. 07/25/18Blog de Arte e Cultura | Assuntos do Nordeste

SEGUIDORES

Página Inicial Biografia Produtos Galeria O que dizem Jornalista Links Entrevistas Contato
Confira a arte do artista potiguar Newton Avelino, na sua galeria permanente. Adquira já uma obra!

25 de jul de 2018

CARRANCAS DO SÃO FRANCISCO


carrancas do brasil | fonte da imagem: minhabahia



CARRANCAS DO BRASIL



    As carrancas são marcas registradas do rio são Francisco, elas fazem parte da vida e da cultura dos ribeirinhos, da encosta do São Francisco. A presença delas sempre foi marcante na proa das embarcações que subiam e descia este rio, no século XlX até o século XX. Estas figuras aozntropomórficas, meio bicho, meio-gente, tem imagem assustadora, mas com o poder de espantar mau olhado, espíritos brincalhões, azar e assombrações, isso de acordo com os ribeirinhos locais. Eles dizem que elas eram capazes de afastar jacarés, que na época habitavam o rio, e outras coisas ruins que por ventura estavam ao longo do rio. Muitos historiadores falavam que muitos navegadores movidos por interesses comerciais buscavam carrancas cada vez mais originais e bem trabalhadas, o que pode ter estimulado a confecção e o desenvolvimento dessa arte no São Francisco. 
                                                             
carrancas do brasil | fonate da imagem: journals


    No século XIX e no século XX era muito fácil encontrarmos rio abaixo, rio acima, elas que ficavam na proa das embarcações, isto é cultural dessa região, é marca registrada. Existe uma forte tendência à submissão e crença no poder sobrenatural das carrancas que é explicado a partir do primitivismo e ingenuidade dos habitantes, que eram povos extremamente supersticiosos, e acreditavam em várias lendas. Aos artesãos do médio São Francisco, cabem o mérito de criação popular para cada aspecto místico e decorativo, baseada no cultural da região, mas com uma enorme influência da arte da idade média. A criação e a produção desses artefatos culturais, eram feitas por família de artesãos e que tinham uma grande produção como objeto decorativo. A característica plástica predominante em todas as carrancas, corresponde ao fato delas apresentarem fisionomias de animais, cabeça de humanos parecendo com figuras mitológicas. Estas figuras têm traços marcantes com vastas cabeleiras e os olhos de humanos que elas possuem. 

                                                             
carrancas do brasil | fonte da imagem: westwing

    Elas deixaram de ser figuras de proa e passaram a ser objetos de arte popular presentes em museus, exposições e feiras de artesanatos, já depois do século XIX. A produção desse artefato cultural, teve uma grande procura e uma grande aceitação, foi aí que expandiu-se tornando-se uma atividade alternativa para os carranqueiros do Nordeste. Hoje fazer carrancas é uma atividade altamente lucrativa além de ser uma expressão popular. Sabemos que as primeiras populações ribeirinhas do São Francisco a partir da época da colonização eram de característica negra ou índia, como atestam relatos do Padre Martinho Nantes do século XVII, do viajante Sir Richard Burton em 1867, de Saint-Hilaire do século XIX.
                                                              
carrancas do brasil | fonte da imagem: cultura


     Os barqueiros eram de características negras, sendo até o período anterior à abolição da escravidão, escravos que faziam o serviço de travessia e ligação entre as diferentes cidades. Não devemos esquecer, da cultura cabocla que também incorporou elementos da cultura indígena, de modo que a ideia de espíritos do rio e espírito da mata possam ajudar ou prejudicar uma travessia. Ela também é natural do imaginário ameríndio. Na verdade, elas têm um pouco ou muito de cruzamento de influências do imaginário cristão português, notadamente africano e ameríndio.





CULTURA BRASILEIRA

cultura da região nordeste | fonte da imagem: toque do nordeste em minas




CULTURA DA REGIÃO NORDESTE



    A diversificação da cultura dentro das culturas do Brasil, é uma coisa impressionante. Como esse país é um país continental e cheio de aldeias culturais com suas origens, seus costumes e suas tradições, ele se torna cosmopolita, pois tem cidadãos de todo o mundo em todo o lugar do Brasil. Dentre tantas diferenças culturais entre estados do sul e sudeste, podemos dizer que já no Nordeste brasileiro essas influências culturais são mais regionais, de raiz mesmo. Ou seja, tivemos as influências do afro, do índio, do europeu e um pouco do oriente. Já nos estados do Sul, foram mais tradições dos europeus e orientais, como: os italianos, alemães, chineses, japoneses. Quero dizer que, a nossa miscigenação foi criada da beleza das misturas e de suas culturas, por isso esse país chamado de Brasil é tão diversificado na sua cultura e nas suas tradições que, seria leviano dizer que uma cultura é melhor do que outra ou que uma cultura não corresponde sobre a história do Brasil. 



cultura da região nordeste | fonte da imagem: Yacamim



Afinal foram os imigrantes que também tiveram uma grande participação na construção da nossa pátria. Todas as culturas que foram introduzidas dentro da cultura brasileira, serviram para fazer a história desse país, é claro que, com o passar dos séculos, essas culturas foram adaptadas, e se tornaram genuinamente brasileira, fazendo parte da nossa própria história, dos nossos próprios costumes e da nossa própria vida social e econômica. Vamos falar um pouco da nossa cultura Nordestina, que teve essa grande influência dos portugueses, logo na época do Brasil colônia. A nossa história tem que passar por eles, que foram quem deram o pontapé inicial nos costumes, crenças e tradições do nosso Brasil. Os índios, português, orientais (os chineses) e os africanos (os escravos). Vamos falar do Frevo, Maracatu, Axé e o Forró como influências dessas culturas. O frevo é uma dança tipicamente pernambucana criada no Brasil, mas com influência diretamente na ginga da capoeira, que por sua vez tem suas tradições africana; a palavra frevo surge como uma corruptela do verbo ferver (“frever”). Isso porque essa dança é uma dança frenética, de ritmo muito acelerado cuja origem decorreu num momento igualmente frenético em termos políticos e sociais. 

cultura da região nordeste | fonte da imagem: sandra monteiro


    O maracatu, também é uma dança folclórica de origem afro, que nasceu também no estado de Pernambuco. Ela surgiu no século XVlll, a partir da miscigenação musical das culturas portuguesa, africana e indígena. É uma dança de cortejo associada aos reis congos. Os maracatus, tradicionalmente, surgiram e se desenvolveram ligados às irmandades negras do Rosário. Existe nos Maracatus um forte componente religioso. O xaxado é conhecido como ritmo do Nordeste brasileiro com raiz nos costumes do sertanejo local, originário das regiões do Pajeú e Moxotó no interior de Pernambuco, com características das culturas indígenas. Seu nome foi atribuído ao som que os cangaceiros faziam com as suas alpercatas arrastando no chão durante a dança, que soava “xa-xa-xa”. Essa dança foi difundida no século XX, no início dos anos 20. Ela pode ser vista na cultura nordestina como uma dança rica e extremamente folclórica que tem seus estilos naturais e sem alterações. Já o Axé foi criado nos anos 80, no entanto o termo “axé” é utilizado erroneamente para designar todos os ritmos de raízes africanas ou estilos de músicas de qualquer banda ou artista baiano. Digamos que talvez, o percussor desse estilo musical tenha sido Dodô e Osmar com suas guitarras elétricas criadas nos anos 20. 



cultura da região nordeste | fonte da imagem: wikidança





Esse estilo musical que nasceu na Bahia, com influências baianas e com influencias africanas nos leva a mostrar que as músicas, os ritmos e as danças, tiveram uma forte influência africana, mas com adaptações aos nossos costumes e a nossa cultura. Isso levou com que fizéssemos a nossa própria cultura e a nossa própria história. Já no forró, os estudiosos encontraram muita semelhança com o arrasta pé dos índios chamados de toré, também tem um pouco dos ritmos holandeses e portugueses chamados de binários e também, o Chula, sempre de origem europeia. O que acontece é que, realmente, direta ou indiretamente, tivemos influencias na nossa cultura, mas soubemos adapta-las as nossas tradições e a nossa própria história, já que, a cultura só começa a ser criada a partir do momento que criamos uma sociedade e começamos a fazer tudo aquilo que pensamos e criamos dentro dessa sociedade. A cultura nordestina é uma das que mais cria e uma das que mais inova e preserva seus costumes.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...