Maio 2019A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro

SEGUIDORES

Página Inicial Biografia Produtos Galeria O que dizem Jornalista Links Entrevistas Contato
Confira a arte do artista potiguar Newton Avelino, na sua galeria permanente. Adquira já uma obra!

30 maio, 2019

DISTRITO TURÍSTICO DE PORTO SEGURO ATRAI MILHARES DE TURISTAS

<img alt='Trancoso-Bahia' src='www.aartedenewtonavelino.com ' title='nordeste-do-brasil'/>





TRANCOSO É UM DESTINO CERTO PARA OS TURISTAS INTERNACIONAIS NO VERÃO BRASILEIRO




A Bahia, é um estado da Região do Nordeste do Brasil, e em extensão territorial, ele é o maior estado dessa região; ele tem 564 km² e fica ao sul do Nordeste brasileiro. A subdivisão, faz divisa com 8 estados, possui a mais extensa faixa litorânea do Brasil, apresenta uma importante indústria petroquímica e ostenta o status de sexto estado brasileiro em riqueza. Por aí, você já imagina o quanto essa região nordestina é importante para o Brasil. Sua vegetação é caracterizada por floresta tropical, mangues litorâneos, caatinga e cerrado. Seu relevo é constituído por planície no litoral, depressão a norte e a oeste, e planície no centro. 



<img alt='casas-em-trancoso ' src='www.aartedenewtonavelino.com ' title='nordeste-do-brasil'/>



      O ponto mais elevado é a serra do Babado com 2.033,30 metros de altitude. O clima da Bahia é tropical. A capital desse estado é Salvador, primeira capital do Brasil. Sua arquitetura é marcada por construções do período colonial. São palácios, igrejas e casarinhos do Pelourinho, transformados em patrimônio cultural da humanidade, pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a ciência e a Cultura (UNESCO). Como essa terra é abençoada por Deus, temos vários lugares nela que, encantam os olhos de quem tem o privilégio de conhece-la. Mas hoje, vamos falar de um dessas pérolas que está encravada na Bahia. Vamos falar de Trancoso. 


<img alt='praias-de-trancoso ' src='www.aartedenewtonavelino.com ' title='litoral-baiano '/>



      Ele é um povoado que fica no sul da Bahia, e que originou-se de uma aldeia Jesuíta denominada São João Batista dos Índios, fundada em 1586. Foi descoberto no fim dos anos de 1970 por um grupo de hippies. A população nativa desse lugar ainda é descendente da população que primeiro habitou e fundou a aldeia Jesuíta, que teve fundação em 1586. O Quadrado, hoje chamado de Praça João, é atualmente o Centro Histórico de Trancoso, onde podem ser visitadas casas da época da colonização, com prédios administrativos já desativados, mas em sua maioria ainda bem conservados. O clima bucólico de Trancoso, no entanto, ainda mantém a vila, com a beleza de antes, bem preservada, com a tranquilidade necessária para quem quer apenas quer relaxar, mantendo uma frequência jovem, antenada com as necessidades de preservação ambiental. 


<img alt='trancoso-porto-seguro-bahia ' src='www.aartedenewtonavelino.com ' title='nordeste-brasileiro '/>



      Mesmo sendo o destino turístico de pessoas das mais diversas origens, a vila continua rústica e isolada do mundo, tendo ainda a calma no ar, embora já exista um jeito de pequena cidadezinha de interior. Ela se tornou um dos destinos mais badalados do mundo, para o Réveillon; mas fora de temporada, aquela magia de vilarejo perdido em algum lugar isolado do mundo ainda continua. Para chegar a esse lugar no extremo sul da Bahia, que fica em Porto Seguro, onde você pega uma balsa até Arraial d'Ajuda, a travessia dura dez minutos. Depois, segue a viagem pela estrada BA 987. O percusso é de uns 47 Km. Não é atoa que dizem que a Bahia, é um lugar mágico, pois se encontra de tudo o que se possa  imaginar, como por exemplo: O trio elétrico, o acarajé, pessoas lindas, cultura afro, poetas, cantores, pintores e até uma cidade como Trancoso que nos faz viajar no tempo. Tendo um tempinho, vem pra Bahia, vem conhecer as maravilhas dessa região Nordestina, vem conhecer a Bahia.









<img alt='Trancoso-Bahia' src='www.aartedenewtonavelino.com ' title='nordeste-do-brasil'/>





TRANCOSO É UM DESTINO CERTO PARA OS TURISTAS INTERNACIONAIS NO VERÃO BRASILEIRO




A Bahia, é um estado da Região do Nordeste do Brasil, e em extensão territorial, ele é o maior estado dessa região; ele tem 564 km² e fica ao sul do Nordeste brasileiro. A subdivisão, faz divisa com 8 estados, possui a mais extensa faixa litorânea do Brasil, apresenta uma importante indústria petroquímica e ostenta o status de sexto estado brasileiro em riqueza. Por aí, você já imagina o quanto essa região nordestina é importante para o Brasil. Sua vegetação é caracterizada por floresta tropical, mangues litorâneos, caatinga e cerrado. Seu relevo é constituído por planície no litoral, depressão a norte e a oeste, e planície no centro. 



<img alt='casas-em-trancoso ' src='www.aartedenewtonavelino.com ' title='nordeste-do-brasil'/>



      O ponto mais elevado é a serra do Babado com 2.033,30 metros de altitude. O clima da Bahia é tropical. A capital desse estado é Salvador, primeira capital do Brasil. Sua arquitetura é marcada por construções do período colonial. São palácios, igrejas e casarinhos do Pelourinho, transformados em patrimônio cultural da humanidade, pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a ciência e a Cultura (UNESCO). Como essa terra é abençoada por Deus, temos vários lugares nela que, encantam os olhos de quem tem o privilégio de conhece-la. Mas hoje, vamos falar de um dessas pérolas que está encravada na Bahia. Vamos falar de Trancoso. 


<img alt='praias-de-trancoso ' src='www.aartedenewtonavelino.com ' title='litoral-baiano '/>



      Ele é um povoado que fica no sul da Bahia, e que originou-se de uma aldeia Jesuíta denominada São João Batista dos Índios, fundada em 1586. Foi descoberto no fim dos anos de 1970 por um grupo de hippies. A população nativa desse lugar ainda é descendente da população que primeiro habitou e fundou a aldeia Jesuíta, que teve fundação em 1586. O Quadrado, hoje chamado de Praça João, é atualmente o Centro Histórico de Trancoso, onde podem ser visitadas casas da época da colonização, com prédios administrativos já desativados, mas em sua maioria ainda bem conservados. O clima bucólico de Trancoso, no entanto, ainda mantém a vila, com a beleza de antes, bem preservada, com a tranquilidade necessária para quem quer apenas quer relaxar, mantendo uma frequência jovem, antenada com as necessidades de preservação ambiental. 


<img alt='trancoso-porto-seguro-bahia ' src='www.aartedenewtonavelino.com ' title='nordeste-brasileiro '/>



      Mesmo sendo o destino turístico de pessoas das mais diversas origens, a vila continua rústica e isolada do mundo, tendo ainda a calma no ar, embora já exista um jeito de pequena cidadezinha de interior. Ela se tornou um dos destinos mais badalados do mundo, para o Réveillon; mas fora de temporada, aquela magia de vilarejo perdido em algum lugar isolado do mundo ainda continua. Para chegar a esse lugar no extremo sul da Bahia, que fica em Porto Seguro, onde você pega uma balsa até Arraial d'Ajuda, a travessia dura dez minutos. Depois, segue a viagem pela estrada BA 987. O percusso é de uns 47 Km. Não é atoa que dizem que a Bahia, é um lugar mágico, pois se encontra de tudo o que se possa  imaginar, como por exemplo: O trio elétrico, o acarajé, pessoas lindas, cultura afro, poetas, cantores, pintores e até uma cidade como Trancoso que nos faz viajar no tempo. Tendo um tempinho, vem pra Bahia, vem conhecer as maravilhas dessa região Nordestina, vem conhecer a Bahia.









29 maio, 2019

FESTA FOLCLÓRICA DA REGIÃO NORDESTE DO BRASIL E SEUS SEGREDOS

<img alt='a arte e a cultura popular do nordeste brasileiro ' src='www.aartedenewtonavelino.com ' title='bumba-meu-boi '/>



O BUMBA MEU BOI É UMA TRADIÇÃO DA CULTURA DO NORDESTE BRASILEIRO DESDE O SÉCULO XVlll





      Se é uma coisa que o Nordeste tem, é um povo alegre, uma comida ótima e um folclore extremamente rico. Esse estado se destaca por sua culinária, seu povo e sua cultura diversificada. O folclore do estado do Piauí, é rico em causos, folguedos, costumes e tradições. Seu folclore e suas festas são marcos que foram introduzidos na sua história. O bumba meu boi é um dos folclores piauienses que mais se destaca no cenário nacional; dança originária do ciclo do gado que satiriza a relação desigual entre escravos e fazendeiros desde o século XVlll. 


<img alt='cultura-do-nordeste-do-brasil ' src='www.aartedenewtonavelino.com ' title='bumba-meu-boi '/>



     Essa dança tem no ritual uma coreografia própria feita pelos escravos, com a introdução do figurino de tecido brilhoso e chapéu coberto de espelhos enfeitados com franjas. A melodia tem ritmo próprio e diferenciado, acompanhado de instrumentos como o bombo, apito, maracá e outros. A festa do Bumba Meu Boi constitui uma espécie de ópera popular. O boi é a principal figura da representação. Ele é feito de uma estrutura de madeira em forma de touro, coberta por um tecido bordado ou pintado. Nessa estrutura, prende-se uma saia colorida, para esconder a pessoa que fica dentro, que é chamada de “miolo do boi”. 


<img alt='cultura-nordestina ' src='www.aartedenewtonavelino.com ' title='bumba-meu-boi '/>



      As veze, há também as burrinhas, feitas de madeiras semelhante ao boi, porém em tamanhos reduzidos e que ficam penduradas por tiras, como suspensórios, nos ombros dos brincantes. Seja bumba meu boi, seja reisado ou mesmo quadrilhas juninas, as manifestações culturais, agradam o público em qualquer época. Os grupos teatrais do Piauí e de outros estados Nordestino mesclam dança, música e teatro em uma mesma apresentação. Geralmente as brincadeiras de Bumba meu Boi acontece de fronte à casa de quem convidou o grupo, e que patrocinará a festa. As variações de uma região para outra, geralmente seguem uma ordem. Primeiro, canta-se uma toada inicial, que serve para juntar e organizar o grupo, antes de ir para a casa. 


<img alt='cultura-brasileira ' src='www.aartedenewtonavelino.com ' title='cultura-do-nordeste '/>



      Em seguida entoa-se o lá vai, uma canção para avisar ao dono da casa e a todos que ali estão, que o boi deu a partida. Depois dessa introdução, vem a licença, em que o boi e o grupo se apresentam, entoando louvores a santos, a personalidades e a vários temas. Apesar do seu primeiro registro ter sido no estado de Pernambuco, o bumba meu boi é mais valorizado no Piauí e Maranhão. As controvérsias de toda a história que envolve o bumba meu boi, remete a história de três estados do Nordeste brasileiro, essa história é muito rica culturalmente, mas vemos que independentemente seja aonde ele tenha nascido, ele sempre é bem representado em todos os estados do Nordeste. O Piauí diz que a origem da lenda nasceu lá no século Xlll. No Maranhão os grupos se organizaram e hoje tradicionalizaram o Bumba meu Boi. As mulheres não participam diretamente da festa do Bumba meu Boi, porém, elas assistem, e algumas vezes ajudam na organização. Em agosto de 2012, o bumba meu boi foi reconhecido como manifestação cultural do Brasil pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), recebendo a certificação do título de Patrimônio Cultural do Brasil. Sendo assim, o Nordeste há cada dia mostra que é uma região de várias tendências culturais e místicas que mostrar o valor e a riqueza que a arte e a cultura tem dentro do folclore Nordestino e Brasileiro. 











<img alt='a arte e a cultura popular do nordeste brasileiro ' src='www.aartedenewtonavelino.com ' title='bumba-meu-boi '/>



O BUMBA MEU BOI É UMA TRADIÇÃO DA CULTURA DO NORDESTE BRASILEIRO DESDE O SÉCULO XVlll





      Se é uma coisa que o Nordeste tem, é um povo alegre, uma comida ótima e um folclore extremamente rico. Esse estado se destaca por sua culinária, seu povo e sua cultura diversificada. O folclore do estado do Piauí, é rico em causos, folguedos, costumes e tradições. Seu folclore e suas festas são marcos que foram introduzidos na sua história. O bumba meu boi é um dos folclores piauienses que mais se destaca no cenário nacional; dança originária do ciclo do gado que satiriza a relação desigual entre escravos e fazendeiros desde o século XVlll. 


<img alt='cultura-do-nordeste-do-brasil ' src='www.aartedenewtonavelino.com ' title='bumba-meu-boi '/>



     Essa dança tem no ritual uma coreografia própria feita pelos escravos, com a introdução do figurino de tecido brilhoso e chapéu coberto de espelhos enfeitados com franjas. A melodia tem ritmo próprio e diferenciado, acompanhado de instrumentos como o bombo, apito, maracá e outros. A festa do Bumba Meu Boi constitui uma espécie de ópera popular. O boi é a principal figura da representação. Ele é feito de uma estrutura de madeira em forma de touro, coberta por um tecido bordado ou pintado. Nessa estrutura, prende-se uma saia colorida, para esconder a pessoa que fica dentro, que é chamada de “miolo do boi”. 


<img alt='cultura-nordestina ' src='www.aartedenewtonavelino.com ' title='bumba-meu-boi '/>



      As veze, há também as burrinhas, feitas de madeiras semelhante ao boi, porém em tamanhos reduzidos e que ficam penduradas por tiras, como suspensórios, nos ombros dos brincantes. Seja bumba meu boi, seja reisado ou mesmo quadrilhas juninas, as manifestações culturais, agradam o público em qualquer época. Os grupos teatrais do Piauí e de outros estados Nordestino mesclam dança, música e teatro em uma mesma apresentação. Geralmente as brincadeiras de Bumba meu Boi acontece de fronte à casa de quem convidou o grupo, e que patrocinará a festa. As variações de uma região para outra, geralmente seguem uma ordem. Primeiro, canta-se uma toada inicial, que serve para juntar e organizar o grupo, antes de ir para a casa. 


<img alt='cultura-brasileira ' src='www.aartedenewtonavelino.com ' title='cultura-do-nordeste '/>



      Em seguida entoa-se o lá vai, uma canção para avisar ao dono da casa e a todos que ali estão, que o boi deu a partida. Depois dessa introdução, vem a licença, em que o boi e o grupo se apresentam, entoando louvores a santos, a personalidades e a vários temas. Apesar do seu primeiro registro ter sido no estado de Pernambuco, o bumba meu boi é mais valorizado no Piauí e Maranhão. As controvérsias de toda a história que envolve o bumba meu boi, remete a história de três estados do Nordeste brasileiro, essa história é muito rica culturalmente, mas vemos que independentemente seja aonde ele tenha nascido, ele sempre é bem representado em todos os estados do Nordeste. O Piauí diz que a origem da lenda nasceu lá no século Xlll. No Maranhão os grupos se organizaram e hoje tradicionalizaram o Bumba meu Boi. As mulheres não participam diretamente da festa do Bumba meu Boi, porém, elas assistem, e algumas vezes ajudam na organização. Em agosto de 2012, o bumba meu boi foi reconhecido como manifestação cultural do Brasil pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), recebendo a certificação do título de Patrimônio Cultural do Brasil. Sendo assim, o Nordeste há cada dia mostra que é uma região de várias tendências culturais e místicas que mostrar o valor e a riqueza que a arte e a cultura tem dentro do folclore Nordestino e Brasileiro. 











10 maio, 2019

DESCUBRA OS SEGREDOS DE ARACATI ESSE MUNICÍPIO CEARENSE QUE ENCANTA O MUNDO ATRAVÉS DE SEUS PONTOS TURÍSTICOS

<img src=“canoa-quebrada” aracati” alt=“a-arte-de-newton-avelino”>






CIDADE HISTÓRICA E DOS BONS VENTOS QUE FAZ PARTE DA REGIÃO DO JAGUARIBE E QUE ENCANTA A TODOS 





O Ceará é um estado do Nordeste brasileiro, onde a gente pode encontrar muitas riquezas naturais, muitas belezas naturais, visuais deslumbrantes, indústria pesqueira, indústrias de calçados e roupas e também uma infinidade de artes e artistas, de todos os seguimentos. Esse estado está localizado no norte da Região Nordeste do Brasil. Sua capital é a cidade de Fortaleza. No estado do Ceará, você encontrará uma agricultura forte e diversificada, lá se produz: milho, feijão, arroz, algodão, cana de açúcar, mandioca, mamona, tomate, laranja e coco da Bahia. 



<img src=“canoa-quebrada” title=“cidade-de-aracati” alt=“turismo-brasileiro”>



      Também existe mineração e Pecuária. Mas hoje escolhemos falar de uma cidade desse estado que fica a 150 km da capital. Vamos falar da cidade de Aracati, que é um polo de turismo e que, durante todo o ano, recebe turistas nacionais e internacionais, gerando assim, emprego e reda para o nativos dessa região, e impulsionando uma das riquezas que o Nordeste tem, que é o turismo.  Essa cidade é um município histórico desse estado, localizado na região do Jaguaribe, fazendo fronteira com o estado do Rio Grande do Norte. Aracati é um dos municípios mais importantes do estado, graças ao seu rico patrimônio arquitetônico, declarado no ano de 2000, ele se tornou Patrimônio Histórico Artístico Nacional. A igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário, é um dos seus monumentos mais importantes dessa cidade,  datada de 1785, a Igreja Nosso Senhor do Bonfim, de 1774, antiga catedral da cidade, e também o sobrado do Barão de Aracati, que hoje, funciona como o Museu Jaguaribano, um local que conta ao visitante sobre o tempo áureo desta terra tão distinta. Seu principal atrativo é o turismo, pois tem um extenso litoral repleto de lindas praias, frequentadas por turistas do mundo todo. Canoa Quebrada e Majorlandia são as provas vivas que nesse município, às praias são belas, e que, serviriam como pano de fundo paradisíaco para filmes de hollywood. Esse município se estende por 1 247,3 km² e que tinha mais ou menos 69 150 habitantes no último censo. Sua densidade demográfica é de 55,4 habitantes por km² no território do município. Situado a 12 metros de altitude, tem como municípios vizinhos: Fortim, Icapuí e Itaiçaba, Aracati se situa a 48 km ao Norte-Leste do município de Russas. A fundação de Aracati teve inicio com o funcionamente das oficinas ou Charqueadas do Ceará, que foram responsáveis por possibilitar a competitividade da pecuária no Estado, tendo em vista os privilégios da Zona da Mata do estado de Pernambuco, com a cultura canavieira. O abate e a conservação da carne, através do charque, foi o principal responsável pela ocupação e desenvolvimento das terras do Ceará. Por volta de 1740 já existiam oficinas em Aracati, que se chamava Arraial de São José dos Barcos, depois elevada à categoria de Vila, com o nome de Santa Cruz do Aracati, hoje cidade de Aracati. 


<img src=“praia-de-canoa-quebrada” title=“cidade-de-aracati” alt=“turismo-no-nordeste-do-brasil”>


      Ela foi uma das primeiras capitais do Ceará. Colonizada em 1603, começou a se oficializar como vila por volta de 1680. A primeira igreja construída na cidade, a Nossa Senhora do Rosário, a Matriz, data de 1700  palco da principal celebração do revezamento na manhã desta terça-feira . Logo em seguida foram construídas as outras quatro igrejas, preservadas até hoje: São Rosário dos Pretos, Bom Jesus dos Navegantes, Senhor do Bonfim e Nossa Senhora dos Prazeres. Hoje, Aracati se tornou uma cidade turística dentro do turismo brasileiro. 


<img src=“açudes-do-ceara” title=“galinha-choca-do-cedro” alt=“a-arte-de-newton-avelino”>



      Quem vem a essa cidade pode usufruir de suas belezas naturais e pode se surpreender com toda sua beleza. Além das praias de Canoa Quebrada e Majorlandia, você também pode visitar o Casario Colonial de Aracati, que é o centro histórico da cidade e fica a 13 km da praia de Canoa Quebrada. Você encontrará construções do século XVlll e XlX. No local há o prédio da antiga prisão municipal, que atualmente é a Câmara dos Vereadores e as igrejas Nossa Senhora do Rosário, edificada em 1785, a igreja do Senhor do Bonfim construída em 1774. Você vai ter o prazer de passear pelo calçadão Broadway onde vai encontrar restaurantes, bares e boates. Nesse  calçadão existe um grande movimento à noite, de gente inteligente e interessante para fazer novas amizades, onde as pessoas, vão lá, para dançar e se divertirem, mas para quem quer mais tranquilidade, deve ir durante o dia e comer nos restaurantes, para conhecer a culinária local, geralmente, a base de peixes e mariscos. Se você gosta de fazer compras em suas viagens, você vai gostar de visitar a vila de Majorlândia, onde encontrará o mais lindo e rico artesanato cearense. Então não deixe de conhecer o estado do Ceará, e procure conhecer a cidade de Aracati. Procure um guia turístico credenciado para você não ter dor de cabeça na sua viagens. 



<img src=“canoa-quebrada” aracati” alt=“a-arte-de-newton-avelino”>






CIDADE HISTÓRICA E DOS BONS VENTOS QUE FAZ PARTE DA REGIÃO DO JAGUARIBE E QUE ENCANTA A TODOS 





O Ceará é um estado do Nordeste brasileiro, onde a gente pode encontrar muitas riquezas naturais, muitas belezas naturais, visuais deslumbrantes, indústria pesqueira, indústrias de calçados e roupas e também uma infinidade de artes e artistas, de todos os seguimentos. Esse estado está localizado no norte da Região Nordeste do Brasil. Sua capital é a cidade de Fortaleza. No estado do Ceará, você encontrará uma agricultura forte e diversificada, lá se produz: milho, feijão, arroz, algodão, cana de açúcar, mandioca, mamona, tomate, laranja e coco da Bahia. 



<img src=“canoa-quebrada” title=“cidade-de-aracati” alt=“turismo-brasileiro”>



      Também existe mineração e Pecuária. Mas hoje escolhemos falar de uma cidade desse estado que fica a 150 km da capital. Vamos falar da cidade de Aracati, que é um polo de turismo e que, durante todo o ano, recebe turistas nacionais e internacionais, gerando assim, emprego e reda para o nativos dessa região, e impulsionando uma das riquezas que o Nordeste tem, que é o turismo.  Essa cidade é um município histórico desse estado, localizado na região do Jaguaribe, fazendo fronteira com o estado do Rio Grande do Norte. Aracati é um dos municípios mais importantes do estado, graças ao seu rico patrimônio arquitetônico, declarado no ano de 2000, ele se tornou Patrimônio Histórico Artístico Nacional. A igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário, é um dos seus monumentos mais importantes dessa cidade,  datada de 1785, a Igreja Nosso Senhor do Bonfim, de 1774, antiga catedral da cidade, e também o sobrado do Barão de Aracati, que hoje, funciona como o Museu Jaguaribano, um local que conta ao visitante sobre o tempo áureo desta terra tão distinta. Seu principal atrativo é o turismo, pois tem um extenso litoral repleto de lindas praias, frequentadas por turistas do mundo todo. Canoa Quebrada e Majorlandia são as provas vivas que nesse município, às praias são belas, e que, serviriam como pano de fundo paradisíaco para filmes de hollywood. Esse município se estende por 1 247,3 km² e que tinha mais ou menos 69 150 habitantes no último censo. Sua densidade demográfica é de 55,4 habitantes por km² no território do município. Situado a 12 metros de altitude, tem como municípios vizinhos: Fortim, Icapuí e Itaiçaba, Aracati se situa a 48 km ao Norte-Leste do município de Russas. A fundação de Aracati teve inicio com o funcionamente das oficinas ou Charqueadas do Ceará, que foram responsáveis por possibilitar a competitividade da pecuária no Estado, tendo em vista os privilégios da Zona da Mata do estado de Pernambuco, com a cultura canavieira. O abate e a conservação da carne, através do charque, foi o principal responsável pela ocupação e desenvolvimento das terras do Ceará. Por volta de 1740 já existiam oficinas em Aracati, que se chamava Arraial de São José dos Barcos, depois elevada à categoria de Vila, com o nome de Santa Cruz do Aracati, hoje cidade de Aracati. 


<img src=“praia-de-canoa-quebrada” title=“cidade-de-aracati” alt=“turismo-no-nordeste-do-brasil”>


      Ela foi uma das primeiras capitais do Ceará. Colonizada em 1603, começou a se oficializar como vila por volta de 1680. A primeira igreja construída na cidade, a Nossa Senhora do Rosário, a Matriz, data de 1700  palco da principal celebração do revezamento na manhã desta terça-feira . Logo em seguida foram construídas as outras quatro igrejas, preservadas até hoje: São Rosário dos Pretos, Bom Jesus dos Navegantes, Senhor do Bonfim e Nossa Senhora dos Prazeres. Hoje, Aracati se tornou uma cidade turística dentro do turismo brasileiro. 


<img src=“açudes-do-ceara” title=“galinha-choca-do-cedro” alt=“a-arte-de-newton-avelino”>



      Quem vem a essa cidade pode usufruir de suas belezas naturais e pode se surpreender com toda sua beleza. Além das praias de Canoa Quebrada e Majorlandia, você também pode visitar o Casario Colonial de Aracati, que é o centro histórico da cidade e fica a 13 km da praia de Canoa Quebrada. Você encontrará construções do século XVlll e XlX. No local há o prédio da antiga prisão municipal, que atualmente é a Câmara dos Vereadores e as igrejas Nossa Senhora do Rosário, edificada em 1785, a igreja do Senhor do Bonfim construída em 1774. Você vai ter o prazer de passear pelo calçadão Broadway onde vai encontrar restaurantes, bares e boates. Nesse  calçadão existe um grande movimento à noite, de gente inteligente e interessante para fazer novas amizades, onde as pessoas, vão lá, para dançar e se divertirem, mas para quem quer mais tranquilidade, deve ir durante o dia e comer nos restaurantes, para conhecer a culinária local, geralmente, a base de peixes e mariscos. Se você gosta de fazer compras em suas viagens, você vai gostar de visitar a vila de Majorlândia, onde encontrará o mais lindo e rico artesanato cearense. Então não deixe de conhecer o estado do Ceará, e procure conhecer a cidade de Aracati. Procure um guia turístico credenciado para você não ter dor de cabeça na sua viagens. 



LAGOA PIAUIENSE A SÉTIMA MARAVILHA DO PIAUÍ QUE MOSTRA TODA SUA BELEZA E TODA SUA EXUBERÂNCIA AOS NATIVO E AO TURISMO DO NORDESTE DO BRASIL

<img src=“lagoa-do-cajueiro” luzilandia-joaquim-pires” alt=“turismo-do-nordeste-brasileiro”>







LAGOA DO CAJUEIRO PONTO EXÓTICO E TURÍSTICO DO MEIO MEIO NORTE DO NORDESTE BRASILEIRO




      Quando falamos da região Nordeste do Brasil, a gente já associa essa região, ao turismo brasileiro, e isso é natural, pois nessa região, existem belezas naturais que Deus fez e deixou para os Nordestinos e para todas aquelas pessoas que, vem para essa região, para admira-las. Pois bem, dentre os nove estados dessa região brasileira, todos os estados, sem exceção de nenhum, todos são banhados pelo oceano atlântico, e isso faz desse lugar, o "caribe brasileiro". Não é de agora, que essa região, é bonita por natureza, ela traz no seu dna, toda beleza brasileira, e isso talvez, leve a muita gente, a ter preconceitos com essa região, mas depois que essas pessoas  conhecem esse lugar, se apaixonam e não querem mais ir embora. 


<img src=“lagoa-do-cajueiro” luzilandia-joaquim-pires” alt=“turismo-do-nordeste-brasileiro”>



      Pois isso aqui, é prazeroso, tem vistas exuberantes, tem um clima maravilhoso, tem um terreno, magnifico, tem lugares encantadores, tem uma culinária que é um manjar, tem uma hotelaria eficiente e tem uma logística muito excepcional. Então, tudo isso, faz do Nordeste brasileiro , um paraíso para os turistas. Dentro dessa região, você encontrará quatro sub-regiões, que são: meio-norte, zona da mata, agreste e sertão. 


<img src=“lagoa-do-cajueiro” luzilandia-joaquim-pires” alt=“turismo-do-nordeste-brasileiro”>



      Em cada uma delas, você encontrará aconchego, boa culinária, visuais magníficos, preços bons e dias encantadores. Dentre tantos destinos bons para você conhecer, mas também, tem alguns destinos que, são maravilhosos, visuais exuberantes, mas ainda em alguns lugares, por falta de infraestrutura, não encontramos apoio de uma boa logística, nem uma hotelaria eficiente, e tudo isso porque são lugares isolados de grandes centros urbanos, e isso é até compreensível.  Hoje vamos falar da lagoa do Cajueiro. Ela está localizada em Luzilândia e no município de Joaquim Pires no estado do Piauí. Essa lagoa é considerada a setíma maravilha do estado.  A lagoa do Cajueiro é uma dessas lagoas que, tem um visual exuberante, que faz desse lugar, um lugar agradável e muito prazeroso para de está nesse lugar.  É umas das maiores lagoas do Piauí e possui uma área total de 17 km², dos quais 10,38 km²  pertencem ao município de Joaquim Pires. Ela fica a mais ou menos 15 km de Luzilândia outro ponto da lagoa do cajueiro é a guarita popularmente conhecida pelos moradores da região. Onde dispõe de um local amplo de lazer e uma área para realização de festas. Os micros empresários sempre investem na realização de festas para aumentar os seus lucros. Você pode encontrar um cardápio local a base de camarão, comidas típicas e bebidas. 


   
   
<img src=“lagoa-do-cajueiro” luzilandia-joaquim-pires” alt=“turismo-do-nordeste-brasileiro”>




      Esse é o tipo de lugar para quem está procurando sossego, o eco-turismo e tranquilidade, pois essa lagoa fica em uma região distante dos grandes centros, pois os frequentadores assíduos são nativos dessa região, e também turistas. A distância entre Luzilândia e Teresina, a capital do estado do Piauí, são: 250 km uma viagem de 3:52 em carro. Como chegar a Luzilândia saindo de Teresina, é pela PI 113.
















<img src=“lagoa-do-cajueiro” luzilandia-joaquim-pires” alt=“turismo-do-nordeste-brasileiro”>







LAGOA DO CAJUEIRO PONTO EXÓTICO E TURÍSTICO DO MEIO MEIO NORTE DO NORDESTE BRASILEIRO




      Quando falamos da região Nordeste do Brasil, a gente já associa essa região, ao turismo brasileiro, e isso é natural, pois nessa região, existem belezas naturais que Deus fez e deixou para os Nordestinos e para todas aquelas pessoas que, vem para essa região, para admira-las. Pois bem, dentre os nove estados dessa região brasileira, todos os estados, sem exceção de nenhum, todos são banhados pelo oceano atlântico, e isso faz desse lugar, o "caribe brasileiro". Não é de agora, que essa região, é bonita por natureza, ela traz no seu dna, toda beleza brasileira, e isso talvez, leve a muita gente, a ter preconceitos com essa região, mas depois que essas pessoas  conhecem esse lugar, se apaixonam e não querem mais ir embora. 


<img src=“lagoa-do-cajueiro” luzilandia-joaquim-pires” alt=“turismo-do-nordeste-brasileiro”>



      Pois isso aqui, é prazeroso, tem vistas exuberantes, tem um clima maravilhoso, tem um terreno, magnifico, tem lugares encantadores, tem uma culinária que é um manjar, tem uma hotelaria eficiente e tem uma logística muito excepcional. Então, tudo isso, faz do Nordeste brasileiro , um paraíso para os turistas. Dentro dessa região, você encontrará quatro sub-regiões, que são: meio-norte, zona da mata, agreste e sertão. 


<img src=“lagoa-do-cajueiro” luzilandia-joaquim-pires” alt=“turismo-do-nordeste-brasileiro”>



      Em cada uma delas, você encontrará aconchego, boa culinária, visuais magníficos, preços bons e dias encantadores. Dentre tantos destinos bons para você conhecer, mas também, tem alguns destinos que, são maravilhosos, visuais exuberantes, mas ainda em alguns lugares, por falta de infraestrutura, não encontramos apoio de uma boa logística, nem uma hotelaria eficiente, e tudo isso porque são lugares isolados de grandes centros urbanos, e isso é até compreensível.  Hoje vamos falar da lagoa do Cajueiro. Ela está localizada em Luzilândia e no município de Joaquim Pires no estado do Piauí. Essa lagoa é considerada a setíma maravilha do estado.  A lagoa do Cajueiro é uma dessas lagoas que, tem um visual exuberante, que faz desse lugar, um lugar agradável e muito prazeroso para de está nesse lugar.  É umas das maiores lagoas do Piauí e possui uma área total de 17 km², dos quais 10,38 km²  pertencem ao município de Joaquim Pires. Ela fica a mais ou menos 15 km de Luzilândia outro ponto da lagoa do cajueiro é a guarita popularmente conhecida pelos moradores da região. Onde dispõe de um local amplo de lazer e uma área para realização de festas. Os micros empresários sempre investem na realização de festas para aumentar os seus lucros. Você pode encontrar um cardápio local a base de camarão, comidas típicas e bebidas. 


   
   
<img src=“lagoa-do-cajueiro” luzilandia-joaquim-pires” alt=“turismo-do-nordeste-brasileiro”>




      Esse é o tipo de lugar para quem está procurando sossego, o eco-turismo e tranquilidade, pois essa lagoa fica em uma região distante dos grandes centros, pois os frequentadores assíduos são nativos dessa região, e também turistas. A distância entre Luzilândia e Teresina, a capital do estado do Piauí, são: 250 km uma viagem de 3:52 em carro. Como chegar a Luzilândia saindo de Teresina, é pela PI 113.
















08 maio, 2019

AÇUDE DA GALINHA CHOCA MOSTRA SUA BELEZA DENTRO DO SERTÃO NORDESTINO E DENTRO DA REGIÃO NORDESTE DO BRASIL.

<img src=“açudes-do-ceara” title=“galinha-choca-do-cedro” alt=“a-arte-de-newton-avelino”>






COM GRANDE BELEZA DENTRO DA CAATINGA NORDESTINA O CEDRO MOSTRA SUA EXUBERÂNCIA E RIQUEZA TRADUZIDA EM ÁGUA PARA O POVO CEARENSE





O estado do Ceará, é um estado conhecido como uma região seca, dentre outros estados da região Nordeste, disso eu não tenho dúvida nenhuma, mas também podemos dizer que, o Ceará, é o estado com o maior número de açudes da região Nordeste  do Brasil. No entanto, vemos que o esse estado, tem um grande número de pequenos, médios e grandes açudes, é uma quantidade muito grande de volume de água quando a região tem invernos regulares. Vamos falar hoje, em um desses grandes açudes desse estado, que se chama Ceará; vamos falar do Cedro. Esse açude está localizado a 5 km da cidade de Quixadá, no sertão central do estado. 





<img src=“açudes-do-ceara” title=“galinha-choca-do-cedro” alt=“a-arte-de-newton-avelino”>




      Ele tem uma beleza impressionante, que deixa os turistas estarrecidos. O engenheiro desse açude, foi Ernesto Cunha. A construção desse açude foi de 16 anos (1890 a 1906) e teve a contribuição da mão de obra dos flagelados da seca, ao lado da entrada principal, ainda tem os galpões que dormiam e moravam esses trabalhadores. As grades da parede desse açude, foram importadas da Inglaterra e Portugal. Ao fundo de toda sua extensão, é possível de ver a Pedra da Galinha Choca, um grande monólito em formato de uma galinha, e que fica localizado a esquerda do açude. Esse majestoso açude, retrata as esperanças do governo central na época, para minimizar o sofrimento do nordestino, em especial, o cearense, que muito havia sofrido na grande seca de 1877 e que durou até 1879, custando ao Ceará, segundo o historiador Barão de Studart, 119 mil mortos e expatriados 5.500, bem como o desaparecimento total da indústria criadora. Essa grande obra, foi encomendada pelo imperador Pedro ll, monarca sensível ao sofrimento de seu povo e que conforme a lenda histórica, ao ouvir os relatos de vários retirantes, teria dito que venderia até o último brilhante da coroa para que nunca mais os cearenses morressem de inanição.


<img src=“açudes-do-ceara” title=“galinha-choca-do-cedro” alt=“a-arte-de-newton-avelino”>



Foi construído sobre o leito do rio Sitiá. Sua capacidade é de 126 milhões de metros cúbicos, o que o posiciona como o 7º maior reservatório de água do Ceará. A arquitetura desse açude, teve como base, em alguns monumentos romanos, no comando de Julio César. Ele possui quatro barragens: a principal, a do sul, a Lagoa do Forges e a do vertedouro. Estas barram as águas do rio Sitá e dos riachos: Macambira, Verde, do Socorro, do Cabo, Guaribas, Caracol e entre outros riachos da região. Em toda a história desse açude, só teve 6 sangrias, nos anos de: 1924, depois 1925, 1974, 1975, 1986 e 1989. Muitos fatores, são apontados para poucas sangrias, mais o que se ver é que, um número de pequenos açudes, construídos à montante, impedem que a água chegue até a barragem. Ele secou totalmente nas secas de 1930, 1932, 1950, 1999 e nesta última seca de 2016. 




<img src=“açudes-do-ceara” title=“galinha-choca-do-cedro” alt=“a-arte-de-newton-avelino”>




      Esse local e propício para pescaria, banho e para prática de esportes náuticos, além de ser a fonte de água para uma extensa rede de irrigação, a primeira construída no estado do Ceará. Esse é um dos pontos turístico mais conhecidos no interior do estado do Ceará. Vindo a essa região, procure conhecer esse local, pois é muito atrativo e prazeroso de está nele. A paisagem exuberante e de clima ameno, repleto de árvores, com tons cinzas entre monólitos, rochas e pedras, que nos dá uma harmonia divina que nos trás encantamento prazeroso para a alma e a mente.

.




<img src=“açudes-do-ceara” title=“galinha-choca-do-cedro” alt=“a-arte-de-newton-avelino”>






COM GRANDE BELEZA DENTRO DA CAATINGA NORDESTINA O CEDRO MOSTRA SUA EXUBERÂNCIA E RIQUEZA TRADUZIDA EM ÁGUA PARA O POVO CEARENSE





O estado do Ceará, é um estado conhecido como uma região seca, dentre outros estados da região Nordeste, disso eu não tenho dúvida nenhuma, mas também podemos dizer que, o Ceará, é o estado com o maior número de açudes da região Nordeste  do Brasil. No entanto, vemos que o esse estado, tem um grande número de pequenos, médios e grandes açudes, é uma quantidade muito grande de volume de água quando a região tem invernos regulares. Vamos falar hoje, em um desses grandes açudes desse estado, que se chama Ceará; vamos falar do Cedro. Esse açude está localizado a 5 km da cidade de Quixadá, no sertão central do estado. 





<img src=“açudes-do-ceara” title=“galinha-choca-do-cedro” alt=“a-arte-de-newton-avelino”>




      Ele tem uma beleza impressionante, que deixa os turistas estarrecidos. O engenheiro desse açude, foi Ernesto Cunha. A construção desse açude foi de 16 anos (1890 a 1906) e teve a contribuição da mão de obra dos flagelados da seca, ao lado da entrada principal, ainda tem os galpões que dormiam e moravam esses trabalhadores. As grades da parede desse açude, foram importadas da Inglaterra e Portugal. Ao fundo de toda sua extensão, é possível de ver a Pedra da Galinha Choca, um grande monólito em formato de uma galinha, e que fica localizado a esquerda do açude. Esse majestoso açude, retrata as esperanças do governo central na época, para minimizar o sofrimento do nordestino, em especial, o cearense, que muito havia sofrido na grande seca de 1877 e que durou até 1879, custando ao Ceará, segundo o historiador Barão de Studart, 119 mil mortos e expatriados 5.500, bem como o desaparecimento total da indústria criadora. Essa grande obra, foi encomendada pelo imperador Pedro ll, monarca sensível ao sofrimento de seu povo e que conforme a lenda histórica, ao ouvir os relatos de vários retirantes, teria dito que venderia até o último brilhante da coroa para que nunca mais os cearenses morressem de inanição.


<img src=“açudes-do-ceara” title=“galinha-choca-do-cedro” alt=“a-arte-de-newton-avelino”>



Foi construído sobre o leito do rio Sitiá. Sua capacidade é de 126 milhões de metros cúbicos, o que o posiciona como o 7º maior reservatório de água do Ceará. A arquitetura desse açude, teve como base, em alguns monumentos romanos, no comando de Julio César. Ele possui quatro barragens: a principal, a do sul, a Lagoa do Forges e a do vertedouro. Estas barram as águas do rio Sitá e dos riachos: Macambira, Verde, do Socorro, do Cabo, Guaribas, Caracol e entre outros riachos da região. Em toda a história desse açude, só teve 6 sangrias, nos anos de: 1924, depois 1925, 1974, 1975, 1986 e 1989. Muitos fatores, são apontados para poucas sangrias, mais o que se ver é que, um número de pequenos açudes, construídos à montante, impedem que a água chegue até a barragem. Ele secou totalmente nas secas de 1930, 1932, 1950, 1999 e nesta última seca de 2016. 




<img src=“açudes-do-ceara” title=“galinha-choca-do-cedro” alt=“a-arte-de-newton-avelino”>




      Esse local e propício para pescaria, banho e para prática de esportes náuticos, além de ser a fonte de água para uma extensa rede de irrigação, a primeira construída no estado do Ceará. Esse é um dos pontos turístico mais conhecidos no interior do estado do Ceará. Vindo a essa região, procure conhecer esse local, pois é muito atrativo e prazeroso de está nele. A paisagem exuberante e de clima ameno, repleto de árvores, com tons cinzas entre monólitos, rochas e pedras, que nos dá uma harmonia divina que nos trás encantamento prazeroso para a alma e a mente.

.




02 maio, 2019

VAQUEIRO NORDESTINO É UMA FIGURA CULTURAL DENTRO DO CONTEXTO HISTÓRICO DA CULTURA REGIONAL DO NORDESTE DO BRASIL

<img src=“vaquejada” title=“nordeste-brasileiro” alt=“cultura-nordestina”>


VAQUEJADA ESPORTE DO NORDESTE BRASILEIRO QUE FOI ESPELHADA NA "PEGA DO BOI" DENTRO DA CAATINGA DO SERTÃO NORDESTINO





O Nordeste do Brasil, é uma das regiões brasileiras mais festeiras e mais culturais do país. E suas sub-regiões, como: meio-norte, zona da mata, agreste e sertão, são onde acontece, muitas festas folclóricas, durante  todo o ano, justamente para gerar emprego e renda para essa população tão carente dessas sub-regiões esquecidas pelos poderes públicos. E quando eu falo esquecidas pelos poderes públicos, estou me referindo a infraestrutura desses pequenos lugares esquecidos, e com isso, essa gente tão carente, procura por meio sociais, a  movimentar as pequenas cidades com: festas folclóricas e com datas comemorativas em calendários festivos dessas regiões, só assim,  a geração de emprego e renda ajuda as pessoas de baixa renda, que sobrevivem com 2 reais por dia e que vivem de bico ou vendendo alguma coisa produzida ou não no solo onde eles vivem, a terem uma chance de ganhar um extra durante essas festas, com diversas diversificações folclóricas. 







<img src=“a -pega-do-boi” title=“nordeste-brasileiro” alt=“cultura-nordestina”>



      Tudo isso, acontece dentro desse solo sagrado feito por Deus, e que fomos beneficiados com tamanha beleza que ele nos deu, que, como é uma região bonita por natureza, mas esquecida, a própria comunidade trata de realizar outros meios de fazer com que haja injeção de capital financeiro através dessas festividades. Nessa região, as festas das padroeiras de cada município de cada sub-região nordestina, duram o ano todo, tem as festas folclóricas como as festas Juninas, o carnaval, as micaretas, (carnavais fora de época), shows de grandes artistas nacionais e por aí vai. Mas hoje vamos falar de uma festa que é tradicional no Nordeste brasileiro e que, todo ano, tem um circuíto dentro do calendário festivo dessa região. Vamos falar da vaquejada. A história da vaquejada teve início a partir da introdução da pecuária no Brasil em 1532. 


<img src=“roupa-de-couro-dos-vaqueiros-nordestinos” title=“vaqueijada” alt=“cultura-nordestina”>



      A família Garcia D'avila, da Casa da Torre, na Bahia, é uma das pioneiras no desenvolvimento de fazendas em todo o Nordeste, seguindo a margem do Rio São Francisco. Na formação das fazendas, os vaqueiros tomavam conta das terras e do gado. Na verdade, a vaquejada foi espelhada na "pega do boi". Na época dos coronéis, quando não havia cercas no sertão nordestino, os animais eram marcados e soltos na mata. Depois de algum período longo durante o ano, os coronéis reuniam os vaqueiros para juntar o seu gado marcado, eram aí que tinha a pega do gado, que convenhamos, é um modo mais justo de pegar esse animais. Então, os vaqueiros vestidos a caráter, com suas indumentárias de couro, bota, gibão, peitoral, peneira, chapéu de couro e luvas de couro; saiam atrás dos animais dentro do mato, ou dentro do bioma nordestino, "a mata branca" ou seja: "a caatinga" o único bioma no mundo, que só existe no Nordeste brasileiro. Então eles se embrenhavam na mata, fazendo malabarismo dentro das veredas, que fica  dentro de  uma vegetação espinhosa e pegavam os bois perdidos, e assim, juntavam toda a boiada dos coronéis. Com a continuação dos tempos, os nordestinos se espelhando na "pega do boi", inventaram a vaquejada, e depois de muito tempo, passou a ser considera um esporte. Embora típica dessa região, também podemos encontrá-la no Rio de Janeiro e em Minas Gerais região Sudeste do Brasil. No entanto, o berço das Vaquejadas é a cidade de Currais Novos, no Rio Grande do Norte. Durante a competição, dois homens, a cavalo, perseguem um boi, até emparelhá-lo entre seus cavalos. O objetivo é levar o animal às duas últimas faixas de cal, marcadas no chão onde ocorre a competição. Nesse local, o boi deve ser derrubado pelo puxador, um dos vaqueiros. O outro vaqueiro, o batedor de esteira tem a função de levar o boi para o derrubador, empurrando-o com as pernas do seu cavalo. Durante essas vaquejadas, nas sub-regiões do Nordeste brasileiro, existem uma série de festas que leva um grande público a essas vaquejadas, gerando emprego e renda para as pessoas humildes desses lugares, todos trabalham no emprego informal. Infelizmente o Brasil, é um país que não tem uma distribuição de renda justa, e isso afunda o país em pobreza e miséria, pois os ricos ficam cada vez mais ricos e os pobres cada vez mais pobres. A distribuição de renda depende do funcionamento do mercado, que busca empregar os recursos de forma eficiente, mas não garante necessariamente que os recursos sejam alocados de forma justa. 


<img src=“boi-encaretado” title=“vaqueiro-nordestino” alt=“cultura-do-nordeste-do-brasil”>



      Como resultado, muitos economistas defendem que o governo deve redistribuir a renda para alcançar uma distribuição mais igualitária do bem estar econômico. Então como isso não acontece por essas bandas, isso até melhorou de uns 15 anos para cá, melhorou consideravelmente, mas a renda ainda não era redistribuída igualitariamente. O Brasil, é um dos países mais desiguais do mundo. Na nossa história recente, o maior aumento na desigualdade se deu nas décadas de 1960 e 1970. Então, como o Brasil é um país que a distribuição de renda é desumana, isso leva com que, ainda tenha gente sobrevivendo com menos de um dólar por dia, e são nessas pequeninas cidadezinhas do interior do Nordeste brasileiro, onde a concentração da miséria é mais alarmante, é aí que, essas pequenas cidades do interior, fazem festas durante o ano todo para gerar emprego e renda para as populações desses locais, porque os pequenos comércio são afetados, as famílias de baixa renda são afetadas e essas cidades do mesmo jeito, pois elas tem dificuldade de gerar renda durante o ano, então é assim que essas festas acontecem durante todo ano nas sub-regiões do Nordeste brasileiro, para poder dá um pouco de dignidade aos moradores desses municípios nordestinos.  


<img src=“vaquejada” title=“nordeste-brasileiro” alt=“cultura-nordestina”>


VAQUEJADA ESPORTE DO NORDESTE BRASILEIRO QUE FOI ESPELHADA NA "PEGA DO BOI" DENTRO DA CAATINGA DO SERTÃO NORDESTINO





O Nordeste do Brasil, é uma das regiões brasileiras mais festeiras e mais culturais do país. E suas sub-regiões, como: meio-norte, zona da mata, agreste e sertão, são onde acontece, muitas festas folclóricas, durante  todo o ano, justamente para gerar emprego e renda para essa população tão carente dessas sub-regiões esquecidas pelos poderes públicos. E quando eu falo esquecidas pelos poderes públicos, estou me referindo a infraestrutura desses pequenos lugares esquecidos, e com isso, essa gente tão carente, procura por meio sociais, a  movimentar as pequenas cidades com: festas folclóricas e com datas comemorativas em calendários festivos dessas regiões, só assim,  a geração de emprego e renda ajuda as pessoas de baixa renda, que sobrevivem com 2 reais por dia e que vivem de bico ou vendendo alguma coisa produzida ou não no solo onde eles vivem, a terem uma chance de ganhar um extra durante essas festas, com diversas diversificações folclóricas. 







<img src=“a -pega-do-boi” title=“nordeste-brasileiro” alt=“cultura-nordestina”>



      Tudo isso, acontece dentro desse solo sagrado feito por Deus, e que fomos beneficiados com tamanha beleza que ele nos deu, que, como é uma região bonita por natureza, mas esquecida, a própria comunidade trata de realizar outros meios de fazer com que haja injeção de capital financeiro através dessas festividades. Nessa região, as festas das padroeiras de cada município de cada sub-região nordestina, duram o ano todo, tem as festas folclóricas como as festas Juninas, o carnaval, as micaretas, (carnavais fora de época), shows de grandes artistas nacionais e por aí vai. Mas hoje vamos falar de uma festa que é tradicional no Nordeste brasileiro e que, todo ano, tem um circuíto dentro do calendário festivo dessa região. Vamos falar da vaquejada. A história da vaquejada teve início a partir da introdução da pecuária no Brasil em 1532. 


<img src=“roupa-de-couro-dos-vaqueiros-nordestinos” title=“vaqueijada” alt=“cultura-nordestina”>



      A família Garcia D'avila, da Casa da Torre, na Bahia, é uma das pioneiras no desenvolvimento de fazendas em todo o Nordeste, seguindo a margem do Rio São Francisco. Na formação das fazendas, os vaqueiros tomavam conta das terras e do gado. Na verdade, a vaquejada foi espelhada na "pega do boi". Na época dos coronéis, quando não havia cercas no sertão nordestino, os animais eram marcados e soltos na mata. Depois de algum período longo durante o ano, os coronéis reuniam os vaqueiros para juntar o seu gado marcado, eram aí que tinha a pega do gado, que convenhamos, é um modo mais justo de pegar esse animais. Então, os vaqueiros vestidos a caráter, com suas indumentárias de couro, bota, gibão, peitoral, peneira, chapéu de couro e luvas de couro; saiam atrás dos animais dentro do mato, ou dentro do bioma nordestino, "a mata branca" ou seja: "a caatinga" o único bioma no mundo, que só existe no Nordeste brasileiro. Então eles se embrenhavam na mata, fazendo malabarismo dentro das veredas, que fica  dentro de  uma vegetação espinhosa e pegavam os bois perdidos, e assim, juntavam toda a boiada dos coronéis. Com a continuação dos tempos, os nordestinos se espelhando na "pega do boi", inventaram a vaquejada, e depois de muito tempo, passou a ser considera um esporte. Embora típica dessa região, também podemos encontrá-la no Rio de Janeiro e em Minas Gerais região Sudeste do Brasil. No entanto, o berço das Vaquejadas é a cidade de Currais Novos, no Rio Grande do Norte. Durante a competição, dois homens, a cavalo, perseguem um boi, até emparelhá-lo entre seus cavalos. O objetivo é levar o animal às duas últimas faixas de cal, marcadas no chão onde ocorre a competição. Nesse local, o boi deve ser derrubado pelo puxador, um dos vaqueiros. O outro vaqueiro, o batedor de esteira tem a função de levar o boi para o derrubador, empurrando-o com as pernas do seu cavalo. Durante essas vaquejadas, nas sub-regiões do Nordeste brasileiro, existem uma série de festas que leva um grande público a essas vaquejadas, gerando emprego e renda para as pessoas humildes desses lugares, todos trabalham no emprego informal. Infelizmente o Brasil, é um país que não tem uma distribuição de renda justa, e isso afunda o país em pobreza e miséria, pois os ricos ficam cada vez mais ricos e os pobres cada vez mais pobres. A distribuição de renda depende do funcionamento do mercado, que busca empregar os recursos de forma eficiente, mas não garante necessariamente que os recursos sejam alocados de forma justa. 


<img src=“boi-encaretado” title=“vaqueiro-nordestino” alt=“cultura-do-nordeste-do-brasil”>



      Como resultado, muitos economistas defendem que o governo deve redistribuir a renda para alcançar uma distribuição mais igualitária do bem estar econômico. Então como isso não acontece por essas bandas, isso até melhorou de uns 15 anos para cá, melhorou consideravelmente, mas a renda ainda não era redistribuída igualitariamente. O Brasil, é um dos países mais desiguais do mundo. Na nossa história recente, o maior aumento na desigualdade se deu nas décadas de 1960 e 1970. Então, como o Brasil é um país que a distribuição de renda é desumana, isso leva com que, ainda tenha gente sobrevivendo com menos de um dólar por dia, e são nessas pequeninas cidadezinhas do interior do Nordeste brasileiro, onde a concentração da miséria é mais alarmante, é aí que, essas pequenas cidades do interior, fazem festas durante o ano todo para gerar emprego e renda para as populações desses locais, porque os pequenos comércio são afetados, as famílias de baixa renda são afetadas e essas cidades do mesmo jeito, pois elas tem dificuldade de gerar renda durante o ano, então é assim que essas festas acontecem durante todo ano nas sub-regiões do Nordeste brasileiro, para poder dá um pouco de dignidade aos moradores desses municípios nordestinos.  


PRATO DA GASTRONOMIA REGIONAL DO ESTADO DO PIAUÍ QUE MOSTRA A CULTURA E A ARTE DESSE POVO NORDESTINO NA COZINHA PIAUIENSE E NA CULINÁRIA BRASILEIRA

<img src=“prato-maria-isabel” title=“cozinha-piauiense” alt=“culinaria-nordestina”>





MARIA ISABEL UM PRATO REGIONAL DO MEIO NORTE DO NORDESTE BRASILEIRO QUE MOSTRA O QUANDO É CULTURAL A COZINHA REGIONAL DO PIAUÍ




      A culinária da região Nordeste do Brasil, é uma das mais apreciadas pelo público, tanto os nativos dessa região, quanto quem vem para conhecer o estado, ou seja, os turistas;  pois seu aroma e seus temperos picantes, fazem dela,  uma cozinha regional de sabores atrativos e de fino trato. Geralmente, nessa região, a tendência sempre muda de acordo com a criatividade das cozinheiras e cozinheiros de alto conceito dentro da gastronomia regional. Tanto os nativos, quantos os turistas internacionais, são apaixonados pela gastronomia do Nordeste Brasileiro. Vários pratos tradicionais, são oferecidos nos restaurantes dessa região brasileira, tais como: carne de sol, chambaril, galinha à cabidela,  camarão ao molho, peixe no bafo e tantos outros pratos regionais, que existem nessa culinária regional. 


<img src=“panela-de-barro” title=“maria-isabel” alt=“gastronomia-nordestina”>



      Cada estado dessa região, tem sua culinária, com alguns nomes diferentes entre os pratos dos estados, mas basicamente é quase a mesma coisa. Então, Hoje,  vamos falar de um prato muito conhecido e muito apreciado no estado do Piauí,  lá no meio norte do Nordeste brasileiro. Vamos falar do prato que leva o nome de "Maria Isabel".  Esse prato, basicamente é feito em cima de alguma sobra de arroz do almoço passado, e que fica lá no cantinho da gelaira para ser esquentado no microondas, no outro dia, então é com essa sobra de arroz que você pode começar a fazer esse prato, a carne que vai nele, também pode ser aquela sobra de carne de sol que sobrou do almoço, se não não sobrou nada, nem o arroz e nem a carne, também pode ser feito. 


<img src=“maria-isabel” title=“prato-do-piaui” alt=“cozinha-nordestina”>



      Então vamos ao Ingredientes: 600 gramas de carne seca cortada em pedacinhos, 4 xícaras de chá, com arroz, 7 xícaras de chá com água, 3 colheres de sopa com óleo, uma xícara de cebola roxa picada,  1 pimentão picadinho 1 pimenta de cheiro,  colorau a gosto, cebolinha e coentro, picados. Modo de preparo: Tempere a carne com os temperos secos de sua preferência: alho, pimenta do reino e cominho. Sal a gosto para temperar a carne seca. Coloque em uma panela e leve ao fogo, a carne já temperada com o óleo. Refogue até a carne ficar frita, junte a cebolinha, o colorau e o arroz. Deixe refogar até ficar no ponto. Acrescente água fervente o suficiente para cobrir o arroz. Veja se está bom de sal, ou precisa colocar mais um pouco. Faça um buraquinho no meio do arroz e ponha a pimenta de cheiro inteira ou não. Antes de colocar a pimenta, faça mais dois furos na pimenta com um palito ou garfo. Quando o arroz estiver pronto é só retirar a pimenta. Depois regue o arroz que foi cozido com um fio de óleo. Deixe cozinhar em fogo brando, por pelo menos 25 minutos ou até á água secar. 


<img src=“comida-tradicional-do-piaui” title=“maria-isabel” alt=“gastronomia-nordestina”>



      Depois mexa o arroz com um garfo  e acrescente o coentro picado com a cebolinha. Esse prato é um manjá. Iguaria sempre presente nos cardápios piauiense, o Maria-Isabel consiste em um picadinho de carne-seca misturado com arroz previamente temperado e cozido em panela de barro. Esse é um prato que tem um arroma suave com temperos picantes que fazem dele, um dos pratos mais apreciados dentro do estado do Piauí, mas também ele é encontrado no estado do Maranhão, Goiás e Mato Grosso. O mas interessante nisso  tudo, é que, esse prato, como tantos outros, que são feitos nessa região, são feitos com sobras de comidas que ficam na geladeira como o arroz e a carne, e isso, são aproveitados através da criatividade das cozinheiras ou cozinheiros, que inventam tais pratos, e colocam nomes exóticos, neles. No estado do Ceará temos o "suvaco de cobra", "sarapatel" , "buchada" e tantos outros nomes exóticos. Vindo ao Piauí, procure degustar as delícias da cozinha regional desse estado querido.
,










<img src=“prato-maria-isabel” title=“cozinha-piauiense” alt=“culinaria-nordestina”>





MARIA ISABEL UM PRATO REGIONAL DO MEIO NORTE DO NORDESTE BRASILEIRO QUE MOSTRA O QUANDO É CULTURAL A COZINHA REGIONAL DO PIAUÍ




      A culinária da região Nordeste do Brasil, é uma das mais apreciadas pelo público, tanto os nativos dessa região, quanto quem vem para conhecer o estado, ou seja, os turistas;  pois seu aroma e seus temperos picantes, fazem dela,  uma cozinha regional de sabores atrativos e de fino trato. Geralmente, nessa região, a tendência sempre muda de acordo com a criatividade das cozinheiras e cozinheiros de alto conceito dentro da gastronomia regional. Tanto os nativos, quantos os turistas internacionais, são apaixonados pela gastronomia do Nordeste Brasileiro. Vários pratos tradicionais, são oferecidos nos restaurantes dessa região brasileira, tais como: carne de sol, chambaril, galinha à cabidela,  camarão ao molho, peixe no bafo e tantos outros pratos regionais, que existem nessa culinária regional. 


<img src=“panela-de-barro” title=“maria-isabel” alt=“gastronomia-nordestina”>



      Cada estado dessa região, tem sua culinária, com alguns nomes diferentes entre os pratos dos estados, mas basicamente é quase a mesma coisa. Então, Hoje,  vamos falar de um prato muito conhecido e muito apreciado no estado do Piauí,  lá no meio norte do Nordeste brasileiro. Vamos falar do prato que leva o nome de "Maria Isabel".  Esse prato, basicamente é feito em cima de alguma sobra de arroz do almoço passado, e que fica lá no cantinho da gelaira para ser esquentado no microondas, no outro dia, então é com essa sobra de arroz que você pode começar a fazer esse prato, a carne que vai nele, também pode ser aquela sobra de carne de sol que sobrou do almoço, se não não sobrou nada, nem o arroz e nem a carne, também pode ser feito. 


<img src=“maria-isabel” title=“prato-do-piaui” alt=“cozinha-nordestina”>



      Então vamos ao Ingredientes: 600 gramas de carne seca cortada em pedacinhos, 4 xícaras de chá, com arroz, 7 xícaras de chá com água, 3 colheres de sopa com óleo, uma xícara de cebola roxa picada,  1 pimentão picadinho 1 pimenta de cheiro,  colorau a gosto, cebolinha e coentro, picados. Modo de preparo: Tempere a carne com os temperos secos de sua preferência: alho, pimenta do reino e cominho. Sal a gosto para temperar a carne seca. Coloque em uma panela e leve ao fogo, a carne já temperada com o óleo. Refogue até a carne ficar frita, junte a cebolinha, o colorau e o arroz. Deixe refogar até ficar no ponto. Acrescente água fervente o suficiente para cobrir o arroz. Veja se está bom de sal, ou precisa colocar mais um pouco. Faça um buraquinho no meio do arroz e ponha a pimenta de cheiro inteira ou não. Antes de colocar a pimenta, faça mais dois furos na pimenta com um palito ou garfo. Quando o arroz estiver pronto é só retirar a pimenta. Depois regue o arroz que foi cozido com um fio de óleo. Deixe cozinhar em fogo brando, por pelo menos 25 minutos ou até á água secar. 


<img src=“comida-tradicional-do-piaui” title=“maria-isabel” alt=“gastronomia-nordestina”>



      Depois mexa o arroz com um garfo  e acrescente o coentro picado com a cebolinha. Esse prato é um manjá. Iguaria sempre presente nos cardápios piauiense, o Maria-Isabel consiste em um picadinho de carne-seca misturado com arroz previamente temperado e cozido em panela de barro. Esse é um prato que tem um arroma suave com temperos picantes que fazem dele, um dos pratos mais apreciados dentro do estado do Piauí, mas também ele é encontrado no estado do Maranhão, Goiás e Mato Grosso. O mas interessante nisso  tudo, é que, esse prato, como tantos outros, que são feitos nessa região, são feitos com sobras de comidas que ficam na geladeira como o arroz e a carne, e isso, são aproveitados através da criatividade das cozinheiras ou cozinheiros, que inventam tais pratos, e colocam nomes exóticos, neles. No estado do Ceará temos o "suvaco de cobra", "sarapatel" , "buchada" e tantos outros nomes exóticos. Vindo ao Piauí, procure degustar as delícias da cozinha regional desse estado querido.
,