A ARTE NORDESTINA | Blog de arte e cultura: do nordeste brasileiro A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura: do Nordeste Brasileiro A ARTE NORDESTINA | Blog de arte e cultura: do nordeste brasileiro A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura cultura do nordeste brasileiro A ARTE NORDESTINA | Blog de arte e cultura: do nordeste brasileiro: Fevereiro 2020 A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura cultura do nordeste brasileiro A ARTE NORDESTINA | Blog de arte e cultura: do nordeste brasileiro: Fevereiro 2020
   
   

SEGUIDORES

Página Inicial Biografia Produtos Galeria O que dizem Jornalista Links Entrevistas Contato

NEWTON AVELINO

Confira a arte do artista potiguar Newton Avelino, na sua galeria permanente. Adquira já uma obra!

29 fevereiro, 2020

A ARTE NORDESTINA EMPREGADA NA CULINÁRIA REGIONAL DO PIAUÍ TRAZ AROMA E SABOR NO PRATO DE MARIA ISABEL DENTRO DA COZINHA PIAUIENSE

<img alt='maria isabel' src='prato regional do piauií ' title='maria isabel: prato da cozinha piauiense'/>








MARIA ISABEL É UM PRATO DA COZINHA PIAUIENSE, QUE TRAZ ARTE E CULTURA  EMPREGADO NO PREPARO DESSE ARROZ E FEIJÃO REGIONAL



      A culinária da região Nordeste do Brasil, é uma das mais apreciadas pelo público, tanto os nativos dessa região, quanto quem vem para conhecer o estado, ou seja, os turistas; pois, seu aroma e seus temperos picantes, fazem dela, uma cozinha regional de sabores atrativos e de fino trato. Geralmente, nessa região, a tendência sempre muda de acordo com a criatividade dos metres ou de cozinheiras e cozinheiros de alto conceito dentro da gastronomia regional. Tanto os nativos, quantos os turistas internacionais, são apaixonados pela gastronomia do Nordeste Brasileiro. Vários pratos tradicionais, são oferecidos nos restaurantes dessa região brasileira, tais como: carne de sol, chambaril, galinha à cabidela, camarão ao molho, peixe no bafo e tantos outros pratos regionais, que existem nessa culinária regional. Cada estado dessa região, tem sua culinária, com alguns nomes diferentes entre os pratos dos estados, mas basicamente é quase a mesma coisa. 


<img alt='maria isabel' src='prato regional do piauií ' title='maria isabel: prato da cozinha piauiense'/>



      Então, Hoje, vamos falar de um prato muito conhecido e muito apreciado no estado do Piauí, lá no meio norte do Nordeste brasileiro. Vamos falar do prato que leva o nome de "Maria Isabel". Esse prato, basicamente é feito em cima de alguma sobra de arroz do almoço passado, e que fica lá no cantinho da geladeira para ser esquentado no (micro-ondas), no outro dia, então é com essa sobra de arroz que você pode começar a fazer esse prato, a carne que vai nele, também pode ser aquela sobra de carne de sol que sobrou do almoço, se não sobrou nada, nem o arroz e, nem a carne, também pode ser feito. Então vamos aos Ingredientes: 600 gramas de carne seca cortada em pedacinhos, 4 xícaras de chá, com arroz, sete xícaras de chá com água, três colheres de sopa com óleo, uma xícara com cebola roxa picada, um pimentão bem picado, uma pimenta-de-cheiro, colorau a gosto, cebolinha e coentro, picados. 


<img alt='maria isabel' src='prato regional do piauií ' title='maria isabel: prato da cozinha piauiense'/>



      Modo de preparo: tempere a carne com os temperos secos de sua preferência: alho, pimenta-do-reino e cominho. Sal a gosto para temperar a carne seca. Coloque em uma panela e leve ao fogo, a carne já temperada com o óleo. Refogue até a carne ficar frita, junte a cebolinha, o colorau e o arroz. Deixe refogar até ficar no ponto. Acrescente água fervente o suficiente para cobrir o arroz. Veja se está bom de sal, ou precisa colocar mais um pouco. Faça um buraquinho no meio do arroz e ponha a pimenta-de-cheiro inteira ou não. Antes de colocar a pimenta, faça mais dois furos na pimenta com um palito ou garfo. Quando o arroz estiver pronto é só retirar a pimenta. Depois regue o arroz que foi cozido com um fio de óleo. Deixe cozinhar em fogo brando, por pelo menos 25 minutos ou até á água secar. Depois mexa o arroz com um garfo e acrescente o coentro picado com a cebolinha. 


<img alt='maria isabel' src='prato regional do piauií ' title='maria isabel: prato da cozinha piauiense'/>



      Esse prato é um manjá. Iguaria sempre presente no cardápio piauiense, o Maria-Isabel consiste em um picadinho de carne-seca misturado com arroz previamente temperado e cozido em panela de barro. Esse é um prato que tem um aroma suave com temperos picantes que fazem dele, um dos pratos mais apreciados dentro do estado do Piauí, mas também ele é encontrado no estado do Maranhão, Goiás e Mato Grosso. O mais interessante nisso tudo, é que, esse prato, como tantos outros, que são feitos nessa região, são feitos com sobras de comidas que ficam na geladeira como o arroz e a carne, e isso, são aproveitados através da criatividade das cozinheiras ou cozinheiros, que inventam tais pratos, e colocam nomes exóticos, neles. No estado do Ceará temos o "sovaco de cobra", "sarapatel" , "buchada" e tantos outros nomes exóticos. Vindo ao Piauí, procure degustar as delícias da cozinha regional desse estado querido.












27 fevereiro, 2020

ARTE BRASILEIRA RUPESTRE INTRODUZIDA NO PARQUE NACIONAL DA SERRA DA CAPIVARA NO PIAUÍ

<img alt='arte nordestina cultura brasileira' src='piauí turismo de aventura ' title='parque nacional serra da capivara'/>






A ARTE NORDESTINA PRESENTE NO PARQUE SERRA DA CAPIVARA: PATRIMÔNIO DA HUMANIDADE 




      O Estado do Piauí é uma região riquíssima em Biodiversidade, na sua agricultura, na sua, caprino (cultura) e, porque não dizer, na sua culinária que faz parte da cultura brasileira e em tudo que esse estado maravilhoso tem. O estado do Piauí tem dois grandes Parques Nacionais que são eles: Parque Nacional Serra da Capivara e o outro é Parque Nacional Sete Cidades. Hoje vamos falar do Parque Nacional da Serra da Capivara. 


<img alt='arte nordestina cultura brasileira' src='piauí turismo de aventura ' title='parque nacional serra da capivara'/>



      Ele está localizado por quatro municípios do Piauí, esse Parque é um local pouco explorado e conhecidos pelas pessoas. É considerado Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO em 1991. O local está sofrendo com sérios problemas desde 2004. Falta proteção, preservação e amparo institucional do Governo, essas são as principais ameaças. Sobre um relevo acidentado, em uma região de clima semiárido, período alternado de chuvas e de secas, que promovem fortes mudanças na paisagem. Em um momento, a vegetação é exuberante e há uma surpreendente diversidade de flores de cores vivas. Em outro, a vegetação seca, perde suas folhas. É quando as formações rochosas se destacam sobre a vegetação desnudada. Além das belas formações rochosas nas chapadas e vales, destacam-se os sítios arqueológicos com pinturas rupestres e grafismos gravados sobres paredões de arenitos. São mais de mil sítios cadastrados, isso já faz parte da cultura nordestina e da cultura brasileira, pois, é onde tem maior concentração conhecida de sítios arqueológicos na América. 


<img alt='arte nordestina cultura brasileira' src='piauí turismo de aventura ' title='parque nacional serra da capivara'/>



      Alguns dos vestígios da presença humana, na região, datam de 48 mil anos, são os mais antigos, conhecidos no continente americano. Esse Parque, foi criado em 5 de junho de 1997, pelo Decreto nº 83.548, visando proteger a flora e a fauna, as belezas naturais e os monumentos arqueológicos numa área de 100 (mil) hectare. Foi ampliado, em 1990, com a criação de áreas de preservação permanentes adjacentes, com 35 mil hectares. Esse lugar convida os visitantes a fazerem uma viagem no tempo, ele conta com mais de 1.200 sítios arqueológicos com pinturas rupestres, agrupando os mais antigos vestígios da ocupação humana da América do Sul. Apesar de tantas riquezas, o Parque está precisando de investimentos, recursos orçamentários para custear a manutenção permanente e investimento público, porém, até aqui nada foi feito, apesar de todos os esforços. 

<img alt='arte nordestina cultura brasileira' src='piauí turismo de aventura ' title='parque nacional serra da capivara'/>




      O Parque Nacional Serra da Capivara está há bastante tempo funcionando de forma precária e dos quase 300 funcionários que o local já teve, hoje esse lugar conta com o quadro de funcionário reduzido. O Parque conta também com Centro de visitantes, mirantes, trilhas ecológicas e o Museu do Homem Americano. A fauna e a Flora são típicas da caatinga. Encontram-se tatus, tamanduás, jacus, jaguatiricas, cotias, veados, porcos-do-mato, macacos-prego e onças. Também existe grande variedade de aves, lagartos e serpentes. O Parque Nacional Serra da Capivara fica situado no sudeste do Piauí e envolve áreas de 4 municípios: São Raimundo Nonato, João Costa, Brejo do Piauí e Coronel José Dias. A sede administrativa do Parque, fica na cidade de São Raimundo Nonato, a 26 km do acesso à guarita do Boqueirão da Pedra Furada e a 19 km do acesso à Guarita da Serra da Vermelha, ambas dentro do Parque. Indo ao Estado do Piauí, procure conhecer esse Parque, você vai poder conhecer um espaço cheio de natureza que pode lhe surpreender bastante com sua biodiversidade.

 

22 fevereiro, 2020

ARACAJU, CIDADE PLANEJADA E A MAIS NOVA DENTRE AS CAPITAIS NORDESTINAS MOSTRANDO SEUS SEGREDOS, SUA ARTE, CULTURA E SUA CULINÁRIA REGIONAL

<img alt='largo da gente sergipana' src='aracaju capital de sergipe ' title='cidade nordestina'/>









CIDADE DO NORDESTE, PLANEJADA, QUE RESPIRA ARTE E CULTURA POPULAR E QUE FAZ DE ARACAJU UM POLO DE CRIAÇÃO ARTÍSTICA E BELEZAS NATURAIS E DE TURISMO



      As belezas da cidade de Aracaju, são impressionantes, e, porque não dizer, o cenário que existe dentro de todo o Nordeste brasileiro. Essa cidade, é considerada uma das capitais do dessa região, com menor índice de desigualdade social. Ela é a capital do estado de Sergipe, e faz parte dos nove estados do nordeste brasileiro. Está localizada no litoral, sendo cortada por dois rios, como: o rio Sergipe e o Poxim. 


<img alt='aracaju cidade planejada' src='aracaju capital de sergipe ' title='cidade nordestina'/>



      Ela é relativamente, em número de habitantes, uma das poucas que ainda é boa de morar e trabalhar. Pois, a qualidade de vida dessa cidade, é muito boa. Talvez, Aracaju tenha uns 800 mil habitantes; pra mais ou pra menos, mas ela fica no patamar de algumas outras capitais nordestinas. Ela tem um rico patrimônio histórico arquitetônico, povoada por belos edifícios, templos, palácios, museus, universidades e teatros. Sua orla, é uma das mais belas do Brasil, tem uma excelente infraestrutura, com bares, restaurantes e uma vida noturna bem animada. Como toda história do Brasil, mesmo antes do descobrimento, pelos portugueses, essas terras, foi habitada por tribos indígenas, pois, o belo ambiente natural adequado para caça e pesca, fez com que os índios povoassem esse lugar. 


<img alt='pontos turisticos de aracaju' src='aracaju capital de sergipe ' title='cidade nordestina'/>



      Pois, tinha a mata atlântica e o oceano pacífico, a sua frente, e isso era a mistura certa para que esses habitantes, vicem nesse lugar, um local mais que adequado para sua sobrevivência. No começo, Aracaju foi uma pequena vila de pescadores no estado de Sergipe, cuja capital era São Cristóvão. Foi com a construção do porto que, a população começou a crescer, e como esse lugar, era usado também para exportar produtos; os habitantes, foram cada vez mais aumentado. No ano de 1855, quando ela foi elevada a cidade, Aracaju se tornou a capital do estado de Sergipe, motivando um período importante do crescimento a partir do topo do morro de Santo Antônio, origem da população em direção à costa, estendendo-se pelas margens do Rio Sergipe. Com 25 km de praias que se estendem na barra do Rio Sergipe ao norte até a foz do Rio Vaza-barris ao sul, Aracaju significa cajueiros dos papagaios, sendo a fruta o símbolo da cidade. 


<img alt='vista aerea da cidade de aracaju pegando praias e rios' src='aracaju capital de sergipe ' title='cidade nordestina'/>



      A orla urbana dessa cidade é uma coisa impressionante, pois, mistura um misto de beleza e um ar de nostalgia, pois, parece visual de filme de Hollywood. A cultura nordestina tem dessas coisas, pois, a arte e a cultura se misturam com o talento do povo sergipano. Todos "sabemos" que, essa cidade, foi planejada. O projeto, desafiou a capacidade da engenharia da época, face à sua localização, numa área dominada por pântanos e charcos. Uma comissão de engenheiros elaborou um projeto urbanístico que fosse inovador e que fosse viável para a cidade. Esse projeto teve como responsável o engenheiro Sebastião Basílio Pirro. A vanguarda desse projeto, teve como ideia, projetos que fizeram em Camberra, Washington, Buenos Aires e Chicago. Ela é uma cidade tranquila e segura, preparada para o mercado turístico, onde tem atrativos naturais como: rios, praias, manguezais e uma ótima gastronomia, marcada pelo cardápio de frutos-do-mar e peixes. Sua população, dispõe de muitos eventos culturais e de lazer, como: museus, galerias de arte, teatro centro de convenções, parques e casas noturnas, sem falar nos “shows” musicais ao ritmo do forró, um ritmo de música exclusiva da região nordestina. Com o sistema de transporte público integrado, é possível conhecer toda a capital sergipana com apenas um único bilhete de passagem. A rede hoteleira da cidade, é de alta qualidade, com restaurantes e bares. A logística de Aracaju também é muito eficiente, você pode estar em qualquer lugar da cidade rapidamente. Procure conhecer a cidade de Aracaju no estado de Sergipe.do de Sergipe.

x

10 fevereiro, 2020

VAQUEIRO PERSONAGEM NORDESTINO QUE MOSTRA A CULTURA DO GADO DO COURO E DO LEITE DENTRO DO CONTEXTO GERAL DA PECUÁRIA NORDESTINA

R

<img alt='vaqueiro nordestino' src='cultura nordestina ' title='arte nordestina'/>








O VAQUEIRO É A FIGURA CENTRAL DE UMA FAZENDA ONDE ELE TRABALHA PARA ORGANIZAR E ADMINISTRAR O REBANHO DOS ANIMAIS E OUTROS AFAZERES FAZ PARTE DA ARTE NORDESTINA





     O vaqueiro nordestino, antes de mais nada é um forte, além de ser assa personagem tão cultural que faz parte da história rural e da arte nordestina,  e da própria vida nessa região do Brasil; eles são homens destemidos e pessoas que conhecem o terreno desse (lugar), como ninguém. Eles fazem parte do dia a dia e do trabalho no campo, onde eles são responsáveis por cuidar dos animais dos fazendeiros e de seus próprios trabalhos. Sempre acordam cedo para começar o seu trabalho com o manejo do gado e de outros animais. 

<img alt='vaqueiro nordestino' src='cultura nordestina ' title='arte nordestina'/>


      Existe sempre, um perigo na carreira profissional, mas faz parte também da sua luta, seu trabalho é sempre uma disputa, quando ele está na dianteira protegendo as pernas. Ele também usa calças e botas de couro, gibão, guarda peito, perneiras e luvas. O maior problema enfrentado pelo vaqueiro é o da água. Às vezes ele tem que conduzir o gado para ser levado para lugares distantes até o bebedouro. Na época de da migração, o vaqueiro tem que conduzir o gado para lugares mais distantes, tanto na ida quanto na volta. 



<img alt='vaqueiro nordestino' src='cultura nordestina ' title='arte nordestina'/>



      Lidar com o gado na caatinga cheia de galhos espinhosos é muito difícil, por isso o vaqueiro tem que usar as roupas próprias, com condições de enfrentar a labuta e que funcione como uma couraça ou armadura. A vestimenta do vaqueiro é caracterizada pela predominância do couro cru e curtido, geralmente, utilizando-se processos primitivos, o que o (deixa) da cor escura do (ferrugem), flexível e macio. O couro do veado era muito usado na fabricação das vestimentas dos vaqueiros, antigamente, com a extinção desse animal, passou a se usar o mesmo material, só que de bode ou ovelha. Dentro da nossa cultura, esse manejo começou quando o Brasil era colônia de Portugal. Em 1534 chegaram as primeiras cabeças de gado, vindas da ilha de Cabo Verde, África e outros. 


<img alt='vaqueiro nordestino' src='cultura nordestina ' title='arte nordestina'/>



      Portanto, o vaqueiro é um tipo étnico que vem do contato do colonizador com o índio, durante a penetração do gado nos sertões do Nordeste brasileiro. O vaqueiro é a figura central de uma fazenda. Cabe a ele reunir os animais nos currais e de ferrá-lo, utilizando um ferro em brasa, colocando-o em cada um, a marca do seu dono. Uma das coisas que caracteriza é o aboio, ao conduzir o gado para pastagens ou para o curral. Eles também aboiam, quando precisam orientar um colega que se perde numa serra ou se extravia na caatinga. O vaqueiro usa sempre um par de esporas e nas mãos uma chibata de couro, indicando que, se não está montado poderá fazê-lo a qualquer momento. Seu dia Nacional é comemorado anualmente no dia 20 de julho e é a festa tradicionalmente mais importante para o vaqueiro nordestino é a vaquejada. Em Pernambuco, celebra-se também, no terceiro domingo de junho, a Missa do vaqueiro, é uma homenagem a Raimundo Jacó e primo de Luiz Gonzaga, o rei do Baião, ele foi assassinado por um companheiro no município de Serrita – Pe. em maio de 1954.

06 fevereiro, 2020

A CULTURA DA REGIÃO NORDESTE É MUITO CONHECIDA PELO SEU ASPECTO CULTURAL FORTE MARCANTE E HISTÓRICO

<img alt='cultura nordestina' src='folclore nordestino ' title='arte e cultura nordestina'/>




A RIQUEZA CULTURA DA REGIÃO NORDESTE É VISÍVEL PARA ALÉM DE SUAS MANIFESTAÇÕES FOLCLÓRICAS E POPULARES



      A valorização da cultura e das artes é um marco muito importante através das expressões populares detentora do contexto regional como o fator identidade cultura. A valorização vem através do conhecimento da cultura local e do incentivo ao desenvolvimento da região. A cultura popular sofre alterações quase que diariamente, isso contribui para os crescimentos econômicos, educativos e sociais de cada região. 


<img alt='cultura nordestina' src='folclore nordestino ' title='arte e cultura nordestina'/>



      O fator de criação e inovador é muito importante porque é isso que faz com que compreendamos o sentido de participação e de tradição no contexto que lhe garante base para seus objetivos, produção e trabalho. É muito importante a conservação das manifestações espontâneas da nossa cultura popular. Principalmente as do Nordeste, que tem uma riqueza imensa. O povo nordestino tem manifestações populares traduzidos em artesanato, messianismo, arte e cultura, artesanato e muito mais. 


<img alt='cultura nordestina' src='folclore nordestino ' title='arte e cultura nordestina'/>



      Durante a vida inteira, as sociedades antigas e modernas, já traduz muito isso através das artes, e elas surgem através de novas obras com novas temáticas, novos conceitos linguagens que abrange novos conceitos. A forma muda conforme aparecem novas linguagens, mas o conteúdo permanece o mesmo. A busca pelo homem de sua identidade é incessante até hoje, ele compreende que nem os artistas para pela procura nem à arte pode parar. O que cada sociedade faz para o homem é lhe dá inspiração para mostrar a sua criatividade e talento que Deus lhe dá, para que ele se torne capacitor de imagens e de criatividade para que através disso ele consiga traduzir em arte tudo aquilo que ele captou ao seu redor. No Brasil, todas as linguagens contemporâneas estão em evidência, com nossos artistas expondo inclusive no exterior. A cultura de massa não pergunta se o povo quer, ela impõe. A valorização e o fortalecimento de qualquer tipo de cultura e de arte, ele se faz um instrumento indispensáveis para as entidades de classes porque só é através desse mecanismo é que os povos podem mostrar a força do seu povo, as suas ideias e de toda uma cultura voltada para as causas sociais econômicas e culturais mesmo. É muito importante para a arte ou outro tipo de cultura que, mulheres, homens e crianças estejam engajadas diretamente nesses contextos de artes. A sociedade direta ou indiretamente contribui para o desenvolvimento da arte contextual que está diretamente ligada a muitos afazeres diários do homem dentro dessa sociedade moderna, aonde é o próprio homem que gera motivos seus próprios afazeres, costumes, músicas e danças para que a luz que ilumina os artistas possa ser acessa através dos seus dons e que esses artistas possam refletir através da sua arte e linguagem que cada um usa, a rotina diária do homem nessa sociedade. Sendo assim, vemos que o homem está sempre ligado as artes, seja direta ou indiretamente, o homem sempre tem que está criando e recriando arte. 


<img alt='cultura nordestina' src='folclore nordestino ' title='arte e cultura nordestina'/>



      Ela está dentro de cada um de nós, e cada um de nós pode ser um difusor de arte, cultura para novas gerações, isso é que faz com que novos seguimentos vão aparecendo e se propagando dentro de muitos conceitos do que é arte, assim sempre teremos uma cultura preservada mesmo tendo novos pensamento. O tradicional pode muito bem  andar de braços dados com o moderno, a cultura ela pode ser tradicional, usando novos conceitos sem esquecermos as nossas raízes. 


05 fevereiro, 2020

ELE FAZ PARTE DA COZINHA NORDESTE ATRAVÉS DOS SEUS FRUTOS E DA AMÊNDOA QUE É PRODUZIDA ATRAVÉS DESSES FRUTOS

<img alt='cajueiros no nordeste' src='castanha de caju ' title='culinaria nordestina'/>




CAJUEIRO É UMA PLANTA TÍPICA BRASILEIRA QUE TEM SEUS DERIVADOS INTRODUZIDOS  NA CULINÁRIA REGIONAL DO NORDESTE BRASILEIRO.



      No Nordeste brasileiro, existem grandes plantios de cajueiros (Anacardium occidentale, o seu nome científico; é uma árvore nativa do Nordeste do Brasil, é medicinal e alimentícia, e dela tudo se tira, com: o caju, a castanha a casca e a madeira. Existe dois tipos de cajueiro, o gigante e o comum. Algumas, chegam atingir a altura de 20 metros, ele também pode atingir uma grande superfície. Na região Nordeste do Brasil, existem dois dos maiores cajueiros do mundo, um fica no Rio Grande do Norte o outro no estado do Piauí, os dois tem mais de oito mil metros quadrados de área. 


<img alt='cajueiros no nordeste' src='castanha de caju ' title='culinaria nordestina'/>



      Pois bem, essa árvore, é uma das mais plantadas dentro dessa região, por isso também é explorada comercialmente. A castanha, é o fruto do cajueiro, apesar de comermos a poupa do caju, também nos deliciamos, com castanha, pois, ela possui 9% da recomendação diária de magnésio para os adultos, esse mineral é essencial para o bom funcionamento do corpo, além de ser nutritiva é muito deliciosa. 


<img alt='cajueiros no nordeste' src='castanha de caju ' title='culinaria nordestina'/>



      O modo mais tradicional de se assar castanha, é ter, quatro pedras do mesmo tamanho, e colocadas no sentido quadrangular, pois, são elas que vão dá, sustentação para a colocação de um tacho de alumínio, onde é colocada as castanhas. Depois, é preciso colocar galhos secos como combustível para produzir o fogo, e com isso assar as castanhas. Essa lenha, é bom ser de angico, uma madeira que queima por mais tempo, e não faz muita fumaça, mas também, pode ser qualquer outra madeira, contanto que, queime por mais tempo e tenha um fogo  por mais tempo, é através desse fogo que as castanhas vão ser assadas. Durante a queima da castanha a pessoa tem que mexer elas dentro do tacho, através de pedaço de madeira de pelo menos um metro e meio, e o importante é mexe-las  até ficarem assadas, elas irão pegar fogo, mais é muito comum isso, as suas cascas, existe um tipo de óleo, e isso, em contacto com o fogo, faz combustão, a pessoa que estiver assando as castanhas, tem que ter cuidado para elas não queimarem, pois elas estarão boas quando as suas cascar estiverem douradas, aí elas estarão prontas para saírem do flande ou outro tacho que você estiver usando. 


<img alt='cajueiros no nordeste' src='castanha de caju ' title='culinaria nordestina'/>



      Quando elas tiverem prontas para serem tiradas do tacho a madeira que você estiver mexendo você vai e vira o tacho com essa madeira na areia ou não. Depois disso vem o processo para quebrar elas, então você tem que ter duas ou mais pedras para quebra-las, vai depender de quantas pessoas estão por perto e que, irão quebra-las. Depois é só bater na casca delas e irão parti-las, é só ir colocando dentro das vasilhas. Essa é a forma tradicional e artesanal de se assar castanha nos mais distantes lugares do Nordeste brasileiro. A cultura Nordestina, tem dessas coisas, e dentro dessa tradição, a culinária nordestina  é beneficiada o sabor tanto do caju como da castanha do caju. Depois de todo esse processo, vem o melhor, que é saboreá-la. O Nordeste brasileiro além de ser um grande produtor de castanha de caju, ele também é um grande consumidor, além de exportar para todo o mundo.

ARTE BELEZA E ENCANTO NO ARTESANATO DO NORDESTE DO BRASIL FEITO COM A FIBRA DO SISAL E QUE MOSTRA TODA CRIATIVIDADE DOS ARTESÃOS DO NORDESTE

<img alt='sisal no artesanato' src='artesanato nordestino ' title='cultura e arte nordestina'/>





CONHEÇA TODA A BELEZA E O ENCANTO DO ARTESANATO NORDESTINO AGAVE SISALANA, O OURO VERDE DO SERTÃO





  Sabemos que no Nordeste, existe uma grande parcela de artesãos que utilizam vários tipos de matérias-primas, que são usadas nesses lindos trabalhos, confeccionados por eles. Sabemos também, que existem várias alternativas que você pode usar para não utilizar produtos perecíveis ou produtos que contaminam o meio ambiente, então pensando nisso, eles usam fontes limpas e renováveis da natureza, para fabricar os seus produtos. 


<img alt='sisal no artesanato' src='artesanato nordestino ' title='cultura e arte nordestina'/>



      Não é de hoje que, o artesanato Nordestino, encanta as pessoas, isso pela forma de criação e pelos materiais aplicados nesses produtos. São vários tipos de produtos, que a natureza proporciona para esses trabalhos, tais como: couro, madeira, plástico, papel, papelão, sisal e outros. Vamos falar hoje do sisal. O Brasil é o maior produtor de sisal do mundo, com aproximadamente 245 toneladas de fibra vegetal por ano. Ele é uma planta originária do México. No início dos anos 90 foi o ano que o plantio desse vegetal foi difundido. Da família das cactáceas e com o nome cientifico Agave sisalana, o sisal é cultivado em regiões semiáridas, por ser resistente à aridez e ao sol intenso. 



<img alt='sisal no artesanato' src='artesanato nordestino ' title='cultura e arte nordestina'/>



      A sua fibra é extraída do beneficiamento das folhas, é utilizada principalmente para fazer cordas, tapetes e vários tipos de artesanatos. O estado da Bahia é o que tem a maior produção no Brasil, cerca de 95% da produção nacional, emprega cerca de 700 mil pessoas diretas ou indiretamente. Também é na Bahia, o maior polo industrial do sisal do mundo. A região do Sisal tem uma cultura bastante diversificada, onde tradições antigas tentam resistir à modernização, que aos poucos modifica alguns cenários da região. Tradições como o Reisado, o Boi Roubado e a literatura de Cordel, possuem fiéis adeptos. Existem ainda os grupos de cantiga de roda como as Cantadeiras do Sisal e diversos grupos de teatros que, em sua maioria, integra jovens. Alguns municípios como São Domingos, realizam semanas de cultura, Salgadália, distrito de Conceição do Coité realiza uma das mais tradicionais semanas de cultura. Além das atividades de exportação do Sisal, que enfrentou um período de decadência após os anos 70, e das pedreiras. A base econômica é a pecuária extensiva e a agricultura familiar de subsistência, sujeita a longos períodos de seca que ciclicamente atingem a região. Ainda assim a agricultura familiar é uma das principais atividades econômicas da região. A exportação desse produto vai para a Europa, Chile, Estados Unidos e Argentina. A importância desse produto para a região Nordeste é de fundamental importância, mesmo tendo pouca opção econômica. Depois da Bahia, o cultivo dessa planta se destaca no estado do Rio Grande do Norte, Paraíba, Ceará, Pernambuco e outros estados do Nordeste. 



<img alt='sisal no artesanato' src='artesanato nordestino ' title='cultura e arte nordestina'/>


      Os principais produtos são: fios biodegradáveis utilizados em artesanato, no enfardamento de forragens, cordas de várias utilidades e cordéis. Ele também é usado na produção de estofos, pastas para indústria de celulose, produção de tequila, tapetes decorativos, remédios, biofertilizantes, ração animal, adubo orgânico e sacarias. A utilização da fibra do sisal em qualquer produto traz benefícios ao meio ambiente. Quando descartada na natureza essa fibra, depois de alguns anos, se torna fertilizante natural. Já a fibra sintética demora 150 anos para se decompor.

https://aartedenewtonavelino.com/ https://aartedenewtonavelino.com/en-ca/ https://aartedenewtonavelino.com/en-gb/