. 07/03/18Blog de Arte e Cultura | Assuntos do Nordeste

SEGUIDORES

Página Inicial Biografia Produtos Galeria O que dizem Jornalista Links Entrevistas Contato
Confira a arte do artista potiguar Newton Avelino, na sua galeria permanente. Adquira já uma obra!

3 de jul de 2018

FOGUEIRA DE SÃO JOÃO

símbolo das festas juninas | fonte da imagem: pbhoje






SÍMBOLO DAS FESTAS JUNINAS





      Sempre é bom, ver o Nordeste brasileiro em festas, precisamente aquelas que fazem parte do calendário cultural desta região. Não é de agora, que essa região é conhecida pelos seus costumes e suas tradições festivas. O calendário festivo do Nordeste brasileiro é bem diversificado, isso sem falar nas médias e pequenas festividades do calendário das pequenas cidades aonde não tem emprego e para gerar recursos, às prefeituras das pequenas e médias cidades, tentam gerar divisas, através dessas festas. 



    Podemos dizer, que basicamente as maiores festas do calendário nordestino seria: o natal, carnaval e o São João. Isso não quer dizer que, as outras festas comemorativas durante o ano, não sejam boas. Como folia de Reis, lavagem da escadaria do Bonfim, bumba meu boi e outras. As festas populares, também conhecidas como manifestações populares ou festas típicas, que fazem parte de uma determinada região. 



    Estamos no mês de junho, e nesse mês, as festas juninas são comemoradas durante todo o mês de junho, e onde tiver um arraiá, à festa não acaba. Nesse contexto de festas juninas, as principais cidades do Nordeste do Brasil a realizarem grandes festejos nessa época são: Caruaru, Campina Grande, Salvador, Mossoró e Aracajú. A tradição dessa festa em particular é: a devoção que o povo nordestino tem pelos Santos da Igreja Católica. 



    Nessa época, esses festejos têm como principal prioridade, a devoção das pessoas, depois vem a diversão, sua tradição dentro de um contexto folclórico e depois à gula. Os quitutes e pratos que são apresentados às pessoas, são manjares. As celebrações que acontecem nessa época de festas juninas, são marcadas pelas quadrilhas juninas, comidas típicas, fogueiras, danças regionais e muito forró pé de serra. 



    As comidas que são feitas nessa época do ano, são derivadas do milho, e por isso mesmo são comidas com calor calórico bem alto e de sabor bem aguçado. Uma das mais perigosas tradições nessa época do ano, na festa junina, são os fogos de artifícios, pois os praticantes de brincadeiras com fogos, estão expostos a queimaduras, e a muitos outros acidentes muito mais graves podem acontecer, por isso sempre é bom ter cuidado na hora de manusear esse tipo de artefato.        


    Outra tradição que está um pouco esquecida, é o mastro que é usado com três bandeirinhas representando cada Santo católico ligados à festa. As fogueiras juninas, têm origem europeia e fazem parte da antiga tradição pagã de celebrar o solstício de verão. 



    Assim como a cristianização da árvore pagã “sempre verde”, que se tornou a árvore de natal. A fogueira à volta do 25 de junho tornou-se, pouco a pouco, na idade média, um atributo da festa de São João Batista, o Santo celebrado nesse mesmo dia. 



    Hoje, as festas juninas, comemoradas tanto no Brasil como em alguns países católicos da Europa, como Portugal, Irlanda, França e outros, os países nórdicos e do Leste europeu, homenageiam três santos católicos: Santo Antônio, São João Batista e São Pedro. Então como vemos, todas essas nossas festas de cunho católico ou não, são heranças culturais de Portugal ou de outro país europeu. 



    Soubemos adaptar aos nossos costumes e ao nosso cotidiano toda influência vindo de Portugal ou de outros países, e deixamos esses costumes genuinamente brasileiro. Assim é que vivenciamos e brincamos dentro da nossa cultura conservando o tradicional de cada história que ela nos conta.







Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...