A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura: cultura do nordeste brasileiro
AVE DO CERRADO E DA CAATINGA – A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro AVE DO CERRADO E DA CAATINGAA ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro

SEGUIDORES

Página Inicial Biografia Produtos Galeria O que dizem Jornalista Links Entrevistas Contato
Confira a arte do artista potiguar Newton Avelino, na sua galeria permanente. Adquira já uma obra!

27 novembro, 2016

AVE DO CERRADO E DA CAATINGA

CARAMA CRISTARA | Fonte da imagem: A Rustle of Wings










CARAMA CRISTARA







       As aves do cerrado e da caatinga brasileira, são belíssimos, pássaros de plumagens de todas as cores e hábitos bem esquisitos, eles fazem parte da flora brasileira e que dá um aspecto cultural muito rico a nossa flora. Vamos falar da Seriema (Carama cristara). Ela pode ser chamada de “sariema” ou “siriema”, esse nome é dado as aves da família dos cariamídeos (Cariamidae). Essas aves, tem hábitos terrestres, que preferem correr a voar. 






       Elas só voam quando estão sendo ameaçadas. As “siriemas” só são notadas, quando cantam. Elas se alimentam de insetos e pequenas cobras e lagartos, dentro da caatinga. Formam grupos de casais e filhotes. Os ninhos dessas aves, são feitos normalmente na copa das árvores do bioma. A fêmea põe normalmente dois ovos, mas as vezes só nasce um filhote. Como todo pássaro silvestre, eles na época de secas, se aproximam mais das áreas que estão sendo plantadas, em busca de se alimentar e de alimentar seus filhotes. 






       O hábito noturno dessas aves são que, à noite elas se abrigam-se no alto das árvores, aonde constroem seus ninhos. Não existe dimorfismo sexual referente ao tamanho, machos e fêmeas, tem o mesmo porte e altura médios, só à cor da fêmea é mais amarelada e mais fosca do que o macho. Quando o período no sertão está muito seco, elas se aproximam-se mais das propriedades e podem chegar até aos terreiros das fazendas para serem alimentadas pelos sertanejos. 






       Gostam de andar em casais ou em pequenos grupos. Ela pode chegar até 90 centímetros de comprimentos, ou seja, da ponta do bico até o final da sua cauda. Geralmente pesa entre um 1,2 a 1,4 kg. O seu canto é muito bonito, e pode ser ouvido a mais de um quilômetro de distância. Geralmente elas podem ser associadas a chuva, ou seja, quando elas cantam, o sertanejo acredita que, é adivinhando chuvas no sertão. 






       Ela pode correr, e a sua velocidade pode chegar facilmente a 50 KM por hora. O seu ninho é feito de gravetos e revestido de barro molhado, encontrado em barreiros feitos no sertão Nordestino. Folhas e estrumes são materiais que, essas aves usam nos seus ninhos também, para manterem a temperatura adequada para a incubação, que é revezada pelo macho e pela fêmea, e dura em média, duas semanas. O canto da “sariema” ou “siriema” já serviu de inspiração para o cantor cancioneiro da Mpb. Essa ave não só é encontrada dentro do bioma nordestino, a caatinga, como também, em todo o cerrado brasileiro. A caatinga é um ecossistema rico em vários aspectos, e isso faz desse bioma um habitat natural para essa espécie de pássaro que existe no sertão Nordestino.









CARAMA CRISTARA | Fonte da imagem: A Rustle of Wings










CARAMA CRISTARA







       As aves do cerrado e da caatinga brasileira, são belíssimos, pássaros de plumagens de todas as cores e hábitos bem esquisitos, eles fazem parte da flora brasileira e que dá um aspecto cultural muito rico a nossa flora. Vamos falar da Seriema (Carama cristara). Ela pode ser chamada de “sariema” ou “siriema”, esse nome é dado as aves da família dos cariamídeos (Cariamidae). Essas aves, tem hábitos terrestres, que preferem correr a voar. 






       Elas só voam quando estão sendo ameaçadas. As “siriemas” só são notadas, quando cantam. Elas se alimentam de insetos e pequenas cobras e lagartos, dentro da caatinga. Formam grupos de casais e filhotes. Os ninhos dessas aves, são feitos normalmente na copa das árvores do bioma. A fêmea põe normalmente dois ovos, mas as vezes só nasce um filhote. Como todo pássaro silvestre, eles na época de secas, se aproximam mais das áreas que estão sendo plantadas, em busca de se alimentar e de alimentar seus filhotes. 






       O hábito noturno dessas aves são que, à noite elas se abrigam-se no alto das árvores, aonde constroem seus ninhos. Não existe dimorfismo sexual referente ao tamanho, machos e fêmeas, tem o mesmo porte e altura médios, só à cor da fêmea é mais amarelada e mais fosca do que o macho. Quando o período no sertão está muito seco, elas se aproximam-se mais das propriedades e podem chegar até aos terreiros das fazendas para serem alimentadas pelos sertanejos. 






       Gostam de andar em casais ou em pequenos grupos. Ela pode chegar até 90 centímetros de comprimentos, ou seja, da ponta do bico até o final da sua cauda. Geralmente pesa entre um 1,2 a 1,4 kg. O seu canto é muito bonito, e pode ser ouvido a mais de um quilômetro de distância. Geralmente elas podem ser associadas a chuva, ou seja, quando elas cantam, o sertanejo acredita que, é adivinhando chuvas no sertão. 






       Ela pode correr, e a sua velocidade pode chegar facilmente a 50 KM por hora. O seu ninho é feito de gravetos e revestido de barro molhado, encontrado em barreiros feitos no sertão Nordestino. Folhas e estrumes são materiais que, essas aves usam nos seus ninhos também, para manterem a temperatura adequada para a incubação, que é revezada pelo macho e pela fêmea, e dura em média, duas semanas. O canto da “sariema” ou “siriema” já serviu de inspiração para o cantor cancioneiro da Mpb. Essa ave não só é encontrada dentro do bioma nordestino, a caatinga, como também, em todo o cerrado brasileiro. A caatinga é um ecossistema rico em vários aspectos, e isso faz desse bioma um habitat natural para essa espécie de pássaro que existe no sertão Nordestino.









Nenhum comentário: