FUMO DE ROLO – A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro: FUMO DE ROLOBlog de Arte e Cultura A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro: FUMO DE ROLO A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro: FUMO DE ROLOBlog de Arte e Cultura A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro: FUMO DE ROLOBlog de Arte e Cultura

SEGUIDORES

Página Inicial Biografia Produtos Galeria O que dizem Jornalista Links Entrevistas Contato

23 abril, 2016

FUMO DE ROLO

FUMO DE ROLO | Fonte da imagem: orural22









TRADIÇÃO DO NORDESTE







      O fumo que era uma fonte de emprego e renda na agricultura, nos anos 60 e 70, já não é mais tão rentável assim para as famílias de baixa renda, na cidade de Arapiraca, no estado de Alagoas. Essa cidade devido à grande produção de fumo da época, ela chegou a ser chamada de capital do fumo. O fumo nessa época era comercializado em cordas e com coloração negra pela quantidade de pureza da nicotina. Os produtores costumavam enrolá-lo em paus e chegavam a pesar de 4 a 6 KG.






     O fumo produzido no estado alagoano ainda mantem antigas tradições de produzir o fumo com técnicas criadas ainda no século XX. O fator principal de ter diminuído essa plantação agrícola foi que no final do século XX o fumo começou a ser industrializado em empresas com alta tecnologia, e isso veio baratear os custos de mercado, assim a renda de quem plantava a folha que produz o fumo, viesse cair drasticamente. Os agricultores então partiram para plantar outras culturas alternativas, deixando assim essa cultura de lado.






      Apesar disso tudo, agricultores de Arapiraca e de outras regiões circunvizinhas, ainda mantem a tradição, de plantar fumo. A produção dessa cultura é feita através da força do homem ou de animal doméstico, isso, quando é empregada as técnicas mais tradicionais. As variedades de folhas do fumo são grandes, tais com: azulão, goiano, crioulo e outras. As folhas tem que ser colhidas quando atinge a maturação, e penduradas em galpões, por 15 dias, isso para que elas murchem e depois para serem separadas das nervuras centrais, isso para poder começar a formar a corda. Para o enrolamento, é preciso de quatro a oito folhas, dependendo da grossura desejada, o movimento para torcer e começar a fazer o rolo é feita por duas pessoas. 





      Com a continuação dos movimentos, vai se formando a corda e é enrolada em um sarilho. Depois coloca-se o fumo para ser curado ao sol durante um mês, isso já em forma de rolo. Depois é passado para outro serrilho para escoar a água e as impurezas gomosas que parece mais um tipo de mel. O processo para terminar entre a fabricação e as cordas finais fica entre 50 e 90 dias. O fumo de rolo ainda é uma grande tradição em feiras livres e em pequenos comércio do sertão nordestino.






      Muitos sertanejos ainda costuma usar esse tipo de fumo, pois eles já se acostumaram a cortá-lo e a embalá-lo na fabricação de cigarros artesanais. Não é tão difícil de se encontrar rolos de fumos em cima de alguma prateleira de alguma mercearia dentro do sertão nordestino ou mesmo em alguma feira livre de alguma cidade do nordeste. Hoje a produção de fumo industrializado fica mais lá para as bandas do sul, como o Rio Grande do Sul, que por área plantada, é o campeão, depois desce para Bahia e outros estados.








Nenhum comentário: