. ARTE E CULTURA POPULARA ARTE DE NEWTON AVELINO

Curta Nossa Página do Facebook!


  • Desenvolvido Por Iago Melanias

    Curta Nossa Página do Facebook!


  • Desenvolvido Por Iago Melanias

    SEGUIDORES

    Confira a arte do artista potiguar Newton Avelino, na sua galeria permanente. Adquira já uma obra!

    17 de mai de 2017

    ROLIÚDE É AQUI

    SET DE FILMAGENS: Fonte da imagem: Cabaceiras PB





    SET DE FILMAGENS








          Se existe um povo difícil de ser estudado esse povo é o povo nordestino, pois nós nordestinos, somos alegres, somos sinceros e quase sempre, estamos inventando algo para diferenciarmos das coisas normais da vida, somos antes de mais nada, um bravo. O povo sertanejo além de ser muito trabalhador, também é muito criativo na essência da palavra. Andando dentro da caatinga, nós vemos lugares dentro do bioma dessa região, que na maioria das vezes imaginemos que não existe gente morando ali, mas quando damos conta, vemos que existe sim, pessoas embrenhadas dentro da caatinga, e que faz daquilo ali, o seu lar, a sua vida e o seu mundo. Se o lugar não existe, o nordestino trata de inventa-lo. 






          Eis um lugar que faz qualquer produtor de cinema ficar maravilhado, esse local existe no sertão nordestino, e fica no município de cabaceiras no sertão da Paraíba. Esse é um local onde o produtor de filmes, já encontra os  cenários prontos para filmagens. Com baixos índices de chuvas e uma população com vontade de trabalhar, esse é realmente o lugar certo para tomadas de sets. O letreiro que existe nesse local, não deixa dúvidas nenhuma de que esse local é um local exótico, e para não deixar nenhuma dúvida, o letreiro logo na porta de entrada da cidade já avisa: “Roliúde Nordestina”. Cabaceiras fica a 166 KM de João Pessoa, a capital do estado da Paraíba. 






          Essa região ficou famosa em todo o Brasil após servir de cenário para produções nacionais como “Cinemas, Aspirinas e Urubus”, “O Auto da Compadecida, e “Canta Maria”. A “Roliúde Nordestina” como é mais conhecida a cidade de cabaceiras, já serviu de cenário para mais de trinta produções, entre documentários e longas. Esse é mesmo um cenário que encanta aos visitantes e mesmo aos nativos dessa região. O sertão de cabaceiras e toda região do Nordeste brasileiro, realmente encanta pela sua beleza, disso ninguém tem dúvidas. Mas essa região em si, ela é mágica, pois tem muitos cenários que só a caatinga pode proporcionar para cada um de nós. 






          Os pontos turísticos desse lugar são: a antiga cadeia pública, Museu Histórico Cultural dos Cariris Paraibanos, Lajedo do Pai Mateus, Saca de Lã e o Memorial Cinematográfico. A beleza desse local, chama atenção, pois o conjunto arquitetônico das casinhas e dos prédios públicos que existem na cidade é um atrativo a mais para as pessoas que visitam Cabaceiras. Com um clima ameno à noite, os baixos custos da produção local, não só de locações, mas também dos preços pagos aos moradores, por participarem do roteiro desses filmes, como figurantes, são algumas das razões para grande incentivo para os produtores do cinema brasileiro virem a produzir filmes nessa região de cabaceira. Isso é ótimo, pois isso só vem a beneficiar essa região, pois essa é uma das formas de se divulgar a cidade, e também de se prestigiar a produção cinematográfica do Nordeste e do Brasil. 






          Na cidade cinematográfica, até o jegue se posiciona quando ver a produção começar as filmagens. O cinema foi a tábua de salvação para a cidade de Cabaceiras, pois só assim ela saiu da estatística daquelas cidadezinhas encravadas dentro do sertão nordestino e que são esquecidas pelo tempo, por falta de emprego, e por falta de atenção do poder público. Essa cidade realmente é mágica, tudo transpira a cinema e arte. Digamos que o estúdio é a céu aberto. O investimento em turismo cinematográfico é uma realidade nessa cidade, só assim isso gera emprego e renda para a população local. 






          Cabaceira é um verdadeiro set de gravação, os moradores dessa localidade costumam fazer “pontas” em diversos filmes. Não existe tempo ruim na cidade, eles sempre programam festividades locais para celebrarem algum evento, como por exemplo, o festival de caprinos e ovinos da Paraíba, e assim essa cidade vai se desenvolvendo e seus habitantes vão renovando na criação de novos eventos. Falar da “Roliúde Nordestina, é ter a satisfação de valoriza o cinema Brasileiro, pois é com pouco dinheiro, muita vontade e um história riquíssima, que o cinema regional e nacional, vão se valorizando e vão mostrando todo um trabalho riquíssimo e um potencial cultural incrível dessa região. Quando vier ao Nordeste, procure conhecer a nossa “Roliúde Nordestina”, ela pode te surpreender.



    A SEMENTE DA VIDA

    O RETRATO DA FOME : Fonte da imagem: Youtube





    O RETRATO DA FOME







          As secas intermitentes dentro do sertão do Nordeste Brasileiro, vem se arrastando desde o século XVl, e de lá para cá, pouco se fez para minimizar a vida do povo sertanejo que mora no bioma nordestino. Sai ano entra ano e os governantes vão só fazendo campanhas preventivas, isso quando chega em algum lugar do sertão, o problema é que, o sertanejo só ouve falar que o país não tem dinheiro e que, as políticas de contensão são necessárias, para que o país não gaste mais do que pode, acontece que o país gasta com muitas coisas, mas nem sempre essas coisas são necessariamente a seca nordestina. 






          O pior é que, as pessoas que estão ali, não podem esperar para comerem, porque um homem com fome e vendo a sua família morrendo de fome e   sem ter como tirar para comprar o seu sustento, ele vira um bicho. Foi isso que aconteceu em décadas anteriores, muitos sertanejos invadiam armazéns dentro do sertão, para obterem comidas para eles e suas famílias. Então eu acho que, essa é uma região que pode ser mais bem assistida, pois quando a seca vem, ela pega os pequenos, médios e grandes agricultores. 






          Acho que os homens públicos deveriam olhar com mais carinho, e resolverem esse problema crônico do Nordeste do Brasil para poder amenizar o sofrimento do homem do campo, o pior é que tem muitos que só aparecem de 4 em 4 anos, e as pessoas de boa fé, sempre são as mais prejudicadas. Muitos sertanejos, passaram a ocupar o polígono das secas, que fica localizada em quase toda região nordestina, dentre essas regiões estão: Alagoas, Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe. 






          Uma parte do estado de Minas Gerais, que também faz parte do Polígono das secas. A presença de sertanejo dentro desses territórios foi tão grande que, através de uma carta régia, veio a proibição para criação de gado nessa faixa de dez léguas desde o litoral em direção ao sertão. A falta de planejamento fortalece articulações políticas para a liberação de recursos emergenciais alocados em assinaturas que deveriam potencializar a riqueza local para a auto sustentação comunitária. Mas na realidade, a lógica parece perversa. 






          Pois na verdade, esse sistema parece mesmo é que não funciona. Ele parece mais calculado para não funcionar nem saúde, nem educação nem moradia e muito menos, segurança. A umidade que vem da mata atlântica não tem forças para chegar a essa região, pois ela é barrada por obstáculos naturais. Outras massas vindas da Amazônia legal, também não atingem essa região, pois são barradas no oeste do Maranhão. Algumas cisternas de plásticos colocadas em vários lugarejos encravados no sertão nordestino, talvez colocadas por pequenas prefeituras, que não gere quase nada, porque esses municípios são pobres, elas fazem isso para socorrer aquelas famílias de baixa renda, que estão abaixo da linha de pobreza. 






          Eles vêm buscar água, em lombo de jegues equipados com ancoretas, e que, as vezes andam muitos quilômetros de distâncias. Existe um segredo guardado entre os sertanejos que habitam o sertãoNordestino, eles sempre comentam ao pé do ouvido, que há com certeza, uma profecia sertaneja de que, há cada cem anos, uma estiagem sem precedente aparece no sertão. As crenças sertanejas, e a fé do homem do campo, nunca devem ser deixadas de lado, pois esses profetas sabem o que falam. Então antes de se falar de Nordeste brasileiro, de sertão nordestino ou de secas, fomes e misérias, temos que conhecer os conteúdos de “como”, “deve” e “solução”. 






          Ou seja, como podemos falar sobre um assunto tão complexo dessa região, invés de estarmos falando o que não sabemos e nem presenciamos. Como os órgãos públicos responsáveis deve fazer para amenizar a fome, a sede e a miséria dessa sub-região. Como podemos solucionar o problema para melhorar a situação dessa sub-região nordestina. 






          Acho até que, o Nordeste brasileiro prefere programas sociais do que esmolas, pois, essa região já passou muito tempo vivendo de migalhas e de piedade de outras pessoas, essa região, mesmo com todas as dificuldades impostas por fenômenos climáticos, ela ainda espera que as pessoas reconheçam que ela pode ser o celeiro do Brasil, só precisa de água para produzir no seu solo. O resto os sertanejos sabem o que fazer.


    16 de mai de 2017

    MANJAR AROMATIZANTE

    MISTURAS DE SABOR: Fonte da imagem: flavorsofbrazil.blogspot






    MISTURAS DE SABORES







          A culinária do Nordeste do Brasil é extremamente exótica, aromática e picante, essa culinária se desenvolveu aos longos dos anos depois de uma grande influência europeia, africana e asiática, mas também tivemos uma grande influência indígena. Tudo isso veio a enriquecer culturalmente falando, a nossa cozinha regional. Depois que nos tornamos independentes, os costumes com o passar dos anos, foram mudando, então começamos a empregar dentro dos nossos próprios costumes, temperos e gostos pelos alimentos consumidos por nós. Essa é uma culinária muito apreciada não só por nós brasileiros, mas também pelos povos de outros continentes. 





          Como o Brasil é um país continental, às variações da culinária desse país de região para região é muito diversificada, temos um leque muito grande de variações de cardápios dentro da nossa cultura. Como o Brasil foi descoberto pelo Nordeste brasileiro, então estamos falando das influências que recebemos já desde o Brasil império, e isso começou pelo Nordeste e foi se espalhando para as outras capitanias. E dentre tantos pratos saborosos que existem dentro da nossa culinária, eu resolvi falar aqui de um prato muito apreciado por todos nós e por muitos que gostam de um tempero mais picante, vamos falar do vatapá. Esse prato é um prato que tem uma influência muito grande da cozinha africana, e que foi herdado por nós, já algum tempo. 







          Graças a Deus, a baianidade dos baianos, soube transformar esse prato em um manjar. Apesar de ser um prato muito simples de fazer, também requer um pouco de amor na hora de fazê-lo. Para quem quer preparar um prato como esse, precisa-se de 2 cebolas, 100 gramas de amendoim, 100 gramas de castanha de caju, água, azeite de dendê, 10 pães, 400 ml de leite de coco, 200 gramas de camarão e sal. Modo de preparo: Coloque as cebolas com um pouco d’água e bata tudo no liquidificador, até virar uma pasta. Retire do recipiente e limpe. Depois triture o amendoim e a castanha de caju no liquidificador, adicione um pouco de água. Umedeça os pães com 1 litro de água. Quando estiverem bem moles, coloque no liquidificador para bater. 






           Depois despeje azeite de dendê em uma panela, doure duas colheres de pasta de cebola e frite os camarões, quando eles atingirem a cor branca, é porque chegou no ponto certo. Agregue o pão batido e as castanhas, despeje o leite de coco e misture bem até engrossar. O tempo de prepara desse prato é mais ou menos uns trinta minutos. Essa é uma iguaria que tem por base o pão amolecido ou mesmo a farinha de trigo que pode ser acrescentada e o peixe desfiado, camarão fresco camarão seco e diversos outros tipos de temperos. Esse prato típico da Bahia, chegou ao Brasil através de africanos que chegaram ao Brasil na época da escravidão. Eram africanos iorubas com nome de ehba-tápa. 





          Também é muito popular no estado do Pará, Amapá e no Amazonas, onde a receita sofre variações como a ausência de amendoim e de outros ingredientes que existem na recita tradicional. Então vemos que a cozinha nordestina, é simplesmente maravilhosa, e tem uma infinidade de sabores, temperos e aromas, que por si só, já nos deixa com água na boca. Os temperos picantes podem deixar ainda mais os sabores mais aromatizantes. Hoje esse prato é encontrado em toda região nordestina, graças aos estudos de chefes de cozinhas e o desejo dos consumidores pedirem esses prato muito especial e simples de fazer. 






          O que diferencia a cozinha regional do nordeste do Brasil para outras cozinhas internacionais, é justamente a criação constante e a procura por novos pratos e por novos sabores dessa culinária. O Nordeste brasileiro adaptou em sua cozinha, muitas ervas, muitos temperos e muitos segredos em seu preparo. Então isso resulta em novos pratos e novos sabores. Sendo assim, quando vir ao Nordeste brasileiro, aproveite para provar esse manjar da cozinha Nordestina.

    By: Geisa Santos.



    9 de mai de 2017

    O VENTO E A NATUREZA








                                                LUGAR PARA RELAXAR









          O litoral potiguar é um point mais do que certo para muitos banhistas de finais de semanas. O que ocorre é que, durante todo o ano, esse mesmo litoral, recebe centenas milhares de turistas de todo o Brasil e até de fora do país. O bom de se passar as férias no litoral nordestino é que, durante os 365 dias do ano, praticamente o sol está sempre presente nessa parte dessa região. Hoje vamos falar de uma dessas praias potiguares que mais recebe turistas, pois além dela ser bem próximo a capital potiguar, natal, ela é uma praia que é propícia para todas as idades de banhistas. 





          Além dela ter um mar calmo de ondas não muito fortes, ela ainda é uma praia que tem um terreno praticamente plano, sem buracos e sem muito sargaço. Ela é praticamente uma praia tranquila que tem uma extensão mediana, e que é muito tranquila para as pessoas relaxarem. 






           Essa praia é boa para a prática de windsurf e para passeios de lanchas e traineiras. Esse local tem uma boa infraestrutura e você pode ter um cardápio bem regional a base de peixe e crustáceos. O maio cajueiro do mundo fica a 1 km dessa praia, é outra atração do local, pois possui barraca com artesanatos e bares e lanchonetes, que dão um conforto especial para os turistas. 






           Muitas atrações vão ser encontradas na Praia de Pirangi, uma delas são os passeios nos barcos do Marina Badauê que sai da praia de Pirangi que fica em frente ao Maior Cajueiro do mundo. Nesse passeio, você pode ter a oportunidade de mergulhos nas piscinas naturais de pirangi com uma média de duração de 2 horas, passando por pirangi do sul e pirambúzios, além da ponta do Flamengo. 






          Essa é uma das praias mais gostosas de se tomar um banho em águas calmas e claras. A praia de pirangi fica a uns 21 km de distância de Natal. Essa é uma praia que pertence ao município da grande Natal que é Parnamirim. O acesso a esse paraíso, é pela RN 063. Essa rodovia estadual é conhecida como “Rota do Sol”, e tem início em Ponta Negra; à beira dessa rodovia, localiza-se a base de lançamento de foguetes.






           Essa base se chama “Barreira do Inferno”. O rio pirangi é outra atração para os turistas, ele fica em uma foz, e foi por onde a capital foi descoberta. A linda encosta que esse rio tem, nos mostra o quanto é belo esse local. Essa praia é uma das mais procuradas do litoral sul do estado, e é divindade por um rio que leva o nome do mesmo lugar, do outro lado do rio, já se encontra a outra praia do mesmo nome, Pirangi do sul, que dessa vez pertence a outro município, que é o município de Nísia Floresta. Mas aí é outra história. 





          Como vemos, essa é uma das mais lindas praias do litoral potiguar, e que tanto os nativos do local quanto os turistas, são agraciados pela beleza e a tranquilidade desse local. Pirangi na época de carnaval, tem um dos carnavais de rua mais movimentado do estado, pois o frevo come solto. Venha conhecer esse local agradável e tranquilo do estado do Rio Grande do Norte.














                                    











                                                                                      

                                                        

    https://plus.google.com/+Blogger

    3 de mai de 2017

    IGUARIA DO MEIO NORTE

    SABOR DE UM MANJAR PIAUIENSE | Fonte da imagem: pequi pensante













    SABOR DE UM MANJAR PIAUIENSE









          Se existe uma fruta antioxidante com muitos benefícios e com um sabor extraordinário, essa fruta é o buriti. Nome cientifico: Mauritia flexuosa. É uma planta de ampla distribuição no território nacional. Ela pode chegar a 30 metros de altura e ter um caule com espessura de até 50 cm de diâmetro. Ela é encontrada em terrenos alagáveis e brejos de todas as formações. Existem buritis machos e fêmeas. Os pés de buritis machos só produzem cachos que apenas resultam em flores; já no caso das fêmeas, as flores se transformam em frutos. 






          Seus frutos são esperados durante um ano para amadurecerem e ficarem aptos para a colheita, o que acontece entre dezembro e fevereiro. Cada pé de buriti produz de cinco a sete cachos por ano, cada um deles com 400 a 500 frutos. A proteção natural do buriti é a sua casca dura contra predadores e contra a entrada de água. Com uma coloração alaranjada, a polpa do fruto é muito saborosa, sendo acompanhada de um caroço, que é a semente da espécie. Sua colheita é muito difícil, e requer que os frutos maduros sejam colhidos do chão, depois de terem caídos naturalmente do pé de buritizeiro. 






          Alguns coletores cortam os cachos no pé do buriti, assim que os frutos amadurecem e começam a cair. É muito comum se ver essas palmeiras robustas e elegantes nas regiões do estado do Piauí, Maranhão, Centro-Oeste e na Amazônia. Muitos produtos úteis dos buritizeiros são aproveitados pela população ribeirinhas de sua região de ocorrência, tanto na sua alimentação como em outras necessidades diárias tais com: sabão caseiro, bebidas fermentadas ou natural, material para casa, óleo e doces dos frutos, fécula e um líquido potável e açúcar do estipe, etc. 






          Da polpa ou mesocarpo, prepara-se o “vinho de buriti”, mediante o prévio amolecimento dos frutos em água morna; esta prática é necessária para completar o amadurecimento dos frutos que ao caírem ainda estão um tanto duros. Também é chamado em algumas regiões de “vinho de buriti”, o líquido é adocicado e fermentado extraído pela incisão de sua inflorescência antes de desabrocharem as flores. A poupa, se prepara o tradicional “doce de buriti”, principal produto derivado desta palmeira. Ingredientes do doce de buriti. Massa de buriti, açúcar. 






          Modo de preparo: Misturar bem a massa de buriti com o açúcar em uma vasilha com tampa, e deixar curtir por dois dias fora da geladeira. Para fazer uma pequena quantidade de doce, deve ser usada a mesma quantidade de massa de buriti e de açúcar. Para fazer mais do que 10 kg de doce, deve ser colocado mais açúcar do que a massa de buriti. Por exemplo, a cada 10 kg de massa, adicione 12 kg de açúcar. Depois de curtido por 2 dias, o açúcar vai estar dissolvido na massa formado uma calda. Colocar todo o conteúdo da vasilha em um tacho de alumínio ou de cobre. 






          Levar ao fogo por pelo menos 1 hora, ou até que apareça o fundo do tacho. Usar uma colher de pau para mexer a massa, durante todo o tempo que estiver no fogo. Assim que retirar do fogo, despejar todo o conteúdo do tacho em uma bacia de alumínio para esfriar. Quando estiver frio e consistente, cortar pedaços do doce com uma faca e embalar em sacos plásticos bem fechados. Cada 10 kg de massa de buriti, rende cerca de 15 kg de doce. O doce pode ser conservado por até 1 ano fora da geladeira. Esse doce faz parte da região do meio norte do Brasil. Ele é quase uma entidade entre os povos que vivem nessa região. 






          Com um sabor inconfundível, ele consegue diferenciar dos outros doces na hora do paladar e da degustação de cada pessoa que consegue ter o privilégio de degusta-lo. A casca dura do buriti é uma proteção natural contra predadores e contra a entrada de água. A polpa do fruto é saborosa e possui coloração alaranjada, sendo acompanhada, em geral, de um caroço, que é a semente da espécie. Em alguns casos, no entanto, podem ser encontrados dois caroços ou nenhum. A colheita do fruto é trabalhosa, requerendo que os frutos maduros sejam colhidos do chão, após terem caído naturalmente o buriti fornece palmito comestível, mas pouco utilizado. 






          O óleo da polpa é usado para frituras e sua polpa, depois de fermentada, se transforma em vinho. Também é possível encontrar produtos beneficiados como doces e picolés. Seus frutos podem ser utilizados ainda na alimentação animal. O artesanato e a ornamentação se valem da riqueza e beleza desta planta. A madeira pode ser utilizada em áreas externas da casa, as fibras de suas folhas podem ser utilizadas na confecção de esteiras, cordas e chapéus. Sua amêndoa resistente também é utilizada para pequenas esculturas. O fruto do buriti é rico em vitamina C e é um alimento energético.




    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

    GOSTARIA DE ASSINAR O NOSSO FEED?

    100% gratuito

    RECEBA AS ATUALIZÇÕES DO NOSSO BLOG DIRETAMENTE NO SEU E-MAIL

    FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADES DO BLOG