A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura: cultura do nordeste brasileiro A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro: 12/08/18Blog de Arte e Cultura A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro: 12/08/18Blog de Arte e Cultura A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro: 12/08/18Blog de Arte e Cultura

SEGUIDORES

Página Inicial Biografia Produtos Galeria O que dizem Jornalista Links Entrevistas Contato

08 dezembro, 2018

CAPOEIRA E ARTE

Fonte da imagem: farolnews









DANÇA, EXPRESSÃO CORPORAL, ACROBACIA







      A capoeira foi trazida para o Brasil, pelos escravos africanos, mas seu nome é tupi-guarani. Talvez ela seja a única legítima arte marcial brasileira, declarada patrimônio cultural brasileiro pelo instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), foi criada nos tempos da escravidão, pelos negros do Brasil, como forma de preparação para fugas. A capoeira é uma autêntica expressão cultural brasileira, é uma mescla de luta marcial, dança, esporte e música. Ela surgiu pela necessidade de auto defesa dos negros trazidos para trabalharem nos engenhos e fazendas. 




Fonte da imagem: otabuleiro



      Um capoeirista tinha maior chance de sucesso contra os capitães do mato. Portugal adotou a prática da escravidão ainda no século XV, antes da descoberta do Brasil, que ainda assim, foi o maior receptor de escravos como mão de obra, já que a população local (os índios) não se adaptavam à produção em escala comercial. É possível que na época do Brasil colônia, tenham entrado de 3,5 milhões de africanos trazidos a força para o Brasil, para serem escravos entre o século XVI e XIX. A capoeira caracteriza-se pela musicalidade. As lutas e apresentações são marcadas pelo ritmo do berimbau e dos atabaques, tocados pelos próprios praticantes, o que confere um caráter lúdico à prática. O termo é a junção de duas palavras indígenas Ka’a (mata) e puer (que fora). 



Fonte da imagem: baiabonita




     Eles iam para as matas, muitas vezes integrando-se com aldeias de índios. Também no início da colonização portuguesa, a população negra era majoritária. A falta de armas era o grande triunfo dos europeus, o desconhecimento do território e a discordância entre escravos de nações diferentes, impediu que se formasse uma frente homogênea para reagir aos castigos físicos, que eram verdadeiras torturas, pois a carga excessiva de trabalho era brutal especialmente nas fazendas de cana de açúcar. Então a solução encontrada por eles eram as fugas. Foi por isso que a capoeira surgiu como esperança de liberdade, mais do que é uma técnica de combate. Os escravos desenvolveram a técnica e a luta para superarem o meio hostil e os ataques de capitães do mato. A capoeira possui três estilos que diferenciam nos movimentos e no ritmo musical de acompanhamento. 


Fonte da imagem: trover



       O estilo mais antigo, criado na época da escravidão, é a capoeira angola. As principais características deste estilo são: ritmo musical lento, golpes jogados mais baixos próximos do solo e muita malícia. O estilo regional, criado por mestre Bimba, caracteriza-se pela mistura da malícia da capoeira angola com o jogo rápido de movimentos, ao som do berimbau. Os golpes são mais rápidos e secos, sendo que as sua coreografia não são utilizadas. O terceiro estilo de capoeira é o mais praticado na atualidade. É importante ressaltar que capoeira é uma só, a capoeira de Angola, é considerada a precursora desses outros estilos, mas ela, a capoeira de Angola, é a mais próxima da capoeira jogada pelos africanos.