos de idade começou a trabalhar no cultivo da terra. Com pouco acesso à educação, frequentou durante quatro meses sua primeira e única escola onde aprendeu a ler e escrever e se tornou apaixonado pela poesia. Patativa do Assaré, uma lenda nordestina. 


Fonte do vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=8d7NgjrE8Lw