A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro: BRINCADEIRA CRISTÃ A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura: cultura do nordeste brasileiro
BRINCADEIRA CRISTÃ – A ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro BRINCADEIRA CRISTÃA ARTE NORDESTINA | Blog de Arte e Cultura do nordeste brasileiro

SEGUIDORES

Página Inicial Biografia Produtos Galeria O que dizem Jornalista Links Entrevistas Contato
Confira a arte do artista potiguar Newton Avelino, na sua galeria permanente. Adquira já uma obra!

02 fevereiro, 2017

BRINCADEIRA CRISTÃ

FORMA DE PROTESTO | Fonte da imagem: destaquenoticias











FORMA DE PROTESTO







       Se existe uma tradição muito presente nas cidadezinhas do interior nordestino essa é “a malhação do Judas” ou queima de Judas. Tradição que ainda é muito forte em muitas comunidades católicas e ortodoxas e que foi introduzida na América Latina, pelos portugueses e espanhóis, não existindo somente no Brasil, mas também em outros países e ocorre sempre no sábado de aleluia, simbolizando a morte de Judas Iscariotes, aquele que traiu o filho do criador, Jesus de Nazaré.







       Judas, o famoso personagem, o traidor de Jesus Cristo, acendeu a fúria das pessoas pelo ato de entregar o Salvador aos romanos. Foi dessa forma que nasceu o costume na sociedade em, tradicionalmente, montar um boneco representando-o, usando na fabricação do mesmo, diversas vestimentas para malhar esse personagem como maneira de punir o traidor. O povo usa as formas mais hilárias de malhação ao “Judas”, desde uma simples surra ao boneco do tamanho de um homem, até a queima desse mesmo boneco. 






       Em alguns lugares do Nordeste brasileiro as pessoas saem desfilando o boneco pelas ruas ou vilas. Essa tradição vem desde a colonização europeia, e ainda se mantém muito viva entre todos nós. O mais interessante é que, Judas Iscariotes, traiu Jesus Cristo e o entregou ao Sinédrio, conselho supremo e representação dos Judeus perante os romanos, isso por 30 moedas. Depois da prisão de Jesus, o traidor se arrependeu-se, tentou restituir o dinheiro, mas, repelido pelos sacerdotes, ele enforcou-se com uma corda. 






       Então essa é a história que originou toda essa tradição, foi introduzida no Brasil como tantas outras vertentes da cultura, na nossa história cultural, sendo que adaptamos algumas coisas e depois de alguns anos, ficou genuinamente brasileira, passando também de evento cultural a um meio de negócio, ao ponto de algumas cidades nordestinas terem artistas que fabricam esses bonecos para serem vendidos.







       Existem vários fatos engraçados nessa representatividade como se o político não trabalhar corretamente, a população vai lá e homenageia ele com alguns desses bonecos, se algum artista pisa na bola, as pessoas vão lá e homenageiam esse artista, se alguma pessoa pública não age do jeito certo que é para agir, as pessoas vão lá e fazem um boneco. Então essa forma de protesto, juntou-se com o protesto cristão, que é a malhação do “Judas Iscariotes”, para virar vários protestos, com vários descontentamentos. 






       Seja ele na política, na sociedade ou em qualquer outro setor. Para alguns historiadores, essa tradição seria uma transfiguração da perseguição que os judeus sofreram na época da inquisição. Para outros, o “Judas queimado seria uma personalização das forças do mal, e por aí vai. Mas tem alguns outros historiadores que acham que o costume é remanescente da festa pagã dos romanos. O importa é que, a tradição da malhação do “Judas” no sertão Nordestino é muito festejada no sábado de aleluia, e isso faz dessa tradição uma das mais festejadas entre vilas e cidadezinhas do interior do Nordeste.




FORMA DE PROTESTO | Fonte da imagem: destaquenoticias











FORMA DE PROTESTO







       Se existe uma tradição muito presente nas cidadezinhas do interior nordestino essa é “a malhação do Judas” ou queima de Judas. Tradição que ainda é muito forte em muitas comunidades católicas e ortodoxas e que foi introduzida na América Latina, pelos portugueses e espanhóis, não existindo somente no Brasil, mas também em outros países e ocorre sempre no sábado de aleluia, simbolizando a morte de Judas Iscariotes, aquele que traiu o filho do criador, Jesus de Nazaré.







       Judas, o famoso personagem, o traidor de Jesus Cristo, acendeu a fúria das pessoas pelo ato de entregar o Salvador aos romanos. Foi dessa forma que nasceu o costume na sociedade em, tradicionalmente, montar um boneco representando-o, usando na fabricação do mesmo, diversas vestimentas para malhar esse personagem como maneira de punir o traidor. O povo usa as formas mais hilárias de malhação ao “Judas”, desde uma simples surra ao boneco do tamanho de um homem, até a queima desse mesmo boneco. 






       Em alguns lugares do Nordeste brasileiro as pessoas saem desfilando o boneco pelas ruas ou vilas. Essa tradição vem desde a colonização europeia, e ainda se mantém muito viva entre todos nós. O mais interessante é que, Judas Iscariotes, traiu Jesus Cristo e o entregou ao Sinédrio, conselho supremo e representação dos Judeus perante os romanos, isso por 30 moedas. Depois da prisão de Jesus, o traidor se arrependeu-se, tentou restituir o dinheiro, mas, repelido pelos sacerdotes, ele enforcou-se com uma corda. 






       Então essa é a história que originou toda essa tradição, foi introduzida no Brasil como tantas outras vertentes da cultura, na nossa história cultural, sendo que adaptamos algumas coisas e depois de alguns anos, ficou genuinamente brasileira, passando também de evento cultural a um meio de negócio, ao ponto de algumas cidades nordestinas terem artistas que fabricam esses bonecos para serem vendidos.







       Existem vários fatos engraçados nessa representatividade como se o político não trabalhar corretamente, a população vai lá e homenageia ele com alguns desses bonecos, se algum artista pisa na bola, as pessoas vão lá e homenageiam esse artista, se alguma pessoa pública não age do jeito certo que é para agir, as pessoas vão lá e fazem um boneco. Então essa forma de protesto, juntou-se com o protesto cristão, que é a malhação do “Judas Iscariotes”, para virar vários protestos, com vários descontentamentos. 






       Seja ele na política, na sociedade ou em qualquer outro setor. Para alguns historiadores, essa tradição seria uma transfiguração da perseguição que os judeus sofreram na época da inquisição. Para outros, o “Judas queimado seria uma personalização das forças do mal, e por aí vai. Mas tem alguns outros historiadores que acham que o costume é remanescente da festa pagã dos romanos. O importa é que, a tradição da malhação do “Judas” no sertão Nordestino é muito festejada no sábado de aleluia, e isso faz dessa tradição uma das mais festejadas entre vilas e cidadezinhas do interior do Nordeste.




Nenhum comentário: