, A ARTE DE NEWTON AVELINO

Curta Nossa Página do Facebook!


  • Desenvolvido Por Iago Melanias

    Curta Nossa Página do Facebook!


  • Desenvolvido Por Iago Melanias

    SEGUIDORES

    Confira a arte do artista potiguar Newton Avelino, na sua galeria permanente. Adquira já uma obra!

    18 de mar de 2017

    TRABALHO NA CAATINGA

                                                                      

    SANGUE SUOR E TRABALHO | Fonte da imagem: Prefeitura de Varjota







    SANGUE SUOR E TRABALHO






          A região nordeste do Brasil, é muito mais do que um elemento geográfico. Essa região é marcada pela sua história, carregando consigo dores, lágrimas e sangue de uma gente sofrida e que exibe em algumas de suas sub-regiões, um cenário rústico, que parece que ainda o tempo não passou. A região do sertão nordestino é uma das que mais se transforma dentre todas as regiões do Brasil, pois seus arbustos e plantas são rasteiras misturadas com uma vegetação de porte médio e alta, e que na época de secas, ela se torna cinza claro, e na época de chuvas; ela se torna uma vegetação mais viçosa e verde. 





          A fome, a falta d’água e muita miséria, são os problemas mais crônicos dessa região do sertão, isso nas épocas de secas prolongadas. Na verdade, essa é uma região que sempre foi explorada e descartada, a não ser em anos de eleições. Hoje vemos uma transposição que é uma obra grandiosa que começou nos governos passados e que até hoje ainda vem se arrastando, queira a Deus que, os benefícios dessa obra, beneficie o pequeno agricultor, pois é o pequeno agricultor com a sua agricultura familiar, ele contribui e muito, para o progresso dessa região e do Brasil. 





          Nessa terra de valentes, os vaqueiros são personagens culturais que podemos chamá-lo de heróis, pois eles são quem carrega o próprio sertão, e faz dessa região mais seca do Brasil, um lugar de lutas diárias pela sobrevivência e pela valorização de uma tradição. A história desses trabalhadores rurais, se desenvolveu paralela ao desenvolvimento da criação de gado no Brasil. Para conduzir os rebanhos, os homens do sertão nordestino se submetiam a longas e perigosas jornadas de trabalho para levar os animais de um ponto para o outro em terreno muito hostil. 





          Eles percorrem as pastagens, preenchendo as regiões inabitadas dos sertões, com seus cantos e aboios de saudade e de tristeza. Essa figura folclórica, quase sempre está montado em seu cavalo, cuidando do gado e enfrentando diretamente o sol com temperatura escaldante e as constantes secas da caatinga, e sem descanso. Eles antes de serem homens destemidos, são verdadeiros artesãos. 





          Geralmente usam couro cru de veado ou de bode, confeccionando suas vestes de trabalho a partir de técnicas primitivas de curtimento. Eles retiram todos os pelos do animal para poder o couro ficar liso e com formato de roupa de couro curtido. A peça torna-se macia, flexível e resistente ao calor e aos perigos da caatinga. Suas vestes tradicionais consistem em chapéu de couro, gibão, guarda peito ou peitoral, perneiras, luvas e sandálias. 





          A figura central de uma fazenda ou de uma roça é o vaqueiro, pois o patrão, é ou já foi um vaqueiro na maioria das vezes, e seu trabalho é árduo e continuo. No entanto, vemos que muitas pessoas que lidam com gado, principalmente as pessoas que participam das vaquejadas de finais de semanas, elas se acham vaqueiros, acho que não é tão vaqueiro assim, primeiro porque o vaqueiro tradicional cuida do gado geralmente nas fazendas e nas roças, e quando estão trabalhando, geralmente usam trajes de couro como indumentária, e quando eles podem fazer uma pega de boi, eles vão com esses trajes, ou seja, vão caracterizados fazerem os seus trabalhos diários que é pegar o boi no pasto dentro da caatinga, ou não. 





          O vaqueiro de final de semana, para disputar vaquejadas, geralmente usam bonés meio americanizados, isso descaracteriza por demais a cultura popular nordestina. Então vemos que, é preciso não só termos coerência quando falamos de vaqueiros, mas que essas pessoas que se dizem “vaqueiros”, também tenham atitudes e procurem preservar a tradição do que realmente um vaqueiro. 





          A própria vaquejada, é uma imitação de uma antiga prática centenária dentro do Nordeste brasileiro, que é a “pega de bois”, a vaquejada é mais modernizada do que a pega do boi. É preciso trabalhar com o gado dentro da caatinga para se tornar um vaqueiro tradicional, culturalmente falando. É bem fácil, é só correr todos os dias atrás de novilha ou de um touro brabo que está perdido do rebanho dentro da caatinga, e vai atrás dele para encaretar e traze-lo para o seu dono que é o fazendeiro, aí podemos começar a chama-lo de “vaqueiro”. Toda a minha admiração e o meu respeito por essa figura folclórica que faz parte da história e da cultura nordestina.







                              



    17 de mar de 2017

    PERÍODO NEOLÍTICO

    CULTURA POPULAR  | Fonte da imagem: RSIM











    ARTE POPULAR






        A região Nordeste do Brasil é uma região que tem sua cultura muito rica e muito ativa dentro de cada setor da sociedade aonde essas pessoas vivem. Ele é parte relevante de uma das vertentes culturais do Nordeste. Isso faz com que esses artistas tirem seus sustentos através da comercialização de seus produtos. Devido a uma enorme variedade de estilos regionais desse artesanato, é impossível destacarmos um, mas vemos que, as redes tecidas e bordadas, muitos produtos de madeiras e argilas, rendas e outros são confeccionados nessa região. 






           O artesanato do Nordeste brasileiro vem se destacando todos os dias aos olhos dos turistas e da própria cultura Nordestina e brasileira. No Estado do Ceará vemos que, os destaques são as garrafas coloridas e as rendas, no estado do Maranhão vemos que o babaçu é quem se destaca, no estado do Piauí a palha da carnaúba, no estado do Pernambuco, são as carrancas e assim sucessivamente. Ele é uma importante manifestação da cultura popular e sai das mãos de muitos artistas populares regionais. 





          Na maior parte das vezes a principal atividade econômica de alguma dessas sub-regiões nordestinas são os trabalhos feitos por esses artesões. Tanto com palha, como com o barro, essa são as formas que esses artistas usam sem nenhuma tecnologia, para construírem as suas histórias e colocarem os seus talentos para funcionar. A renda é um dos trabalhos em tecidos que nós herdamos dos europeus, assim como quase toda nossa cultura, mas absolvemos e adaptamos ao nosso modo, e então, conseguimos fazer um artesanato genuinamente brasileiro. 





          A produção artesanal nordestina é marcada por uma variedade de materiais, tais como: fibra, cerâmica, couro, fio e tecido. Incentivar e viabilizar o artesanato nordestino visando a geração de emprego e renda, pode ser uma das saídas para atenuar os efeitos devastadores da seca e da miséria. Um dos maiores artesãos do Nordeste, foi o “Mestre Vitalino”, ele influenciou uma geração de artesãos não só os artesãos pernambucanos mais muitos artesãos nordestinos através de suas obras. Isso foi essencial para o crescimento cultural do Nordeste e para uma enorme geração de artistas populares. 





         Mesmo essa produção artesanal tendo uma grande produção, vemos que alguns tipos de trabalhos são encontrados com pequenas variações entre um estado e outro dessa região. Os primeiros artesãos que surgiram no mundo, foi no período neolítico (6.000 a.c) quando o homem aprendeu polir a pedra, a fabricar cerâmica e a tecer fibras animais e vegetais. Então não é de hoje, que o artesanato está presente na vida do homem, ele já vem dentro de uma sociedade muito antes de Cristo. No Brasil, o artesanato deve ter surgido nesse período, através dos índios, pois quando os portugueses por aqui desembarcaram, encontraram os índios com pinturas a base de corantes vegetais. 





          O artesanato brasileiro é um dos mais ricos do mundo e gera sustento para muitas famílias e comunidades. Esse seguimento de arte faz parte do folclore e revela usos, costumes, tradições e características de cada região do Nordeste brasileiro. Esse seguimento da arte popular é revelado através das mãos de artesãos que com sua criatividade e habilidade, produz peças de palha, couro, tecido, barro, fibras naturais e materiais recicláveis, visando produzir peças utilitárias ou artísticas, com ou sem finalidade comercial. Então vemos que, esse tipo de atividade, é muito importante para o crescimento social, cultural e econômico, não só no Nordeste brasileiro, mas em muitos outros lugares do Brasil ou de qualquer outra parte do mundo, pois isso dá dignidade as pessoas que fazem parte desse mundo cultural.







    15 de mar de 2017

    LUGAR PARADISÍACO

    PONTA DE AREIA | Portal Costa Norte











    UMA PONTA DE AREIA







          A praia do Macapá em Luís Correia no estado do Piauí, ainda é pouco conhecida por parte do grande público. Fica próxima a outras belas paisagens. O rio camurupim também faz parte dessa bela paisagem do estado piauiense. Esse lugar paradisíaco é excelente para quem está procurando tranquilidade e natureza. Ela está localizada no município de Luís Correia, município piauiense onde se encontra a maioria das praias do menor litoral nordestino. 





          Apesar de ser um litoral muito pequeno com apenas 66 quilômetros de extensão, esse é um litoral que tem praias e que faz inveja a qualquer outro lugar paradisíaco do mundo. O estado piauiense também é conhecido pelas suas riquezas naturais o seu folclore e a sua culinária. A praia de Macapá ainda é uma praia quase virgem, até pouco tempo não existia pousadas nessa região, mais atualmente já existem algumas pousadas, o que dá mais tranquilidade aos turistas, pois na maioria das vezes o turista gosta de ficar naquela praia que ele se identifica mais. 





          As correntes marítimas mudaram devido as mudanças do clima e vem castigando a paisagem dessa praia nos últimos anos, ao ponto, do mar ter avançado sobre a vila que fica nessa praia. Mesmo com o avanço do mar, os empreendimentos turísticos não deixam de aparecer nessa região. Nessa região, você pode encontrar muitas casas de veraneio para aluguel, mas as maiores opções estão em Maramar que é a praia vizinha. O litoral piauiense surpreende a muita gente, pois é um lugar que tem praias belíssimas de areias fofas, águas mornas, carnaúbas e dunas e muito coqueiros. A praia de Macapá é uma dessas praias. 





          A cidade de Luís Correia tem 42 km de praias lindas para você contemplar a natureza e fazer muitos esportes radicais. Essa praia se torna diferente porque se localiza em uma ponta de areia, recebe de um lado as águas doces do rio Camurupim e do outro lado o mar claro e transparente. De lá observa-se os mangues dos caranguejos, e nos finais de semana, em alta estação, os visitantes contam com o êxtase das “bananas-boat”, para passeios com fortes emoções. Na maré baixa, os bancos de areia parecem dunas conectadas pela água. 





          Uma paisagem bucólica, onde também é possível praticar pesca esportiva. Ela é um paraíso que muda constantemente devido aos fortes ventos que sopram em direção ao continente e é por isso que daqui alguns anos, talvez ela deixe de existir. Esse local era uma vila de pescadores localizada as margens do rio camurupim, que nos últimos anos vem sofrendo muito com o aumento do nível das águas do mar, que invade cada vez mais o povoado, deixando rastro de destruição e obrigando seus moradores a estarem sempre em constante adaptação. Para chegar a esse paraíso que fica a 27 km da cidade de Luís Correia é pela PI 116.






    14 de mar de 2017

    CAPITAL DO REGGAE

    ILHA DO AMOR | Fonte da imagem: Decolar












    ILHA DO AMOR







          Como quase toda as capitais do dos estados do nordeste brasileiro, a cidade de São Luiz do Maranhão é uma dessas cidades bela e cheia de atrativos para serem mostrados. Não existi uma época determinada para você visitá-la, pois essa cidade, tem seus encantos em cada rua, em cada espaço, em cada canto dela. Ela tem um grande acervo cultural, e isso faz com que ela se destaque de algumas outras capitais. Foi colonizada por franceses. 





          No século XVll, navegadores de Cancale e Saint-Mailo se estabeleceram na região e a batizaram com uma singela homenagem ao Rei Luís Xlll. A economia dessa época, era impulsionada pelo plantio e exportação de cana de açúcar, tabaco e cacau. Isso fazia dessa região, uma região próspera e rica, pois o progresso da região e as exportações dos produtos que ela produzia, fazia dela uma região próspera e de geração de emprego e renda para quem procurava se instalar nesse local já nessa época. 





          São Luiz foi fundada pelos franceses em 1612, foi implantado na cabeça de uma península formada na confluência dos rios Bacanga e anil e caracteriza pela influência portuguesa, que tem uma mistura muito forte que já dava para se identificar a olho nu, principalmente nos seus azulejos em várias fachadas dos seus casarões na parte do centro cultural dessa cidade. A expansão urbana acelerou-se no período dos séculos XVlll e XlX, obedecendo ao traçado original do ano de 1615, e que foi feito pelo engenheiro português Francisco Frias de Mesquita, após a expulsão dos franceses. Essa capital guarda muitos segredos em cada beco, em cada esquina e em todos os seus espaços. A sua cultura tem heranças indígenas, europeias e africanas. 





          Ela é a única capital brasileira totalmente situada numa ilha. Mesmo com muitas mudanças ocorridas durante todos esses anos, São Luís do Maranhão tem uma grande comunidade negra do país, e chega a ser a terceira comunidade negra do Brasil. Essa cidade está situada na sub-região nordestina chamada de “meio norte”. Isso é que move as pessoas de São Luís do Maranhão. Recebeu o tombamento pela Unesco como Patrimônio Cultural da Humanidade, em 1997. 





          Possui um acervo arquitetônico colonial avaliado em cerca de 3500 prédios, espalhados por uma área de 250 hectares de centro histórico, sendo uma parte de casarões com mirantes revestidos com azulejos portugueses. Muitos desses prédios foram restaurados; e isso é uma vitória para a história cultural de São Luís, para a história cultural do Nordeste e para a história cultural do Brasil, pois uma cidade sem história, um estado sem história, uma região sem história e um país sem história, claro que isso não vai lhe dá identidade. 





          É preciso todos nós valorizarmos o que é nosso, através de ações, incentivos e trabalho. A prefeitura Municipal de São Luís funciona no palácio la Ravardiére, construção de 1689. Essa cidade é um município mais populoso do Maranhão, além de ser o 15º município mais populoso do Brasil. Essa capital nordestina contribui e muito para o progresso do meio norte na região nordestina, do Nordeste e do Brasil. A culinária típica maranhense é variada, saborosa, com temperos e personalidade marcantes. 





          As influências da cozinha maranhense vêm de índios, portugueses e africanos. Mas muito mais dos africanos, que souberam dar vida e sabores novos a tudo que encontraram nessa região. O arroz de cuxá e o peixe frito é um dos pratos bem pedido nessa região, é quase uma instituição para os maranhenses. Quando você vier ao Nordeste, procure conhecer São Luís e a sua história, pois a terra de Alcione, do Tambor de Crioula, do Tribo de Jha, bumba meu boi e tantos outros, vai te receber de braços abertos. A capital do Reggae é linda de se ver. Venha conhecer a ilha do amor, São Luiz do Maranhão.






      

    21 de fev de 2017

    UMA CULTURA PRAIANA

    MODO SIMPLES DE VIVER | Fonte da imagem: TripAdvisor












    MODO SIMPLES DE VIVER








           O litoral do Nordeste brasileiro é realmente um dos lugares mais belos para se passar férias e para ser desbravado. Com águas mornas em umas praias e águas mais frias em outras, esse litoral tem muito atrativo para ser mostrado e ser devidamente conhecido pelos turistas, tanto do Nordeste e do Brasil quanto pelos turistas internacionais. Com sol forte e muito calor, essa região tem um verão de 365 dias do ano, que favorece e muito, para um grande verão, e para que os turistas gostem muito das praias do Nordeste. 





         Esses ingredientes são muito importantes para um verão de sucesso. A região litorânea dessa região, é considerada “o caribe do Brasil”. Dentre muitas cidadezinhas litorâneas, escolhemos uma para destacar uma pousada, pois se tratando de verão, claro que a infraestrutura desses locais tem que ser impecável ou não, vai depender muito da administração desses locais. Jericoacoara é um desses lugares que se coloca o pé na área sem preocupação com nada. 





          A cidade é um charme só, fica localizada a cerca de 300 KM de Fortaleza, a capital do estado do Ceará, é uma antiga vila de pescadores e hoje é uma das praias mais conhecidas por ser um verdadeiro paraíso, com grandes atrativos. Como esse é um lugar que não é tão explorado, comparado com outras cidades da região Nordeste, a chegada até Jericoacoara não é muito fácil, tem que ser através de carros 4x4 ou jardineira, uma espécie de caminhão aberto que tem capacidade para umas 25 pessoas. 





          Mas vamos falar aqui hoje é de uma pousada que está localizada em Jericoacoara e que tem uma arquitetura daquelas de dá água na boca e deixar todos nós estarrecidos com a sua colorida e linda arquitetura de bom gosto. Um verdadeiro colorido tropical. Estamos falando da Pousada Ibiscus, que se parece mais com um Hotel rústico. Ela fica próximo da praia, uns 3 minutos se o turista for a pé. Com suas acomodações a pelo menos uns 250 metros da beira mar, essa pousada de alta qualidade dá para os turistas, todo o conforto de uma pequena cidade praiana que fica no litoral nordestino. 





          Ela tem quartos com ar condicionados e uma decoração bem tropical, um colorido que faz dela uma pousada diferenciada das outras. Seus quartos têm varandas privadas e todos estão equipados com frigobar e cofre, e um serviço de wifi disponível em todas as dependências. Ela oferece um bufe de café da manhã todos os dias, e se você quiser outras refeições você pode ir até o centro, que fica a 200 metros do hotel. Na pousada Ibiscus você pode desfrutar de passeios a cavalo através do Parque Nacional de Jericoacoara. Também pode reservar passeios de buggy nas dunas. 





          O local para esportes náuticos como windsurfe fica apenas a 300 metros da Pousada. Essa pousada é uma das que, pode te dá um dos melhores custos benefício de hospedagem em Jericoacoara. A equipe da pousada, sempre está disponível para atender aos hóspedes, sendo assim, você pode se sentir como se estivesse em casa. Então vemos que, quem vem para o Nordeste brasileiro atrás de boas férias a beira mar, deve primeiro consultar cada pousada daquele lugar que ele quer passar suas férias, para depois, fazer a reserva em alguma pousada. 





          Para chegar a Jericoacoara, no Ceará, indo por Fortaleza, você pode pegar um ônibus e a viagem só dura 6 horas, depois pega uma jardineira até Jeri, mais uma hora. A outra opção é contratar um transporte particular. Para chegar a Jericoacoara tem que ser um carro 4x4. A beleza e o bom trabalho hoteleiro da Pousada Ibiscus podem deixar o turista a vontade como se você estivesse em casa. A beleza do lugar é outro fator que pode te surpreender, pois o colorido desse local é diferenciado e contrasta com atmosfera do ambiente. Antes de fazer sua viagem, o turista tem que entrar em contato com o seu guia turístico para que suas férias não seja um desastre.















    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

    GOSTARIA DE ASSINAR O NOSSO FEED?

    100% gratuito

    RECEBA AS ATUALIZÇÕES DO NOSSO BLOG DIRETAMENTE NO SEU E-MAIL

    FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADES DO BLOG