, A ARTE DE NEWTON AVELINOBlog que fala da cultura popular do Nordeste Facebook Login JavaScript Example

SEGUIDORES

Confira a arte do artista potiguar Newton Avelino, na sua galeria permanente. Adquira já uma obra!

25 de ago de 2016

OÁSIS DO SERTÃO

NO OLHAR DE UMA CRIANÇA | Fonte da imagem: luizinhocavalcante












NO OLHAR DE UMA CRIANÇA







      A região nordeste do Brasil é impressionante, é a região que tem o maior número de estados brasileiros, com 9 estados. Esse lugar, sempre está sendo atingido por esse fenômeno. A região do sertão nordestino é uma área de terra que corta quase todos os estados dessa região. Dentro do sertão nordestino, existem várias famílias que estão dentro dessa faixa seca e árida e que sempre é castigada pelos intermitentes períodos de estiagens. As secas do sertão nordestino, são provocadas pelo fenômeno atmosférico oceânico chamado de El Niño. 





     Esse fenômeno é caracterizado por um aquecimento anormal das águas superficiais no Oceano Pacífico Tropical. Como essa é uma região que apesar de ser semiárida, ela possui vários pequenos, médios e grandes açudes, claro que, com a falta de chuvas provocado por esse fenômeno chamado de El Niño, é claro que essa região sente e sente muito as consequências. Primeiro porque esses reservatórios de água, eles depois de longos períodos de estiagens, ele naturalmente secam, e aí, as pessoas começam a sentir dolorosamente a falta desse líquido tão precioso para todos nós. 





      Não tendo inverno, não tem água, não tendo água, as pessoas não tem como plantar nem como beber e muito menos, fazerem os trabalhos domésticos. Como essa região é uma região árida e desértica em alguns lugares, a temperatura do chão pode atingir até 60 graus, com uma temperatura ambiente entre 25 a 35 graus na maior parte do ano. Hoje uma das soluções muito usadas no sertão, são as cisternas implantadas pelo governo federal na época de Lula e Dilma. 





       Essa foi uma das soluções mais acertada pelo governo, pois em época de chuvas, o agricultor pode armazenar a água das chuvas, em sua cisterna, que na maioria das vezes são colocadas no quintal ou ao lado de suas casas. Bem, mas isso é outra história, o que vemos, é que, essa região é uma região que, além de ter vários açudes como eu falei, esses reservatórios também servem para abastecerem pequenos municípios e também servem para a irrigação de lavouras desses agricultores. 






      É muito triste ver as cenas de pobreza nessa faixa de terra dentro dessa região do Brasil, pois somos todos nordestinos, e essas pessoas que dependem muito das chuvas ou de água potável, para sobreviverem, elas passam por cada momento crítico em suas vidas, para sobreviverem dentro do seu espaço territorial, pois com as secas constantes nessa região do sertão, não funciona praticamente nada. 





       Esses pequenos, médios e grandes açudes, são a fonte de água e vida para essas pessoas, pois na maior parte das vezes também eles servem para criação de peixe para subsistência dessas pessoas que ali moram, o mais incrível que ele vão usando carros pipas, ou seja, caminhões tanques, para levar água para outras comunidades, até esse açude não terem mais, água, já outros pequenos açudes ou barreiros, também podem receber água dos caminhões pipas, e assim, vão passando os dias com muitas dificuldades para essas famílias que moram em lugares quase inabitável, dentro do bioma nordestino. 





       Essa paisagem é praticamente cultural, o nordeste teve mais secas de que tempos chuvosos, pois essa área é propícia a isso em primeiro lugar, o seu relevo interplanáltico, ou seja depressões localizadas entre planaltos, isso favorece a circulação de massas de ar úmidas, ocasionando a falta de chuvas. Também é uma região de latitudes equatoriais, com maior incidência de raios solares e, portanto, com maiores temperaturas. Ah, é bom explicar que não é em todo o nordeste que isso acontece, pois esse tipo de fenômeno está presente é na região chamada de sertão. 





        Então como vemos, o sertanejo é muito dependente tanto das chuvas como também das águas dos reservatórios dessa região. E quando ele ver os reservatórios e pequenos e médios açudes secarem, ele são tomados por uma desilusão profunda em não ter o produto mais precioso em suas terras. A verdade é que, nas secas, a paisagem muda os pássaros somem, o gado desaparece e a vida do sertanejo fica mais difícil de poder fazer algo mais por ele e por sua família. 





        E assim vai passado os dias através dos tempos e o sertanejo vai ficando calejado de tanto passar privações em seu próprio chão, sem poder fazer nada, a espera de um milagre, que nem sempre vem, e de 4 em 4 anos, ainda tem que aturar muita conversa fiada por parte de algumas pessoas que querem a ajuda deles para se eleger. Essa é a vida do sertanejo nordestino. 





        Às vezes o cultural no nordeste, nem sempre produz o que é bom para o povo sofrido dessa região. Nessa região meu amigo, como diz o poeta: “boi com sede bebe lama”, e ainda tem muita gente que tem preconceito contra nossa gente, nossa região. Falar da gente é fácil, difícil é ser um de nós. Tenho muito orgulho dessa terra, pois isso aqui é uma nação chamada de nordeste.


                                      

20 de ago de 2016

CORREDORES DO PROGRESSO

TAPETE ASFÁLTICO | Fonte da imagem: umaincertaantropologia.










TAPETE ASFÁLTICO 







       As estradas que cortam o nordeste brasileiro, algumas são vicinais outras federais e muitas outras, estaduais. Essas vias servem de escoamento tanto por parte da produção de agricultura, como também, do turismo e também são usadas para outros fins. Elas são estradas que foram feitas dentro do sertão nordestino e que algumas delas receberam camadas asfálticas com durabilidade de pelo menos 10 anos. 






       Quase todas elas foram construídas pelo exército brasileiro, que para mim, tem um trabalho exemplar, tanto na construção de açudes e de estradas como também na construção de barragens. O trabalho do exército junto com outras empresas particulares, fazem das estradas do nordeste, um exemplo de rodovias. Algumas precisam de manutenção, mais para isso é preciso vários projetos de recurso financeiro para que elas sejam recapeadas ou conservadas, mas isso é outra história. 






         Geralmente elas são feitas em terrenos muito cheio de obstáculos, devido ao terreno arenoso da caatinga, pois a piçarra é um dos solos mais constante na região mais seca do nordeste brasileiro. Nos anos de 1970, o exército brasileiro junto com construtoras, construíram bastante estradas asfaltadas dentro dessa região. Com a continuação do tempo, a durabilidade dessas rodovias federais e estaduais, foram ficando frágeis, pois acho que essas estradas tem um tempo máximo de 10 a 20 anos, e assim, depois desse tempo, elas começam a dá sinais de desgastes. 






        Pois bem, então essas rodovias feitas com asfalto quente ou frio, elas encantavam a todos nós, pois víamos o sertão sendo cortado por aquele tapete imenso tapete preto, que nos proporcionava o conforto de transitar sobre elas para qualquer local que quiséssemos ir num raio de pelo menos 2 mil km ou mais. Então víamos que o sertão estava sendo beneficiado com pelo menos essas coisas, como uma boa infraestrutura na malha rodoviária. Na parte de açudes, também nos anos de 1970, foi a onde aconteceu o auge das construções desses reservatórios, tudo comandado pelo exército brasileiro e administrado pelo DNOCS. Mas isso é outra história. 






        Então vejamos, as estradas foram se desgastando durante muito tempo, entra governo sai governo e só tinha na maioria das vezes mutirões de tapa buracos, quando elas estavam muito desgastadas, aí era que tinha que ter tanto por parte do governo federal ou estadual ou em parceria, o recapeamento total dessas estradas que ficam encravadas dentro do bioma nordestino. Essa era nossas estradas aqui dentro do sertão nordestino. Eu notei que de uns tempos para cá isso mudou radicalmente, precisamente de uns 12 anos para cá. 






        Vemos que tanto estradas estaduais como as federais algumas estão lindíssimas, bem conservadas e sinalizadas. Na maioria das vezes o governo federal também contribui para as obras de infraestrutura de rodovias estaduais, é só ver nas placas que estão nos canteiros das obras que estão sendo executadas, a quantia que vem do governo federal para aquela infraestrutura. Então o nordeste, desses 12 anos para cá, teve muitos benefícios por parte do governo federal, duplicou estradas, construiu outras, fez açudes e deu a oportunidade para que o nordeste tivesse estradas boas e tantas outras coisas. 






           Essas estradas em termos de logística, cai como uma luva para o turismo no nordeste brasileiro, pois diminui o tempo de translado dos turistas e dá mais conforto para quem vem visitar essa região do Brasil, essa região tão rica e tão acolhedora. Ainda precisa muito de verbas para outras estradas que estão em estado de abandono, inclusive federais, mas podemos dizer que o nordeste do Brasil nunca e nenhum outro governo foi beneficiado tanto como nos últimos governos. O que resta saber agora, é que, essa região precisa crescer e crescer a cada dia mais, com qualquer governo legítimo que seja, mais que não pode faltar infra estrutura nessa região. 






           Primeiro porque é a região que tem o maior número de estados, ela tem nove estados, depois o fluxo de embarque e desembarque tanto de mercadorias e de gente que entra e sai pelos portos e aeroportos, faz com que essa região seja olhada com muito carinho e com muita responsabilidade em se tratando de investimentos públicos e também privado. As estradas do sertão nordestino, são as pérolas negras que fazem da caatinga um labirinto de beleza no seu tapete negro cortando o bioma do sertão.



16 de ago de 2016

TABULEIROS CÍTRICOS

FRUTA TÍPICA DO NORDESTE | Fonte da imagem: agencia.cnptia











 FRUTA TÍPICA DO NORDESTE








      A região nordeste é uma das regiões mais incríveis que conhecemos, isso tanto pela sua culinária, como pelas artes em geral, pelo seu turismo, pelas pessoas que aqui moram, pela sua história, que é uma história de guerras e batalhas e que foi por aqui que o Brasil foi descoberto. Então falar da região nordeste, eu fico muito à vontade, pois a cultura dessa região é muito forte e rica, e como eu sou daqui, fica muito mais fácil em conhecer e falar das coisas do nordeste do Brasil. 






      Essa região, podemos até chama-la de “caribe brasileiro”, pois as suas praias, as suas paisagens, o seu clima, e toda gama de energia positiva que paira por aqui, faz dessa região, uma das mais calyente do Brasil. Pois tudo aqui, gera em torno de sol, calor e muita gente alegre, isso com todas as dificuldades do dia a dia. Mas hoje vamos falar das frutas típicas do nordeste brasileiro. São frutas de sabores extremamente cítricos, umas com sabores doces, outras mais azedas, e outras mais suaves. 





      Essas frutas são encontradas em todos os estados do Nordeste, tais como: Bahia, Paraíba, Maranhão, Ceará, Alagoas, Pernambuco, Piauí, Sergipe e Rio Grande do Norte. Elas são extremamente usadas dentro da culinária nordestina. Os nordestinos consomem muitos todas elas, mais uma em especial, se destaca pelo consumo que é muito grande dentro do nordeste, pois ela contribui muito para a hidratação de banhistas e de todos em geral, essa fruta se chama coco verde. 






       O coco verde, é muito procurado por banhista de praia, pois como eles levam muito sol nas praias do nordeste, ele procuram ela para consumir o seu líquido precioso, já a poupa do coco seco, serve para ser transformada em leite de coco e temperar os frutos do mar, serve para se fazer doce e cocadas, serve para extrair o óleo e por aí vai. Muitas outras frutas são consumidas por todos nós aqui no nordeste, e que, durante o ano todo, essas frutas são figurinhas carimbadas em feiras livres e mercadinhos, sem falar nos vendedores ambulantes de frutas. 






        Bem, mas vamos escolher uma dessas frutas típicas do nordeste brasileiro, vamos escolher a mangaba, ou como queiram chama-la, mangabeira (Hancornia speciosa) Cerratinga seu nome científico. Os Franceses à chamam de Caoutchouc du Pernambouc devido ao seu leite que produz. Ela é um fruto da árvore mangabeira, é um nativo genuinamente de regiões tropicais brasileiras. Tem um crescimento a uma altura de 5 a 6 metros, mais pode vir a atingir 10 metros. Seus frutos começam aparecer entre 3 e 5 anos. Esse fruto tem uma forma oval em forma de baga, esverdeada com pigmentação vermelha ou meio amarelada. 






       Essa variedade de fruta sempre encontramos em grandes tabuleiros de arenito, passando pela caatinga. No sertão ou em quase toda sub região do nordeste, encontramos centenas dessas árvores embrenhadas dentro do bioma nordestino. Ela também é encontrada no cerrado brasileiro e em quase todo o território nacional. A mangaba pode ser consumida in natura, pode se fazer o suco, sorvete, doce conserva, geleia, vinho e xarope. Quando essa fruta está na sua época de produção, ela amadurece e termina caindo ao solo entre 12 e 24 horas. 






        Esse fruto só está apto para consumo a partir do momento que ele cai ao solo, pois é aí que ele está maduro ao ponto de ser consumido. A mangaba é rica em vitamina C, mais que outras frutas mais ácidas. O seu teor proteico, fica entre 1,3 e 3%. Na 2ª guerra mundial, essa fruta foi muito importante, pois o seu látex era utilizado na fabricação de borracha. A mangaba é indicada para o tratamento de colesterol, diabetes e hipertensão. 






      O suco da mangaba é indicado para tuberculose e úlcera. A sua casca é benéfica para o organismo. A mangaba é indicada para problemas de rins. A sua folha é indicada para gripe. Sua casca também é usada para tratamentos de pulmão, câimbras e cólicas menstruais. Então essa frutinha, é muito consumida pelos nordestinos. Vindo ao nordeste brasileiro, procure tomar aquele suco geladinho de mangaba.











15 de ago de 2016

CULTURA MILENAR

AS MULHERES DOS RIOS | Fonte da imagem: mariamarquesbio











AS MULHERES DOS RIOS







      O sertão nordestino, é uma faixa de terra contínua que está localizada dentro da região nordeste do Brasil, e que, é muito castigada pelas secas intermitentes. Ao contrário do que muitos desinformados pensam, a seca ou as secas, não atinge toda a região nordeste do Brasil. Ela se concentra numa área conhecida como Polígono das secas. Essa área atinge quase todos os estados do nordeste, são eles: Bahia, Alagoas, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará, Pernambuco, Sergipe e algumas áreas de Minas Gerais. As causas mais prováveis das secas intermitentes no nordeste brasileiro, são naturais. 






      Essa região está localizada em uma área que as chuvas são escassas, pois ela recebe pouca influência de massas de ar úmidas e frias, vindas do sul. Por isso é que uma massa de ar quente e seca, permanece durante muito tempo no sertão, não gerando precipitação pluviométrica. Com secas ou sem secas, temos uma personagem muito comum nessa região do sertão. Profissão muito comum em um passado remoto, a onde não existia máquinas de lavar, ou tanquinhos, elas faziam histórias na cultura popular nordestina. 





      As lavadeiras do sertão, são mulheres destemidas que, além de ajudar os maridos na labuta do dia a dia dos afazeres domésticos, ainda elas eram responsáveis por lavar a roupa de toda sua família, e algumas ainda usavam isso como profissão, para lavar roupar para fora. Quando os rios temporários ou mesmo os rios permanentes, tinham bastante água, elas aproveitavam esse espaço público para lavarem e enxaguarem as roupas ao sol escaldante do nordeste. 





      Assim era a vida dessas batalhadoras do dia a dia no sertão nordestino. Hoje apesar da prática praticamente ter acabado nos centro urbanos, essa profissão ainda insiste em permanecer, nos mais longínquos cantos do sertão brasileiro, dentro do bioma, dentro da caatinga, a onde essas pessoas não tem energia elétrica e nem um pingo de infraestrutura adequada para um ser humano. Políticos nessas regiões só aparecem de 4 em 4 anos para pedir votos e para falar bonito com essas pessoas ingênuas do sertão. 





      O caso é que, vão se passando os anos, e esses lugares vão ficando esquecidos no tempo, e as pessoas vão se costumando a viverem nesse triste regime de sofrimento. Isso mudou bastante e para melhor de pelo menos 12 anos para cá, mas ainda é existem muitas melhorias para se fazer para esse povo que mora nessas áreas abandonadas, que é uma área seca a onde eles não produzem nada na época da seca, e ficam passando privações. Então são nessas áreas a onde não existem máquinas de lavar roupas, a onde essas pessoas fazem disso uma profissão. 






       As lavadeiras querem sol, os agricultores querem chuvas. Isso ainda é cultural dentro do alto sertão nordestino, você ainda pode ver mulheres lavadeiras, carregando trouxas de roupas na cabeças, e quando tem meninos pequenos, ainda levam os seus filhos para participarem do ritual, tomando banho dentro de rios e açudes do Nordeste brasileiro. Muitas mulheres ainda gostam de fazer parte dessa tradição, ou seja, muitas não tem outra opção, a não ser lavar as suas roupas num estilo mais primitivo, mesmo em sua casa, não tendo a tal máquina de lavar roupas, elas montam uma espécie de quarador suspenso com forquilhas e bastante madeiras, e fazem daquilo uma espécie de quarador, já na beiras de rios e açudes, algumas usam as pedras como quarador. 





      Com as secas continuas o governo investiu em construções de cisternas e investiu na infraestrutura dessa região, como por exemplo, na distribuição de água através de carros pipas. Também investiu na implantação de um sistema de desenvolvimento sustentável na região, para que as pessoas não necessitassem sempre de ações assistencialistas do governo. Também investiu no incentivo público à agricultura adaptada ao clima e solo da região, com sistemas de irrigação. Então, mesmo sem ter a água dos rios e açudes, as lavadeiras do sertão tem a água das cisternas construídas pelo governo. Só assim, é que essa profissão de lavadeiras, ainda continua a existir no sertão do nordeste brasileiro.






14 de ago de 2016

BRINCADEIRAS DE CRIANÇA

                            INGÊNUA INFÂNCIA | Fonte da imagem: denilsonfernandesparambublogspot











INGÊNUA INFÂNCIA








      As cenas cotidianas do sertão do nordeste brasileiro, são as mais belas e as mais pragmáticas no sentido do cultural da palavra. Não há dinheiro do mundo que pague ver a resposta sincera de uma criança, goste você ou não, a criança sempre vai falar sem nenhuma maldade, a sua ingenuidade não deixa, principalmente as crianças dos sítios, ou da roça como queiram chamar. Como diz o poeta cancioneiro popular brasileiro: “eu fico com as resposta da pureza da criança é a vida e é bonito e é bonito”. 





      Então são meninos e meninas que moram no sertão nordestino, que nunca teve ou tiveram a oportunidade de estudarem, pois moram afastado de qualquer parte da civilização, ou seja, dos pequenos, médios ou grandes centros urbanos. Na maior parte das vezes, essas crianças não tem muito tempo para estudarem, pois estão ajudando aos pais na labuta das atividades do dia a dia da roça. 





      Isso é um fator cultural dessa região, mas, não deveria continuar sendo assim, é tanto que hoje tem um programa do governo federal que é chamado de bolsa família, que os pais só recebem esse benefício se a criança estiver na escola. Mas também tem lugares que esse programa não chegou ainda, ou tem famílias que ainda não receberam. Isso dificulta muito essas famílias na hora que não tem nada para comer a sua mesa. Então chega uma certa idade, essas crianças tem que estudarem e meio período também brincarem com as outras crianças. 





      Mas olha só, essa região sempre foi uma região castigada pelas secas e pelo flagelo da fome, pois, se não tem chuvas para plantar, consequentemente não vai ter trabalho na roça e nem comida na mesa, então o nordestino sempre viveu seus dias de luta, matando um leão a cada dia, isso para quem vive no chamado polígono das secas, que fica no alto sertão nordestino. Os agricultores são pessoas humildes, pois não tiveram as condições necessárias para estudarem, isso eu estou falando de século passado, onde os coronéis da política mandavam e desmandavam, e só apareciam no sertão, de 4 em 4 anos. Isso foi aleijando o sistema político cultural dessa região. 





      Pois bem, essa pessoas humildes que vivem da sua agricultura quando chove, e mais alguns poucos trabalhos de subsistência, elas vão se acostumando com aquela vidinha boa e sossegada sem perspectiva de crescimento profissional, mais vão levando do jeito que dá para eles levarem. Então eles ensinam aos seis filhos menores a montar em seus animais, com isso essas crianças faz disso um tipo de diversão, é tanto que esse costume, vem desde criança para o sertanejo, ensinam aos meninos a terem mais responsabilidade com os afazeres da casa e por aí vai. 





      Geralmente as crianças já criam responsabilidades de pessoas adultas, e isso não é bom para essas crianças mas essa é a cultura do sertão do nordeste do Brasil. O pai manda lavar os cavalos ou jumentos, também manda a tangerem o animais para o roçado, e é por aí que cresce a criança nascida no nas roças do sertão do nordeste. Então não me venham querer que uma criança de 8 anos, que está em seu mundo mágico e ingênuo, querer que essa criança saiba algo sobre política brasileira e sobre a parte jurídica das coisas do Brasil. 





      As crianças que nascem no sertão do nordeste, estão mais preocupadas em viverem o dia a dia de uma terra que não é todo mundo que tem a coragem e a bravura que eles tem, em morar em solo hostil e de difícil acesso para outros centros urbanos. Essa é a vida mágica e difícil que as crianças do nordeste vivem, e que fazem um cenário cultural digno de filmes. 



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...