MAIS IMPORTANTE DO QUE O TRIGO – A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro: MAIS IMPORTANTE DO QUE O TRIGOBlog de Arte e Cultura A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro: MAIS IMPORTANTE DO QUE O TRIGO A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro: MAIS IMPORTANTE DO QUE O TRIGOBlog de Arte e Cultura A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro: MAIS IMPORTANTE DO QUE O TRIGOBlog de Arte e Cultura

SEGUIDORES

Página Inicial Biografia Produtos Galeria O que dizem Jornalista Links Entrevistas Contato

15 junho, 2014

MAIS IMPORTANTE DO QUE O TRIGO

           
                                 Fonte da imagem: halleyturismo
                        CASAS DE FARINHA NO NORDESTE BRASILEIRO
   Uma das imagens que eu sempre gostei de ver no sertão do nordeste brasileiro, foi ver as casas de farinha, na maioria das vezes, elas ficam ou ficavam no quintal das casas de fazenda ou no sítio dos sertanejos.
   Quando eu estava morando no alto sertão do Piauí, eu via muitas plantações de mandiocas verdinhas, quando a plantação já estava na época de arrancar, aquelas enormes raízes, os agricultores puxavam as elas no braço e colocavam nas carroças ou caçoas dos animais. Tudo bem rústico e simples, eram as antigas casas de farinha no interior do nordeste.
   Essa cultura vem desde os índios, a mandioca é uma das matérias prima para eles fazerem a sua tradicional farinha. O alimento dos índios realmente é tudo a base da farinha. Eles chamavam as suas plantações, ou roça de mandioca, de demandiotuba.
   A casa de farinha é o local a onde se transforma a mandioca em farinha, ingredientes usado na fabricação de vários amentos, entre alguns tem o beiju. Alguns jornalistas do período colonial já faziam referencia ao consumo de mandioca no nordeste brasileiro. Alguns já falavam que a farinha de mandioca era mais sadia e proveitosa do que o próprio trigo.
   Outros registraram que era o principal mantimento do Brasil. Já outros afirmavam que o beiju era um alimento bastante forte e mais agradável do que o pão. Como todos nós sabemos as casas de farinha desde a época do período colonial foram e ainda continuam sendo uma tradição em cada canto desse nordeste brasileiro.
   O que eu vi, ficou gravado em minha mente como uma imagem de pessoas humildes e trabalhadoras, fazendo um dos produtos mais consumidos na mesa do povo, não só do sertão nem só do nordeste, mas de todo o território Brasileiro.
   A sua preparação é que é um barato, primeiro se lava a raiz para tirar a terra, depois descasca para tirar parte do veneno que essa raiz tem, depois se rala a raiz para formar uma papa, depois coloca-se toda essa pasta em uma prensa de madeira, depois  disto, deve-se esfarelar a massa compactada, depois ela é peneirada para separar os pequenos fragmentos dos grandes, depois ela é colocada para torrar e tirar a umidade.
   Ela tem que ser mexida rapidamente, isso influencia muito no tipo da farinha. A temperatura do forno, o tempo dela no forno e a técnica de mexer com a farinha no tacho, é o que vai classificar a qualidade da farinha. Essa é a nossa farinha de cada dia.