FESTIVAL GOURMET – A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro: FESTIVAL GOURMETBlog de Arte e Cultura A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro: FESTIVAL GOURMET A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro: FESTIVAL GOURMETBlog de Arte e Cultura A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro: FESTIVAL GOURMETBlog de Arte e Cultura

SEGUIDORES

Página Inicial Biografia Produtos Galeria O que dizem Jornalista Links Entrevistas Contato

17 setembro, 2016

FESTIVAL GOURMET

SABORES DOCES DO BRASIL | Fonte da imagem: catequesedeconquista











SABORES DOCES DO BRASIL










      A época junina, é uma época dedicada a três santos da igreja católica, nessa época, tudo gira em torno das comemorações de uma história milenar, e que foi introduzida, pelos portugueses, na época do Brasil império. Sabemos também, que muitas coisas, foram modificadas dentro de alguns aspectos, dentre todos os aspectos, o mais importante foi que, conseguimos adaptarmos todos os nossos gostos e costumes a uma influência europeia que foi o início de tudo. Porém hoje, podemos dizer que a nossa cultura ficou realmente genuinamente brasileira, mas que dentre tudo isso, essa influência, só veio enriquecer o nosso folclore e deixar um pouco disso tudo dentro dessa cultura tão linda que é a nossa. 






       Bom, sabemos que dentre tantas vertentes culturais, teve uma dessas que foi fundamental para as nossas vidas, que foi a nossa culinária. Pegamos algumas receitas europeias, indígenas e africanas, e soubemos adaptar os nossos próprios temperos, as nossas próprias ideias e também as nossas matérias primas, para deixar o nosso mundo gourmet, mais aromático e mais picante. Diante de tudo isso, soubemos integrar todos esses pratos a cada festa comemorativa do ano. Então uma dessas festas mais esperada pelos brasileiros especialmente o nordestino, é a festa junina. 






      Quando chega os festejos juninos, a alegria é estampada no rosto de cada um dos que aqui moram, e também pela diversidades de cores, sabores, sons, e danças. Vemos que, se as festas juninas, com suas quadrilhas e os seus arrais, não for a primeira festa mais comemorada do Brasil, eu acho que ela fica entre as três festas mais comemoradas do nosso Brasil. Nessa época, as comidas juninas são fartura e colírios para os olhos. São centenas e mais centenas de comidas típicas, cada uma com pratos mais saborosos do que outros. 






      Geralmente as comidas são vendidas em barraquinha devidamente estilizada, com muito colorido e com toda decorada com bandeirinhas. Podemos encontrar nessas festas juninas, pratos como: canjica, pé de moleque, broa de fubá, cocada, doce de abóbora, cajuzinho, doce de batata doce, maria mole, pastel junino, cuscuz, munguzá, quebra queixo, suspiro, pé de moleque, quindim e tantas outras guloseimas. As comidas doces feitas no nordeste brasileiro, são praticamente unanimidade quando chega a época junina. 






       O interessante dentro do ciclo junino é que praticamente as comidas são quase todas à base de milho. É justamente na época da colheita do milho que começa as festas juninas. Não é mole não, o cardápio dessa região tem comidas simplesmente que chamamos de manjar, pois elas tem aromas e temperos que leva o nosso paladar a loucura. O bolo de macaxeira, o curau, bolo de milho e ovos e tantas outras iguarias feitas pelas mãos divinas das cozinheiras nordestinas só nos deixar a dizer um muito obrigado por essa arte tão divina que é a arte de fazer pratos maravilhosos. 






      Essa festa realmente no nordeste brasileiro, ela é diferenciada de outros cantos ou outras regiões do nordeste brasileiro. Então o período junino para todos nós, é um momento de confraternização e muita festança no que se refere essa comemoração. Também podemos ver que, o forró é tocado quase à noite toda, isso para animar os mais afoitos, pois é no chiado da chinela e comendo muita pamonha e canjica, que o forró é dançado quase que até pela manhã. Então posso dizer, que o nordeste representa essa festa com muita competência, pois falar em festa junina e não falar de Nordeste, é mesmo um quase que um pecado.



Nenhum comentário: