SECANDO FEIJÃO – A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro: SECANDO FEIJÃOBlog de Arte e Cultura A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro: SECANDO FEIJÃO A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro: SECANDO FEIJÃOBlog de Arte e Cultura A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro: SECANDO FEIJÃOBlog de Arte e Cultura

SEGUIDORES

Página Inicial Biografia Produtos Galeria O que dizem Jornalista Links Entrevistas Contato

01 março, 2016

SECANDO FEIJÃO





PRÁTICA COMUM DE SECAGEM




 
   No sertão nordestino ou em qualquer outra parte dessa região, vemos que a agricultura de subsistência é muito forte. Os pequenos agricultores ficam esperando as chuvas já no mês de março que é quando começa o inverno em alguns estados dessa região. 




   Mesmo o inverno atrasando um pouco eles tem fé e perseverança, e mesmo as primeiras chuvas atrasando, eles plantam porque tem a certeza de que vindo as primeiras chuvas, o inverno vai ser regular e que eles podem colher uma boa safra.




    O interessante da agricultura de subsistência, é que os pequenos agricultores vendem apenas algumas sobras da colheita, no caso aqui é o feijão que estamos falando. Pois bem, a gente analisando dessa forma pensa que é pouco, mas algumas pessoas se enganam, se esses pequenos agricultores se juntarem e venderem a sua produção, isso se torna grande, pois são várias sacas de feijão. Na verdade, eles abastecem uma parte do mercado local, com a sua produção.




      É por isso que a agricultura de subsistência é muito importante para o pequeno agricultor e para a sociedade. Por onde andamos nessas região nordestina, vemos nas zonas rurais, dezenas, e até centenas de roçados com plantação de feijão e milho. O importante de tudo isso, é que, quando a safra é boa, a tendência é baratear o produto, pois a lei que move o nosso alimento de cada dia em nossa sociedade, é a lei da oferta e da procura. Isso é que move o capitalismo. Mas isso é outra história. Alguns pequenos agricultores preferem vir morar nas pequenas cidades pois eles tem como usufruir da comodidade que essas pequenas cidades oferecem, ao passo que nas zonas rurais algumas não tem tanto conforto assim. 





     Alguns desses pequenos agricultores, mesmo aposentados, ainda mantem a tradição de plantar os seus roçados todos os anos. A maior preocupação desses agricultores, é que em alguns açudes como alguns invernos não foram tão regular assim, essas águas que caem durante esses invernos regulares, não são suficiente para encher os açudes dessas regiões. O tipo de feijão que o agricultor nordestino gosta de plantar é o feijão macassar, ou feijão de corda que é uma excelente fonte de proteínas, e apresenta todos os aminoácidos essenciais, carboidratos, vitaminas minerais, além de possuir uma grande quantidade de fibras.





      Bem, como todos nós sabemos, esse feijão além de ser uma tradição no nordeste brasileiro, ele se adapta bem a região e ao clima quente, além de ser um dos mais apreciados pela população nordestina. Ele é tradicional no prato apreciado por todos nós que é o “baião de dois”, esse feijão é o que é mais indicado para se fazer esse manjar. Os pequenos agricultores quando termina a colheita do feijão, eles procuram colocar o feijão para secar em cima de lonas ou esteiras de palhas em frente as suas casas, isso já é uma tradição do pequeno agricultor, depois que debulha o feijão ou não. Enfim, essa é a cultura de um povo guerreiro e batalhador.









Nenhum comentário: